Uncategorized

Demora da Justiça deixa livre padrasto que assumiu ter matado a enteada, de 10 anos

alexsandro_silva

Um absurdo total. O segurança Alex Sandro da Silva (foto), de 30 anos, que assumiu ter estuprado, estrangulado e escondido o corpo de Stephaine Bianca Ferreira, de 10 anos, aproveitou a demora na expedição de seu mandato de prisão e desapareceu.

Ele havia se apresentado na delegacia de Peabiru, na última segunda-feira, dia 10, onde confessou o crime cometido em Campo Mourão na sexta-feira dia 7.

Transferido para a delegacia de Campo Mourão, ele ficou à disposição da Justiça até a última terça-feira, mas a demora no pedido de prisão permitiu que ele escapasse das mãos da polícia sem que nada pudesse ser feito.

Apenas as 15h dessa quarta-feira, dia 12, chegou às mãos do delegado chefe de Campo Mourão, Haroldo Davison, o pedido de prisão, mas aí era tarde. O assassino já tinha fugido. As informações são do blog de Edson Lima, do Diário de Maringá.

Agora, ninguém quer assumir o erro absurdo. O delegado diz que cumpriu a lei, na Justiça de Campo Mourão ninguém fala do assunto, e a família de Stephanie tem que enfrentar mais esta dor.

Clique em Leia Mais e saiba como foi o crime:

O corpo de Stephaine foi encontrado, por volta das 10 horas do domingo, em uma plantação de trigo, próximo a Estrada Boiadeira, em Campo Mourão. Um agricultor que caminhava pelo local percebeu a plantação de trigo amassada por pneus de carro e, ao entrar na lavoura, encontrou a criança morta. O corpo estava seminu vestindo apenas uma blusa.

Segundo a PM, o segurança contou em depoimento que na última sexta-feira teria chegado do trabalho e bebido um litro de whisky e duas latas de cervejas momentos antes do abuso. Um irmão da vítima, de apenas cinco anos, teria escutado os pedidos de socorro da irmã.

O padrasto cometeu violência sexual no interior da residência, estrangulou e ocultou o corpo da criança no porta-malas do carro, até abandonar na plantação de trigo.

O padrasto morava com a mãe da criança há pelo menos três anos.

14 Comentários

  1. Um absurdo total….com certeza se a vítima fosse a filha do Juiz ou do Delegado, ai sim, o assassino estaria atrás das grades…mais uma grande injustiça que o Governo tinha que adotar providências disciplinares urgentes….como sugestão, a transferencia imediata do Delegado da cidade e a representação no Conselho da Magistratura referente a atitude inconsequente do Juiz….

  2. E viva a competência do Secretário da Insegurança Pública do Paraná o baixinho Delazarento!

  3. Já vi perder prazo em recurso – Em mandato de prisão.

    Há é… Segurança pública do Paraná… é isso. DESCASO TOTAL e p secretino passa bem obrigado – INCOMPETENTE

  4. Conde Edmundo Dantas Responder

    Caro Celso Luiz, aí de cima,

    O Delegado nada tem com isto. Se mantivesse o individuo preso, o Promotor teria representado pela prisão do Delegado, por abuso de autoridade, e o Juiz teria atendido o pleito do Ministério Público. Se você, e outros não sabiam, é assim que as coisas acontecem no subterrâneo da disputa corporativa entre Delegado e Promotor, tendo este último (o Promotor) quase sempre o apoio do Juiz.

  5. Conde Edmundo Dantas, digo a vc que muitos outros Delegados de Policia no Paraná teriam “contrariado” o atraso no mandado de prisão e teriam mantido o assassino confesso preso, mesmo sem ordem judicial….se vc pensa que a Lei e a Justiça hoje no Paraná são apenas feitas por ordens do Ministerio Publico, vc está muito enganado e desinformado, pois se assim fosse, a nossa insegurança seria muito maior….o MP vive hoje trancado em seus gabinetes, cercados por estagiários, ganhando salários astronomicos e cada dia mais longe da comunidade….
    O Delegado deveria ter agido por conta propria, pois se fosse punido por isto, pelo menos teria o nosso reconhecimento…

  6. Conde Edmundo Dantas Responder

    Caro Celso Luiz,

    Esta conduta que você afirma que outros Delegados adotariam: “muitos outros Delegados de Policia no Paraná teriam “contrariado” o atraso no mandado de prisão e teriam mantido o assassino confesso preso, mesmo sem ordem judicial”, isto aconteceria em outros tempos. Hoje, o maior prazer do Ministério Público em todo o Brasil é caçar policial que cometa qualquer tipo de desvio, mesmo que venial e seja em prol da sociedade. O intuito do MP é provocar o maior desgaste possível à polícia judiciária para que ele (MP) assuma a apuração das in frações penais em nosso país. Isto é política institucional do Ministério Público brasileiro. É graças a esta conduta do “Parquet” que policial, hoje em dia, foge de ocorrência como o diabo foge da cruz: as viaturas sempre estão “quebradas”, falta “gasolina”, a viatura está “atendendo outra ocorrência”, etc. Como gosta o Blogueiro de dizer: assim caminha a humanidade, ou, como eu diria, assim caminham os interesses corporativos do MP no Brasil.

  7. Como diz a música.. “fecho os olhos para não ver passar o tempo…”Até o mais bobo sabe que se apresentando na delegacia fica fora dela… se sumir depois, só volta se aparecer em algum programa de massa denegrindo sua moral… ” esperar.. esperar…

  8. PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER…o cara que matou a pediatra na Bahia estava preso e saiu pelo indulto do dia dos pais.Ele já tinha violentado 3…

  9. RETOMANDO:
    Querem cumprir a lei?Por muito menos vi policiais fazendo CAMPANA (com o perdão pelo trocadilho)não desgrudando do cara até sair o tal papel.Que caso era mais importante na mégalópole Campo Mourão?

  10. Impressionante, está semelhante ao crime do morro do boi, o cara que realmente confessou o crime, contou detalhes…, cometeu outros crimes no Munícipio, o juíz simplesmente liberou… Está ficando assustador, os bandidos confessos soltos e os inocentes comprovados, presos… Justiça!!! Onde, quando e para quem?

  11. è Lamentavel mas, o delegado cumpriu a lei, ja que ninguem pode ser preso se não por Flagrante de delito, ou por ordem Judicial, como no caso em tela não havia mandado de prisão e o mesmo não estava mais am flagrante agiu corretamente o Delegado. fica ai uma culpa do Legislador.

Comente