Uncategorized

Lula pega pesado e chama Serra de jogador reserva

lula_la

Ontem, Lula partiu para a ignorância. No último dia da viagem de vistoria das obras de integração do Rio São Francisco, ele aumentou a carga contra a oposição. Comparou os desafetos tucanos do governo a um jogador “reserva”.

Pegou pesado o presidente. Disse que a oposição “é como jogador que está no banco de reserva, diz que é amigo do que está jogando, mas fica doidinho para o que está jogando tomar cartão vermelho ou se machucar para entrar no lugar dele. O papel da oposição é ver defeito”, disse Lula em discurso no município de Cabrobó, em Pernambuco.

A crítica veio um dia após uma troca de declarações com o governador de São Paulo, José Serra, sobre os projetos de irrigação do governo federal para a região Nordeste.

Serra, que é um dos pré-candidatos do PSDB à sucessão de Lula, tem viajado quase que semanalmente para a região. Lula, que tem a companhia no tour de sua candidata à sucessão e ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, ironizou a “preocupação” de Serra com o Nordeste.

O PSDB, por sua vez, ameaçou entrar com ação contra o governo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), alegando antecipação de campanha eleitoral.

Respondendo às críticas da oposição, o presi-dente afirmou que as pessoas reconhecerão a importân-cia da obra quando ela estiver pronta e a população sentir o efeito da mudança.

“Não estamos tirando água de ninguém, não era justo a gente deixar essa quantidade imensa de água ir para o mar e não tirar um pouquinho dela para levar ao semiárido para 12 milhões de nordestinos que vivem em uma situação extremamente difícil”, disse ao defender o projeto.

Lula lembrou que evitou fazer promessas sobre a integração do Rio São Francisco antes de se eleger. Ele reafirmou que candidatos “duas caras” diziam ser contra ou a favor das obras de acordo com a posição dos governos dos estados por onde o rio passa.

32 Comentários

  1. Geraldo Medeiros Responder

    Boa a imagem do presidente… É isso aí mesmo, quem está no banco quer entrar no jogo, e espera que o juiz -o eleitor- dê cartão vermelho a quem não joga bem.

    Se ele não confundiu eleitor com torcida, mas tem ciência que o eleito é ou pode ser o juiz, concordo.

    Resta combinar com o eleitor para que ele seja efetivamente o juiz.

  2. Geraldo Medeiros Responder

    onde se lê “Se ele não confundiu eleitor com torcida, mas tem ciência que o eleito é ou pode ser o juiz, concordo.”

    leia-se “Se ele não confundiu eleitor com torcida, mas tem ciência que o eleitor é ou pode ser o juiz, concordo.”

  3. Muito justa a reclamação dele, né? Afinal, quando na oposição, o PT só fazia críticas construtivas, não era adepto do “quanto pior, melhor”, nada…

  4. Rodrigo Lunardon Responder

    Então o “sábio” Lula fez crítica a si mesmo, pois fora oposição durante muitos e muitos anos…
    OBS: Fábio, o texto está quebrado. Note os hífens no meio de algumas palavras.
    R. obrigado.

  5. Esta anta sabe bem, passou anos e mais anos sendo a oposição e em breve voltará a ser! Dizia que ia mudar o país e quem mudou foi ele e a cambada de corruPTos.
    Só o que não mudou foi o excesso de pinga diária! O ocorrido prova isso!!!!

  6. Para Lula, a oposição não tem o que fazer. “Olha, pobre da oposição que não tem o que fazer. Pobre. Eu acho que a ociosidade é uma das desgraças da humanidade. Bote um bando de homem junto, sem ter o que fazer, é a desgraça. Então, eles em vez de ficarem olhando o que eu estou fazendo, eles deveriam olhar o que eles estão fazendo. Seria mais fácil, deveriam lembrar do tempo que eles governaram, porque a gente não pode ficar, ficar fazendo a discussão em um nível menor.”

    FALOU!!!!!!

  7. EDUARDO TEIXEIRA Responder

    Vejam só o que o ignorante falou: Disse que a oposição “é como jogador que está no banco de reserva, diz que é amigo do que está jogando, mas fica doidinho para o que está jogando tomar cartão vermelho ou se machucar para entrar no lugar dele. O papel da oposição é ver defeito”,

    Ele fez isso a vida inteira, agora quer falar dos outros, ah sai pra lá, graças a DEUS, que está acabando o mandato desse cara, já não aguento mais olhar para a cara desse Lula e desse Requião.

  8. Quando o atual presidente Luiz Inácio Mula da Silva era oposição ele só via as coisas boas de seu antecessor. Nunca creiticou, nunca falou mal. Era um santo. Hoje, situação, o presidente Mula enche a garganta e pra variar solta sua berborragia rota e rouca. E quem usa a boca para fazer cacaca…

  9. Quando o atual presidente Luiz Inácio Mula da Silva era oposição ele só via as coisas “boas” de seu antecessor. Nunca criticou, nunca falou mal. Era um santo. Hoje, situação, o presimente Mula enche a garganta e pra variar solta sua verborragia rota e rouca. E usa a boca para fazer cacaca… Imagine o que não usa para falar…

  10. NÃO POSSO ACREDITAR Q. ESSE ANALFABETO, Q. SÓ VIA DEFEITOS NOS GOVERNOS ANTERIORES, POIS ESTAVA SEMPRE FÓRA, E TORCIA PRA QUE TODOS OS GOVERNOS SE DEIXA PRA LA, AGORA Ñ QUER Q. VIRE O JOGO, QUAL É DO SAPO BARBUDO, COMO DIZIA O BRIZOLA.

  11. A história ainda dirá o quanto foi perniciosa a presença do senhor Luiz Inácio da Silva, na presidência da república do Brasil.

  12. A TRANSPOSIÇÃO E A CATASTROFE AMBIENTAL

    A caatinga é o bioma predominante do semi-árido. É a biodiversidade existente sobre o ecossistema. A caatinga é pouquíssima estudada e conhecida. Foi tida, ao longo dos anos, como o bioma pobre e triste do Brasil; se construiu uma imagem de uma flora feia, garranchenta, espinhenta e retorcida. Não é nada disso. A caatinga, a mata branca, guarda uma biodiversidade maravilhosa, hoje estudada por biólogos, agrônomos e engenheiros florestais. Está se descobrindo um banco de vidas e uma história dessa vegetação extraordinária. A mata branca tem milhões de anos e há cerca de 12 mil enfrentou a mudança climática daquela região, adaptou-se e hoje vive vigorosa e firme em nossos sertões, sendo violentada brutalmente pelos modelos de desenvolvimento econômicos que a tinham e a tem como um problema. Por outro lado, abriga uma fauna, riquíssima e bela. Se compararmos a nossa caatinga com a maioria dos biomas mundiais, a classificaremos como um dos mais ricos.

    Antes da chamada Revolução Verde, má denominação dada ao processo de desenvolvimento da agricultura brasileira a partir de meados dos anos 60, tínhamos cerca de 88% de nosso sertão de caatinga preservada. Com a modernização dolorosa, usando o termo de Graziano, levada a cabo pela ditadura militar, a caatinga foi trucidada. Hoje temos menos de 28% desse bioma, que deve ser a base de toda estrutura produtiva que se imaginar ambientalmente louvável no semi-árido.

    O processo de modernização da agricultura do semi-árido levou a destruição ambiental e intensificou a concentração de terras e de rendas. O mais grave desse processo é a desertificação, ou seja, a destruição gradual dos solos. Estudos do programa de pós-graduação de engenharia agrícola da UFCG indicam que os solos do semi-árido hoje, em média, detém apenas 60% da fertilidade que detinham em meados dos anos 60. Calcula-se que, caso continuemos a explorar erradamente os solos do semi-árido, nos próximos 40 anos teremos desertos enormes, como em algumas áreas já se apresentam manchas.

    68% do semi-árido nordestino estão em grave ou muito grave processo de desertificação. Resultado desses equívocos. Já temos cinco núcleos de desertos, em Gilbués (PI), Seridó (PB e RN), Iraúçuba (CE), Cabrobó (PE) e em outro que não lembro agora. Se olharmos o mapa da desertificação no semi-árido, veremos que há uma grande faixa às margens do São Francisco, exatamente onde se pratica a irrigação. Isso porque apenas 3% das áreas nordestinas são passíveis de irrigação. Esse processo de desertificação é resultado de uma pratica econômica incompatível com o ecossistema e não verificar as especificidades do meio ambiente.

    Além disso, a caatinga estudada e bem trabalhada tem oferecido excelentes possibilidades econômicas e sociais e demonstrado grande potencialidade produtiva.

    O Relatório de Impacto Ambiental (Rima) sobre a transposição das águas do Rio São Francisco. De acordo com o documento, produzido a pedido do governo federal, dos 49 impactos ambientais previstos até agora, 33 são negativos.

    Isso significa que quase a maioria dos impactos ambientais apontados pelo Ibama serão negativos. E a maior parte deles foi classificada pelo Ibama como de grande intensidade.

    Impactos negativos da obra:

    1. Perda do emprego da população nas regiões desapropriadas e dos trabalhadores ao término das obras.

    2. Modificação nos ecossistemas dos rios da região receptora, alterando a população de plantas e animais aquáticos. A criação de ambientes aquáticos distintos dos existentes, a alteração dos volumes de água nos rios receptores promoverá uma seleção das espécies. Peixes e outros organismos aquáticos são importantes na reconstrução da história biogeográfica das bacias hidrográficas. A alteração dos ecossistemas pode impactar no conhecimento da história da região.

    3. Risco de redução da biodiversidade das comunidades biológicas aquáticas nativas nas bacias receptoras. A seleção entre as espécies exóticas e nativas das regiões receptoras pode impactar na redução de espécies nativas.

    4. Introdução de tensões e riscos sociais durante a fase de obra. No início das obras, prevê-se a perda de emprego e renda nas áreas rurais devido às desapropriações, a remoção da população das regiões onde passarão os canais, imigração para as cidades em busca de emprego nas obras. Ao término da obra, a dispensa de trabalhadores podem ser focos de conflito.

    5. A desapropriação das terras e o êxodo das regiões atingidas alterará o modo de vida e os laços comunitários de parentesco e compadrio, que são muito importantes para enfrentar as condições precárias de vida em muitas destas comunidades.

    6. Circulação de trabalhadores por terras indígenas de duas etnias: Truká e Pipipã, gerando interferências indesejáveis.

    7. Pressão na infra-estrutura urbana nas cidades que irão receber os trabalhadores, aumentando a demanda por moradia e serviços de saúde. O aumento do nível dos reservatórios pode provocar doenças relacionadas à água, como dengue e esquistossomose. O contato com os operários das obras podem aumentar os casos de doenças sexualmente transmissíveis.

    8. A região do projeto possui muitos sítios arqueológicos, colocando-os em risco de perda deste patrimônio devido às escavações, nas áreas a serem inundadas pelos reservatórios e no curso dos rios cujo volume será aumentado.

    9. Desmatamento de 430 hectares de terra com flora nativa e possível desaparecimento do habitat de animais terrestres habitantes destas regiões. As espécies da flora mais relevantes são Caatinga Arbórea e a Caatinga Arbustiva Densa.

    10. Introdução de espécies de peixe prejudiciais ao homem na região, como piranhas e pirambebas, que se alimentam de outros peixes e se reproduzem em água parada.

    11. A diminuição dos volumes dos açudes provocará a redução biodiversidade de peixes.

    12. Alguns rios não têm capacidade para receber o volume de água projetado, inundando os riachos paralelos.

    13. Aumento da recarga fluvial dos aqüíferos.

    14. Modificação no regime fluvial do Rio São Francisco.

    15. Redução da geração de energia elétrica no Rio São Francisco.

    16. Perda das receitas municipais que são pagos como compensação aos municípios onde se concentram as usinas hidrelétricas.

    17. Peixes e outros organismos aquáticos são importantes na reconstrução da história biogeográfica das bacias hidrográficas. A alteração dos ecossistemas pode impactar no conhecimento da história da região.

    18. Aumento das atividades de caça e diminuição da população de espécies cinergéticas devido ao desmatamento na fase de construção. Os animais ameaçados por estas atividades são os anfíbios, répteis, mamíferos e aves. Alguns destes animais encontram-se vulneráveis ou ameaçados de extinção regional, como o tatu-bola, a onça-pintada, o macaco-prego, tatuí, porco-do-mato e o tatu-de-rabo-mole.

    19. Diminuição da diversidade de fauna terrestre.

    20. Perda de terras apropriadas para agricultura.

    21. Instabilização das encostas no entorno dos corpos d´água.

    22. Geração ou incremento da erosão e carreamento de sedimentos durante a construção.

    23. Início ou aceleração dos processos de desertificação durante a operação do sistema.

    24. Alteração do comportamento hidrossedimentológico dos corpos d´água.

    25. Risco de eutrofização dos novos reservatórios.

    26. Risco de acidentes com a população durante a obra devido ao trânsito de máquinas e equipamentos.

    27. Aumento de emissão de poeira durante a construção e operação do sistema.

    28. Conflitos nas áreas de mineração pelas quais passarão as águas.

    29. Especulação imobiliária ao longo das várzeas por onde passarão os canais.

    30. Risco de acidentes com animais peçonhentos, sobretudo cobras.

    31. Aumento e/ou aparecimento de doenças: O aumento do nível dos reservatórios e das águas nos rios pode provocar doenças relacionadas à água, como dengue e esquistossomose. O contato com os operários das obras podem aumentar os casos de doenças sexualmente transmissíveis.

    32. Risco da proliferação de vetores: os canais, reservatórios e açudes são ambientes propícios ao hospedeiro da esquistossomose e vetores da dengue, malária e febre amarela.

    33. A propagação das doenças acima pode pressionar os serviços de saúde na região atingida.

  13. quando, finalmente, alguem coloca o Brasil numa curva ascendente, os ex detentores do poder ficam procurando chifre em cavalo e obras p/ apresentar!!
    tirando a doação da Vale, das telecomunicações e assassinatos, mais nada vem à nossa lembrança…assim só sobram os chifres nos cavalos.
    mas isso é obra de desespero e sabemos que muito mais virá! o nivel dos antigos poderosos é, reconhecidamente, baixo!
    mas tudo bem…[
    os cães ladram e a caravana passa!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  14. Nossa varias pessoas querendo criticar o melhor presidente que já tivemos nesse país, nunca tivemos um presidente com tanta moral la fora e respeitado por todos!

    Bom é Serra e o PSDB que em SP faz acordo com PCC…. esses são bons.

  15. Eduardo Teixeira, nem eu. Nem Lula, nem Requião, nem BETO RICHA. Ah, esqueci que do prefeito você não pode falar mal. kkkkkkkkkkkk

  16. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    O Luala da Silva, pensa que o povo brasileiro é analfabeto, não sabe reconhecer as coisas, acha que somos todos burros, não Lula da Silva, nós, viu eu disse nós, não disse “nóis”, temos Escolas, Faculdades em todo o país, isso há muitos anos. Seus ataques aos Governos passados que fez o povo brasileiro a cometer um grande equívoco. O Lula da Silva é quem ataca os outros, até o seu hoje grande amigo e companheiro José Sarney, também foi Presidente. O Lula da Silva ataca o Presidente Itamar Franco, que criou o Plano Real, para o Lula da Silva usar e abusar, ainda é atacado por ele. Agora que o Governador de São Paulo, José Serra está em primeiro lugar nas Pesquisas, ele vêm para atacar. Lula da Silva é tão ingrato que agora faz a defesa do povo do nordeste, onde ele abandonou e ataca os paulistas que lhe deu emprego até para seus familiares. É um mar de ingratidão. Mas com certeza ,no dia 1° janeiro de 2011 tudo vai acabar !

  17. ESTÁ EM CAMPANHA DE FORMA DESCARADA.

    SABE QUE A DILMA SOZINHA NÃO SOBE NO IBOPE, ENTÃO ELE VIRA CHEFE DE CAMPANHA DELA, COM A GRANA DOS PANACAS DOS BRASILEIROS, USANDO AVIÃO, MORDOMIAS ETC.

  18. Uai!!!
    O Lula, quando deputado Federal era o Rei das CPIs… Era denúncia em cima de denúncia e agora não gosta de oposição???
    Será que aprendeu com Reiquião ou ensinou ao Reiquião… Não interessa, os dois são mesmo uns tresloucados, arroubados arremedo de ditadores baratos.

  19. só não se esqueçam que o dito reserva as vezes é melhor do que muitos titulares,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,……………………………………………

  20. O melhor governo que já tivemos, é essa a verdade, diminiução de 73% da pobreza no país segundo a ONU. Alguém é contra?
    Só mesmo os que sempre entregaram o Brasil para os poderosos não gostam do Lula e seu governo!

  21. Senhores, falou Lula algo errado? Quem está no poder faz e disfaz. Não é assim? Agora, convenhamos, quem pode acreditar que algo possa melhorar com tucanos? Diga-nos, algo melhorou com os tucanos? Ou não houve dinâmica social? Aliás só FHC para explicar. Entendeu o Fabão?^}

  22. Infelizmente com o baixo nível dos polítcos no País (situação e oposição), dias mais lugubres e obscuros virão.
    Moçada, vamos acordar, são todos farinha do mesmo saco.

  23. Olá VIVA LULA!
    De fato um Governo com muitos avanços sociais…
    Bolsa Família, Bolsa Escola, Vale Gás…
    Cotas para isto, para aquilo…
    Mensalões,
    Mensalinhos,
    Dólares na cuéca…
    Enriquecimento ilícito?? Dizem que seu filho hoje é proprietário de uma patrimônio invejável! Como, com salário de r$ 1.700,00 ???
    E a distribuição de dinheiro para ONGs, SEM TERRAS… SEM TRABALHO…
    E OS ROMBOS NA PETROBRÁS….
    sEGURA A SUA Ó VAIVA LULA!
    Quando este governo deixar o Planalto, o que se deverá descobrir nos porões, a sujeira….
    Vai ser bonito de ver!!!

  24. Oh Serrinha!!!! Diz q nao ta afim de antecipar a discussão da sucessão e fica ae dando pitaco. Gaste seu tempo cuidando da educação de São Paulo por exemplo…… que ta o caos.

  25. louco pela brasil Responder

    tai mais uma vez ele lula enganando o povo nordestino ele sofrem com esse politicos vaabundos como os nosso no brasil em tem loucos que acreditom nesse povo bolsa escola e pra vagabundos da trabalho seu lula assim que si fais trabalhando que vamos chegar o topo e nao almentando inposto pra tratar dos sem terras e bolsa escola

Comente