Uncategorized

Morreu torcedor atleticano atropelado por torcedor do Coritiba

Da safra de horror e barbárie. Confirmada a morte do estudante de Direito e torcedor do Atlético João Henrique Mendes Xavier Vianna, 21 anos, atropelado por um torcedor do Coritiba quando voltava para casa depois do Atletiba.

Vianna foi um dos dois atleticanos atropelados na esquina das ruas Desembargador Westphalen e Engenheiros Rebouças, próxima à Arena, no domingo.

O atropelador é o estudante de Ad­­minis­tra­ção Krystopher Mar­­tins Salvador Lopes, 20 anos, torcedor do Coriti­ba, que voltava do jogo com cinco amigos torcedores em seu carro.

25 Comentários

  1. Tenho pena da família. Mas, torço profundamente que essa vida sirva de exemplo para que outros jovens pensem bem antes de sair de casa no Atletiba. A segurança é pessima, todos sabem disso, por isso cuidado senhores pais antes de deixarem seus filhos da rua. Todos sabem que é violento senão a políticia não estaria ali. Ir para a rua nesses dias, é pedir para morrer, infeliamente. Esses torcedores são todos uns vandalos, mesmo os que dizem que não o são, é só dizer uma coisa a mais, e como estão em grupo, se transformam de trabalhadores em vandolos. Sou de uma familia que adora futebol, são fanáticos, e se dizem só torcedores, mas quando o time começa a perder ja não reconheço meus irmão, porque de trabalhadores se tornam briguentos. É horrível. Em toda a história os fanatismo sempre é condenavel, e no futebol não é diferente.

  2. Vida ou morte?

    As diferentes manifestações criminosas desenvolvidas pelas “Torcidas Organizadas”, dentro dos estádios e nas circunvizinhanças, pelo país afora, atingiram um patamar tão significativo, que as autoridades, e o torcedor, este, a grande vítima dessas facções estão perplexos.
    Recentemente, após a morte de um torcedor em Belo Horizonte, no clássico Cruzeiro x Atlético/MG, o ministro do Esporte, Orlando Silva, afirmou que, se não forem adotadas ações contundentes no futebol brasileiro contra as “torcidas organizadas”, elas vão se transformar em guerrilhas, e quando se fala em guerrilha, fala-se em violência, e quando se fala de violência no Brasil, principalmente nos dias atuais, flerta-se com a morte.
    As organizadas com seu “modus operandi”, conseguem obter mais destaque na imprensa que os grandes jogos, os grandes craques e geram medo e pânico naqueles que frequentam os estádios. Observem no enfrentamento dessas facções entre si ou contra a polícia, antes, durante e após os jogos, que todos ostentam as camisas das equipes mais populares do país. E, no dia seguinte ao jogo, a crônica esportiva, ao invés de dar ênfase aos acontecimentos da partida, fica a dissertar sobre as diferentes formas criminosas de ação das organizadas.
    Quando do acontecido em Belo Horizonte, e de outras cenas trágicas que o futebol brasileiro já vivenciou, o ministro Orlando Silva, afirmou, que não existe outra opção a não ser a de nos grandes clássicos, termos torcida única, pois naturalmente a do mandante, e esta é radical: ele quer que a equipe não-mandante não tenha um torcedor sequer nas arquibancadas.
    Agora, com a estupidez perpetrada contra o jovem João Henrique Mendes Xavier Viana, 22 anos, no último domingo, após o clássico Atletiba, amplia-se a hipótese dessa tese ser confirmada, visto que a violência empregada pelas “ facções das organizadas”, já ultrapassou os limites, para transformar o futebol, como instrumento de “sangue”, e de morte.
    O assunto ganha relevo, pelo que estamos colocando-o à análise, não só das autoridades, mas principalmente da torcida no seu todo, rezando para que a massa ativa que comparece aos estádios tenha um tempo de reflexão e entenda, que a bola não é alvo de guerra, mas um veículo da paz. Apenas para trazer subsídios quanto ao tema que se discute, o clássico River Plate x Boca Juniors, atrai para os palcos futebolísticos torcida única e a experiência já tem demonstrado que se trata de política educacional, embora naturalmente com prejuízos financeiros aos clubes que vivem à mingua, quanto à existência de dinheiro em seus cofres, valendo-se dizer que no futuro isso será mais doloroso do que se possa imaginar. Mas é a saída, ou a única porta para evitar novas tragédias.
    Isso para não se dizer a quem possa interessar, que se de igual a torcida única não alimentar a violência, não está longe o dia em que todos os grandes jogos serão assistidos via eletrônica: pelos canais de TV e pela internet. Para finalmente, afirmar que, mais dias menos dias, “chega” no Congresso Nacional, Medida Provisória, com natureza legislativa para definitivamente atestar que nos grandes jogos só uma torcida vai assisti-los.
    É a forma exata de concluir que o torcedor violento perdeu a guerra e impediu que o bom torcedor continue a vivenciar o lado lúdico do futebol.
    Valdir Bicudo é Investigador da Polícia Civil (Curitiba)

  3. Aplicar a LEI!!!
    Nao tem nenhuma justificativa para um torcedors jogar o carro para cima do outro.
    Agora como sempre vai sair aquela conversa, que um grupo de pedestre torcedor cercaram o carro do motorista torcedor, que na defesa jogou o carro para cima dos pedestre…
    Vamos parar!!!
    A LEI, que este cara fique na cadeia um bom tempo!!!!!!!!!!!!
    Mario

  4. Marcos Calonga, voce é um IDIOTA! E para imbecil, só falta as penas. Como voce não as tem………………………………

  5. O JUSTIÇEIRO DO ARAGUAIA Responder

    CADEIA PRO MOTORISTA COXA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    ACHO BOM ELE REZAR PRA SER PRESO PORQUE SENÃO A FANATICOS ACABA COM ELE…… INFELIZMENTE O “ESPORTE” ESTÁ ASSIM…..

  6. A família do João Henrique faz parte, assim como eu, do Terreiro do Pai Maneco.
    Este texto é do professor da UFPR Sidney Oliveira, também umbandista do Terreiro do Pai Maneco e representa nosso sentimento por um mundo repleto de amor e paz.
    Obrigado,
    Rodrigo

    MANIFESTO PELA PAZ E PELA CIDADANIA

    Nós Umbandistas queremos um Brasil de paz. Que nossa constituição seja respeitada. Que a declaração dos Direitos Humanos seja respeitada. Que as leis sejam respeitadas e cumpridas. No ultimo domingo, foi atropelado um jovem de nome João Henrique Mendes Xavier Viana por que vestia a camisa de um time de futebol. Neste ano ocorreram casos semelhantes. Sem falar nos casos de homofobia, intolerância religiosa, preconceito étnico, repressão ideológica, desvalorização profissional, estética e artística. Sem, falar dos assaltos, roubos e do trafico de drogas e armas.

    Somos cidadãos que pagam seus impostos e cumprem suas obrigações. Amamos o Brasil, o Paraná e Curitiba e não permitiremos que tirem esse orgulho de nós. Não se pode aceitar que a violência, o preconceito e a intolerância triunfem. Nossa maior riqueza é nossa diversidade, nossa família e nosso amor e não vamos permitir que isso nos seja tomado.

    Queremos um estado que seja belo, fraterno e de uma convivência pacífica e democrática. Queremos um estado que seja organizado e desenvolvido para todos. Um estado que planeja seu amanhã sem descuidar das necessidades do presente. Queremos um Paraná e um Brasil de Oxalá.

    Queremos um estado vencedor e guerreiro por seus filhos e por seus ideais. Um estado que ensine a seus filhos o orgulho e a honra de ser brasileiro. Queremos um estado soberano e independente. Um Paraná e um Brasil de Ogum.

    Queremos um estado acolhedor e carinhoso com seus filhos e que lhes ensine a responsabilidade e a cidadania. Queremos um estado que cuide do seu mar e de seus habitantes e que seja digno de possuir esse litoral belo e imenso. Queremos um Paraná e um Brasil de Yemanjá.

    Queremos um estado que cuide de suas matas, de seus índios e de seus animais. Queremos um estado que preserve a natureza e ofereça uma educação de qualidade para todos e gere desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Um estado que cuide de suas escolas e universidades. Queremos um Paraná e um Brasil de Oxossi.

    Queremos um estado justo e ético. Um estado que respeite suas leis e as cumpra igualmente para todos. Queremos um estado seguro e firme em seus princípios, em suas ações e em suas metas. Um estado sem corrupção e sem impunidade. Queremos um Paraná e um Brasil de Xangô.

    Queremos um estado que respeite o meio ambiente, que cuide dos seus rios e cachoeiras, que cuide de seus filhos com responsabilidade, cidadania e devoção. Queremos um desenvolvimento sustentável que nos recoloque na natureza. Queremos um Paraná e um Brasil de Oxum.

    Queremos um estado alegre e feliz. Um estado bonito em sua riqueza e diversidade. Queremos um estado sem preconceito e sem intolerância. Queremos um estado que tenha coragem para resolver seus problemas e não tenha medo de enfrentar seus obstáculos. Queremos um Paraná e um Brasil de Iansã.

    Por isso pedimos aos nossos representantes, aos líderes, aos intelectuais e a todos os cidadãos de bem nesta cidade e neste estado que estejam conosco nessa luta. SOLICITAMOS AOS NOSSOS GOVERNANTES, LEGISLADORES E DEMAIS AUTORIDADES QUE TOMEM PROVIDENCIAS E COLOQUE NA ORDEM DE DISCUSSÃO a violência em nossa cidade e em nosso estado. O Paraná tem que cuidar dos seus filhos e dos que vivem nesta terra. Há uma resposta a ser dada a uma família e a todos os cidadãos de bem.

    TERREIRO DO PAI MANECO
    SOCIEDADE ESPIRITUALISTA EDMUNDO RODRIGUES FERRO
    (texto de Sidney Oliveira)

    Contatos:

    Estrada Nova de Colombo, 5487
    Santa Cândida
    Fone: 3356-7660

  7. O Bicudo tá certo. Ele, que foi um dos grandes árbitros de nosso futebol, conhece de dentro como funcionam essas torcidas organizadas. E como investigador certamente já viu muita coisa feia.
    Eu já fui repórter policial e também sou testemunha das barbaridades que esses sujeitos cometem, independentemente da facção clubística que dizem representar.
    Sinto saudades do tempo que eu ia ver o meu Coxa e levava minha irmã, meus priminhos etc.
    Hoje, se for vestido de verde e tiver, por exemplo, uma tirinha vermelha no boné, corro o risco de ser trucidado pela própria torcida.
    Aliás, um sujeito do Coxa queria me bater no último atletiba só porque afastei a bandeira que me impedia de ver o jogo.

    Quanto ao rapaz que morreu, eu lamento: estava no local errado, fazendo a coisa errada e infelizmente encontrou a morte.
    Sinceramente, eu lamento.

  8. O Pato Curitibano Responder

    O titulo deveria ser outro. “Morre um ser humano atropelado por um ser desumano”. Não acredito que torcedores, independente ao clube a que pertencem, aprovem uma atitude dessas. Se aprovarem seria o caso de fechar os estádios e mandar os jogos para o interior ou norte do Brasil para punir as torcidas. Mesmo assim, não resolveria o problema, pois ser civilizado independe de torcida, condição social, credo, etc… É somente um problema de educação e cumprimento das leis.

  9. Aqui temos um caso de um infeliz motorista chamado Brandalize, que embriagado tirou a vida (atropelando) um coitado de um cobrador de onibus. Sabe o que aconteceu com ele? Tá solto, e arriscando fazer novamente! Temos mais um caso famoso que também continua solto, e agora preprando o irmão para ser deputado.

  10. SERA QUE AGORA O MINISTERIO PUBLICO VAI TOMAR AGUMA PROVIDENCIA.PRIBINDO ESTES CRIMINOSOS. DE IR NOS ESTADIOS. SERA QUE ALGUEM VAI MATAR INOCENTE QUE ESTAO NOS COLETIVOS QUANDO ESTES CRIMINOSOS JOGAM PEDRAS PARA MATAR MESMO POIS SE PEGAR EM ALGUEM PODE MATAR, ESTA NA HORA DOS TIMES SER PENALISADOS POR AQUILO QUE ACONTECE FORA DOS ESTADIOS TAMBEM, PORQUE ELES NÃO BRIGAM MAS NOS ESTADIOS PARA QUE OS TIMES NÃO PERCAM O MANDO DOS PROXIMOS JOGOS, ESTA NA HORA DE REVER ISTO TEM QUE SER PENALISANDO PELO QUE ACONTECE FORA DOS ESTADIOS. SE NÃO VAI CONTINUAR ACONTECENDO VANDALISMO E MORTES PELAS AS RUAS DA CIDADE, FAZE ESTES TIMES DA CAPITAL IR JOGAR O MAIS LONGE POSIVEL DA CAPITAL ATE ESTES CRIMINOS TRASVESTIDOS DE TROCEDOR SEJA BANIDO DOS ESTADIOS,QUANTOS MAIS VAIS TER MORRER PARA O MINISTERIO PUBLICO E A POLICIA TOMAR ALGUMAS PROVIDENCIA. AQUELA FAIXA NO JOGO PASSADO É UMA PURA DEMAGOGIA NINGUEM CONTROLA ESTES CRIMINOS NEM A POLICIA. EU VI O COMANDANTE DA POLICIA MILITAR ENVIAR FOTOS E IMAGEM PARA ELES ISTO E UMA BRINCADEIRA, SE ESTE CRIMINOSOS VER VOCE FILMANDO OU FOTOGRAFANDO VOCE SERA MORTO PORQUE ELES TEM A CERTEZA QUE NADA VAI ACONTECER COM ELES ISTO E UM PERGO OBRIGADO

  11. Eduardo Andrade Responder

    É uma absurdo em pleno século 21 ouvirmos piadas sobre morte ou cidadãos que achem errado as pessoas saírem de casa!!! Que barbaridade. Tem os que culpam as torcidas organizadas, os que culpam a segurança, os que culpam a índole da coxarada, mas na verdade é questão é muito mais humana e cpmplexa do que se imagina. Onde impera a impunidade, reina a intolerância. O cidadão fez “boliche” em alta velocidade com seres humanos. Aonde vamos parar???

    Condelências à família

  12. ISSO É QUE É CHEGAR AO ÁPICE DO PRIMITIVISMO,,,,VOLTA Á IDADE DA ´PEDRA,,,,,QUANDO SE USAVA TACAPES PARA SE CONQUISTAR ALGO………….MORTE POR CAUSA DE FUTEBOL,,,,,,,,,,,,,UMA SIMPLES CAMISA COLOCADA POR CIMA DE UMA PESSOA;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;É OFIMMMMMMMMMMMMMMM

  13. Já foi tarde! Este é um exemplo de vandalo que se deu mal. E eu concordo com a laura do centro.

  14. ESTE ARTIGO ABAIXO QUE EU TRAGO DIZ QUE TODOS SÃO IGUAIS. QUAL A DIFERENÇA ENTRE ESTE MOTORISTA E O DEPUTADO QUE MATOU AQUELES RAPAZ , O DEPUTADO ESTAVA BEBADO, ESTE TAMBEM ESTAVA, O DEPUTADO É UM MOTORISTA SÓ NÃO PODIA DIRIGIR POIS ESTAVA COM ACARTEIRA CASADO, ESTE NÃO, PORQUE ESTE ESTA PRESO E O DUPUTADO NÃO, ESTA É A UNICA DIFERENÇA. ENTÃO PRENDA O DEPUTADO OU SOLTE ESTE MORORISTA, SE NÃO ESTE ARTIGO DA CONTITUIÇÃO PODE JOGAR NO LIXO POIS NÃO ESTA E NUNCA ESTEVE CORETA
    Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;

  15. Se não estou enganado eram 4 torcedores coxas num carro…..e vários atleticanos a pé. A pergunta é a seguinte: os torcedores atleticanos que estavam a pé iriam cumprimentar os torcedores coxas pela vitória?….. Perguntar não ofende, né…..

  16. Um menino responsável, voltando para casa a pé em meio a escolta policial, ou seja fazendo a coisa certa, o que um pai recomendaria.

    A vítima não estava fazendo vandalismo nenhum, não era este tipo de pessoa e não há qualquer testemunha que tenha visto isto. Já o assassino estava alcolizado e fazendo o que nas imediações do estadio do adversário, lá não estava tendo jogo, então é óbvio que estva indo provocar, fazer confusão! Estes são os fatos, não existe desculpa ou versão que justifique o injustificável.

  17. lulu seu idiota, o menino que morreu nao era vandalo, estava saindo do jogo e indo para sua casa, o idiota do assassino que tocou o carro em cima e estava embriagado, bebeu o juizo. Deus que ilumine a familia enlutada. E esse marginal assassino que apodreça na cadeia.

  18. Leipara os vandolos Responder

    Pedro Girardi
    Isso não é absurdo é a vida. Os dois loucos. Um louco de ir na torcida do outro louco. O outro louco de beber de beber e dirigir. (fanatismo no futebol, isso não deu certo nem no velho testamento) JUnta-se dois loucos, e não são, nenhum dos dois inocentes, e da o que deu. Um morreu, e o outro ficou vivo, quero ver como vai ser na prisão a vida desse burguesinho.

  19. PARA O EDUARDO ANDRADE
    Ao se referir à torcida do Coxa, seja educado.Por gentileza!

    Você sabe qual foi o contexto do trágico acontecimento?

    Procure informar-se.

    Saudações fraternas.

  20. Inocente não era Responder

    to de olho
    O menino não era inocente, ninguem era inocente no caso, os dois estavam num lugar de alta risco. O motorista empriagado sabia do risco que corria, assim como o que foi atropelado. Ninguem era inocente nessa historia, ambos eram maiores de idade, e ambos sabiam o que estavam fazendo. Estavam num lugar perigoso, cheio de polícia e num jogo do atletiba, onde tudo podia acontecer, senão a policia não estava ali altamente preparada. Assumiram o risco, ambos, e deu no que deu. Ninguem é marter nessa história, ambos são vandalos.

  21. Fabio Campana por favor Responder

    Fabio por favor use seu profissionalismo de bom jornalismo e não publique mensagens de ofensa a pessoas que aqui não etõa mais pra se defender …isso é extremamente cruel …por favor…comentários aqui colocados só fazem aumentar a rivalidade e o sofrimento da familia e de nada somam de bom!!

  22. Eduardo Andrade Responder

    Primeiramente, me desculpem pelo “coxarada”. Mas é que, como atleticano, estou cansado de ouvir ofensas por parte da torcida coxa-branca, inclusive racistas.
    Acho o cúmulo alguns IMBECIS, culparem o menino por “ter assumido o risco” ao ir ao estádio assistir o seu time jogar. Aonde estamos???? Acabou o esporte? Quem vai ai estádio é criminoso??? Perdoai, eles não sabem o que dizem!!!!
    A questão é de humanidade e não de times de futebol!!!

  23. Eduardo Andrade
    Assumiu o risco. Eu nunca deixo os meus filhos irem em jogo, torcem em casa.

  24. to de olho
    Primeiramente você esta defendendo uma pessoa ofendendo a outra, isso não é uma titude de uma pessoa honesta e trabalhadora. Em segundo lugar, este é um argumento de uma pessoa descontrolada (mais um vandalo torcedor), que não sabe discutir, e quando não aguenta mais parte para a baixaria do corpo a corpo. Em terceiro lugar, é necessário sim discutir esse caso porque uma vida foi ceifada. E de mais a mais, ao que tudo indica os dois envolvidos estavam errados, e ao que parece pode servir de lição para outros jovens de Curitiba, que vão pensar duas vezes antes de ir num jogo do atletiba, porque é muito violento. É melhor torcer em casa, no conforto do lar.

Comente