Uncategorized

Pelo menos 120 mil participam da Parada da Diversidade

Albari Rosa/Gazeta do Povo

Albari Rosa/Gazeta do Povo

Gazeta do Povo, com informações de Jenifer Koppe

Cerca de 120 mil pessoas estão participando na tarde deste domingo (27) da Parada da Diversidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) em Curitiba.

A estimativa é da Associação Paranaense da Parada da Diversidade (APPAD), que organiza o evento. Não foram relatados incidentes com relação a segurança até as 17h30.

O trânsito ficou complicado nos arredores da Avenida Cândido de Abreu, no Centro Cívico, no fim da tarde, mas viaturas da Diretoria de Trânsito da capital paranaense (Diretran) organizam o fluxo no local.

A chuva que caiu em Curitiba no meio da tarde não teria atrapalhado em nada o evento, segundo Márcio Marins, presidente da APPAD e coordenador do evento. O único problema, de acordo com ele, foi a falta da Polícia Militar, que não teria acompanhado o evento. “Mas felizmente o clima aqui é de alegria e muita paz e não temos notícia de incidentes até o momento”, diz.
A concentração para a passeata teve início às 13h na Praça 19 de Dezembro (Praça do Homem Nu). Com meia hora de atraso em relação ao horário previsto, às 15h30 os participantes saíram pela Avenida Cândido de Abreu em direção à Praça Nossa Senhora Salete, onde um palco foi montado para receber três shows. Seis trios elétricos animaram a festa, que deve continuar com as apresentações até as 22h.

Esta é a 12ª edição do evento na capital paranaense e este ano o tema é “Seus direitos, nossos direitos, direitos humanos – Pelo Fim da Violência e da Impunidade”. Além da diversão, um dos objetivos da parada é combater a homofobia. Segundo os organizadores do evento, somente no primeiro semestre deste ano, 18 homossexuais foram assassinados no Paraná e a maioria dos casos permanece sem esclarecimento.

8 Comentários

  1. Tinham políticos SIM:

    Professora Josete, defensora dos direitos da cidadania e da Associação que Organiza a Parada…

    Mas infelizmente, o projeto que a tornava utilidade pública foi barrado pela maioria do prefeito na Câmara… principalmente pelos religiosos.

    Deputados pertencentes a esse mesmo grupo de políticas religiosas ultrapassadas, são os que não querem que seja crime a discriminação contra homossexuais… luta que o Dr Rosinha defende na Assembléia… ele também estava presente.

  2. Quanto a realização de passeata, acho louvavel qualquer manifestação a diversidade cultural, porem isto é ridiculo, levando em conta os problemas que enfrentamos na atualidade, isto não é cultura é sacanagem.

  3. Meu Deus,onde estamos? Não há o que comentar,apenas o que lamentar e fica a pergunta.Aonde isso vai chegar?

  4. maria fuxiqueira curitibana Responder

    ´é curitiba é gay,anormal é ser careta,ignorante e atrasado viva os gays de curitiba estou com eles e não abro,quem não gosta que se mude daqui curitiba já é uma cidade gay ,alegre,verde,topete,leite quente,tudo verde,viva os gays.

Comente