Uncategorized

Stress no Positivo

Do site da Ruth Bolognese

Quando a mesma reclamação se repete muito, é bom prestar atenção: vários alunos do curso de Publicidade da Faculdade Positivo ligaram pra reclamar do professor André Tezza, coordenador do curso, que anda provocando stress para marcar novas datas de provas neste final de semestre.

Nem mesmo a morte do pai de uma aluna foi motivo justo, na avaliação do mestre, para remarcar uma prova.

55 Comentários

  1. é bom a reitoria dar uma olhada nesse curso , tem professor cabulando aula , outros chegam muito atrasdos e naõ respeitam horários apesar de bem pagos , a semana passada alunos abandonaram a sala no curso noturno depois que o professor atrasou duas horas do horário marcado para o inicio da prova.

  2. Nossas universidades estão no caos que estão, nem mesmo a USP e Unicamp – de excelência reconhecida – escaparam de rebaixamento:cairam de posições que ostentavam em rankings internacionais notórios, neste ano.
    E o que se pode esperar de instituições que engatinham – como as nossas PUCPR, Tuiuti e Positivo?
    O caso dos alunos de Publicidade da Positivo ocorre dentro do esperado: em lugar de produção científica, de pesquisa acadêmica madura, de grandes embates visando a encaminhar o aluno para a vida profissional, criam-se barreiras burocráticas, autoritárias, as normas se sobrepondo aos valores humanos. O formal toma o lugar do essencial, ( qualidade) e tem-se esse quadro relatado por Ruth. Vocês esperavam algo diferente de universidades que em primeiro lugar estão voltadas para a “nata” ($)da sociedade?
    Exceções, registre-se, são, aqui, a UEL, de Londrina, a Estadual de Maringá e, agora, despontando as estaduais de Ponta Grossa e Unioeste.

  3. Assunto que provavelmente já está corrigido pelo competente prof.Oriovisto.
    Só uma mensagem,nem na época da ditadura militar tinham malas como este, sai fora Zé Mané.
    Alunos que dependem do Zé Mané escutem , um cara só não derruba um grupo,mas,um grupo derruba um cara como estes,é o que parece estar merecendo,uma instituição que cobra tão caro suas menslidades não pode deixar passar em branco,pau neste cara,pelo menos respeite o luto da aluna seu Zé Mané…

  4. Pelo que me contaram tem aluno que só esse ano, já “enterrou” todos os avós, muitos tios, tias, etc. Geralmente em época de prova.
    Só na UP que professor remarca prova.

  5. E o galdino, o que acha disso o nosso mestre?
    O prophechor galdino não vai querer se meter nesse abacaxi.
    Ele é vereador, não é deputado universal..
    Os alunos que se danem, não é mesmo?
    O Lula é que é o culpado.
    O galdino é apenas um prophechor.
    Um pobre (êta) vereador.

  6. bia, professora universtária Responder

    Olha, acho que temos que tomar muito cuidado com o que ouvimos dos alunos de hoje em dia! Existem muitos professores que se negam a dar aulas em faculdade particular por que os alunos os tratam como “empregados”. Os salários estão longe de ser bons pela carga de trabalho que dar aulas implica, e as instituições impõe ao professor uma dedicação que beira a exploração, sem a remuneração adequada! alunos ridicularizando professores em sala de aula, inventando mil e uma histórias e mais, acuando professores para pressionar por uma aprovação desmerecida, apenas por pagarem mensalidades. As instituições, pra não perderem alunos, impõe aos professores e coordenadores uma forma de ensino que facilite a vida desta geração que está acostumada a tudo no imediatismo da internet. Conheço o André e duvido das afirmações colocadas aqui. Certamente tem uma ótima explicação, e provavelmente está muito associada a forma como os alunos universitários encaram o ensino hoje em dia! Vai ver se na Federal os alunos mandam nas faculdades??!! Dei aulas em faculdades particulares e públicas, sei bem do que estou falando…
    a propósito, o comentário em relação a ele se tratar de um escroto, é descabido. Sequer deram chance de ele se explicar, ouviram boatos de alunos mimados e acreditaram logo de cara…lamentável que a opinião pública seja convencida tão facilmente a partir de boatos. Assim caminha a nação…

  7. de norte a sul do pais nota-se um movimento (organizado ou não) das universidades, todas mostrando sua veia democrática.

  8. Creio eu que essa situação seja assim pela falta de um centro academico representativo ou de fato ( que é o caso da maioria dos cursos) e da falta de um diretório estudantil, fazendo com que os alunos tenham que ficar a mercê dessa universidade despota! Na qual os alunos não tem direito algum…

  9. Só para constar que a frase que os alunos mais escutam de seu coordenador é a seguinte: “Desculpe, mas não posso fazer nada a respeito.”
    Já vi alunos reprovarem por situação semelhante.

  10. O Tezza está estragando o curso. No começo estava bom, mas agora é outro curso! Incrível… Os melhores professores estão saindo! E estão colocando umas matérias inúteis ao invés de matérias extremamente importantes como estatística.

  11. O problema não são os professores cabulando aula, ou qualquer coisa falada acima. O maior problema da Positivo – e razão pela qual ele não remarcou esta prova – é que o grupo positivo trata sua universidade como trata seu colégio. Sem perceber que é ensino superior e não médio.
    Professor obrigados a fazer provas em matérias onde isso sequer seria possível, inspetores nos corredores, sirenes de sinal como em colégios e por aí vai. O Professor André Tezza é extremamente competente e dedicado. Porém, mais uma vítima desta burocracia idiota de uma instituição que ainda não decidiu se é colégio ou universidade.

  12. E na onda vem a “Unicuritiba”…

    Ledo engano achar que eu tinha ingressado na saudosa Faculdade de Direito de Curitiba.

    Más instalações, acervo bibliográfico precário, professores ruins, falta de participação estudantil, discursos inflamados mas platônicos, monopólio na cantina, perseguição aos integrantes da Atlética que coordenam trotes,…

    Ainda bem que na carreira de advogado importa mais a dedicação e o talento do que a faculdade de formação.

  13. E adianto: nunca tive problemas com André Tezza. Muito pelo contrário. Sempre foi um dos professores mais compreensivo e companheiro que tive.

  14. Notícia irrelevanta, Fábio (e Rita). Atinge um universo tão restrito e tão exclusivo que poderia ser ignorada. Por favor, escreva mais sobre os equipamentos dos Bombeiros e outros órgãos que estão em uso nos lugares e funções errados. Esse assunto é de arrepiar, precisa ser divulgado e discutido antes dos resposnsáveis partirem para Braília.

    Obrigado.

  15. Aluno da POSITIVO Responder

    Olha,

    Sou aluno e também não concordo com muitas coisas que acontecem na UP,

    muitas falhas: tudo é pago (desde um pedido, declarações, tudo),

    as cantinas são uma máfia (praticamente todas do mesmo dono, um professor),

    não temos descontos para realizar eventos no Teatro Positivo nem no Expo,

    as câmeras filmadoras do curso estão todas quebradas (temos que pedir aos

    alunos de jornalismo para que emprestem os materiais em seus nomes), temos

    uma ouvidoria que não funciona… enfim, grandes falhas que atrapalham

    o curso.

    Mas o coordenador é um dos poucos docentes que é exigente e cumpre seu

    papel (às vezes até demais, chegando a ser grosseiro e ríspido, mas faz o seu

    papel).

    Acontece que, lá na Universidade Positivo, existem muitos filhos de pessoas

    influentes, que sempre tiveram suas vontades atendidas, mimados ao extremo.

    E que, quando encontram alguém que diz um NÃO, ficam brabinhos e revoltados.

    O Tezza é um dos únicos que cumpre seus deveres. Coloca material no Portal,

    notas, enfim, faz o que o Grande Deus Oriovisto Guimarães manda.

    Agora, alunos revoltados “montam” em cima dos professores.

    Esse ano, dois importantes e fundamentais professores de Publicidade sairão da

    UP.

    Uma, pediu pra sair porque não aguenta a falta de educação dos alunos.

    Felizmente, ela está saindo por vontade própria, e não porque foi demitida.

    Está na hora dos alunos pararem de se revoltar contra os mestres que exigem

    um mínimo de inteligência e se preocuparem com o restante do corpo docente,

    como por exemplo, para o que dá nota para as meninas que vão de decote,

    para os que bajulam as “estrelinhas” e pouco se importam com o restante dos

    alunos, para os que se preocupam em ouvir a opinião de gente de fora e

    “se lixam” para seus alunos…

  16. eu que achava que só na federal era assim. bom , pelo menos a gente não paga . HAHAAHA #upFAIL

  17. Que bom que tem mais gente percebendo isso. Muita gente do quarto ano já estava insatisfeita com o professor Tezza, pelo visto, tem muito mais gente por ai.

  18. Esse curso está virando uma palhaçada. E o pior é que nao tem com quem reclamar, pq com o Tezza nao adianta nada!

  19. As Universidades devem ser estatizadas! Viva a UFPR e sua qualidade de ensino, sem pensar apenas em lucro!

  20. O pagou passou é uma constante. Investigue-se também a orientação ideológica dos cursos de comunicação dessa instituição. Se voce não for comunista tá ferrado. Playboy comunista, saca? Também o reitor multimilionário hoje, é comunista – quem entende isso??

  21. Olha sinceramente, acho que podemos reclamar de muitas outras coisas MENOS do professor André Tezza. Percebam que a posição de coordenador do curso carrega consigo uma responsabilidade muito grande e determinadas decisões precisam mesmo ser muito bem pensadas e analisadas antes de entrar em vigor. Portanto, imagino eu que, se algumas provas precisam ser remarcadas ou alguma data do calendário ser reajustada algum motivo muito conveniente deve estar provocando isso.
    Lembrem-se que este ano tivemos um caso atípico de gripe no país e que devido a este imprevisto as universidades e escolas de todo o Brasil precisaram ficar sem aula para evitar o contágio entre alunos procurando o bem estar e saúde de cada cidadão o que provocou uma enorme confusão no calendário do ano letivo. Então espero que repensem bem sobre os comentários aqui mencionados. Será mesmo sem fundamento toda essa “reprogramação” ou algum aluninho mal acostumado resolveu dar pití e provocar toda essa discussão?
    Além disso deixo aqui registrado que o Professor André Tezza é um dos melhores professores que tivemos durante toda a gradução, uma pessoa MUITO responsável, inteligente e determinada que não nos passa apenas conhecimentos sobre a matéria que ministra mas sim uma grande lição de vida.
    Pensem bem, talvez vocês não estejam reconhecendo o que é ser um verdadeiro profissional.

  22. Cara professora Bia, eu sou irmã da aluna citada. E pode acreditar no que o seu tão querido amigo fez. Porque assim que ela falou com ele me ligou chorando, não por não ter conseguido marcar a prova, porque realmente perto do falecimento do nosso pai perder uma prova não é nada, mas pela falta de sensibilidade desse, que você diz conhecer. E outra coisa, eu estudo na federal e todos os meus professores remarcaram a prova sem pensar duas vezes. O comentário que chamou o seu protegido (desmerecidamente) de escroto é muito adequado.
    Cuidado com o que você defende.

  23. Olá Sr. M. tudo bom?
    Eu não sei de que quarto ano você se refere, mas o quarto ano que eu estudo não vejo pessoas insatisfeitas não. O que seria muitos? Uma meia duzia de alunos, mimados como diria a professora Bia, entre 120 que vão se formar?

    Aliás agradeço mais uma vez a todo o esforço dedicado por este GRANDE PROFESSOR.

  24. Acho que temos total direito de reclamar do Tezza, sim! Ultimamente ele está deixando a desejar.

  25. “Desculpe, mas não posso fazer nada a respeito.”

    Eu já ouvi.
    Acredito no que as meninas estão dizendo, passei pelos menos problemas quando tive um falecimento na família, alguns professores e professoras realmente não sabem ser compreensivos.

    Enquanto que nós, alunos, temos que concordar quando o professor sai no meio da aula para visitar a filha que nasceu ou quando a professora desiste de dar aula pq é aniversário de um ano do filho.

    Existem dois pesos e duas medidas, o que é uma vergonha. E ainda depois temos que ouvir do coordenador do curso que ele não pode fazer nada a respeito disso.

    VERGONHA!

  26. Realmente, como professor o André Tezza é muito bom mesmo. Manjo do conteúdo, é claro e didático. Já como coordenador do curso está mais perdido do que cego em tiroteio.

  27. Tenho vergonha de saber que isso aconteceu com essa aluna. Meu Deus, em que mundo estamos? Essa universidade está uma zona mesmo… ainda bem que estou dela! VERGONHA!!!!

  28. Concordo com a Aninha quando ela diz que o Tezza é um dos melhores professores que tivemos durante toda a graduação, se não for o melhor, e com o “Aluno da POSITIVO” quando menciona os deveres cumpridos pelo professor André. Ainda bem que temos mestres assim.
    Agora pensem comigo, assim como TODA universidade o aluno precisa no mínimo de um pouco de esforço pra conseguir alguma nota e mais do que isso, esforço pra chegar a ser alguém nessa vida, INDEPENDETE da posição/influência que os pais possuem. Ou alguém aqui acha bonito chegar a algum lugar às custas do esforço dos pais?
    Pensem que eles próprios servem como exemplo, se chegaram onde chegaram é porque batalharam pra isso e se você quer ser igual e ter uma vida tranquila como a que ele lhe proporciona, frescuras e birras não vão te levar até lá, não com as próprias pernas e caso você chegar até lá carregado, não esqueça que você vai precisar se manter sozinho e pra isso você vai ter que ter aprendido alguma coisa da profissão que você escolheu e ficar zoneando na faculdade não vai te ajudar muito com isso.
    Então sugiro que parem de reclamar e comecem a pensar melhor no que você tem feito e nas situações que o levaram a ir reclamar de alguma coisa pro André, será que você não podia resolver sozinho, será que alguém ainda precisa resolver seu problemas por você? Quantos anos você tem? Já está na faculdade será que ainda não é maduro o suficiente pra ouvir um não e ficar satisfeito com isso? Ou ainda, ouvir um não e pensar o por que desse maldito não?
    Não estacionem nas suas vontades, pensem, exercitem a mente talvez isso ajude a compreender melhor algumas coisas.

  29. Acho o Prof. André Tezza muito profissional e bem preparado.
    No entanto, me entristece saber que a Universidade que escolhi mudou muito. Matérias foram cortadas, o próprio trabalho de Conclusão de Curso foi encurtado, os professores tem menos horas de permanência e por aí vão os cortes. Quando o assunto é cortar custos o coordenador não tem voz.

    E aí Professor Oriovisto? Vamos nos transformar em um curso tecnico?

  30. Em primeiro lugar não estamos falando do PROFESSOR André Tezza e sim do coordenador do curso de publicidade e propaganda.
    Uma formação de um aluno, depende dele. Porém a universidade, uma vez paga, tem a obrigação de ajudar nessa formação.
    Só porque uma data esta marcada em um calendário de merda, não vai poder mudar a data NUNCA mais. A morte do pai de uma aluna, acho um motivo que poderia sim, remarcar uma data.
    A maior preocupaçao com este final de ano, são as datas das finais.
    16/12, 17/12, 18/12 , 3 dias de prova, sendo 4 provas por dia? Isso é ridículo, querem que os alunos peguem DP, assim darão mais lucro para Universidade.
    O coordenador do Curso, pretensamente uma pessoa coerente, inteligente, jamais poderia expor os alunos a essa situação. É simplesmente inacreditável que estejamos discutindo esse assunto em se falando de Universidade Positivo. É uma total falta de visão, percepçao e principalmente respeito aos alunos. Estamos sendo tratados como gado. Vem para ca, vai para la.
    Obrigado pela ateção.

  31. Tezza querido, espero que nao perca ninguem da sua familia, pois nao iremos concordar com sua ausencia na faculdade. Se bem que é meio inutil sua presenca aqui. Beijos

  32. Futura Resposta de Tezza ao ler a notícia:
    “Lamento não poder fazer nada, Abraços Tezza”

  33. Toda essa discussão por uma situação que só está sendo vista por parte da aluna que começou essa PALHAÇADA. Se ela foi conversar na terça, poderia ter ido fazer a inscrição para a segunda chamada( o prazo era até quarta) e realizar a prova, sem problemas.

    Discussões sobre o André Tezza aqui, são fora de contexto, pois o papel dele como coordenador é seguir regras. E ninguém fica sem fazer a prova, basta fazer a segunda chamada.

    E somente uma observação, creio que uma faculdade e um curso são bons quando vão além da obrigação de professores, ou seja, aulas boas são feitas por alunos que se interessem.

    Em vez de perderem o tempo escevendo aqui palavras inúteis, pensem realmente em o que estão fazendo para sua faculade valer a pena, pois boa parte dela é feita pelas suas atitudes como aluno.

  34. Marcelo Pissetti Responder

    Trata-se de uma formação capitalista, e não uma formação humana. E como em todo bom sistema capitalista, os ”erros de produção em série” tem que ser cortados. É assim nas três empresas do grupo!

  35. É a tal da burocracia, né? Tão mais importante do que ensinar, aliás ela é muito “valiosa” na Universidade Positivo.

  36. É a tal da burocracia, né? Tão mais importante do que ensinar, aliás ela é muito “valiosa” na Universidade Positivo.

  37. Ao sine qua non: querido futuro colega, se não te avisaram ainda, faço-o já…na carreira de advogado é 7 vezes pior do que na faculdade….espere o exame de ordem e verá….desejo, desde logo, muita sorte….

  38. Apenas mais um aluno Responder

    Realmente é um absurdo as datas das provas finais!!
    Quatro provas por dia, 50 minutos pra cada prova, na prova bimestral temos duas aulas para fazer uma prova. Tá fácil!!
    Porem os alunos não fazem nada a respeito, não se mobilizam para que algo mude, UM aluno reclamar de algo é tratado com maior descaso.
    A universidade esta mudando sim, professores estão saindo da universidade se queixando de que muita coisa mudou, e isso não esta acontecendo apenas no curso de publicidade.
    Algumas coisas nosso coordenador não tem mesmo o poder de dar pitaco, já outras é pura má vontade e desrespeito com os alunos.
    Para o senhor ALUNO DA UP, concordo que aulas boas são feitas por alunos que se interessem sim, mas isso, quando tem aula!
    Percebi que muitos professores do curso, tem o mesmo perfil da panelinha que é o mercado publicitário de Curitiba, recheado de gente mesquinha, onde ha anos profissionais reclamam do mercado e nada muda.Professores que não incentivam os alunos, que se acham estrelinhas e metem o pau no que os alunos fazem, porem nunca se viu nada feito por eles no mercado, mas não vem ao caso.
    Enquanto nós alunos continuarmos com esse bundamolismo, professores, coordenadores, vão continuar cagando em nossas cabeças.
    “Lamento não poder fazer nada”

  39. De tudo, mesmo do mal, tira-se uma lição. O episódio envolvenfo aluna do Positivo e o coordenador do Curso de Publicidade da Positivo pode servir de ponto de parida para uma nova maneira de relacionarem-se, alunos e professores. Infelizmente, com brigas e desencontros.

  40. Reclamem das coisas certas.

    A culpa aqui não é do coordenador Tezza, e sim da burocracia da Universidade Positivo. Me desculpem, mas esse tipo de atitude já nos fez perder alguns mestres, ou pior, fez com eles perdessem a vontade de ensinar para pessoas com a mente tão fechada.

    Sinto muito pelo pai das duas meninas, meu pesâmes. Mas cabe dizer aqui que essa reclamação deveria ir para a Instituição e não para um coordenador e professor.

    Espero que essa denúncia não traga consequências ruins para o curso, pois isso já axonteceu antes.

    Sejam justos.

  41. O André é, na verdade, um fraco. Ele tem recomendações superiores de não mudar as datas de provas e não contesta isso. Ao invez de ir atrás de melhorias pelo bem do curso e dos alunos ele apenas se submete às regras impostas pelos maiores do Universidade. Quem rege a instituição nos trata como crianças, a universidade mais parece um grande colégio, dessa forma, como vão amadurecer os alunos?
    Sem falar no Ricardo Pedrosa que é uma tremenda mentira, nunca vi alguém que ocupa o cargo que ele ocupa, ser tão desqualificado.

  42. O professor André é muito sensato. Sou aluno dele e não me recordo de ter tido este tipo de problema. Ou qualquer problema com ele, para ser sincero.

    Se algo assim acontece, a culpa provavelmente não é dele. Mas sim de uma instituição extremamente burocrática. E o papel dele como coordenador é seguir estas regras.

  43. Já fui aluna do Tezza nunca tive problemas com ele. Sempre valorizou e ajudou alunos esforçados e dedicados. Se o curso de PP da UP está com o prestígio no mercado com certeza e por causa dele.

  44. carlos henrique Responder

    André Chatezza,
    Escroto, fui aluno de publicidade e propaganda…ele é uma arrogante…..

  45. Amanda Kaltowski Responder

    Uma universidade não é feita só por professores. engraçado ler que a formação dos alunos é responsabilidade de um coordenador e não do próprio aluno.
    Infelizmente essa é a postura de muitos alunos da UP, independente do curso, assim como falar sem se identificar. que pena.
    Quanto as reclamações que andam repetindo muito (?), antes de antes de publicar alguma coisa sobre, acredito que seja interessante avaliar quem são as pessoas que estão reclamando e validar se isso reflete a opinião da maioria.
    O Tezza é um ótimo professor e um ótimo coordenador. Mesmo com tantas burocracias que a universidade impõe, é um dos unicos coordenadores que faz uma reuniao a cada bimestre com os alunos para ver o que podemos melhorar juntos no curso. mas é claro que essa parte foi esquecida ao postar a noticia.

  46. Fernando de Souza Chervinski Responder

    Acredito que muitos alunos estão totalmente equivocados nas reclamações. Desde minha entrada no curso de publicidade, percebi a diferença entre profissionalismo e assuntos pessoais dos professores. E disso todos temos que saber separar, tanto professores como alunos. O André sempre tenta ouvir cada aluno, mesmo com todos os problemas que ele tem que lidar, ele sempre arranja um tempo para conversar seja o assunto que for. Isso acho que nenhum aluno deveria ousar reclamar. E por favor, reclamar do corpo codente em si? Eu já falei para alguns professores e repito aqui, eu tenho orgulho e fico honrado de ter aprendido com alguns professores, que na verdade, eu considero amigos. Eu jamais imaginei, poder sair, participar de workchopps e festas nas quais os professores estariam junto como amigos e deixariam de lado, o lado formal da sala de aula. Aos alunos e demais, eu deixo claro, que tive alguns problemas, principalmente no último ano de faculdade. No qual na minha opnião eu tenha, talvez, sido injustiçado. Mas nenhum professor ou a coordenação deixou de me ouvir e tentar esclarecer os motivos do meu problema. (por mais que ainda não concorde e não ache justo as decisões tomadas). Mas isso não é motivo para falar tantas besteiras. E olha que meu problema talvez seja um dos mais revoltantes para um aluno que estava no último ano. Na minha opnião, os dois lados estão certos e errados ao mesmo tempo. Eu acredito que com um pouco mais de estudo e aprofundamento de assuntos, todo caso deveria ter uma exceção e compreensão de tudo. Acho que a voz do aluno deveria ser um pouco mais ouvida. Apesar de muitos alunos estar totalmente sem razão, muitos tem motivos que poderiam ter exceções. Também acho que a coordenação podia metar a cara em alguns assuntos específicos e não apenas levar em conta considerações gerais. Sou da seguinte opnião: Toda regra deve ser seguida, mas para toda regra há uma exceção. É nisso que alunos e professores tinham que lutar e entender. Cada assunto é cada assunto. Ninguém tá certo, mas ninguém tá errado. O que falta é um aprofudamento de cada caso, para ambos os lados saírem conformados. E ao André e os professores, erguam a cabeça, pois o corpo docente de publicidade da UP é um orgulho, tanto profissional como pessoal, para nós alunos. Como falei antes, tive professores, que na verdade são também amigos. E ofensas pessoais a vocês jamias devem ser levadas em conta. Alunos são alunos. Anônimos não são ninguém. O que conta é a opnião dos alunos.

Comente