Uncategorized

“Alvaro Dias não tem o que fazer”, diz Paulo Bernardo

paulo002

O ministro Paulo Bernardo gravou entrevista para o programa Banda B Debates e soltou o verbo contra o senador Alvaro Dias, a quem responsabiliza pela convocação da CPI da Petrobras, tema que vem tirando o sono do governo Lula. Ouça um trecho das declarações de Bernardo, cuja entrevista vai ao ar na íntegra, amanhã, na rádio Banda B, às 12h30.

Ou clique aqui para baixar o arquivo em formato mp3.

17 Comentários

  1. Esse cavalheiro perdeu uma chance de ficar calado. Está incomodado com a iniciativa de Álvaro Dias quanto à CPI por alguma razão que foge à mente aqui no momento. Mas, por certo, com o avançar das investigações os fatos virão á tona.

  2. Acho que o Álvaros Dias tem o que fazer como Senador da República sim, e uma das coisas é fiscalizar a má utilização dos recursos públicos em Empresas como a Petrobrás, onde o Governo petista desvia verbas, direciona altas comissões de dinheiro a favorecidos e nada acontece. Já foi descoberto irregularedades pela Polícia Federal, Pelo Ministério Público, agora cabe ao Senado uma CPI para expurgar os parasitas da Estatal do petróleo!
    Álvaro cumpre seu papel de Senador eleito pelo povo paranaense, para representar seus interesses perante o Senado Federal, e acho que o está bem fazendo até o presente momento.

  3. AÍ TEEEEEEMMMM !!!! Responder

    Vocês notam que TODOS DO PT estão indignados com a instalação da CPI da Petrobrás?
    Por que será heim?
    Deve ter muita “coisa escondida” aí!!!!!!!!

  4. QUEM NAÕ TEM O QUE FAZER SÓ PODE SER VOCÊ BERNARDÃO, QUE NO LUGAR DE ESTAR EM BRASÍLIA TRABALHANDO, PASSA O TEMPO TODO EM CURITIBA. PELO DESESPERO DA PELEGADA, O ROMBO NOS COFRES DA PETROBRAS DEVE SER MUITO MAIOR. CRIA VERGONHA NA CARA BERNARDÃO, SÃO CONCLUSÕES BASEADAS EM INVESTIGAÇÕES DO TCU E DA POLÍCIA FEDERAL. O ÁLVARO DIAS ESTÁ CERTÍSSIMO EM CRIAR A CPI. NÃO FICA ESQUENTANDO OS CHIFRES, APROVEITA E LEVA GLEISI PARA BRASÍLIA.

  5. O Senador esta trabalhando e tem que ficalizar o Governo e o dinheiro público para que seja bem investido.
    Não é o mesmo trabalho que o senhor esta fazendo em acobertar e impedir a CPI, assim vai ser mais uns PTistas envolvidos em escandalos de desvios.

  6. ZEZINHO VASCONCELOS Responder

    O dia em que a PETROBRAS deixou de ser BRASileira

    Dia 26 de dezembro de 2000, um dia depois do Natal, o povo brasileiro foi surpreendido por mais uma medida antinacional do governo FHC. Coerente com a máxima de FHC de que “ia virar a página do getulismo no Brasil” – sem o que o neoliberalismo não seria possível – o presidente da Petrobrás, Henri Philippe Reichstul, anunciou que a empresa estava mudando seu nome comercial para PetroBrax. Segundo ele, o objetivo seria “unificar a marca e facilitar seu processo de internacionalizaçã o” (sic) (FSP, 27/12/2000). Afirmou ele que “a medida ganhou na semana passada o aval do presidente Fernando Henrique Cardoso”.

    Segundo Alexandre Machado, consultor da presidência da Petrobras, a operação custaria à empresa 50 milhões de dólares, para realizar um projeto da agência paulista de design Und SC Litda, “contratada sem licitação”, segundo o presidente da Petrobras. “Um dos argumentos favoráveis – relata a FSP – foi que o sufixo “bras” estaria, internamente, associado à ineficiência estatal.” “No front externo, um dos argumentos para a mudança da marca é de tirar a associação excessiva que o nome Petrobras tem com o Brasil . Segundo Norberto Chamma, diretor da Und, que apresentou a nova marca ontem para jornalistas, a desvinculação é importante para que a empresa não seja obrigada a arcar com os ônus dessa ligação.” (sic)

    A direita subestimou a capacidade de resistência do povo brasileiro, submetido a tantas afrontas no governo tucano, que este pensou que ele estava anestesiado. (Uma coluna do próprio jornal FSP diz que o jornal subestimou a reação popular contra a medida.) Mas a operação durou apenas algumas horas. Apesar da tentativa de pegar o povo distraído pelo período entre Natal e Ano Novo, em dois dias o governo teve que retroceder da sua vergonhosa tentativa de preparar a maior empresa brasileira para “facilitar seu processo de internacionalizaçã o” – não há melhor confissão da intenção de privatizá-la, de que a venda de ações na Bolsa de Nova York foi um passo concreto. O país estava submetido à nova Carta de Intenções do FMI, depois da terceira vez que o governo tucano de FMC e de Serra havia quebrado nossa economia e havia indícios claros que a privatização da Petrobras, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil faziam parte das contrapartidas dos novos empréstimos que o FMI concedia ao governo de FHC.

    26 de dezembro foi um dia da vergonha nacional, com essa tentativa fracassada de tirar o nome do Brasil da Petrobras, para tirar a Petrobras do Brasil. Sabemos que FHC estava totalmente de acordo. Seria bom saber onde andavam e que atitude tomaram os que agora dizem se preocupar com a Petrobras. Que posição teve, por exemplo, José Serra diante dessa ignominiosa atitude do governo a que ele pertenceu? E as empresas da mídia e seus funcionários colunistas?

    E que atitude tomaram os senadores, agora tão interessados nos destinos da Petrobras, ao subscrever o pedido da CPI, quando a existência mesma da empresa estava em jogo?

    O senador Álvaro Dias talvez estivesse ocupado com a defesa dos processos por uso da cavalaria da PM contra professores ou preparando algum dossiê falso contra adversários políticos, ou tentando se defender das acusações de crime contra a administração pública, movidas pelo SupremoTribunalFede ral.

    Já o senador Artur Virgilio talvez estivesse tentando organizar sua defesa da acusação de envolvimento com prostituição infantil de que foi acusado ou preocupado em libertar o filho, preso por desacato e pornografia .

    O senador Cicero Lucena talvez estivesse preocupado com o processo do Supremo Tribunal Federal por formação de quadrilha e desvio de verba.

    O senador Eduardo Azeredo, fundador do mensalão mineiro, poderia estar preparando já seu projeto de lei que quer censurar a internet.

    O senador Flexa Ribeiro talvez estivesse às voltas com o que depois foi revelado como sendo a inclusão do seu nome na “folha de pagamento” das empreiteiras.

    Já o senador Marconi Perillo poderia estar preocupando- se pelo que o Ministério Publico Federal encontraria como irregularidades em seu governo, pedindo sua cassação.

    O senador Tasso Jereissatti poderia estar às voltas com viagens em um do seus jatinhos, por conta das verbas do Senado, que ele consideraria “legais”.

    O senador Efraim Morais poderia estar ocupado com a nomeação de algum dos seus 52 parentes que tem no seu gabinete.

    Ou com a investigação do Ministério Público Federal sobre o que, uma vez apurado, se tornaria seu envolvimento em esquema de propinas no Senado, junto com o senador Romeu Tuma.

    O senador Heraclio Fortes poderia estar preocupado com o caso de corrupção do Zoghibi, tentando esconder seu envolvimento.

    Já o senador Jayme Campos poderia estar às voltas com o que viria a ser denunciado como sua participação no inquérito sobre sanguessugas.

    O senador José Agripino poderia estar em contato com empreiteiras, segundo acusações de doações “por fora” de que foi objeto.

    A senadora Katia Abreu poderia estar manifestando seu apoio aos escravagistas do Pará.

    A senadora Maria do Carlo Alves poderia estar envolvida com o que se configurou depois como acusações de caixa dois.

    Já o senador Jarbas Vasconcelos poderia estar gozando dos 17,3 mil reais mensais desde 1992, sem trabalhar.

    O senador Pedro Simon poderia estar tomando a mesma atitude que tomaria diante da corrupção do governo de Yeda Crusius: silêncio total.

    O senador Geraldo Mesquita poderia estar utilizando os salários que os seus funcionários lhe acusam de que lhes roubou.

    O senador Mão Santa poderia estar ocupado em algum contato com Camargo Correa, da qual foi acusado de receber propinas.

    O senador Romeu Tuma poderia estar preocupado com aquilo de que mais tarde foi acusado, de participação em esquema do Senado.

    O senador Mozarildo Cavalcanti poderia estar ocupado em atividades que mais tarde seriam denunciadas como crimes contra a administração pública.

    Poderiam os senadores que convocaram a CPI estar ocupados nisso. Mas o certo é que estavam centralmente ocupados em apoiar o governo que tentou privatizar a Petrobrás, que fez um balão de ensaio no dia 26 de dezembro de 2000, teve que recuar, e agora tenta voltar à carga, no momento em que se discute a nova regulamentação da exploração do petróleo e todo o processo do pré-sal. Une suas atuações um profundo sentimento de desprezo pelo que é brasileiro, pela que a Petrobrás representou e representa para o país.
    Por isso precisam ser repudiados, na mesma lista dos políticos que resistiram à fundação da Petrobras, aos que quebraram o monopólio do petróleo e aos que desprezam o que representa a Petrobras para o Brasil. Defender hoje a Petrobras é defender o Brasil, de hoje e de amanhã.

    E tem gente que acredita no ALVARO DIAS
    FORA PRIVATISTAS…..

  7. Quem exatamente é esse zezinho vasconcelos? Saiba que há mais gente que acreditará antes em Álvaro Dias do que em alguém que distorce fatos. E Álvaro Dias é CONTRÁRIO à privatização da Petrobras, mas pessoas como esse tal aí fazem a gente ter vontade de que a estatal seja privatizada amanhã para que acabe a mamata em cima da empresa, seja de que partido for.
    A luta de Álvaro Dias é justamente contra os que mamam nas estatais brasileiras sem trabalhar. É contra as falcatruas que a Polícia Federal e outros órgãos detectaram .
    Mas isso esse zezinho aí não quer mencionar, porque seu negócio é desqualificar quem tira o pirulito de marginal enquistado na Petrobras e na máquina pública.

  8. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    Conheço a vida política do Paraná desde 1953, NUNCA vi, ou ouví, um Ministro de Estado tão desqualificado igual a este Paulo, puxador de greve.Nossos Ministros foram Aramis Athayde, Bento Munhoz da Rocha Neto, Ivo Arzua, Ney Braga, Borges da Silveira, entre outros.Agora dizer que é “irresponsabilidade do Senador Álvaro Dias solicitar uma CPI na Petrobrás e ainda receber apoio de mais de 30 Senadores e Instalar a CPI ?”.Ora, senhor MInistro, qual é seu passado na política do Paraná, para atacar um Senador por 3 mandatos,um ex-governador, um deputado federal, mais votado do Paraná, por duas vezes, um deputado estadual e um Vereador de Londrina, onde o senhor era comandante de Grevistas,sendo que muitos deles foram demitidos, mas você ´Chefe não foi, e isso aconteceu somente depois de encerrada a ditadura militar.O Senador obteve estes mandatos na oposição à ditadura, por voto popular e secreto do povo parananense.Agora Ministro, para você aprender:”Certa vez entrevistando o Senador Álvaro Dias ele disse:’QUEM INGRESSA NA VIDA POLITICA TEM QUE SE PREPARAR PARA O CONFRONTO COM AS INJUSTIÇAS, COM AS INCOMPREENSÕES, TEM QUE INTIMAMENTE CRESCER, EVOLUIR, TEM QUE SE PREPARAR PARA ENFRENTAR CALÚNIAS, DIFAMAÇÕES, ISSO MAGOA PROFUNDAMENTE AQUELE QUE É DIGNO. O POLITICO HONRADO SE MACHUCA QUANDO SE COLOCA DIANTE DE DETERMINADAS AÇÕES DE MÁ FÉ, DE POLÍTICOS PERVERSAMENTE FALSOS, CÍNICOS, E MAUS.” E conclui: “ESTA É UMA QUESTÃO QUE NÃO PODE SER IGNORADA POR QUEM DESEJA FAZER CARREIRA POLITICA”.

  9. E O PT VIROU O PARTIDO INTRUJÃO DE CPI. E O BERNARDO É O MINISTRO QUE PLANEJA O GOVERNO MENSALEIRO DA HISTÓRIA DA REPÚBLICA. VAI DIZER QUE O BERNARDO NÃO TEM O QUE FAZER? TEM E MUITO.

  10. O TAL DO ZEZINHO SÓ PODE SER UM PELEGUISTA PETISTA, VAGABUNDO SANGUESSUGA. TEM MAIS É QUE PRIVATIZAR ESTE MASTODONTE, QUE SÓ SERVE DE CABIDE DE EMPREGO. QUANDO EU PARO EM UM POSTO DE GASOLINA, PAGO UMA DAS GASOLINAS MAIS CARAS DO MUNDO, ENTÃO PARA COM ESTA CONVERSA DE QUE A PETROBBRAS É NOSSA.ELA PODE SER DOS ACIONISTA, FUNCIONÁRIOS E VOCÊS PELEGOS. O CIDADÃO COMUM QUE É MAIORIA DO POVO BRASILEIRO, SÓ PAGA ACONTA DA FARRA TODA

  11. QUEM QUER PRIVATIZAR Responder

    Então quiseram privatizar a Petrobrás? Segundo comentário postado acima isso aconteceu no governo FHC. Ora, uma empresa altamente lucrativa, altamente técnica, com um quadro de funcionários da mais alta qualidade, com tecnologia de pesquisa e prospecção em águas profundas que ninguém domina, como pode se pensar em privatizar? De que cabeça, anti-nacionalista, parte uma idéia dessa? A PETROBRÁS é nossa e ninguém tasca. NÃO À PRIVATIZAÇÃO.

  12. zezinho vasconcelos Responder

    É Edison, acabou o argumento e partiu pra agressão os tucanos são assim sem proposta sem programa para o país atacam o tempo todo… fora aves de mau agouro!!!

  13. É isso aí Bernardo. Esses caras ficaram oito anos no governo e não fizeram dez por cento do que o Lula está fazendo. É dor de cotovelo. Carpano nelles.

  14. Isso não é verdade, Senhor Paulo Bernardo. O Álvaro faz muitas coisas: vai no cabelereiro, no esteticista, malha o dia inteiro, pinta de artista…

  15. PLUGADO NOS FATOS Responder

    VAMOS DOAR A PETROBRÀS P/ HUGO CHAVES, COMO JÀ FOI DOADO A PARTE DE EVO MORALES, QUE CERTAMENTE PAGAREMOS BEM MENOS NA GASOLINA. E OS PELEGOS EMPREGADOS ARROGANTES QUE BERRAM PETROBRÀS PERDERAO AS MAMATAS. E QUEREM FALAR EM PATRIOTISMO??? CLARO LULA È UM GRANDE PATRIOTA BOLIVIANO. DOOU O PATRIMÒNIO DA PETROBRÀS P/ MORALES.QUERO OS MILITARES DE VOLTA P O BEM DAS PESSOAS DE BEM DO BRASIL

Comente