Uncategorized

Hospital Evangélico divulgou nota sobre o caso Ribas Carli

O Hospítal Evangélico decidiu responder às questões levantadas sobre o seu comportamento, especialmente sobre a nitidez e transparência de suas informações ao público, com uma nota de esclarecimento. A diretoria diz que o atendimento ao deputado foi padrão, incluindo a coleta de sangue para que fosse realizado o exame sobre a tipagem sanguínea. A diretoria esclarece que o deputado chegou ao hospital sem identificação.

A íntegra da nota de esclarecimento está no Leia Mais.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em virtude de recentes notícias relativas ao acidente envolvendo o Deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, bem como ao período de 66 horas em que o mesmo esteve internado nesta instituição, o HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA vem a público esclarecer o seguinte:

1. O acidente foi atendido no local pela viatura nº 8274 do Siate, cujos plantonistas prestaram primeiro atendimento ao condutor do veículo Passat, o qual se encontrava em risco de vida (código 03), conforme Relatório de Atendimento do Socorrista – RAS.

2. O paciente veio então conduzido ao HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA, onde chegou às 02:02 horas do dia 07/05/09, sem identificação. Foi atendido pelos médicos do Pronto-Socorro, os quais efetuaram exames de rotina no atendimento ao politraumatizado, tendo sido constatado escala de coma Glasgow 5. Na ocasião, o banco de sangue – Hemobanco procedeu a coleta de material para tipagem sanguínea. Em seguida, foi acionada a equipe de neurocirurgia a qual constatou, após o paciente ter sido entubado, ventilado mecanicamente e hidratado, escala de coma Glasgow 8. No início da manhã, foi transferido para a UTI. O mesmo permaneceu sem qualquer identificação até por volta das 10:30 da manhã do dia 07, quando foi reconhecido por familiares.

3. Após os procedimentos iniciais de diagnóstico e tratamento, o paciente foi encaminhado ao centro cirúrgico para realização de traqueostomia, colocação de monitor de pressão intracraniana e correção inicial das fraturas de face. Na sequência, o paciente foi reencaminhado para a UTI. Nos dias 08, 09 e 10 o paciente permaneceu internado sob cuidados intensivos, recebendo tratamento conforme os boletins médicos já emitidos.

4. Às 20:00 horas do dia 10/05/09, em razão da estabilidade clínica e quadro neurológico favorável, o paciente foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a pedido da família. Durante todo o período em que esteve internado no HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA, foram prestadas todas as informações solicitadas e divulgados boletins médicos, relatando fielmente o estado de saúde do paciente.

5. Somente no último dia 13, o HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA recebeu o Ofício nº 2034/2009, da Delegacia de Delitos de Trânsito, requisitando o envio de amostra de sangue. Tal expediente foi encaminhado ao Hospital dois dias após a transferência do paciente, por decisão da família, ao Hospital Albert Einstein em São Paulo.

6. Independentemente da transferência, existe amostra de sangue do paciente, coletado no próprio dia 07/05/09, sob os cuidados e guarda do banco de sangue – Hemobanco. Diante da requisição oficial, o HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA recomendou ao Hemobanco a imediata entrega do material e informou à Delegacia e ao Ministério Público a existência do sangue, a fim de que o mesmo possa ser formalmente requisitado ao Hemobanco e entregue ao Instituto Médico Legal – IML.

7. O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA, que presta serviços de pronto-socorro há mais de 30 anos para a população de Curitiba, esclarece que até mesmo em virtude de sua tradição religiosa atende todos os pacientes indistintamente, não tendo jamais se recusado a prestar qualquer informação às autoridades e à opinião pública.

8. Finalmente, o HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA presta solidariedade às famílias das vítimas e a todos aqueles que estejam sofrendo moral e materialmente as consequências deste trágico evento.

9. O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA reafirma a sua intenção em continuar
colaborando com as investigações e prestando todos os esclarecimentos necessários.
Curitiba, 15 de maio de 2009.

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EVANGÉLICO DE CURITIBA
SOCIEDADE EVANGÉLICA BENEFICENTE DE CURITIBA

21 Comentários

  1. O Hospital Evangélico perdeu toda a credibilidade que tinha! A jogou no lixo. Teve tempo de esclarecer tudo isso logo após o ocorrido mas preferiu ficar em cima do muro.

  2. esse é o grande parlamentar que o prefeito de guarapuava ajudou a eleger éum absurdo tantas multas e ainda matar duas pessoas inoscentes.É esse o grande político que o PAI lançou? Esse é um exemplo para todos os eleitores de guarapuava e do brasil que pensem muito bem antes de votar…

  3. O Hospital Evangélico é dirigido por gente ligada ao Luciano Duci que por sua vez é do PSB, mesmo partido do deputado blindado! Prá conferir.

  4. O médico que atendeu o deputado, é funcionário de carreira da Assembléia Legislativa.. O Dr. Mainguê.

  5. Carlos Imperial Responder

    Se antes de acontecer a matança a carrocinha tivesse recolhido esse indivíduo para o Centro de Zoonoses os rapazes ainda estariam vivos.

  6. Sem querer defender ninguém, lanço um desafio: alguém, aqui, teria a cara-de-pau de dizer que nunca dirigiu embriagado (ainda que levemente) ou acima da velocidade? Mudo meu nome se aparecer algum. Analisem seriamente suas consciências antes de responder. Abaixo a hipocrisia nacional!!!

  7. VAMOS VER SE O BLOG vai dar o mesmo destaque para o belo depoimento da mãe do deputado, como deu para a mãe das vitimas. Jornalismo tem que ser imparcial.

  8. A.MAURA F..B BORGES Responder

    Nossaaa, quanta “proteçãe e sorte ” tem essa criatura que ceifou a vida de dois jovens!! Haja “amigos” para noticiarem tantas desculpas esfarrapadas !! Será que eles não se colocam em nenhum momento na pele das familias que perderam os filhos??….Fico cada vez mais revoltada com tamanha proteção para com esse irresponsavel!!! ACORDA BRASIL!!!

  9. O Coporativismo é muito forte dessa gente, mas não ficarão em pune desta vêz, não haverá sossego em quanto a Justiça não for feita!
    Cadeia para assasino!

  10. ao que eu saiba, paciente sem qualquer identificação NUNCA tem tratamento vip e rápido, fica é no corredor esperando atendimento do SUS.

  11. Omar Motta, é o seguinte: o jovem mancebo feito deputado estava caindo de bêbado e dirigia em velocidade absurda se considerada a máxima permitida (60 km/h). Se você já fez isso, também mereceria responder criminalmente.

  12. Se o deputado não tinha identificação , como os médicos do evangelico madrugaram no evangelico, porque o evangelico não fala quanto de doação foi recebido da familia do deputado, porque o andre sacarovi(dono do hospital quer saber qual os funcionarios que estão falando a favor da familia

  13. Piá Curitibano Responder

    Junto ao Hospital Evangélico está o PSB.
    Ambos, até então, de reputação ilibada, perdem a oportunidade histórica de manter-se com dignidade e com o respeito da popularidade.
    Pena…resta saber como a A.L.P. sairá desta!?!?

  14. Caro Omar Mota, já dirigi alcoolizado e acima da velocidade, mas nunca matei ninguém, nem machuquei, nem nunca tive minha carteira suspensa por excesso de multas, nem nunca fui senador, deputado e vereador.

    O que não entra na cabeça de alguns é que, idealmente, um deputado deve ser exemplo para a comunidade que o elegeu. E isso não acontece, e por isso o país está nessa m* de desmandos e corrupção.

    Tá bom assim ou quer que eu desenhe?

  15. Carolina Seiblich Responder

    Muitos já dirigiram sob algum efeito do álcool. A diferença é que as pessoas de bem, estando assim, procuram redobrar os cuidados ao dirigir; e playboys mimados e marmotas fúteis, que só dão valor ao espelho, andam na velocidade atestada pelas ferragens retorcidas, roubando vidas.

  16. Caro Senhor Omar Motta
    Sem hipocrisia… sim, já dirigi depois de tomar uma cerveja ou um copo de vinho na casa de amigos…
    Mas NUNCA dirigi um carro depois de cair de bêbado da calçada. NUNCA dirigi o meu carro numa estrada a 190Km por hora, muito menos dentro da cidade. NUNCA perdi minha carteira por excesso de pontos… E por último, graças a Deus NUNCA matei ninguém…
    Mas é claro… eu sou um simples mortal.. NÂO sou um Deputado nem filho de Prefeito.

  17. Que bom que alguns admitem que dirigiram bêbados. Agora, meus caros, matar alguém num acidente é uma consequência e não ocorre só porque alguém é deputado ou filhinho de papai rico. Todos que dirigem embriagados assumem o mesmo risco que o deputado assumiu, só que, com ele, aconteceu. Essa é a diferença. Vocês não são melhores que ninguém. Pelos menos têm vergonha na cara de admitir que dirigiram embriagados. Quanto a “eu nunca matei ninguém”, “nunca corri mais que o permitido”, ora, isso é sofisma. E sim, eu já dirigi embriagado – só um pouquinho, como todos aqui, é claro.

Comente