Uncategorized

Lula amansa o PT,
Renan acua a oposição
e José Sarney fica

SarneyFabioPozzeCadeira

Do Josias de Souza na Folha Online

Passou a fase do heroísmo afirmativo no Senado. Vive-se agora a etapa da covardia, só exposta no recôndito dos gabinetes, com o buraco da fechadura tapado. Entre quatro paredes, ouve-se das vozes que tem peso uma opinião unânime: José Sarney fica.

É uma unanimidade à moda de Nelson Rodrigues. Uma unanimidade que, por ululante, “está a um milímetro do erro, do equivoco, da iniquidade”. Sarney trata de virar a página: “Todo mundo deseja que o Senado volte a seus trabalhos, à convivência…”

Todos desejam que o Senado “possa realmente realizar as reformas pendentes”, dizia o morubixaba do PMDB na manhã de quinta (13). Ao final de uma semana em que tentara pôr de pé a tese da inevitabilidade do desarquivamento de uma ação contra Sarney, Aloizio Mercadante prostrou-se.

“Fiquei totalmente isolado. Estou tomando porrada sozinho. Sumiu todo mundo”, desabafou, na tarde de sexta (14), o líder do PT. Mercadante falava a um amigo, pelo telefone. Parecia rendido à evidência de que, no PT, o pior tipo de solidão é a companhia dos companheiros de bancada.

Ideli Salvatti, Delcídio Amaral e João Pedro, os petês que votam no Conselho de (a)Ética recusam-se a levar adiante os planos de Mercadante. Pior: acusam o líder de fazer jogo de cena. Sabe que Sarney safou-se. Mas faz média com o eleitorado esclarecido de São Paulo.

“O partido tinha apoiado a minha tese. Retirou o apoio. Fiquei numa situação difícil”, Mercadante se lamuriava ao amigo. Ele antevê as manchetes do dia seguinte: “Se o Sarney caísse, a culpa seria minha. Se o Sarney fica, a culpa é do PT”.

Logo o PT, que, na refrega de fevereiro, oferecera ao plenário do Senado um nome alternativo ao de Sarney: Tião Viana. O que mais exaspera Mercadante é o timbre do noticiário: “Arrancaram a oposição do debate. Os jornais só falam do PT. Não mencionam o jogo de cena da oposição”.

O petismo tornou-se vítima de uma frase de José Agripino Maia: “Nós estamos nas mãos do PT”, repete à exaustão o líder do DEM. Logo o DEM que, com seus 14 votos, foi decisivo no placar que impôs ao Senado a terceira presidência de Sarney.

A semana de Agripino começara tensa. Recebera a visita do ex-senador Jorge Bornhausen, presidente de honra do DEM. A pedido de Sarney, seu velho amigo, Bornhausen encareceu a Agripino que não impusesse à bancada ‘demo’ um fechamento de questão contra Sarney.

Agripino disse que não há, tecnicamente, um fechamento de questão. Mas foi claro: no Conselho de (a)Ética, entregaria a mercadoria que combinara com o PSDB. Os três votos ‘demos’ no colegiado opinariam a favor de desengavetar as ações contra Sarney. Na quarta (12), Agripino recebeu telefonema de Renan Calheiros.

O líder do PMDB, chefe da milícia congressual que quebra lanças por Sarney, pediu um encontro reservado. Agripino o recebeu à noite, em seu apartamento. Renan sondou Agripino sobre os votos do DEM. Ouviu o mesmo que Bornhausen: os ‘demos’ votarão pelo desarquivamento. Perdendo, o partido recorrerá ao plenário.

Agripino gere uma bancada cujo ânimo anti-Sarney tem a consistência de um pote de gelatina. Porém, decidido a acomodar todas as culpas no colo do PT, acautelou-se.

Heráclito Fortes, um dos ‘demos’ com assento no conselho, disse que não vota contra Sarney. Agripino encomendou a ausência de Heráclito, que assentiu. No lugar dele, vai votar Rosalba Ciarlini.

Suplente no conselho, a senadora é unha e cutícula com Agripino, que planeja fazer dela governadora do Rio Grande do Norte. Eliseu Resende, outro ‘demo’ do conselho, também balança por Sarney.

Agripino chamou-o aos brios. Lembrou-o de que assinara os recursos pró-desarquivamento. Disse a Eliseu não ficaria bem votar contra os papéis que traziam o seu jamegão. E obteve do liderado claudicante a promessa de se manter firme.

Na manhã de quinta (13), Agripino tocou o telefone para o tucano Sérgio Guerra. Contou ao parceiro de oposição o teor da conversa que tivera com Renan. Presidente do PSDB, Guerra disse os dois votos do tucanato no conselho se mantêm inalterados, pelo desarquivamento.

A oposição dos subterrâneos contrasta com a oposição dos holofotes. O fora Sarney sumiu do plenário. Ali, ainda ecoam as escusas de Tasso Jereissati.

O grão-tucano cearense escalara a tribuna na terça (11). Desculpara-se com a sociedade brasileira pelos pontapés retóricos que trocara com Renan. O “coronel de merda” assegurou que manteria o embate com a tropa do “cangaceiro de terceira categoria”. Seguiu-se, porém, um embainhar coletivo de espadas.

O dissidente peemedebista Jarbas Vasconcelos passou a semana defendendo o bloqueio das votações. Pregou no deserto. Pedro Simon, outro desgarrado do PMDB, ainda fala de renúncia. Não de Sarney, que já engoliu e digeriu. Simon ameaça agora abdicar do próprio mandato.

Renan também trocou a boca do palco pelas coxias. Amainara o discurso do tucano Arthur Virgílio, levando-o à grelha do Conselho de (a)Ética. Constrangera Tasso, Guerra e Álvaro Dias plantando denúncias no noticiário. E submergiu.

Antes de reunir-se com Agripino, fora a Lula, na terça (11). Queixara-se de Mercadante. E ouvira palavras tranqüilizadoras. O petismo, o presidente lhe assegurara, não abandonaria Sarney.

Lula repetiria o mantra ao senador que não merece ser tratado como cidadão comum. À noite, na Granja do Torto, diria a Sarney que o governo não lhe faltaria. Na conversa telefônica desta sexta (14), Mercadante acusou o golpe:

“O governo veio com a mão pesada pra cima da bancada. Os partidos da base, inclusive o PT, não sustentaram a nossa posição. O PMDB radicalizou. A oposição sumiu do cenário”.

Acordão? Sim. Um acerto tácito e silencioso, que dispensa conversas. A conveniência reuniu-se com o compadrio e concluiu que o melado do Senado já escorrera o bastante. Ou fechavam-se os dutos ou todos seriam engolfados. Mercadante recordou uma interrogação que ouvira de Sarney: “Por que só eu?”

Em privado, Agripino Maia pronunciou, na noite de sexta, uma frase que ainda não ousa ditar aos gravadores e às câmeras de TV: “O Sarney fica. Mas será um presidente em farrapos. Renovação do Senado, só na eleição de 2010”. As manchetes, Mercadante lamenta, estão contratadas: “A culpa é do PT”.

9 Comentários

  1. Lula cria mais um ministério extraordinário: o MINISTÉRIO DA DEFESA DO SARNEY e nomeia MARCOS do PALMEIRAS o titular da pasta.
    É uma tentativa. Pode ser que ele segure essa.

  2. Jorge A. Bittencourt Responder

    Este é o PT, sem a máscara. Chegou ao poder e esqueceu todo o discurso de moralidade e compromisso com o País. Aliou-se à mais asquerosa oligarquia corrupta, para manter-se no poder a qualquer custo, mesmo enterrando a democracia que lhes permitiu chegar onde estão. Não há nada que façam que não esteja ligado ao peculato, à mentira e à iniqüidade. Conseguiram, pasmem, serem piores que os neo-liberais e suas milionárias maracutaias pseudo-modernizantes. E os cachorrinhos dos risíveis jornalecos de esquerda, que antes orgulhosamente exibiam a foice e o martelo, trocaram os ídolos de primeira página Fidel e Che Guevara por Sarney e Collor.
    Fosse vivo, Diógenes certamente não gastaria suas sandálias por aqui.

  3. ESSE É O PT, NA EPOCA DO FERNANDO HENRIQUE, QUERIAM CPI ATÉ PRA INVESTIGAR QUEM GASTAVA MAIS PAPEL HIGIENICO, E HOJE QUE TODOS TEM O RABO PRESO, FAZEM O IMPOSSÍVEL PARA BARRAR INVESTIGAÇÕES. SEMPRE DISSE QUE QUEM APOIO O LULA NÃO SÃO OS ELEITORES QUE LEEM JORNAL, MAS AQUELES QUE USAM PARA LIMPAR A SUJEIRA QUE FAZEM NA PRIVADA, ENQUANTO O SENADO FAZ NA PUBLICA, EITA PAIS DE GENTE SEM HONRA.

  4. Notaram como os petistas fogem deste tipo de post?

    Só aparecem quando é para enaltecer a falsária da dilma ou o viajandão do lula…

    Vamos petezada, apareçam….ehehheh

    Ah, não esqueçam uma frase que está no texto acima:

    “A culpa é do PT”.

  5. Esse conto do paco não pegou. Bastou encarar a oposição podre pra ela proteger o rabo. Quem tem ética e é honesto não tem um Arthurt Vergilio em suas fileiras, sendo esse apenas o primeiro de todos eles. P$DB totalmente sem moral para realizar nada. Ladrão não vai a delegacia da queixa que apanhou do dono da casa. Simples.

  6. Anónimo, não vem querer dar “nó”…o pt é culpado sim.

    Ninguém aqui disse que o psdb também não é culpado, a diferença é que o psdb não protegeu sarney nem renan…

    A verdade é que o pt é apenas mais um partidinho de m…, que até recentemente defendia e pregava a ética na política e agora mostrou a verdadeira cara…

    E não adianta: a culpa é do pt sim!!! O pt é maioria e poderia sim ter feito uma limpa no senado, começando por renan, sarney, passando por artur virgílio e todos os que tivessem qualquer culpa…

    E quem segurou o sarney? A dupla renan e collor de mello…o melhor da “direita” deste Brasil do pt….

    Sabe o que sobrará disso tudo: a derrota dos qeu se travestiam de “éticos” e agora mostraram a que vieram, principalmente os do pt…a começar pelo sr lula e sua farsa…

    Sabe quem será o grande derrotado? O pt, devido a esta burrice e à força que estão dando ao pmdb, na próxima eleição vc verá o que acontecerá com os candidatos de um e de outro…pode ter certeza que muitos petistas terão que abrir mão de seus anseios para dar lugar a candidatos do pmdb…e ao final o pt sairá menor, muito menor…

  7. A Petralahda evaporou-se, o Renam aprendeu tudo, aposta com a Dilma qual mente mais. Procurou o Senador José Agripino, como é do conhecimento geral, no dia seguinte em nota à folha diz que o Senador foi procurá-lo e já que estava invertendo inverteu TUDO.

    MENTIROSO.

    O Mercadante está preocupado o mandato dele que acaba agora e não acredito que, apoiando como tem feito os desmandos e a Omissão do “SECRETO” e suas marionetes, consiga voto. DEUS queira que não.

    Montaram um Circo dentro do Senado, Lula com o Sarney, usaram os aliados para sustentar a cizânia e agora que viram que a maracutaia não colou, mais do que nunca querem arranjar culpados, sobraria para a oposição.

    Só não repararam que a Turma está retirando o nariz de palhaço e que 2010 está aí.

    Bem começo a acreditar, que a nossa minoria que eu sempre considerei maioria, pois desconsidero PT e PMDB pura e simplesmente, em breve será a maioria, exatamente onde deve ser e devemos conseguir esclarece-la devidamente.

    ACORDA BRASIL 2010 ESTÁ AÍ QUEREMOS SÓ HONRA E DIGNIDADE.

    FORA PT E PMDB

  8. A Reforma Política que a situação teima em postergar, teria a discussão da Unicameralidade, isto é, parlamento de casa única, um importante ítem para discussão.

  9. A extrema pobreza do Estado do Maranhão é o maior atestado do quanto é nociva, incompetente, mal intencionada e mafiosa a famiglia Sarney. Protegida por Renan, Collor, Lula e Dilma, esperar o que desta caterva toda. Dilma deveria responder pelos crimes que cometeu no passado. AI-5 já!!!!!!!!!!

Comente