Uncategorized

Oposição espera, desde 5 de agosto, informações prometidas pelo governo

rusch

O deputado Élio Rusch, do DEM, cobrou do líder do Governo as respostas a um requerimento apresentado em 5 de agosto que solicita dados sobre a dragagem do Canal da Galheta, em Paranaguá, pela empresa Somar, contratos e aditivos.

Naquele dia o requerimento não foi votado diante do compromisso do líder do Governo, Luiz Claudio Romanelli, de apresentar as informações em 15 dias.

Se passaram 50 dias e nada. O compromisso de Romanelli está registrado no Diário da Assembléia.

6 Comentários

  1. CONTRADIÇÕES:
    Quem são os DEMOS..para cobrar alguma coisa. O Presidente Nelson Justos é do DEMOCRATA -apoiou em 2006 e continua apoiando o Governador-.
    O Presidente da Assembléia com seu poder, se tiver interesse consegue arrancar estas informações em poucos dias.
    O Deputado Élio Rusch engana só os mal informados.

  2. Nelson Edison de Moura Rosa Responder

    E o Rossoni acredita!
    Em Romanelli… Reiquião…
    Deixa pra lá Rossoni…
    Ambos têm doutorado em PINOQUISMO, sim, esta SINDROME DE PINOQUISMO atingiu a todoas as áreas do DESGOVERNO REIQUIÃO…
    TVs laranja… DRAGAGEM DA GALHETA… SEGURANÇA PUBLICA…
    e AÍ DAQUELE QUE DENUNCIAR!

  3. a oposição do Paraná não passa de piada!! a cada arroto do coronel, baixa a cabeça e lambe as botas!!!!
    não fosse assim, muita coisa teria sido evitada e enquadrada!!!

  4. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    O povo também espera as informações prometidas pela Assembléia Legislativa, sobre a “TRANSPARÊNCIA”, com a relação de todos os funcionários,aposentados, efetivos com coincurso público e sem concurso, contratados, de Gabinetes e comissionados, ainda os nomes dos Procuradores aposentados com e sem registro na OAB e os da ativa com ou sem concurso público. A promessa é de mais de um ano. Não vêm agora, em véspera de eleições cobrar só do Governo, pois as eleições estão ai e querem se reeleger, sem cumprir as promessas. Opa, ainda tem o caso dos “Gafanhotos”. O povo vai cobrar no inicio do próximo ano.

Comente