Uncategorized

Deputados do PMDB morrem de ciúme do Padre Pegorer, o amigo do rei

programacao-padre

Inveja. Ciúme. Raiva. Os deputados do PMDB não engolem o Padre Valter Pegorer (foto), do PMDB, diretor da Sanepar e amigo in pectore de Requião, por isso mesmo escolhido para ser a estrela principal dos 18 encontros regionais de servidores públicos, organizado pela Secretaria da Administração.

Pegorer é quem vai apresentar as ações do governo estadual. Os deputados entendem que é um privilégio para alguém que vai disputar com eles a renovação do mandato. Entre outras, clamam no deserto e invocam Orlando Pessuti, o vice que controla o conselho revisor e a execução das ações de governo para tirar do padre o papel principal.

11 Comentários

  1. Este é o famoso “chuchu”, coloca açúcar fica doce, põe sal fica salgado… Do gosto do fregues….

  2. Quem gosta dele é o Scarpellini:

    “Eleições

    O deputado José Domingos Scarpellini (PSB) voltou a denunciar, nesta terça-feira (05), da tribuna da Assembléia Legislativa, o abuso do poder econômico e uso indevido da máquina administrativa, que vai transformar as eleições em ato ilegítimo. Ele anunciou o encaminhamento de mais uma denúncia ao Tribunal Regional Eleitoral, com provas, de utilização, em Apucarana, do uso de funcionários públicos e realização de jantares pagos com dinheiro do erário.
    Scarpellini questionou também a decisão do tribunal que em sentença anterior, apesar de multar a Max TV, Canal 15, em 25 mil UFIR, pela veiculação de propaganda irregular, apenas advertiu os candidatos Roberto Requião e André Vargas, que foram contemplados com a aparição pública em 15 inserções de divulgação de um ato de lançamento de candidatura do filho do prefeito Padre Valter Pegorer.
    Para Scarpellini, o governador e o “filho do Padre” foram privilegiados e acabaram saindo bem do processo. Ele quer que o tribunal investigue a utilização de 300 comissionados e mais de 400 funcionários da prefeitura municipal, que em férias remuneradas, participam da campanha do candidato a deputado estadual. Ele foi apoiado pelos deputados Waldir Rossoni, Barbosa Neto, Artagão de Mattos Leão e Marcos Isfer, que denunciaram que o mesmo está ocorrendo em todo o estado.”

    “Se é para transformar o Site da prefeitura num folhetim, num panfleto político, então porque não publicar que o Tribunal de Contas da União (TCU) condenou o Padre Prefeito, Senhor Valter Aparecido Pegorer a devolver R$ 607.000 reais que ele desviou da Merenda Escolar, das crianças de Apucarana. E isto é um fato. O TCU condenou, publicou no Diário Oficial de 12 de junho, e deu a ele 15 dias para ressarcir a União”, afirmou o parlamentar.

    Segundo o TCU, uma das irregularidades apontadas foi o desvio de grande volume de alimentos destinados a merenda escolar. Corrupção. Isso é o nome que se dá. Então, por que não publica isso no Site da Assessoria de Imprensa? Porque não publica que o Padre Prefeito foi condenado a pagar uma multa de R$ 30.000 reais, prevista no artigo 37 da Lei 8.443/92, e que ele (o prefeito) tem que devolver aos cofres públicos de Apucarana a quantia de R$ 14.400 mil atualizados em 21 de junho de 2006, que somando a quantia de R$ 48.800 mil reais devolvidos ao FNDE que deveria ser pago, na prática, pelo atual prefeito.

    “Isto sim é notícia” argumentou Scarpellini, acrescentando que ele (Pegorer) foi condenado pelo TCU e que não é uma retaliação do Deputado Scarpellini. Assim como o envolvimento do município na escandalosa ‘Máfia dos Sanguessugas”, por ter adquirido ônibus (unidade de saúde) da Empresa Santa Maria Comércio e Representações, de Cuiabá, Mato Grosso, controlada por Gustavo Trevisan Gomes, que é filho de Luís Antônio Trevisan Vedoin, preso pela Polícia Federal e que em depoimento disse que vendeu um ônibus Mercedes-Benz, usado ano 1997, para a prefeitura de Apucarana. Ele pagou R$ 77.850 mil por um ônibus velho, uma carcaça que jamais conseguiria chegar a Apucarana se não fosse transportado. Isto sim é notícia para sair no Site para informar a população.

    Sem contar a contratação de um advogado por R$ 650 mil reais, o Dr. Francisco Andreoli, as notas frias das telhas de Cascavel para cobrir a rodoviária, que já havia sido comprado e pago quando ele, Scarpellini, era prefeito. Isto sim é notícia e não é armação política do Deputado Scarpellini.”

    “À moda antiga

    Com cerca de 16 mil votos, o deputado Scarpellini, de Apucarana – onde já foi prefeito – diz que durante a campanha havia ‘banquetes diários na minha cidade’, pagos por outro candidato a deputado estadual. ‘Na campanha do André Pegorer tinha gasolina à vontade nos postos, jantares toda noite, apoio da máquina administrativa, pois ele é filho do prefeito, que é do PMDB. Esse é só um caso, teve vários outros. Já eu faço política à moda antiga, em cima da minha história política, das minhas realizações’, compara.

    Para Scarpellini, a minirreforma eleitoral deste ano, em vez de deixar as eleições mais justas, teve o efeito contrário. ‘Hoje quem tem dinheiro é quem ganha. Precisa ter muito, pra botar cabos eleitorais nas ruas, fazer conchavos, financiar campanha’, denuncia.”

  3. Sabidão do C. Cínico Responder

    A política tem dessas. Um dia, Requião foi dependente da astúcia do Scarpelini, hj, se põe nas mãos daquele que, em propaganda partidária, disse que Requião teria pacto com o demônio, entre outras difamações.
    Pergunta-se: cadê o poema do ilustre Sidônio Muralha valendo em sua vida, Bob Req?????

  4. Julinho da Adelaide Responder

    Quero ver alguém com a capacidade de reeditar o caso Ferreirinha. Isso só com o Scarpa mesmo.

  5. Por favor, não chamem esse indivíduo de ‘padre’ – sou católico, e esse indivíduo
    é um gigolo da Irgreja, não é mais padre
    há muito tempo…é mais um ‘stelionatário’
    na política!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Ta certo o Armando Reis, se o cara não é mais padre por que perjorar o nome da Santa Igreja Católica, com mais um politico que articula por de trás da cortina.. ou digo, por de trás da batina..

  7. Esse Padre Valter destruiu Apucarana! Não vai se eleger nem como vereador, apesar de certas compras de votos……..

  8. Quem disse que este sujeito é padre?
    Pois ele não pretence a Igreja Católica, já faz, muito tempo, deixou abatina e fica se intitulando-se padre.
    É igual a um do PT PR que também se intitula padre, só para ganhar votos das carolas.
    Deixe de ser hipócritas, você nunca foram padres, pois nem terminara a sua formação como seminaristas.
    Padres não, mas, gigolos do Poder Público quem sabe.

  9. E por que isso tudo? Quem é a dobradinha do Padre Válter? O sobrinho automobilista. Para eleger o sobrinho, muito atual dep estadual vai pagar com o fim da carreira política… Por isso tem que expulsar o Mauro, o Stephanes,,,

  10. PARA QUEM NÃO CONHECE O PADRE PEGORER, FOI COM O APOIO DELE QUE REQUIÃO SE REELEGEU GOVERNADOR, EM 2006, POIS SÓ NO MUNICIPIO DE APUCARANA REQUIÃO TEVE UMA VANTAGEM DE APROXIMADAMENTE 15.000 VOTOS, E NO PARANÁ INTEIRO TEVE SOMENTE 10.000 VOTOS DE VANTAGEM SOBRE OSMAR DIAS, E COMO SÃO AS COISAS NÉ HOJE VALTER PEGORER APÓIA OSMAR DIAS, QUE AQUI EM APUCARANA O CHAMOU DE TRAIDOR, POIS DISSE QUE QUEM DEIXA A BATINA ESTÁ TRAINDO SEU POVO. UM HOMEM QUE FOI ELEITO POR 03 MANDATOS E AGORA FEZ O SEU SUCESSOR COM UMA LARGA VANTAGEM DE VOTOS DISPUTANDO CONTRA EMPRESÁRIOS DE NÍVEL NACIONAL E ATÉ O IBOPE VEIO AQUI EM APUCARANA PUBLICAR UMA PESQUISA QUE ERROU EM MAIS DE 30%, SE ELE CONSEGUIU TUDO ISSO E PORQUE TEM SERVIÇOS PRESTADOS AQUI EM NOSSO MUNICIPIO.

Comente