Uncategorized

Caixa Ecônomica Federal patrocinou a festa em homenagem a Toffoli

Banco público repassou R$ 40 mil para a comemoração da posse de José Antonio Toffoli no STF. A revelação foi do repórter da Folha, Frederico Vasconcelos. Confira:

n0111200901

Parte da festa oferecida em homenagem ao ministro José Antonio Dias Toffoli após a sua posse, no último dia 23, em Brasília, foi patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

A Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), que organizou a homenagem em parceria com outras entidades da magistratura, pediu R$ 50 mil à Caixa Econômica, a título de patrocínio para a festa. Questionado pela Folha, o banco confirma que, do valor pedido, repassou R$ 40 mil.

A comemoração, para 1.500 pessoas, aconteceu no Marina Hall, casa de eventos numa área de 5 mil metros quadrados às margens do lago Paranoá, ponto nobre da capital federal.

O juiz federal Luiz Cláudio Flores da Cunha, do 6º Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, pretende questionar no Tribunal de Contas da União e no Ministério Público Federal a legalidade do patrocínio da CEF à festa. Ele entende que a associação dos juízes federais foi usada para ocultar o repasse de um órgão público para cobrir gastos de uma festa. Quer saber se a despesa foi regular.

“Não posso concordar com a Ajufe transformada em laranja. Não veria problema se a Caixa Econômica desse dinheiro para um evento cultural da Ajufe. Não poderia haver patrocínio para esse tipo de encontro”, diz Flores da Cunha.

O juiz afirma não ter intenção de fragilizar a entidade, mas tornar a Justiça mais respeitada e transparente.

Ele foi procurado pela Folha depois do vazamento de e-mails em rede interna na internet. Em mensagem, o juiz chamava os diretores da Ajufe de “meros tesoureiros de “vaquinhas” que, se lícitas fossem, não se dariam desta forma”.

Cunha pediu informações sobre o montante gasto na festa e sobre se havia previsão estatutária após ler notícias de que a Ajufe contratara um buffet com pratos quentes, uísque, vinho e espumantes.

A resposta de um dirigente da entidade ao juiz revelou a participação da Caixa na festa para Toffoli. O juiz Vilian Bollmann, diretor da entidade, respondeu que a associação não usou recursos próprios, apenas viabilizou e centralizou a arrecadação das demais entidades, dentre elas o banco público.

Consultado pela Folha, o presidente da Ajufe, Fernando Mattos, enviou nota ao jornal em que não menciona o pedido encaminhado à CEF. Segundo informou, algumas entidades “fizeram repasse direto à Ajufe, outras fizeram o pagamento direto aos fornecedores, fato que desqualifica qualquer insinuação de uso da Ajufe como mera repassadora de recursos”.

E sugeriu: “Qualquer informação sobre a participação da CEF deve ser endereçada à própria instituição financeira”.

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Mozart Valadares, diz que a entidade participou com R$ 10 mil, “dinheiro de contribuições de associados, não público”.

O Marina Hall e um buffet fornecido pela empresa Sweet Cake foram contratados por Celina Valente Frossard, da Haia Solução em Eventos. O valor pago não foi divulgado.

Em agosto de 2008, a Folha revelou que o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (RJ) reuniu juízes em seminário em hotel no balneário de Búzios (RJ) com despesas pagas por empresas privadas. Como o tribunal não podia receber o dinheiro captado, a Ajufe atuou como intermediária das patrocinadoras e arcou com a maior parte dos gastos.

10 Comentários

  1. É! Caro jornalista Fábio Campana!

    Fazer o quê, diante de tudo isso?
    Há dias, escrevi uma carta ao presidente Lula, a quem sempre defendi, quer pelo voto,ou pela luta política estudantil. E, crédulo, pensei que o presidente me daria uma resposta positiva. Ou, ao menos, diria: “não dá”. Mas me diria alguma coisa…

    Na carta, pedia ao presidente da República, Lula – que começou na vida pública com enorme dificuldade, e obteve o apoio de milhares de pesssoas, como eu, para chegar à sua fantástica vitória -, apenas que ele intercedesse junto à Caixa Econômica Federal (CEF) para que aceitasse renegociar a dívida do empréstimo que a minha mãe fez, em 1999, para comprar o “sonho da casa própria”.

    A CEF se nega a renegociar com a minha mãe – que emprestou R$ 82 mil, em 1999, e já pagou, regiamente R$ 69 mil. Mas, no período, a minha mãe entrou com uma ação contra a CEF. A nossa casa foi inundada diversas vezes pelas águas da chuva e tivemos grandes prejuízos.

    Depois disso. minha mãe pediu apenas um acordo para manter a casa que ela comprou sozinha, sem a ajuda de ninguém, pagando com o próprio salário, mesmo tendo hoje mais de 60 anos.

    Mas a CEF quer que ela pague mais R$ 165 mil. Isto é um absurdo.

    Vejo em seu blog, Fábio, que é mais fácil patrocinar a festa do ministro Toffoli. Vejo que mais fácil é deixar a casa de minha mãe ir à leilão. Fazer o quê?!

    Apenas lamentar e rezar para que o presidente Lula reflita e volte a ser aquela pessoa fantástica que colocou o Brasil no contexto mundial, sob respeito, e que fazia com que nós, brasileiros, ficássemos estufados de orgulho.

    O resto são firulas políticas. A vida real é outra.
    Que falta faz o meu falecido pai.

    Forte abraço;

    João Carlos Guilherme Welte von Knüppeln Almeida
    Estudante de geologia da UFPR

  2. Caro Joao do comentario acima o culpado é voce que votou neste Rei da Malandragem Brasileiro adora Malaco…

  3. V.Lemainski-Cascavel Responder

    Não vejo nenhuma homenagem ao mecânico que salvou várias vidas no acidente aéreo com o avião da FAB, verdadeiro mártir, pois salvou os outros e não conseguiu salvar a si próprio. Entretanto, fazer festa com dinheiro público para um juíz medíocre em conhecimentos e nomeado por indicação política de um presidente comprometido com a justiça dá um tremendo comparecimento e ostentação. Será que devo rever os meus valores?

  4. Parreiras Rodrigues Responder

    O Almeida, futuro Reinhardt Maack: Acreditas em duendes? O Toffóli realmente não reúne as condições, as mínimas, para ocupar as funções para as quais foi guindado por obra e graça do irreconhecível Lula. E já assume corruptivamente. Para o caso da sua mãe, pergunto se você já constituiu um bom advogado para brigar com a CEF. Em Curitiba tem diversos. O meu, com sucesso, foi Ricardo Balestra. Me ligue: 9904-2712. Parreiras.

  5. Começou bem, mas também tem um excelente professor, trabalhou com o Zé Dirceu na Casa Civil….

  6. A República vem sendo disvirtuada em todos os escalões. Talvez esse regabofe tenha vindo para engordar o magro curriculum deste Ministro. Vamos mal e sabemos a razão. Todo apoio ao juiz federal Luiz Cláudio Flores da Cunha em questionar a legalidade deste indigesto regabofe. O que precisamos é de reações exemplares a todo este quadro de malversações.

  7. SYLVIO SEBASTIANI Responder

    Quantas familias sem recursos, sem emprego, que deixam de pagar uma ou mais prestações de suas casas financiadas pela Caixa que são executadas, e até perdem suas moradias, por míseras mensalidades de R$170,00 e a tal Caixa que diz ser do povo, gasta nosso dinheiro com festas de ricos, de donos do Poder!. Eta Brasil, brasileiro, terra de samba e pandeiro e de malandragens.

  8. chrystian sobania wowk Responder

    Simplesmente absurdo.

    Todos os passos que levaram o Min. Toffoli ao STF, a indicação precoce, a clara suspeição em assuntos ligados ao mensalão, PT e demais atos da república sndicalista.

    Ademais, o Min. Toffoli foi o preferido, relegando o grande Prof. Fachin que detêm enorme conhecimento jurídico para uma próxima nomeação.

    Não obstante, o Min. Toffoli passará 20 e poucos anos na Suprema Corte, sendo indevido tal tempo, visto a pouca experiência.

    Tem que ser revista as indicações do déspota “desesclarecido” que é nosso Guia, a quem foi comparado a Jesus pelo Fidel da Venezuela.

    Fora Lulla, fora PT, fora a toda esta república sindical que se tornou o nosso Brasil, aparelhando o estado, inchando a máquina pública e tornando o povo cético de melhora da economia com o pão do bolsa família (voto).

    Cordialmente,

    Chrystian Sobania Wowk

  9. João Carlos Guilherme Welte von Knüppeln Almeida
    Estudante de geologia da UFPR…
    Ainda bem que o PARREIRAS está dando o caminho…
    O pior é que não só existe este desmando no País… A petrobras enrolada… O Governo Federal enrrolado com os recursos destinados ao MST… O Senado federal atolado em falcatruas… A ASSEMBLÉIA lEGISLATIVA DO PARANÁ, PRATICAMENTE LOTADA DE LAMBE-BOTAS DE REIQUIÃO…
    Assim caminha a humanidade!
    E nós, povo… Que se exploda!!!!!
    E viva o PT… O partido mais idelista do munnnnndo….
    E viva o DESGOVERNO DE REIQUIÃO! O governo mais transparente do munnnnndo!

Comente