Uncategorized

Deputado Teruo Kato, do PMDB, é condenado por contratações irregulares

TERUO-KATO-05AGO2009-300x250
Deu no Joaquim de Paula

O deputado estadual Antônio Teruo Kato (PMDB) foi condenado pela Justiça por ter contratado de forma irregular servidores sem concurso público para cargos de carreira na prefeitura de Para­­­navaí, Noroeste do Paraná. A irregularidade aconteceu quando Ka­­­to foi prefeito da cidade – na gestão 1997/2000.

Na sentença, o juiz Emil Gon­­­çalves suspende por cinco anos os direitos políticos do deputado, o proíbe de firmar contratos com o poder público por cinco anos e determina o ressarcimento dos danos causados aos cofres públicos – montante que deve ser calculado com juros e correção monetária quando estiverem esgotados todos os recursos na Justiça.

A decisão de Gonçalves é de agosto do ano passado, mas o caso só agora veio a público, quando o recurso da defesa chegou ao Tribunal de Justiça. Por enquanto, os efeitos da sentença da Justiça de Paranavaí ainda não recaíram sobre o deputado peemedebista, devido ao recurso.

Caberá agora ao desembargador relator Luiz Mateus de Lima manter ou reformar a decisão. No último dia 7 de julho, o Ministério Público do Paraná se manifestou pelo indeferimento do recurso do deputado e pela manutenção da sentença em sua íntegra.

4 Comentários

  1. Se realmente o Teruo perder os direitos politicos, fica fácil para o Walmor Trentini, se eleger Deputado de novo em Paranavaí.

  2. Nepotista contumaz Reply

    Esse deputado é uzeiro e vezeiro no trato de nomeações ilegais, hoje na Assembléia Legislativa, mantem nomeados, a mulher, filho e etc….o gabinete é uma reunião de familia.

  3. joão renato leal afonso Reply

    É uma pena políticos que ajam desta maneira, mas não é exclusividade do deputado, aqui na Lapa, o ex-presidente da cãmara de Vereadores, JOÃO ANTONIO DE JESUS MARTINS, foi condenado pelo Tribunal de Contas do PR, tabém pelo motivo de pagamento irregular à funcionária com dupla jornada de trabalho. veja acordão 681/2009 do TC-PR.

  4. Fabio este é o mesmo caso dep. Dobrandino, contrataram cooperativa de mão de obra, o dinheiro dos encargos sociais e trabalhista, que não foram recolhidos, sumiu, o prejuizo ao municipio foi enorme, a condenação é eminente, o Dobrandino conseguiu protelar a execução da sentença com recurso ao proprio TJ, aqui em Foz pegou muito mal para o deputado.

Comente