Uncategorized

Acredite. Este é o novo presidente do Conselho de Ética do Senado

De Andreza Matais na Folha de S. Paulo

Eleito ontem presidente do Conselho de Ética do Senado, o senador Paulo Duque (PMDB-RJ) diz que para julgar o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), por quebra de decoro é preciso uma acusação “seriíssima”. Não é o caso, disse ele, dos atos secretos que considera uma “grande bobagem”, algo “inventado por alguém”.

Para Duque, também não é o caso de haver julgamento por causa da contratação de parentes. “[Sarney] prestou muitos serviços ao país. Ficarem vasculhando a vida dele porque nomeou um neto é bobagem.” Como presidente do conselho, ele pode arquivar sumariamente as três denúncias e a representação que pedem a cassação do mandato de Sarney.

Ele disse que só decidirá em agosto, após o recesso. Duas delas responsabilizam Sarney, que já presidiu o Senado outras duas vezes, pelos atos secretos. Duque foi indicado para o cargo pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), que bateu o martelo após conversa com Sarney.

A oposição votou em branco em protesto contra a escolha de um suplente que não teria compromisso com a opinião pública. Duque se vangloria de ter chegado ao Senado sem votos e “gastando meia dúzia de reais.” Senador mais velho da Casa, com 81 anos, ele é o segundo suplente do governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ).

Por que o senhor aceitou ser presidente?

Atendi ao pedido da minha bancada, do partido.

Como pode alguém que já defendeu Sarney conduzir o processo contra ele com isenção?

Achei que ele foi atacado. Como ele pertence ao meu partido e quem o atacou era um elemento do partido, achei que não poderia ser prejulgado. Não se pode fazer isso com ele. Sarney teve papel fundamental na transição democrática, ajudou a evitar que o país mergulhasse numa guerra civil e ninguém se lembra disso.

O senhor acha que Sarney deve ter tratamento diferenciado?

Durante o mandato dele [na Presidência da Casa], ele fez muitas coisas boas. Trouxe o povo para dentro do Senado com a TV Senado. Lá na minha casa, no Flamengo, me assistiram pela TV hoje. Isso não tem preço.

Uma das denúncias se refere a parentes de Sarney contratados por meio de atos secretos…

Meu Deus, eu mesmo empreguei mais de 5.000 pessoas nestes anos todos de vida pública e elas estão felizes, uns me agradecem, outros não. O empreguismo tem que ser elevado. Eu já contratei parentes quando podia.

Não é motivo para cassar?

Para cassar um mandato é preciso que haja algo de extrema gravidade. Não é brincadeira você disputar e ganhar uma eleição. Você sacrifica a família. Não pode ser uma coisa pequena dessas, tem que cassar o mandato por algo grandioso, por uma coisa seriíssima.

Não é grave quando essas contratações eram feitas por atos secretos?

Secreto para que? Esconder de que? Não há condições de esconder, acaba sendo descoberto. Alguém inventou isso, é uma grande bobagem.

Há outras denúncias, como a de que a Fundação Sarney desviou recursos que recebeu de patrocínio da Petrobras…

Não conheço os processos.

O senhor fará tudo o que o partido mandar?

Me considero um homem partidário. Durante 30 anos, 40, não saí do partido. Mas vou agir de acordo com minha consciência.

11 Comentários

  1. É isso mesmo ilustres senhores e doutores de brasilia, continuem dando esse tipo de exemplo, que somado ao que algumas novelas e telejornais mostram, só vai aumentando a rede do crime, alimentando o pensamento de que não é preciso seguir a lei, não é preciso ser ético, ser humilde, ser temente a Deus, obedecer pai e mãe, mas depois, quando for assaltado, sequestrado, não reclame !

  2. POR QUE SURPRESA COM AS DECLARAÇÕES DO PAULO DUQUE?????
    FALOU E SE COMPORTOU COMO A GRANDE MAIORIA OU QUASE TOTALIDADE DOS SENADORES, É MAIS UM PICARETA QUE NÓS OS COMUNS TEMOS QUE ENGOLIR!!!!!!!!!!!!!!
    NA PRÓXIMA VEZ VOTE NAS PUTAS!!!!!, NÃO VOTE MAIS NOS SEUS FILHOS!!!!!!!!!!!

  3. Pedro Vigário Neto Responder

    – Mais uma demonstração, que nossos senadores não estão nem aí para o povo Brasileiro;
    – Como é que pode, colocarem um suplente do suplente, para ser presidente do Conselho de Ética do Senado;
    – Qual o compromisso que este “nobre” senador tem com o povo que o elegeu (Aliás, quantos votos um suplente recebeu, para poder nos representar ? Lembrei : ZERO votos);

    – Não adianta chorar atrás da porta ! Temos que demonstrar a nossa indignação;
    – Por favor colaborem. Entrem no site abaixo. É muito simples. Se vocês colocarem “Comissão e Liderança” e depois “Todos os Senadores” ou vocês podem mandar para alguns senadores específicamente (vocês decidem) :
    http://www.senado.gov.br/sf/senado/centralderelacionamento/sepop/?page=alo_sugestoes&area=alosenado

    Obrigado.
    Abraço.

  4. Elementos para aceitar as denúncias contra o atual Presid. do Senado não faltam. O que falta é vontade política pois outros parlamentares foram avaliados (e em alguns poucos casos até perderam seu mandato) pelo Conselho por muito menos do que isso.

  5. Hoje o Senado é composto por vários senadores de 1(um) voto só.
    Prá variar, o presidente da Comissão de Ética é segundo suplente.
    Como suplente ele terá de só dizer SIM.
    O Brasil está se tornando a REPÚBLICA DA MALANDRAGEM.

  6. numa casa que não tem ética nenhuma, num governo que mandou a ética pro espaço, num país onde ser ético é ser burro, esperar o que?
    esse descalabro é resultado de tudo isso e esse ignóbil, o retrato explícito da sem-vergonhice e mau-caratismo que assola nosso pobre, pobre país.

Comente