Uncategorized

Contra orientação de Requião, Estado fecha creches diante da gripe

Na terça feira, Requião ditou cátedra na escolinha sobre a inexistência de riscos com a gripe suína. Disse que não admitiria o fechamento de creches, escolas ou repartições públicas no Paraná. Fez mais. Disse que acredita que a gripe suína ou H1N1 ou gripe A é muito mais uma campanha do interesse do monopólio que produz o tamiflu do que uma situação real de risco.

Pois bem, desde ontem a Secretaria de Estado da Saúde Pública está fechando creches por 14 dias diante da suspeição de contaminação pela influenza H1N1 ou gripe suína. A creche Cantinho Feliz está fechada, as crianças devem ficar em quarentena nas suas casas e os familiares devem informar qualquer caso entre os adultos.

Quem assina as ordens de fechamento é a chefe da gabinete da Secretaria, Liria Yurika Oikawe.

5 Comentários

  1. Essa senhora pode até perder o cargo, mas deve ser louvada. Quando as ordens são ditadas por um insano é dever de todo agente público ouvir a sua própria consciência. Parabéns senhora Liria Yurika Oikawe.

  2. E também a SEED. É a conspiração das indústrias farmacêuticas cooptando o governo do Paraná. Sinal que, nem no governo levam o Requião a sério…

  3. Eleitor quer Falar Responder

    REQUIÃO ESTÁ FECHANDO CRECHES/PRÉ-ESCOLAS, SIM SENHOR ! VEJAM ABAIXO !

    REQUIÃO PRESERVE AS CRECHES/PRÉ-ESCOLAS DE NOSSAS CRIANÇAS ! É DEVER DO ESTADO E DIREITO DA CRIANÇA E DOS PAIS !

    ***

    29/07/2009

    Assembléia Legislativa envia Requerimento à Secretária Maria Marta Lunardon (SEAP)

    A ALEP quer saber quais os motivos para o fechamento das creches/pré-escolas do serviço público

    Dia 14 de julho, os pais e mães das creches/pré-escolas que estão para fechar suas portas pela omissão do governo do Estado em repassar a subvenção social, estiveram na Assembléia Legislativa do Paraná, buscando apoio do parlamento estadual. Depois de muita conversa ee sclarecimentos, conseguiram a aprovação de um REQUERIMENTO, que pede informações à Secretaria de Estado da Administração e Previdência (SEAP).

    Eis o teor do Oficio nº 2.539/09/CEA, datado de 15 de julho de 2009, do Deputado ALEXANDRE CURI – Primeiro Secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, à Srª Maria Marta Weber Lunardon, Secretária da SEAP :

    “ Senhora Secretária,

    Tenho a honra de me dirigir a Vossa Excelência, nos termos do Requerimento em anexo, de autoria das Deputadas ROSANE FERREIRA, LUCIANA RAFAGNIN, CIDA BORGHETTI e BETE PAVIN, aprovado em Sessão Plenária de 14 do mês em curso, solicitar se digne prestar a esta Assembleia Legislativa as INFORMAÇÕES requeridas, baseando-se na Constituição do Estado do Paraná; em seu parágrafo único do art. 55: “Importará em crime de rsponsabilidade do Secretário, a recusa ou não atendimento no prazo de trinta dias, bem como a prestação de informações falsas.” Na oportunidade renovo a Vossa Excelência os meus elevados protestos de estima e consideração.”

    As Deputadas Estaduais acima citadas, requereram ao presidente da Assembléia Legislativa do Paraná, o envio de Pedido de Informação à Secretaria de Estado da Administração e Previdência (SEAP), com as seguintes perguntas:

    Qual o motivo do não repasse ? Existe previsão do Governo para normalização de tal situação ?

    ***

    Mães e Pais não querem o fechamento das escolas de seus filhos

    A opinião dos pais e mães é unânime: escola com serviço de excelente qualidade, ambiente familiar e saudável, preços acessíveis, confiança e tranquilidade aos pais/mães, projeto pedagógico comprovado e aprovado pelos órgãos públicos, mais de 20 anos de tradição e bons serviços prestados, proximidade do local de trabalho, participação nas decisões, dentre outros benefícios e vantagens.

    Diante do silêncio e da omissão do governo do Paraná, a cada dia que passa as mães/pais, funcionários públicos da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) e demais, ficam ainda mais apreensivos e em pânico, com a iminência do fechamento da creche/pré-escola que até dezembro de 2008, foi subvencionada pelo governo do Estado.

    No caso da creche/pré-escola (Arco Iris) da Seab que atende 95 crianças, a subvenção anual seria de R$ 265 mil para 13 meses, mas até julho não foi autorizada pelo governador Requião, apesar dos insistentes apelos da associação, pais/mães e funcionários e de já constar do orçamento da SEAB do ano de 2009.

    Além das mães/pais do Cei Arco Íris (Seab), centenas de mães/pais de outras 4 escolas estão decepcionadas com a postura do governo do Paraná, promovendo o fechamento das creches/pré-escolas, onde estudam seus filhos em pleno andamento do ano escolar de 2009, sem quaisquer tipo de diálogo ou busca de entendimento, visando preservar as instituições comunitárias.

    Situação dramática e lamentável das creches/pré-escolas

    O CEI Pequeno Rodoviário (DER) já fechou, mas não tem como pagar a rescisão dos 10 funcionaŕios. O CEI Creche do Bosque já fechou, mas também não tem como pagar a rescisão de seus 13 funcionários. O CEI Pequeno IAPAR já encaminha-se para o fechamento de suas portas. O CEI Arco Íris luta e resiste, pois tem sede própria e tem 95 crianças para atender. O CEI Espaço da Criança, segundo a Celepar, deverá em dezembro de 2009, mas a maioria dos pais são contrários à decisão e resistem.

    As cinco (5) creches/pré-escolas imersas nessa triste realidade, são:-

    CEI Arco Ìris (Curitiba – Bairro: Cabral), CEI Pequeno IAPAR (Londrina), ambas mantidas com a subvenção social governo do Estado/SEAB);

    CEI Pequeno Rodoviário, mantida com a subvenção social do governo do Estado/SETR-DER;

    CEI Castelo do Bosque, mantida com a subvenção social do governo do Estado/SEAP; e,

    CEI Espaço da Criança, mantida com a subvenção social governo do Estado/CELEPAR.

    Duas outras creches/pré-escolas podem estar na mesma situação: O CEI da Universidade de Londrina (UEL) e o CEI da Universidade de Maringá (UEM).

    A faixa etária de atendimento é de 4 meses a 5 anos de idade (ingresso no ensino fundamental). As crianças atendidas são filhos de servidores públicos, dos respectivos órgãos parceiros e da comunidade curitibana.

    Números da tragédia sobre a educação pré-escolar

    São trezentas (300) crianças que ficarão SEM ESCOLAS !

    São quinhentas (500) as vagas em creches/pré-escolas que serão extintas.

    São em torno de cem (100) educadores e trabalhadores que ficarão DESEMPREGADOS.

    São 5 instituições de mais de 20 anos que chegam ao fim !

Comente