Uncategorized

Morro do Boi: um crime, duas versões e incrível sequência erros

morro
Da esquerda para a direita: Juarez Ferreira Pinto, o retrato falado feito por Monik, e o verdadeiro assassino: Paulo Unfried.

E quando a polícia erra? Sucessão de falhas no inquérito do crime do Morro do Boi, em Caiobá, leva polícia a ter dois suspeitos e muitas dúvidas. Há riscos de nenhum dos dois ser condenado, mostra o repórter Mauri König, na Gazeta do Povo.

Até cinco dias atrás a polícia do Paraná gabava-se de sua eficiência ao “elucidar” um dos crimes de maior repercussão do estado. Derrubou os álibis possíveis, exorbitou de suas funções, investiu nas provas para indiciar, em fevereiro deste ano, Juarez Ferreira Pinto, exibido ao público como assassino de Osíris Del Corso e agressor de Monik Pegorari de Lima.

Quatro meses depois, Paulo Delci Unfried, preso por assalto e estupro, confessou o crime. De repente, a polícia se viu dando um tiro a esmo e acertando a própria reputação. Tem agora um crime, dois suspeitos e uma lista de equívocos. A sucessão de erros fez do caso uma peça exemplar de como não se conduz uma investigação policial.

Em 31 de janeiro, Osíris foi morto a tiros e Monik, agredida e molestada sexualmente no Morro do Boi, no litoral paranaense. Em 17 de fevereiro, Juarez foi preso com base no retrato falado. Dois dias depois, Monik o reconheceu, mesmo sem provas materiais contra ele.

Em 26 de fevereiro, a polícia encerrou o caso e indiciou Juarez. Em 25 de junho, Unfried foi preso e exames comprovaram ter saído da arma dele a bala que matou Osíris. Foi o suficiente para abalar a convicção do coordenador da investigação, o delegado Luiz Alberto Cartaxo, que havia descartado as provas da defesa de Juarez. O caso, tido como resolvido, acabou entrando para os anais jurídicos do estado como um dos casos mais complexos.

Na crítica do promotor de Justiça Valmir Soares Santos, do Distrito Federal, o que a polícia fez foi inverter a ordem da investigação. Pela falta de formação técnica, diz Santos, os investigadores são treinados para solucionar os crimes partindo de um suspeito, de quem se deve obter uma confissão de crime, passando então a buscar os elementos que confirmem as suspeitas, na maioria provas testemunhais, invertendo assim a ordem correta da investigação, que deveria partir dos elementos materiais (técnicos) para o encontro da autoria criminosa. A polícia repetiu nesse caso os erros de outro episódio de grande repercussão.

Caso Rachel

A necessidade de uma rápida solução para o crime do Morro do Boi veio num momento em que a polícia ainda ouvia os ecos das cobranças pelo fracasso nas investigações do assassinato de Rachel Maria Lobo Genofre, de 9 anos, cujo corpo foi encontrado dentro de uma mala na Rodoferroviária de Curitiba, com vestígios de abuso sexual e estrangulamento. Um mês depois do crime, ocorrido em 4 de novembro, um homem chegou a ser preso em Itajaí (SC). Antes de inocentado pelo exame de DNA, ele foi apontado como “suspeito número 1”, também por já ter ficado preso durante 18 anos por homicídio, estupro e atentado violento ao pudor.

“O erro acontece quando, muito afoita, a polícia quer achar um culpado”, diz o sociólogo Michel Misse, do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Segundo ele, o trabalho da polícia não é procurar culpado, é encontrar o suspeito, levantar provas, ouvir pessoas, fazer relatório do que encontrou e deixar que a culpa se confirme no julgamento. Contudo, muitas vezes a polícia se precipita e leva parte da imprensa a formar juízo precipitado.

Erros capitais

O advogado João Ricardo Noronha, que por 20 anos foi delegado de polícia no Paraná, aponta dois erros capitais na investigação do crime do Morro do Boi: precipitação e falta de cautela. Precipitação porque a polícia quis mostrar serviço apresentando uma “solução” frente à repercussão do caso na mídia e às cobranças da opinião pública. Falta de cautela porque a polícia colocou sua dedução e convicção da culpa de Juarez acima de provas técnicas. Para o advogado, não há prova concreta que o incrimine. Segundo ele, não houve cautela também na divulgação do caso, o que deixa o estado numa situação de réu diante de uma possível ação indenizatória.

Noronha discorda de Cartaxo, para quem o reconhecimento feito pela vítima tem o mesmo peso que a prova de balística. “Uma prova é subjetiva, outra é técnica. O indício da polícia técnica é livre de emoção”, explica. A prova balística, portanto, daria mais segurança. Porém, um indício isolado não serve para elucidar o caso. “Então, ter um ou outro não te autoriza a dizer que tem absoluta certeza de que alguém é o autor do crime”, diz.

Prova frágil

A principal falha na investigação é o excesso de provas testemunhais, sobretudo as fornecidas pelos próprios policiais, segundo o promotor de Justiça Valmir Soares Santos, do Distrito Federal. “A prova testemunhal é frágil e insegura, sujeita a modificações e contradições pelo passar do tempo”, diz. “Nas entrevistas concedidas por policiais, desde o primeiro momento da investigação, eles já procuram criar na população a ideia de que a pessoa presa é culpada, passando para sociedade a falsa impressão de que são os policiais os encarregados de fazer justiça, independentemente do resultado do processo”, enfatiza. Exorbitam, portanto, de suas funções.

Santos, que foi policial federal por dez anos antes de ser promotor de Justiça, diz que as instituições policiais atuam para manter o sistema de justiça criminal sob pressão, induzindo a população a acreditar que é a polícia a responsável pela realização da Justiça. Assim, estimulam preconceitos do tipo “a polícia prende e o Ministério Público e a Justiça soltam”. Para ele, é uma visão maniqueista. “Não informam, contudo, que a soltura de eventuais suspeitos e a absolvição dos acusados ocorrem exatamente pelas falhas e ilegalidades ocorridas durante a investigação policial, baseada na imensa maioria dos casos na frágil prova testemunhal.”

De acordo com o promotor do DF, o erro começa na formação pouco técnica do policial, o que o estimula a basear a investigação nas suas próprias impressões e testemunhos. Para ele, a maioria dos policiais (investigadores, escrivães, peritos, papiloscopistas) nem sequer tem conhecimentos básicos de direito penal e processo penal, e muitas vezes deixam de preservar o local do crime para coleta da prova pericial, impedindo o localização de elementos técnicos e materiais que contribuam para a solução da autoria do crime. E este é só um dos impeditivos para que a investigação tenha uma direção técnica e científica.

A fragilidade da prova testemunhal e a ausência de provas técnicas transformam a ação penal num “processo espírita”. Assim, a solução da controvérsia penal se baseia num exercício de fé, isto é, ou se acredita naquilo que os policiais afirmam e condena o réu, ou o absolve acreditando-se na sua negação do crime. “Se as investigações estivessem baseadas em elementos materiais e técnicos, as provas testemunhais seriam usadas somente de forma acessória, transformando o processo em uma peça técnica e científica, levando a uma sensível melhora na aplicação da Justiça, libertando, ainda, toda a sociedade brasileira da opressão do sistema policialesco que existe no Brasil.

37 Comentários

  1. Seguido esse raciocínio, a polêmica do crime do Morro do Boi só serve ao Morcego Verde, que não havia solucionado o caso Raquel (além de muitos outros de menor repercussão ou comoção), estava contra a parede, necessitava prestar contas a sociedade e ao coronel Cintra para não perder a boquinha de herói de plantão.
    Só é lamentável essa lambança toda não ser história em quadrinhos e sim uma irresponsabilidade social, moral e profissional, coisa que parece não ter muita importância para os mandatários de Patópolis. Fica a pergunta: foi o único caso (resolvido) assim?

  2. Ninguém pensou numa possivel participação de autoria dos dois elementos no crime? Será que um fez os atos e o outro ficou dando cobertura?

  3. Cap. Nascimento Reply

    Esta é mais uma trapalhada do desgoverno do nepotão de mello e silva para que, junto com o “eficiente” ministério público estadual, dessem uma resposta política à sociedade. Resultado desta palhaçada é o de que nós, contribuintes que pagamos os bons e generosos salários de todos eles, poderemos conviver com os dois acusados, à mercê de ao menos um latrocida e estrupador (ou dois).
    Já passou da hora do reiquejão sair do poder e se aposentar, assim como do ministério público estadual agir técnicamente, no mínimo.

  4. Francisco Quadros Reply

    Essa Monik também sabe menos das coisas.
    Ou ela está sendo induzida (pra não dizer forçada) ou ainda não recobrou o siso. Mas, sempre tem o mas, a polícia do dr. Delazari está numa sinuca. Não custa reconhecr o erro. Ou vão mandar dois homens para a cadeia pelo mesmo crime? Esse alegre Delzari já foi do MP, deve sar um mínimo sobre investigação. Parece que só abe o máximo é de enrolação…

  5. Mas a semelhança do retrato falado com o primeiro suspeito (Juarez) é impressionante. Daí aparece um laranjão que sem mais nem menos assume a culpa e entrega a arma do crime numa boa. Gostaria de ver uma entrevista com o secretário Delazzariento explicando á lógica dos fatos.

  6. O Noronha criticando a Polícia Civil.kakakakakaka….A Gazeta está forçando muito…kakakakaka

  7. Medo da Indenização
    O pai da munik é advogado,por isso esta orientando a filha para continuar mentido.Se ela contar a verdade , alem da vergonha,responderá processo criminal e tambem sofrerá ação indenizatória.

  8. QUANDO ACONTECE ALGUMA COISA DE RUIM COM VOCÊ, ALGUÉM LHE DIZ: QUE BOM QUE FULANO FICOU VIVO PARA CONTAR A HISTÓRIA…NESSE CASO, A MUNIK, A VÍTIMA FICOU VIVA PARA CONTAR A HISTÓRIA, E NINGUÉM ACREDITA NELA? A POLÍCIA TEM QUE DEIXAR O CARA QUE ELA JURA QUE FOI ELE APRODECENDO NA CADEIA.EU ACREDITO NA VERSÃO DELA SIM! IMAGINE VOCÊ PASSAR O DIA NAS MÃOS DE UM MANÍACO, E NÃO RECONHECER O CANALHA? ELA TEM CERTEZA QUE É O BANDIDO..O RESTO É COISA ARMADA! JUSTIÇA! FIQUEM ATENTOS PORQUE TEM MUITA GENTE ESPERTA NA HISTÓRIA! MAS DEUS FARÁ A JUSTIÇA! ENQUANTO ISSO, A JUSTIÇA TEM QUE DEIXAR OS DOIS PRESOS, ATÉ QUE REALMENTE SE COMPROVE A VERDADE, O QUE EU ACHO QUE A A DA MUNIK.

  9. Contestador Geral Reply

    A Polícia errou, o Ministério Público errou, o Judiciário errou. Por que se errou tanto?

  10. PRENDE OS TRÊS E DEIXA LÁ., TODOS JUNTOS NA MESMA SALINHA….E VAMOS VER O QUE ACONTECE…..E APROVEITA E COLOCA UMAS CÂMERAS OCULTAS E UNS MICROFONES….SERÁ UMA LAVAÇÃO DE ROUPA SUJA….QUE ÓIAAAAAAAAAAAA

    ISSO TÁ LONGE DE TER UM FINAL….ENQUANTO ISSO, OUTROS CASOS ESTÃO SEM SOLUÇÃO…..COMO A DA MENINA DA RODOVIÁRIA…..DO EX-DEPUTADO QUE MATOU DOIS…..E TANTOS OUTROS CASOS MENOS DIVULGADOS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES…….

    ESTÃO ESPERANDO O QUE SERÁ? PAPAI NOEL VIRAR COELHINHO DA PÁSCOA?

    ACORDA MINISTÉRIO PÚBLICO!!!!!

  11. JOSIANE

    ontem a noite assassinaram o meu vizinho. Eu vi que foi você, tenho certeza que foi você.
    Você não tem como provar que estava na tua casa dormindo.
    Eu reconheci você junto com outras suspeitas.

  12. O foda é um inocente ficar atrás das grades por causa disso, é complicado tudo isso, mas vendo os fatos um morava a 300 metros do lugar do crime, conhecia a região sempre estava caçando no mesmo lugar que aconteceu tudo, o outro morava em outro cidade, que fica no minimo a 10km do lugar do crime, é obeso e doente provalvemente nao conseguiria subir duas vezes no morro, é complicado tudo isso, a moça fala que o segunda é o criminoso, o primeiro foi achando com a arma do crime e confessou o crime. E agora meu povo quem vc acha que ta errado????

  13. A polícia errou, o Ministério Público errou, a Justiça errou e o Fábio Campana também errou. O nome do repórter da Gazeta do Povo é Mauri König, não Maurício.

  14. A POLICIA ERROU…..
    O MINISTERIO PUBLICO ERROU…..
    PQ NAUM ASSUMIR O ERRO…E FAZER O CERTO????É UMA PALHAÇADA ESSE CARTAXO…NAUM SABE O Q FALA….ELE SÓ SABE Q ELE E DEUS…. E SABE DE TODAS AS COISAS…..E ACIMA DELE MAIS NINGUEMMMM….E O DELAZARENTO AGORA NAUM APARECE NA MIDIA..PQ????MOSTRA A CARA…SECRETARIO DO DIABO HEHE…
    Q VERGONHA..PRA POLICIA…..

  15. A arma do crime não foi entregue pelo Paulo, mas apreendida com ele durante um assalto, arma esta COMPROVADAMENTE adquirida dias antes do crime em tela. Isto derruba a tese de que a arma foi plantada.

    E há testemunhos da mulher e de amigos relatando atitudes suspeitas no dia do crime, como esconder a arma em lugar diverso do habitual .

    Depois, seguro com a prisão de Juarez, voltou a delinquir com a mesma arma.

    Para mim, foi o Paulo, pois prova técnica, a arma, é mais forte que a testemunhal, da Monik.

  16. ESSA MONIQUE É LOUCA TEM QUE SER INTERNADA EM UMA CLINICA PISQUIATRICA, O PAI DELA ESTA ORIENTANDO ELA A MENTIR CHEGA DE CROCODILAGEM

  17. Escuta só Dr Absurdo… Vc não conhece a Monik e nem a familia dela p falar isso… Conheço ela e o carater dela… uma menina que só faz o bem para as pessoas e mesmo na situação que está continua lutando por causas sociais… ela é Presidente do Clube Rotaract e ajuda muita gente… Ela tem certeza de que o Juarez o culpado… E outra coisa né gente… imagina q ela não lembraria deste monstro… Agora é fácil p esse outro ai que já tá ferrado mesmo assumir a culpa de tudo…

  18. erros de reconhecimento de “autores” de crime são normais. o duro é ainda darem credito pra essa tal munik, q se “enganou” q foi estuprada, q se enganou foi rouba da, q se enganou q entrou em luta corporal com o bandido, q no depoimento disse q era praticametne nem viu o paulo. e as dezenas de testemunhas q viram juarez no mesmo dia do crime a 22 km de distancia e foram indiciadas? e agora a polcia ja ate achou outros crimes pra por nas costas do laranjao juarez, q morrerá em poucos dias devido ao estado de saude precario (aids, hepatite B e C). tudo q querem é q ele morra e leve consigo as duvidas. acho q o cartaxa vai dizer ele matou rachel tb. mais um caso resolvido…

  19. A verdade deve preva Reply

    Alguns fatos (ainda que atormente a vida dos responsáveis por essa lambança) denotam o erro no precipitado processo que iria condenar o tal Juarez, tais como: a arma apreendida com o Paulo onde o mesmo chegou a afirmar que fora “plantada” pelos PMs responsáveis por sua prisão ainda na formalização do flagrante, porém pelo menos 4 vítimas de roubo e cárcere reconheceram a arma como sendo a portada por Paulo em suas ações, preocupação em afirmar a origem da arma fez com o delegado de Matinhos remetesse a arma para perícia e confrontação com o projétil que feriu (provocando a morte de um dos) o casal em 31 de janeiro em Caiobá. Com a confirmação balística, antecedentes criminais e conduta que revelam uma mente criminosa, abastecidas de materiais encontrados e coletados na residência de Paulo (recortes de jornal narrando o ocorrido do dia 31) levaram o delegado titular de Matinhos a provocar a confissão de Paulo que mediante confrontação dos fatos tentou suicídio por enforcamento no xadrez e impedido por outros presos.
    Aqui se faz aqui se paga, o tal Paulo veio residir em Matinhos a cerca de 10 anos, “fugido” da cidade de Medianeira PR por ser acusado e estar envolvido em um estupro na época naquela cidade. Cerca de 20 dias antes do mesmo ser preso em Matinhos uma equipe policial foi acionada a abordar um veículo gol vermelho onde o seu condutor estaria de posse de uma arma de fogo, feito a abordagem nada encontrado o Paulo foi liberado e continuava sua vida criminosa apavorando a população do litoral paranaense, se tivesse sido preso por porte ilegal de arma, provavelmente não seria deslanchada toda essa situação…

  20. tem que perguntar pra essa moça, oque realmente ela foi fazer no morro do boi? pois pode ser que ela esteja enganada a respeito do primeiro acusado, afinal toda pessoa gorda o rosto se torna comum ou se torna ponto de referencia, pois se a policia tirar fotos de outras pessoas obesas pode notar que quase sempre o rosto e igual,,,,

  21. de Caiobá... Reply

    Monik,

    Mais vale reconhecer um engano, do que persistir num erro!…

    Errar é humano e persistir no erro é…burrice.

  22. que ‘pessoas’ ??? (Isso é gente mesmo??) horrendas e estranhas essas que criticam a menina que passou pelo que passou na mão de um inescrupuloso assassino, seja ele debil mental ou não… todos podem perceber com facilidade como os dois agora acusados são realmente parecidos… e teve quem aqui escrevesse que ela deveria ser presa com os dois suspeitos, olha, eu até gostaria de saber se um dia uma filha, neta, irmã, namorada, de pessoas como essas que aqui fizeram comentários esdrúxulos, passar por algo apenas similar, nem precisa ser tão horrível qto essa menina passou ñ, apenas similar, daí que venham aqui escrever então, essas porcarias… gentalha..

  23. A Josiane andou envolvida em vários roubos em lojas no litoral do Paraná. Sei isso de fonte segura. Eu aposto que ela mandou matar aquele casal em Caioba porque eles eram testemunhas.

  24. Uma coiisa eu acho curiosa: Delegado e Secretário de Justiça correram para os refletores e para as câmeras de TV dando todas as informações a respeito do Juarez. O Juarez, que era apenas um SUSPEITO. Mas passaram a idéia de que ele era culpado.. Culpado sem a menor sombra de dúvida, sem ter sido julgado, contrariando os princípios do Direito.

    Nessa hora, NINGUÉM da polícia, do Ministério Público, nem da Secretaria de Justiça falou em…. como é mesmo?

    “SEGREDO DE JUSTIÇA”

    Somente se lembreram de falar em ‘SEGREDO DE JUSTIÇA” agora que é a reputação DELES que está em jogo.

  25. Fernanda Matias Reply

    Essa Josiane sempre falando o que não sabe…
    Bom pessoal…a verdade esa sendo descoberto..e uma pessoa inteligente e por dentro do assunto ja explicou que o cara nao entregou a arma..e qual a procedencia da mesma….Ao final de tudo vamos analisar e ver, que o unico inocente na historia é o Juarez, que mesmo tendo passagem a mesma ja foi cumprida e nao deve mais nda para justiça..Qto a Monike…qto bobagem minha gente….a algumas semanas a vi sorridente na feira do Largo…uma alegria de quem nem parece ter sofrido ou perdido o namorado…e qto ao namorado sera q ela lembra????nao a vejo sofrer, chorar, apenas quer acusar o Juarez…Pq???de medo de acusar o Paulo e ele derruba O PQ do acontecido no morro….capaz se a Monike nem ele fumam ou usam drogas pq foi axado um isqueiro na coxa esquerda do falecido???? ahhh gente ou tem ferinha no morro e eu nao to sabendo??? ela estava com 90 reais no bolso para q????comprar o q no morro???sai de casa pra pasear no morro com quase 100 reais….uhum….se o tratamento dela ta bom eu nao sei…mas o quentão q ela tava tomando na ferinha devia ta…

  26. Assim como a vítima disse que foi estuprada… assim como disse que a camiseta encontrada no morro é do suspeito 1… assim como o conto da carochinha… assim como… assim como… assim como…

    Tem coisa podre nesse meio!!

  27. Isso tem cheiro de armação, afinal o acusado é irmão de policial civil. Quem mais para saber pelo que passou além da testemunha. Isso é armação pura!!!!

  28. ÉÉÉ FERNANDA….SE A FEIRINHA TAVA BOA IMAGINE OS SORRISOS NO JOGO DO FURACAO!!!!!!NAUM CONSIGO ENTENDER CMO TANTOS SORRISOS DIANTE DE TANTO SOFRIMENTO….
    SERÁ Q É SOFRIMENTO MESMO????OU E CENA???/AXO Q ELA NAUM ESTUDAVA NEM FARMACIA NEM EDUCAÇÃO FISICA NADA….XEGUEI A CONCLUSÃO Q ELA TÁ CURSANDO ARTES CENICAS…

  29. Alguns comentários:

    1. Eu não sei qual dos dois é o culpado, mas com certeza o Juarez parece mais com o retrato falado.
    2. Por mais que as pessoas não gostem, a verdade é que, em uma democracia verdadeira, com um Poder Judiciário sério, esse caso teria que levar à absolvição dos dois. Culpa da polícia ou não, agora é impossível uma condenação “acima de qualquer dúvida razoável”, como dizem os americanos. E manter os dois presos, sabendo-se que um é inocente, é uma barbárie sem tamanho, típica da Idade Média.
    3. A polícia brasileira, em casos de grande repercussão, normalmente troca a ordem das coisas e primeiro escolhe o culpado para só então começar a buscar provas que mostrem que sua tese é verdadeira. Podem não gostar, mas no caso dos Nardoni foi a mesma coisa. Deus queira que o casal seja mesmo culpado e que daqui a alguns meses não apareça um sujeito dizendo que foi ele que jogou a menina pela janela.

  30. Ademar Celso (Belo Horizonte) Reply

    Sempre acompanho o caso pela internet e o que acho incrível, é o sr.
    Juarez ser tão protegido nesta história. Pelas informações, não passava de um andarilho, após essa tragédia, quem está bancando advogados para ele, trata-se de alguém muito interessado neste episódio, esses interessados não vão aparecer?.
    Quanto a menina Monik, continue com esperanças e muita fé no coração, suas ilusões de viver não vão acabar e você continuará sendo uma pessoa feliz.
    Fique com deus.

  31. Quer saber, no dia que punir os safados que cometem estes tipos de erros, com cadeia ou tirando do sala´rio do cara para indenizar o inocente vcs irão ver como os inquéritos irão ser perfeitos.. o errado é os caras errarem e nois é que teremos que pagar a indenização do cara, certo?
    quem colocou o inocente na cadeia não foi o juiz, então vamos punir o juiz bostinha!

  32. resp, para ademar celso (belo horizonte) > Caro senhor, acho que não é defesa do tal juarez, parece até que ele já tem outros crimes parecido nas costas e que Deus tenha pena da alma dele, mais SR Celso acho que a questão é aproveitar , para gritarmos não por juarez mais por todos os inocentes que estão na cadeia deste pais por causa de erros de uma policia, ministério publico e principalmente de uns juizes preguiçosos esses sim os verdadeiros culpados, se der leia a história dos Irmãos Naves ai de minas mesmo vc ficará chocado ok, e a Escola Base de são paulo destruiram essas pessoas, e não defendo o tal Juarez, só tenho medo de um dia algo acontecer comigo ou com vc mesmo Sr. Celso , quanto a menina com certeza ela sim a principal vítima de tudo isso, mais o mal já foi feito não tem mais volta , só Deus que a ajude a superar tudo isso, mais minha revollta são os casos de inocente pagando por algo que nunca fizeram .Não Conheço , o tal Juarez , mais tenho interrese sim, que tenhamos seriedade nas investigações policiais e um ministério público e um JUIZ que não aceite os casos quando faltarem tantas evidencias para uma condenação!
    portanto Sr. Celso não defendo o Juarez, mais que tenhamos uma justiça mais Justa ok? fica com Deus!

  33. em primeiro lugar concordo com o leo acerca da instabilidade e da insegurança geradas em todos nós, pois independentemente de ser juarez, paulo, um deles é inocente!
    Ambos possuem antecedentes criminais, mas isso não torna menos cruel o fato de que um inocente paga por algo que não fez…
    Com isso, como fica fácil imaginar quantos mais existam (sem a mesma sorte de ter surgido uma outra arma, um novo suspeito) e, porque não, pensarmos que obviamente pode acontecer com qualquer de nós, pais, irmãos, maridos, etc.
    Acho bem comprensível a vítima ter apontado um deles, que possa vir a não ser o real culpado (abalo emocional, perda afetiva, perda dos movimentos das pernas, estupro, dor, medo…). É por essa razão que todo reconhecimento é considerada prova subjetiva e não tem o mesmo peso que uma prova objetiva (pericial, p. ex.) na condenação de um réu.
    Quanto ao comentário da fernanda, achei muitíssimo chocante o fato de a vítima aqui ter se tornado “culpada” (não está em discussão o motivo da vítima estar no local, isso não muda os fatos)
    A vítima, embora não a conheça, está com toda razão tentando continuar a viver.
    Acho lamentável quem julga que a vida dela deve ser um mar de lamentações a partir do ocorrido.
    Muito pelo contrário, que tenha força para superar tudo e ser bem feliz!

  34. O Juares não é irmão de um policial? Morei em Matinhos e tinha esse comentário por lá.
    Daí, mesmo a vítima afirmando categoricamente que era ele (Joares), a polícia manipulou provas e achou outro com vida regressa para colocar a culpa e livrar o irmão do policial.

  35. O assassino da Rachel Genofre, é bem parecido com o retrato falado desse crime no morro do boi ! Fica a dúvida !

  36. Juarez morreu dentro o Complexo Médico Penal, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, onde cumpria pena. Ele tinha uma série de doenças como HIV, Hepatite e cirrose.

Comente