Uncategorized

Lula chama o PMDB para pedir acerto com PT

LulaFracionadoSLim

Via blog do Josias de Souza

Empenhado em costurar o apoio do PMDB à candidatura presidencial de Dilma Rousseff, Lula tornou-se coordenador político de si mesmo.

Nesta semana, pretende reunir-se privadamente com o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) e com o deputado Jader Barbalho. Geddel manda no PMDB da Bahia. Jader dá as cartas no PMDB do Pará. Ambos estão em litígio com o petismo local.

Sobre o Paraná, Lula tem dito “Requião virá conosco”, ou seja, Requião deverá apoiar Dilma Rousseff nas contas de Lula.

O ministro Geddel ensaia uma candidatura ao governo baiano, contra a recandidatura do petista Jaques Wagner.

O deputado Jader informou à direção do PMDB que decidiu concorrer ao governo paraense, contra a recandidatura da petista Ana Julia Carepa.

Lula pretende apelar a Geddel e Jader que refluam. Deseja que aceitem disputar um par de cadeiras no Senado, acertando-se com Jaques Wagner e Ana Júlia.

A julgar pelo que dizem entre quatro paredes, Geddel e Jader devem responder negativamente aos apelos do presidente.

Não se recusam a apoiar Dilma. Mas acham que as relações com o PT de seus Estados, por envenenadas, já não podem ser reconstituídas.

Há uma semana, em almoço com Lula, Michel Temer, presidente da Câmara e presidente licenciado do PMDB, propusera uma solução conciliatória.

Sugerira que, na Bahia e no Pará, sejam montados dois palanques para Dilma –um do PMDB, outro do PT.

O presidente não excluiu a hipótese aventada por Temer. Mas decidiu fazer um derradeiro contato com Geddel e Jader.

Lula chega nas duas bolas divididas com atraso. No caso da Bahia, por exemplo, Geddel já costurou até uma aliança com o PTB.

De resto, o PMDB baiano desembarcou do governo do PT. Geddel devolveu a Wagner as duas secretarias que eram ocupadas por gente sua.

Ou Lula aceita a tese do duplo palanque ou se arrisca a empurrar potenciais aliados de Dilma para o colo do presidenciável tucano José Serra.

Bahia e Pará não são os únicos nem os piores problemas que Lula tenta, pessoalmente, superar. A encrenca mais preocupante é a de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país.

Ali, o PMDB cobra do PT apoio à candidatura do ministro Hélio Costa (Comunicações). Dividido entre Patrus Ananias, ministro do Bolsa Família, e Fernando Pimentel, ex-prefeito de BH, o petismo faz ouvidos moucos.

Escrito por Josias de Souza às 05h26

7 Comentários

  1. Muita água ainda vai rolar… A candidatuta da mãe Dilmá está indo pro brejo e agora com Manina no páreo vai afundar de vez. E Requião vai ficar do lado do possível vencedor para tentar ganhar um fôlego judicial.

  2. PERDIDO

    LULA, está mais perdido do que cachorro que caiu da mudança.

    Vai enfrentar sérios disturbios polítcos nessa costura, em face de que perdeu prestígio popular quando apoiou o Sarney, e os demais estelionátários do senado federal.

    A Dilma, não conseguiu provar de que NÃO MENTIU no caso do encontro com a ex-secretária da receita federal.

    As gravações apagadas de registro de pessoas que ingressam na Casa Civil, foi “sorvete na testa” da Dilma.

    Os dois devem marcar baixa nas pesquisas futuras.

  3. CAÇADOR DE PETISTAS - CORONEL Responder

    Olha ai a candidatdo que o Sr Da Silva que enfiar goela abaixo dos brasileiros.

    A Comissão Especial de Reparação da Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Rio aprovou na quinta-feira passada a concessão de reparação moral à ex-guerrilheira Dilma Vana Rousseff. A concessão de indenização à atual Ministra Chefe do Gabinete Civil da Presidência da República foi motivo de polêmica. A Procuradora Leonor Paiva, que não pôde comparecer à reunião, opinou pelo indeferimento ao processo de Dilma. Mas quatro dos sete membros da Comissão rejeitaram seu parecer e beneficiaram a ex-guerrilheira Estela.

    A gaúcha (nascida em Belo Horizonte) Dilma faz parte do folclore da luta armada. A guerrilheira organização marxista VAR-Palmares – e que já foi brizolista no passado – teria participado do assalto à casa de uma amante do ex-governador de São Paulo Adhemar de Barros. Do cofre da residência, foram roubados US$ 2 milhões e 400 mil dólares. Dilma alega que ajudou no planejamento. Mas a guerrilheira aposentada garante não participou da ação. Por coincidência, sua reparação saiu no dia 14 de dezembro, data de seu aniversário de 59 anos.

    Dilma, que é autora do livro “Mulheres que foram à luta armada” (1998) foi beneficiada pelo depoimento de uma companheira de guerrilha. Vânia Amoretty Abrantes relatou que foi transferida com ela, no mesmo camburão, de uma prisão em São Paulo para o Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), sediado no quartel da Polícia Especial do Exército, na Rua Barão de Mesquita, no Rio de Janeiro. Apenas por coincidência, Vânia Amoretty é diretora do Grupo Tortura Nunca Mais. Em nome da ONG, Vânia acompanha os trabalhos da Comissão Especial de Reparação.

    Ano passado, Dilma fez lobby e recebeu a medalha do Mérito da Ordem Militar – o que irritou oficiais da ativa e da reserva das Forças Armadas contra as quais a guerrilheira Estela (seu principal codinome) lutou nos tempos da guerrilha urbana. Agora, essa “reparação moral” à Dilma vai gerar novas polêmicas. Até porque Dilma será a mulher forte do novo governo Lula. Atual presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, Dilma será a responsável por tocar os projetos bilionários de “desenvolvimento que irão destravar o País”, prometidos pelo presidente reeleito.

    Os beneficiados

    A Comissão de Reparação do RJ apreciou 48 pedidos de reparação de militantes políticos que estiveram presos em dependências de órgãos do Governo do Estado do Rio de Janeiro entre a data do golpe militar, 1° abril de 1964, e a anistia, 28 de julho de 1979.

    A Comissão deferiu 19 processos, indeferiu 28, por falta de documentação cobrada dos requerentes e por estes não fornecida, e retirou um de pauta.

    A reunião foi presidida pelo Coordenador da Comissão, Gelson Campos, e contou com a participação dos representantes da ABI, Maurício Azêdo; do Grupo Tortura Nunca Mais, Elizabeth Silveira; da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção do Estado do Rio de Janeiro, Marcos Cilos; do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj), Sidnei Ferreira; da Secretaria de Estado de Ação Social, Rodrigo Pereira; e da Secretaria de Estado de Justiça, Francisco Campelo.

    Será que da silva pensa que o Brasil é uma S/A?
    Jamais um “Presidente” da república teve tão comunado com a mentira e agiu de maneira tão incoerente e coronelista.

    Acorda Brasil.
    Fora Dilma Guerrilheira

  4. FABIO. VAI AQUI UMA SUGESTÃO. COLOQUE EM SEU BLOG UM “POSTER” DO LULA JUNTO COM O SARNEY, O RENAN, O COLLOR E A DILMA. SÓ PARA VERMOS A REAÇÃO DO POVO BRASILEIRO.

  5. Perfeito.

    Após a brilhante vitória de Lulla, defendendo Sarney com seus amigos Collor e Renan Calheiros, agora está cheio de ti-ti-tis com o Jader Barbalho, ícone da corrupção e representante da mais asquerosa facção da classe exploradora.

    Fala petezada!!! Qual é a desculpa da hora?

    Fala PCB, PC do B e outros do antiquário!!! Cadê a foice e o martelo? Estão dentro da bolsinha Louis Vuitton?

Comente