Uncategorized

Comissão levará proposta ao MEC para resolver impasse dos diplomas da Vizivali

periclesdemello

A busca de uma solução para o registro dos diplomas de cerca de 35 mil professores que concluíram o Programa de Capacitação para Docentes da Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu (Vizivali), terá novos rumos nas próximas semanas.

A comissão especial que defende o caso no Paraná, coordenada pelo deputado estadual Péricles de Mello (foto), do PT, levará ao Ministério da Educação a proposta de que registre os diplomas de acordo com as diretrizes do Programa de Curso Normal Superior para séries iniciais, ou se necessário, que seja aprovada uma complementação reconhecendo as horas-aulas da Vizivali, o que daria aos professores, neste caso, o diploma de pedagogia plena.

Essas propostas foram formalizadas durante uma mobilização realizada em Santa Tereza do Oeste, município próximo a Cascavel, na última quinta-feira, dia 30, que reuniu cerca de 300 professores da região Sudoeste e Oeste do Paraná, lideranças políticas, secretários Municipais de Educação e vereadores.

“Vamos mostrar ao Ministro Fernando Haddad que o MEC pode ajudar a colocar um ponto final nesse caso que aflige milhares de professores e está prejudicando a educação no Paraná”, afirma Péricles, presente na mobilização.

Segundo o deputado, a ideia é de que, definida a complementação, ela seja ofertada por uma instituição federal de ensino superior, na modalidade a distancia, com duração de cerca de um ano e uma grade de 800 a 1000 horas-aulas.

Professores participantes do Programa estão espalhados por todo Paraná, o que inviabiliza uma complementação presencial. O grupo vai sugerir que essa complementação também possa ser contemplada pelo Plano Nacional de Formação dos Professores do MEC, desde que se aproveitem as matérias já cursadas pelos professores.

Péricles espera ainda que o Supremo Tribunal Federal julgue improcedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), ajuizada pelo governo do Estado, contra a lei estadual 16.109/2009 de autoria do deputado, que determina o registro dos diplomas dos participantes do Programa da Vizivali.

“Vamos continuar mobilizados em todo Paraná para fortalecer nossa luta e mostrar que a falta dos diplomas coloca em risco a permanência dos professores em sala de aula”, enfatiza Péricles. Há mobilizações programadas em Palotina, Guarapuava, Londrina e Maringá.

A agenda do Ministério da Educação será em agosto com data a definir. Os membros da comissão formada na região Sudoeste irão se juntar à comissão especial já formada na Assembleia para ir a Brasília. Péricles salienta que os senadores Flávio Arns (PT) e Osmar Dias (PDT) e a Associação dos Municípios do Paraná também apoiam as reivindicações em busca do fim do impasse gerado no Paraná.

A professora Eunice Alberton, coordenadora da comissão do Sudoeste, diz que a instabilidade causada pela espera dos registros dos diplomas acaba prejudicando o rendimento do professor em sala de aula. “Precisamos que o sistema educacional de um parecer definitivo sobre o caso para que possamos levar adiante nossa vida acadêmica”, justifica Alberton.

Histórico

Péricles destaca que os professores se inscreveram no Programa com as melhores das intenções, pois estavam assegurados pelo Conselho Estadual de Educação do Paraná, que autorizou o credenciamento da Vizivali para ofertar o Programa a partir de 2003, prorrogado pelo próprio Conselho para ser oferecido a mais turmas. A Vizivali ofertou as aulas em parceria com a empresa Inteligência Educacional e Sistemas de Ensino (Iesde), responsável pela operacionalização do Programa. Os professores foram capacitados para atuarem nas séries iniciais do ensino fundamental.

O deputado complementa que o Conselho Nacional de Educação chegou a emitir dois pareceres favoráveis à proposta do Conselho Estadual em oferecer as aluas no sistema semipresencial. Mas o mesmo Conselho Nacional reformulou sua decisão e publicou o parecer 139 de 2007, após a formação das turmas, concluindo que não cabia ao Conselho Estadual legislar sobre a questão, o que acabou gerando o problema.


Assessoria de Imprensa

Luis Otávio Dias DRT/PR 5871

41 9621-2141 / 3350-4250

25 Comentários

  1. Luis Adolfo Kutax Responder

    LAMENTÁVEL A PROLIFERAÇÃO DE CURSOS A DISTÂNCIA QUE NÃO OFERECEM QUALQUER QUALIDADE, E O PIOR QUE AINDA IRÃO REPASSAR CONHECIMENTO PARA DIVERSOS ESTUDANTES. MAS POR OUTRO LADO TEM QUE SER RESSALTADO A BOA FÉ DOS QUE ESTUDARAM NÃO IMAGINANDO QUE ESTAVAM SENDO “PASSADOS PARA TRÁS”….

  2. Estou muito triste com tudo o que está acontecendo a respeito da validação dos Diplomas da VIZIVALI. Se a Faculdade não era credenciada a oferecer cursos, não sabíamos. Tenho 55 anos. Estudei com muita garra e muita, muita dedicação. Ficava até altas horas fazendo trabalhos e muitas vezes deixando marido e filhos para com muito orgulho ter um DIPLOMA de graduação.
    Se alguém usou de má fé, deve pagar por isso, mas não quem estudou e sofreu como foi o meu caso.
    Por favor, alguém faça alguma coisa!

  3. Estou muito triste com tudo o que está acontecendo a respeito da validação dos Diplomas da VIZIVALI. Não só eu, mas também todos que fizeram o Curso comigo. Se a Faculdade não era credenciada a oferecer cursos, não sabíamos. Tenho 50 anos. Estudei com muita garra e muita, muita… dedicação. Ficava até altas horas fazendo trabalhos e muitas vezes deixando marido e filhos de lado para poder ter com muito orgulho um DIPLOMA de graduação. Se alguém usou de má fé, deve pagar por isso, mas não quem estudou e sofreu como foi o meu caso e de tantos e tantos outros. Por favor, alguém faça alguma coisa até o final de agosto, pelo AMOR DE DEUS!!!

  4. Pai da Creche do Bosque Responder

    Deputado Péricles de Mello (PT), presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná:

    Vossa Excelência, por certo já tem conhecimento da situação das creches/pré-escolas que funcionam na adm pública PR e que estão sendo fechadas por OMISSAO do governador Requião, cfe texto abaixo.

    O que Vossa Excelência tem a dizer a respeito e o que pretende fazer para ajudar a evitar que tal tragédia aconteça ?

    Ainda não vimos seu posicionamento, enquanto presidente da Comissão de Educação da ALEP em defesa dessas creches/pré-escolas !

    ***

    31/07/2009

    Triste dia para as crianças e pais do CEI Creche do Bosque.

    Dia 31/07 foi o último dia de funcionamento.

    Hoje, dia 31 de julho, foi o último dia de funcionamento do CEI Creche do Bosque. Desde janeiro de 2009, a escola não recebe a verba de subvenção social do governo do Paraná/SEAP, situação que vinha acontecendo desde 1986.

    O CEI Castelo do Bosque, era mantida com a subvenção social do governo do Estado/ Secretaria de Estado da Administração e previdência (SEAP) e com a participação dos pais/mães (parte dos custos de manutenção da escola vem de mensalidades, que variam de acordo com os salários dos pais – 9% da renda, independentemente do cargo).

    A coordenação da escola e a direção da Associação de Pais e Mães do CEI Castelo do Bosque (conselho de Pais e Mães – Conpam), buscaram junto ao governo e demais autoridades públicas alternativas para manter as portas abertas, mas nada conseguiram.

    Agora, além da extinção da vagas para as crianças (70), clientes da escola, dos empregos extintos (13), acumula dívidas relativas à rescisão de 13 educadores/funcionários. Todos os funcionários do CEI estão sem receber os salários desde o mês de fevereiro de 2009.

    O Centro Educacional Infantil até julho de 2009, atendia cerca de 40 crianças entre 4 meses e 5 anos de idade. O Centro Educacional Infantil (CEI) Castelo do Bosque, está localizado no Centro Cívico, em Curitiba.

    No início do ano, o governo fez uma consulta ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para saber se os repasses eram legais, o que foi confirmado pelo órgão.

    No Acórdão 474/09, os conselheiros do Tribunal de Contas aprovaram o subsídio às escolas que atendem filhos de servidores por entender que o governo, assim como os demais empregadores, tem o dever constitucional de oferecer creche aos filhos de seus funcionários. Para pais e professores, se o tribunal afirmou que o repasse de verbas é legal, não há motivos para o atraso.

    – CEI Pequeno Rodoviário fechou em maio

    Além da Creche do Bosque, outra escola infantil que já fechou as portas desde o início de julho, foi a o CEI Pequeno Rodoviário (SETR-DER), que também não tem como pagar a rescisão dos 10 funcionários.

  5. Lamento pelos que foram ludibriados. Todavia se o Ministério da Educação reconhecer o curso e conceder os diplomas estara dando um péssimo exemplo.
    Qualquer empresa só pode oferecer qualquer tipo de produto, serviço etc após estar totalmente legalizada.
    O ensino universitário no Brasil virou um verdadeiro comércio e o MEC de agir com firmesa para coibir e não para incentivar a ilegalidade.

  6. q esta complementação seja oferecida a todos q fizeram o curso e não somente p/ quem atua na rede estadual ou municipal de ensino. na hora da matricula ou de pagamento todos eram iguais.

  7. Um erro não conserta o outro.
    Curso fajuto à distância, dos amigos do Haddad, pra dar diploma aos que cursaram o curso fajuto anterior. CPI dos institutos já.

  8. CURSO FAJUTO??? AS PESSOAS RESPONSAVEIS POR ABRI -LO SIM , MAS QUEM O FEZ ESTA AI , PASSANDO EM CONCURSOS E MOSTRANDO MUITO MAIS COMPETENCIA QUE MUITOS QUE FICARAM 4 OU 5 ANOS EM INSTITUIÇÕES FEDERAIS E MINICIPAIS SEM CONSEGUIREM SEREM APROVADOS EM CONCURSOS PUBLICOS , EU SOU UMA , NÃO ERA CONCURSADA NA EPOCA E HOJE SOU , SE O CURSO ERA FAJUTO , PORQUE SERÁ QUE FUI APROVADA E OUTROS QUE CONCLUIRAM NA UNIOESTE , OU UNIVERSIDADES PRESENCIAS , COM PROFESSORES, NÃO CONSEGUIRAM????

  9. !!!! Espero que desta vez tudo se resolva… Eu fiz minha pré inscriçao p/ fazer este outro curso ofertado pelo governo… mais nao me conformo em ter que estudar td novamente… tomara que se resolva, e que se possa eliminar matérias, assim ficará melhor.. pois nao pretendo dar + dinheiro p/ esta outra instituiçao UCB que diz oferecer complementaçao legal…duvido !!!!!!

  10. quem fala em curso fajuto, é porque não sabe o quanto tínhamos q ler e estudar aqueles livros p/ as provas, em me dediquei, estudei e nem faltava às aulas , levei a sério, pagueiem dia, espero ter o meu diploma c/ dignidade

  11. pessoal
    ENTRA NO GOOGLE E DIGITA: SIEAD MEC E DEPOIS QUE VOCES ENTRAREM NESTE HOME PAGE PREENCHE PARANA MARINGA INSTITUIÇÃO

    VOCES IRÃO VERIFICAR QUE A CASTELO BRANCO E A ULBRA ESTÃO CREDENCIADAS PELO MEC O IESDE É PARCEIRO QUE COBRA AS MENSALIDADES, CEDE O LIVROS E AS AULAS SÃO IGUAIZINHAS AO NORMAL SUPERIOR QUE NÓS FIZEMOS

    COMO O MEC AUTORIZA UM CURSO IGUAL AO NOSSO SÓ COM TUTOR E DVD. IGUAL AQUELE QUE NÓS FIZEMOS. NÃO MUDA NADA.NEM TEM BIBLIOTECA NESSES LUGARES. SÓ A SALA DE AULA E É UMA VEZ CADA 15 DIAS.

  12. Margareth, não entendi o teu comentario, o problema da VIZIVALI é que só tinha autorização do CEE, e curso a distância tem que ter credenciamento do MEC, de acordo com a LDB.

    Eu estou começando a pensar que o curso não foi muito bom pra voces aí em Foz, nós aqui em Curitiba tivemos bons tutores, e as provas eram bem fiscalizadas, o material didático de alta qualidade, os professores das video – aulas são escolhidos a dedo, muitas pessoas até desistiram do curso por que as provas eram muito dificeis.
    Pessoas são ou não são comprometidas em qualquer curso presencial ou não, e curso a distãncia é para pessoas auto-didatas e comprometidas.
    Novamente eis a questão ¨Ser ou não ser ¨ ( shakespeare)

    Sabe Margareth, eu não posso deixar de admirar a tua determinação e perseverança, eu sei que todos estamos bem perturbados e desilusionados com essa situação imoral e absurda no seio do sistema educativo, mas não podemos perder o controle e o foco.

  13. Olá, uma colega minha fez a “tal complementação” da UCB, já recebeu o DIPLOMA REGISTRADO E TUDO, habilitada em pedagogia, e apenas fez 480hs a mais e no diploma dela não consta nada sobre a VIZIVALI /IESDE, apenas HABILITA EM PEDAGOGIA!
    E aí?? como pode?? o MEC se posiciona como perante isso?? vale pra uns e não vale para outros?? ou é apenas uma jogada de alguém que tá recebendo pra forçar aos professores a fazerem mais essas horas e mais gastos?? ALGO PODRE TEM POR AÍ….ABRAM O OLHO!!

  14. Curso fajuta, não acima de um governo fajuta, CEE fajuta, faculdade fajuta, e um povo que não reage mais fajuta ainda, pois os estelionatários continuam faturando normalmente. Se ninguém é confiável queimamos tudo e começamos do zero. Podemos combate os ignorantes com uma dose da maior ignorância.

  15. Sabe o que mais me irrita nisso tudo, é que eles continuam ofertando cursos, e o ninguém faz nada. Quando o IESDE me ofereceu o curso era CNS – Curso Normal Superior, e isto consta no boleto de inscrição, das mensalidades e do diploma, quando peguei o histórico constava curso de capacitação para professores, pela legislação, eles venderam um produto e entregaram outro. Ofereceram curso de complementação pela ULBRA e os alunos que fizeram já receberam o diploma de pedagogia licenciatura plena como se tivessem feito todo o curso por lá, fui me informar para fazer esse curso para não perder o concurso da prefeitura de Curitiba, e a informação que recebi é que eu tenho que me matricular no curso de pedagogia e eliminar as matérias, e que a duração é de 3 TRÊS anos, pagando por uma falcatrua deles, então começo a acreditar que os diplomas da ULBRA saíram por debaixo do pano sim. Já o MEC que é o órgão máximo que poderia resolver esse impasse, se eximiu, fugiu da raia, mostrando mais uma vez que não valem pelo que recebem, e ainda temos que aguentar esse Governadorzinho de merda (me desculpem pelo termo, mas é o que ele representa) ir registrar uma din revogando a lei que os desputados votaram obrigando a assinatura dos diplomas, porque é claro ele não tem com que se incomodar, ou quem sabe tá recebendo alguma troco em troca. Por favor seu Roberto Requião vai arrumar o que fazer, lembre-se que são 35.000 votos que o senhor está jogando fora!!!

  16. Silvânia G.M.Meira Responder

    Olá !
    Gostaria de encontrar alguém que possa me orientar quanto ao meu dilema acadêmico.
    Bom , fiz Normal Superior (Projeto Veredas) e assim que terminei fiz uma Pós-Graduação em Alfabetização, por influência de colegas que como eu ,mal informadas,também fizeram a pós sem necessidade,pois o curso anterior já nos habilitava para as séries iniciais à qual já exercia efetivo exercício, e não precisava estar fazendo a Pós em Alfabetização naquele momento.
    Mas terminando o que havia iniciado,Pós em Alfabetização imediatamente fiz outra Pós-Graduação em Inspeção Escolar com área de conhecimentos em Gestão e Planejamentos.
    Agora a dúvida:Posso concorrer com demais inscritos em Concursos Públicos , sendo que nos editais exige-se Pedagogia para a função de Inspetor Escolar?A minha tão almejada função?
    Ou terei que cursar Pedagogia mais três anos ,sem dispensar matérias,como me informou o diretor da Faculdade em (EAD):”…Vc terá que fazer o Curso de Pedagogia integral e terá três qualificações.Mas, na verdade não estou procurando qualificações,já tenho qualificações ,busco ser HABILITADA PARA FAZER JUS A TAL. CARGO/FUNÇÃO.
    Me informam , por favor, se vcs têm conhecimento de algum caso semelhante ao meu .
    Atenciosamente, agradeço.

  17. Estou em atraso com a faculdade Unar,tentei negociar a divida,pagando o que posso para obter o meu diploma (300,00) mensais,mas eles querem (535,00) não tenho condições de pagar esse valor ,já mandei vários email e não obtive resposta, o tempo está passando.A faculdade contratou o atendimento Garcia para resolver o assunto ,mas nem se quer mandaram resposta .Estão segurando meu diploma sei que é ilegal mas não posso retirar assim mesmo.Gostaria que me ajudassem se puderem não ganho bem para pagar todo esse valor pego aula perco aula e assim vai sou formada em artes .Por favor não me deixem sem resposta.

    preciso do meu diploma antes do final do ano pois já fez dois anos em julho que me formei

  18. PESSOAL O PROFESSOR CARLOS MOREIRA COLOCOU NO SITE QUE NA QUARTA FEIRA RECOMEÇA O RECADASTRAMENTO, PEDIU PARA QUE TODOS FIZESSEMOS , POIS ASSIM ESTAREMOS SENDO LOCALIZADOS , PARA ASSIM FACILITAR O TRABALHO DELES DE FORMAÇÕES DE TURMAS .
    SEI QUE A PREOCUPAÇÃO É GERAL , MAS ESSE MOMENTO ESTAMOS ENCONTRANDO APOIO DO GOVERNO E DA IFPR , FUNDAMENTAIS PARA CONSEGUIRMOS REGULARIZAR NOSSOS DIPLOMAS E FINALMENTE PODERMOS EXERCER NOSSA PROFISSÃO COM DIGNIDADE, PORTANTO O MOMENTO É DE AGRADECIMENTOS E APOIO AQUELES QUE FINALMENTE ENGAJARAM NESSA LUTA QUE PROPICIARA O QUE TANTO ALMEJAMOS “NOSSOS DIPLOMAS”

  19. ESTOU SENTINDO MUITO ALIVIADO POR ESTA COMPLEMENTAÇÃO DO NOSSO CURSO PELO IFPR JÁ FUI MUITO UMILHADO PELAS PESSOA COM CASO DA VIZIVALI, CADE SEU DIPLOMA VOCÊ ESTÁ QUARDADNDO O SEU DINHEIRO NA POUPANÇA,. DO IESDE E DA VIZIVALI.

  20. EUNICE ALBERTON Responder

    PESSOA EU PRECISO ESCLARECER A VOCÊS PORQUE QUE SOLICITAMOS PARA QUE A VIZIVALI ENTREGUE OS DOCUMENTOS A VOCÊS, CONVERSANDO COM O PESSOAL A ALGUNS MESES PERCEBEMOS QUE A GRANDE MAIORIA TINHA O HISTORICO ORIGINAL DO ENSINO MÉDIO NAS PASTAS LÁ NA VIZIVALI. nA ULTIMA REUNIÃO COM O IFPR COLOCAMOS ISSO PARA ELES. cONVERSAMOS COM O DIRETOR DA VIZIVALI E SOLICITAMOS PARA ELES ENTREGAREM ESSAS DOCUMENTAÇÕES. PARA QUE POSSAMOS RESOLVER DE UMA VEZ POR TODAS ESTA SITUAÇÃO. O QUE ACONTECERIA SE VOCÊS NÃO RETIRASSEM PROVAVELMENTE SÓ IRIAM PERCEBER NO MOMENTO QUE FOSSEM AUTENTICAR PARA ENVIAR AO IFPR. DEIXAMOS TAMBÉM CLARO QUE NÃO É POR ISSO QUE TIRA A RESPONSABILIDADE DA VIZIVALI EM RESOLVER A SITUAÇÃO. ALGUNS ALUNOS ESTÃO ACUSANDO A COMISSÃO DE ESTAR SENDO ERRADA EM FAZER ISSO POIS ESTARIA TIRANDO A RESPONSABILIDADE DA VIZIVALI DE RESOLVER A SITUAÇÃO. QUERO DEIXAR BEM CLARO A TODOS VOC~ES SE ACASO NÃO FOR RESOLVIDO PELO IFPR O NOSSO PROBLEMA NÃO SERÁ SOLUCIONADO NUNCA MAIS E DAI VOCÊS REALMENTE PRECISARIAM ESTAR COM OS DOCUMENTOS NAS MÃO PARA SE MATRICULAR EM OUTRO CURSO.

  21. Quando vai ser a complementação? Precisamos de um parecer já estamos esperendo demais.E eu estou desempregada a dois anos mudei de Estado. Aguardo resposta.

  22. Essa eunice albertom é uma falsa sen vergonha usando o caso iesd para se promover, e ta com interesse politico por tras disso tudo.

Comente