Uncategorized

Caiu a participação do Paraná no PIB nacional

A participação da economia paranaense na soma das riquezas geradas no Brasil caiu de 6,4% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2003 para 5,8% no ano passado, mostra a matéria de Cristina Rios, publicada hoje no jornal Gazeta do Povo.

A redução proporcional foi causada por quedas nas safras agrícolas, falta de grandes investimentos industriais e avanço das economias do Norte e Nordestes do país.

Sete estados e o Distrito Federal concentram 78,7% da produção nacional – o Paraná tem a quinta maior economia. Um ponto porcentual do PIB equivale a R$ 28 bilhões.

5 Comentários

  1. Certamente o culpado é o Lerner. Claro, lá no Iguaçu ninguém assume nada !
    Entre 1970 e 2002, conforme o IBGE e o próprio IPARDES, a economia paranense teve dois pontos negros: entre 1986/1990 ( Alvaro Dias ) e 1991/1994 ( Requião ). Esses dois pontos de letargia econômica ( se isso for possível ) foram provocados pelo Lerner que assumiria o Governo em 1995. Haja Lerner !!!!!
    Já dizia o profeta de alcova do passado: “doi mais no invejoso o sucesso alheio do que os seus próprios fracassos”. E “eles” não largam o osso. A incompetência é nossa que os elegemos.

  2. Com todo respeito a reporter, mas, isso é notícia bem velha, pra não dizer extremamente ultrapassada, datada, na melhor das hipóteses, de dezembro do ano passado, quando o IBGE divulgou a pesquisa das Contas Regionais 2006.

    Mas, fazendo algumas considerações pertinentes, e deixando de lado o ufanismo, o governo superestima o PIB do Paraná. Como diz na reportagem, acham que cresceu 5,8% ano passado. Provavelmente tá errado, visto que a estimativa é feita pelo IPARDES, que, assim como o IPEA virou o braço estatístico do PT e de LULA, o IPARDES virou o braço estatístico do Requião, servindo aos interesses deste para produzir informaçoes que ajudem a provar que o Paraná está “no rumo certo” (o que não é difícil, visto que a audiencia não tem nenhum conhecimento estatístico então pode ser facilmente tapeada por dados interpretados do modo “correto”).

    Fato é que o IPARDES nos últimos anos sempre superestimou o desempenho da economia paranaense, fazendo projeções positivas demais que na hora que o IBGE divulga os dados oficiais acabam não se confirmando. E fato também é, que com a infraestrutura do estado cada vez mais arruinada (o sistema de transporte que o diga estradas destruídas e portos assoreados), com as frequentes brigas do governo com algumas grandes empresas, com os aumentos de impostos, com a falência financeira do estado do Paraná (que não tem mais dinheiro pra nada), e com o desenvolvimento superior de outras partes do país em relação a nós, fato é, que a economia do Paraná tá crescendo em ritmo muito lento, tomando uma SOVA dos outros estados.

    O resumo da ópera é claro e conciso: Requião destruiu a economia do Paraná. Destruiu de um jeito que nem daqui vinte anos estaremos recuperados do baque. E pensar que votei nele sete anos atrás… se arrependimento doesse, nem uma dose cavalar de morfina me ajudava….

  3. Isto é a prova da mentira aplicada pelo nosso Napoleão durante estes sete anos. O Paraná não tinha o melhor índice de desenvolvimento do país, graças aos iluminados do governo Reiquião? Demora um pouco, mas os mentirosos acabam sendo desmascarados.

  4. Senhores, esse é o lado mais sombrio do desgoverno Roberto Requião. Li a reportagem e não concordo com ela. Os “especialistas” apontam a concentração da industria automotiva e de alimentos como responsável por esse lamentável feito. Na verdade esses caras querem esconder o sol com a peneira, levantando teses completamente descabidas e sem qualquer sentido. A industria automotiva tem batendo recordes de produção, fabricas trabalham em 2 e 3 turnos o tempo todo, levam esse trabalho para os seus fornecedores logo se eles não existissem a situação econômica seria muito pior. De maneira nenhuma eles sáo responsáveis por essa queda de participação do Paraná, mesmo porque é imposssível diminuir o PIB trabalhando, só mesmo esses “lunáticos especialistas” pra escreverem uma bobagem dessas. Essa analise vale também pra industria de alimentos, para a de eletroeletrônicos, para a metalurgica em geral..é inacreditável que não se tenha cosnciencia do real motivo dessa diminuição. O PIB por si só, não representa nada de significativo, mas mostra como está andando o estado sob vários pontos de vista: o da agricultura, ( nesse periodo tivemos quebra de safra e supersafra), industria ( não avançamos nada, pelo contrário retrocedemos), serviços ( apenas esforços localizados de prefeituras). No geral tá tudo muito ruim. A perda desse PIB de 12 bilhões ao ano (0,5% do PIB nacional) , valor que perdemos por não crescer o que o país cresceu, refleto no final, na população, sob a forma de menos empregos, menos serviços públicos pois a arrecadação foi menor. Pra terminar, o rombo deixado pelo senhor Requião a economia paranaense, visto que ele e equipe são os principais responsáveis por esse processo de encolhimento do PIB paranaense diante do nacional, é do tamanho do bolsa-familia nacional, já que esse programa assistencialista custa 1 Bilhão de reais ao mês logo 12 bilhoes ao ano..Parabéns Requião, vc motrou claramente como ruir o Paraná…

  5. Vigilante do Portão Responder

    Caiu a máscara do Requião, no governo da família Mello e Silva o Paraná patinou. Fruto dos desacertos, das brigas intermináveis, das quebras de contrato, da falsa briga contra os trangênicos, da incapacidade do governo de atrair investimentos, tanto privados quanto públicos, via transferências federais.

Comente