Uncategorized

Franklin Martins é condenado a indenizar Collor

franklinmartins_marcosarcoverde

A 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio condenou o atual ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social do governo Lula, o jornalista Franklin Martins (foto), o também jornalista Marcone Formiga e a editora Dom Quixote a pagarem R$ 50 mil de indenização ao ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL).

O colegiado decidiu reformar a sentença de 1º grau, que havia julgado improcedente o pedido de indenização devido a uma reportagem divulgada em julho de 2005. De acordo com a decisão, o político teve a honra e a imagem difamadas depois de ter sido chamado de corrupto, ladrão e “chefe de quadrilha” numa matéria publicada na revista “Brasília em Dia”.

O juiz de direito substituto e relator do processo, Renato Ricardo Barbosa, determinou que a revista publique, na íntegra, a decisão do TJ-RJ que reconheceu o dano moral, na mesma posição das páginas e com mesmo destaque dado à reportagem divulgada anteriormente.

Para Renato Barbosa, a matéria veiculada não se tratou da simples exposição dos fatos, mas de uma entrevista de cunho opinativo. Ele lembrou também que Collor foi absolvido das acusações que sofreu na esfera criminal.

3 Comentários

  1. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    Ele merece muito mais. Passou anos na Globo puxando o saco do Lula, com seus comentários fictícios, adulando o Lula, assim arrumou um Ministério, agora vai ter que pagar, justamente para Fernando Collor. E as entrevistas dele sempre foram opinativas.É um oportunista que usou a TV Globo para arrumar um emprego de Ministro, esses tipos que desmoralizam a imprensa, os jornalistas e a comunicação em geral.Basta, fora com eles.

  2. E o Collor disse certa feita – O tempo é senhor da razão.
    Hoje vê-se que têm fundamento – ja não se diferencia um petista de um collorido. Vade!………

  3. Não interessa quem é Collor.Interessa que é contra os interesses do PT, e isso basta para que Franklin Martins se encha de “fogo justiceiro” contra o político.
    Aliás, desde quando ele era comentarista na Globo Diogo Mainardi já avisava que o sujeito era “José Dirceu até a morte”. Custou dois processos contra Mainardi, que na época já provava que a mulher do jornalista e seu irmão tinham cargos em comissão no governo Lula.
    Logo depois, quem foi nomeado para o cargo de Ministro-Chefe da Secretaria de Comunicação de Lula? Rá!
    Conclui-se que, para Martins, criminoso é qualquer um que vá contra os interesses do PT, partido constituído só de santos.

Comente