Uncategorized

No Paraná, a eleição será plebiscitária, diz Requião

1412convencao requiao (boa6)

A eleição ao Governo do Paraná, em outubro de 2010, será
plebiscitária. A afirmação é do governador Roberto Requião (PMDB), ao
participar nesta segunda-feira (14) da convenção estadual do PMDB, no
bairro Santa Felicidade, em Curitiba.

“É uma eleição plebiscitária. Ou é o Pessutão (vice-governador Orlando Pessuti) ou tudo volta a ser o
que era: o caos, as negociatas, os acordos políticos em cima de favores. E nós sabemos exatamente o que isto significa”.

“Portanto, que a eleição da minha sucessão se transforme num
plebiscito”, conclamou Requião. “É um plebiscito. Ou é o velho MDB
de guerra capitaneado pelo Pessuti neste processo ou a volta daquela
desclassificação que nos incomodava e envergonhava com acordos terríveis
com multinacionais e o arrocho da pequena e média empresa paranaense e
brasileira”, disse Requião.

O governador do Paraná apontou as diferenças entre o Estado sob o comando
do PMDB e o ciclo anterior marcado pelo desemprego, miséria e corrupção.
“O PMDB é o partido do apoio à pequena empresa sem imposto, da
política de dar energia de graça para as famílias mais pobres, da tarifa
social da Sanepar. Mas nós estamos diante de uma situação absolutamente
plebiscitária e a escolha vai ser do eleitorado do Paraná. A nossa
obrigação é colocar as coisas com clareza. Orlando Pessuti ou tudo volta
como dantes ao cartel de Abrantes”, completou o governador.

GOVERNO SOCIAL – Requião informou que estava chegando à convenção,
direto de Campo Largo, onde inaugurou um hospital para atender crianças da
região metropolitana. “Um dos 42 hospitais que construímos, reformamos
e modificamos completamente. Nesse hospital de Campo Largo são 149
médicos e 649 funcionários para atendimento exclusivo de crianças”.

Requião lembrou que o Governo do Paraná investiu pesado em hospitais
regionalizados e na construção de 347 clínicas da mulher e da criança
espalhadas por todo o Paraná, entre outras ações, programas e obras.
“Os programas de estímulo a agricultura, o Trator Solidário, o Fundo de
Aval, o seguro para os plantadores de trigo garantido 100% pelo governo
federal e pelo Estado do Paraná na complementação de seu valor. A
revolução que tivemos e vamos continuar fazendo na educação”.

Requião indagou aos convencionais se valeu à pena o que foi feito nos
últimos sete anos no Paraná. “Tenho certeza que sim. É sem nenhuma
falsa modéstia e hipocrisia: um grande governo que inaugura hospitais,
acolhe a agricultura, cria planos de cargos e salários para professores e
funcionários das escolas. E pôde e pode manter as nossas estradas sem
pedágio numa situação que não existe igual no Brasil”, concluiu.

10 Comentários

  1. Bruneo Santana Reply

    Será que o caos que o governador se refere é tipo assim, caos no Porto de Paranaguá, sinalização noturna apagada, falta de dragagem, proibição para navegação noturna. Construir um terminal de alcool que não funciona com dinheiro público e entregar para a iniciativa privada explorar. Recusar dinheiro da Uniáo para ampliar o porto.

    Caos na segurança pública – extinguir módulos policiais, colocar soldados em fase de treinamento já para atuar na rua, investir cada vez menos com salários de policiais cada vez menores. Concentrar esfoços da secretaria na arrecadação e partilha de recursos advindos do jogo do bicho.

    Negociatas – restringir exportações no porto de pontal para provocar desinteresse de investidores e favorecer um grupo que pretendia comprar o terminal.

    Sanepar – Aumentar salário de diretores para 25 mil por mës e politizar a administração da empresa acomodando derrotados nas urnas. Expulsar sócios privados provocando passivo jurídico incalculável porém resolvendo a pendenga estranhamente com apenas uma das empresas, Vivendi

    Quebrar a Paranaprevidencia, primeiramente mudando as regras de administração do fundo, depois infiltrando políticos. para posteriormente investir o dinheiro dos pensionistas do estado em bancos falidos. Com certeza os donos desses bancos devem retribuir muito bem a gentileza.

    Brigar com o prefeito de Curitiba e bloquear recursos destinados a soluções urbanas, inclusive ao tränsito, que está uma maravilha, por sinal.

    Comprar a Usina de Araucária por 400 milhóes de dólares que viria de graça para o governo se náo tivesse o fator gardenal.

    E por aí segue a lista do caos e negociatas que atormentam o Paraná que o governador deve estar muuuito preocupado.

    Com certeza os paranaenses terão muito saudade desse terceiro capítulo negro da história do Estado.

  2. Roberto Carlos Reply

    Então Requião vcs vão dançar, POIS O PESSUTÃO NÃO TEM A MINIMA CONDIÇÃO DE SER GOVERNADOR POIS ESTÁ JUNTO COM VC QUE É UM MENTIROSO, QUE TÁ COM ESSE PAPINHO DE SER PRESIDENTE, VC SABE QUE JAMAIS IRÁ CONSEGUIR GANHAR, VCS NUCA VÃO QUERER FICAR SEM UM CARGO QUE DA PODER PARA VCS. POVO PARANAENSE AGUARDEM AS NEGOCIATAS DE 2010 E VEJAM OS VERDADEIROS MENTIROSOS.
    REQUIÂO SE VC E HOMEM JA QUE NÃO SOBE EM CAMINHÃO EM PASSEATA GAY, MAIS DEPENDE DOS VOTOS DELES,VAMOS VER SE VC VAI ATÉ O FIM COM ISSO E NÃO SAI CANDIDATO PARA SENADOR ,ESSE E UM DESAFIO QUE O POVO PARANAENSE QUER VER ACONTECER.

  3. GUARAPUAVA: DÍVIDA MILIONÁRIA Reply

    Roberto Requião e Fernando Ribas Carli vão ficar conhecidos como os políticos que deixaram uma dívida de R$ 14 milhões (por enquanto…) para o povo de Guarapuava.
    Requião vem a Guarapuava para participar de eventos de empresas, nada mais.
    Viria há duas semanas, a convite de Fernando Carli, para entregar um caminhão de bombeiros.
    O motivo torpe provocou reação na população e o “comício” do Carli/Requião foi cancelado.

    Mais uma do Coronel Carli: a empresa Pérola do Oeste ganhou a concessão do transporte coletivo por mais 15 anos em Guarapuava. O resultado foi publicado domingo passado. Ninguém ficou sabendo de nada. Tudo no mais completo silêncio.

    Detalhe: a presidente da Comissão de Licitação é filha da diretora do Departamento de Cultura do Município, que, por sua vez, é comadre do secretário municipal de Finanças, Leocádio Pupo.

    Ato contínuo, Leocádio Pupo, além de secretário, é compadre de Fernando Ribas Carli.

    No início do mandato anterior, Carli chegou a declarar que abriria licitação para mais de uma empresa.
    Na prática, o que se viu foi uma licitação sem qualquer divulgação, como era de se esperar, por ser um serviço público de grande relevância.

  4. “o caos, as negociatas, os acordos políticos em cima de favores. E nós sabemos exatamente o que isto significa” (Requião).
    Ô Rec, não duvido: você sabe exatamente o que isso significa, ô se sabe.
    Enquanto isso, apareceram mais umas dúzias de ônibus escolares na praça N.S. Salete, a serem entregues nos palanques políticos, como todos os outros.

  5. Quem tem telhado de vidro, não atira pedra no telhado do vizinho.
    Te cuida Pressutão….o REIquião vai te deixar na mão.

  6. CONVERSA PRA BOI DORMIR????? Reply

    Esta conversa do mandatario maior, e assunto pra boi dormir.
    Boi estes que votam, munidos de titulo de eleitor e cara de palhaço.
    O Presidente do IAP, com esta bandeira de ser candidato pelo PV, está praticando uma rapinagem com sua propaganda de ser candidato ao governo do estado.Usa seu capanga Henry Telles, pra cometer crimes contra a natureza e o bolso do contribuinte.
    Vamos colocar ordem no caos, chamemos este povo ao MP, para prestar conta de seu patrimonio.Ai podemos vestir o manto da seriedade.
    Pode ficar a vontade Requião

Comente