Uncategorized

PTB oficializa sábado apoio a Serra

Apoio já era esperado, mas até então pairavam dúvidas sobre uma adesão formal, dando o tempo de TV a Serra, por conta de dissidências nos estados e do apoio de importantes dirigentes do partido ao PT

Agência Estado

Sob o comando do ex-deputado Roberto Jefferson (RJ), autor das denúncias sobre a existência do mensalão em 2005 que abalaram o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PTB sacramenta, no sábado, o apoio formal a José Serra (PSDB) na disputa presidencial. O tucano discursará na convenção da sigla, em São Paulo.

Mesmo com o PTB na coalizão, contudo, sua rival do PT, Dilma Rousseff, ainda disporá de maior tempo na TV durante o horário eleitoral gratuito. O PT ainda alimenta esperanças de uma aliança formal com o PP, o que se tornou mais factível depois de descartada a inclusão do presidente da legenda, senador Francisco Dornelles (RJ), na chapa tucana como vice de Serra.

“A única certeza que temos é que eles não vão se coligar com o Serra”, disse o presidente do PT, José Eduardo Dutra. O PP termina até amanhã novo levantamento sobre preferências dos diretórios regionais na disputa.

Emissários de Dornelles fizeram chegar ao PT a informação de que o partido poderá não realizar uma convenção nacional, para evitar traumas. Mas a cúpula do PT acredita que, se for a voto, o apoio a Dilma é majoritário no PP. “A maioria do partido quer a aliança com Dilma. A tendência é fechar com o PT e deixarmos os estados livres”, afirmou o deputado Mário Negromonte (BA), ex-líder do PP na Câmara.

Sem surpresa

O apoio do PTB ao PSDB já era esperado, mas até então pairavam dúvidas sobre uma adesão formal, dando o tempo de TV a Serra, por conta de dissidências nos estados e do apoio de importantes dirigentes do partido ao PT. O PTB paulista tomará decisão sobre o apoio a Geraldo Alckmin (PSDB) no dia 26.

O PTB integrou a coalizão de Lula. O ex-deputado José Múcio Monteiro foi ministro das Relações Institucionais. Senadores candidatos a governos estaduais, Gim Argello (DF) e Fernando Collor (AL) vão apoiar a petista. As informações são do jornal O Estado de S.

13 Comentários

  1. barrichellopdt Acho que o vice do Serra vai ser o Roberto Jeferson do PTB, a militancia tucana deve estar muiiiiiito feliz, O Lula e a Dilma tambem.

  2. E agora?

    Alvaro Dias está com medo do caso Banestado finalmente pegar Serra

    Ao inquirir o ex-delegado Onézimo Souza, na Comissão de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso, na quinta-feira, o senador Alvaro Dias (PSDB/PR) quis saber, indiretamente, se o livro “Os porões da privataria” continha informações novas sobre a conta TUCANO descoberta no caso Banestado, que movimentou US$ 176,8 milhões, investigada pelo delegado federal Castilho.

    Para entender a pergunta do senador demo-tucano, é preciso lembrar desta notícia do jornal “Hora do Povo”, de 01 de julho de 2003:

    Banestado: PF descobre elo de Serra com conta secreta

    A Polícia Federal, através do delegado José Castilho Neto e do perito Renato Rodrigues Barbosa, entregou ao Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, um dossiê sobre as remessas ilegais de recursos para o exterior, através das chamadas contas CC-5, envolvendo nomes de políticos ligados ao governo FHC, entre eles o candidato derrotado à presidência da República, José Serra, o ex-diretor Internacional do Banco do Brasil, e caixa da campanha, Ricardo Sérgio de Oliveira e o também caixa de campanha tucana, Sérgio Motta.

    Segundo a revista “IstoÉ Dinheiro” desta semana, os documentos da PF que envolvem José Serra são extratos fornecidos pelo banco americano JP Morgan Chase aos investigadores brasileiros, obtidos mediante a quebra, naquele país, dos sigilos bancários dos envolvidos. José Serra aparece como autor de uma ordem de pagamento internacional no valor de US$ 15,6 mil que teria, por solicitação sua, saído da conta “Tucano” no JP Morgan e ido parar na conta 1050140210, da empresa Rabagi Limited, no Helm Bank de Miami. Essa operação, segundo a Polícia Federal, mostra que José Serra tinha poderes para movimentar a conta “Tucano”. Segundo o mapeamento feito pela Polícia Federal, essa conta movimentou US$ 176,8 milhões entre 1996 e 2000. Os recursos partiram de laranjas em Foz do Iguaçu e seguiram para a conta “Tucano” no JP Morgan, em Nova Iorque. A PF, que realizou um rastreamento internacional dos recursos e descobriu também o envolvimento de outros tucanos nas remessas, como Ricardo Sérgio de Oliveira e Sérgio Motta, pretende agora investigar se José Serra, além de movimentar a conta “Tucano”, era proprietário da empresa Rabagi Limited, que recebeu os recursos do JP Morgan.

    A Polícia Federal descobriu também que a conta “Tucano” em Nova Iorque teve uma movimentação suspeita no dia 30 de março de 1999, com a transferência de US$ 500 mil de sua sede nos EUA para outra conta, também batizada com o mesmo nome de “Tucano”, só que num banco Suíço, o Lugano. E o que intrigou os policiais da PF, neste caso, é que 24 horas depois, ou seja, em 31 de março, outros US$ 500 mil saíram da conta “Tucano” de Nova Iorque em direção à Suíça.

    As investigações sobre as remessas ilegais através das contas CC-5 começaram graças ao trabalho do promotor Celso Três que, segundo a “IstoÉ”, mapeou todas as contas CC-5 do Brasil. A ação da Polícia Federal, logo em seguida, permitiu chegar nas contas de altas figuras do governo tucano. Para obter as informações que ajudaram a esclarecer o caso, a PF pediu à justiça americana a quebra do sigilo bancário dessas contas. Com isso acabou chegando nas pessoas que fizeram as movimentações nessas contas. O JP Morgan recebia recursos enviados por laranjas sediados em Foz do Iguaçu. Segundo o delegado Castilho, todas as pessoas que movimentaram essas contas no exterior, como foi o caso de Serra e Ricardo Sérgio, deverão ser investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito.

  3. O PTB de Sao Jose dos Pinhais nao vai seguir essa orientacao e ja firmou apoio a Dilma Roussef.

  4. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    SR. OSSOBURRO

    óbvio que vocês esta triste pois, foi Jeferson que entregou a quadrilha do seu chefe Lula da Silva. Você deveria agradecer a este homem pois, muito embora, que todos os bandidos mensaleiros Petistas estejam soltos pois lula tomou o devido cuidadeo de acobertá-los, Jeferson mostrou ao pais a verdadeira faxe do PT. A face da mentira e da corrupção. Da mesma forma agiu a COMUNISTA DILMA a respeito dos dossiês contra José Serra na algegação de que não sabia de nada e tatas outras mentiras e falcatruas advindas da corja Petista.

    Sr. OSSOBURRO, Lula da Silva, graças a Deus não é mais candidato. A candidata é a quadrilheira Dilma de cuja ficha não preciso lhe falar. Na hora de fazer comparações, estas serão feitas entre Serra e Dilma, ai veremos quem é quem. Dilma nunca foi nada, além de uma sombra de Lula e não anda com suas própiias pernas.

    Cai na real OSSOBURRO, pense no futuro dos seus filhos e netos se os tiver pois, eles poderão no futur próximo pensar que estão residindo na Venezuela.

    José Serra nesta corja Petista.

  5. CORREÇÃO: jeferson não delatou o mensalão, ele e sua turma nos correios foram pegos com a boca no botija por aquele vídeo de recebimento de dinheiro, lembram? Fabio voce deveria se lembrar disto, pois, só depois, e depois mesmo é que o jerferson deu com a lingua no dente, confessando inclusive que participava da maracutai, assim, serra mais prde que ganha, acabou a pose, na coligação do psdb não tem ficha suja, tem sim, quercia e jeferson, os mais notórioas, mais tem mais, taniguchi, lerner e outros. acabou a pose, tucanos se aliam a rapinadores de verbas públicas.

  6. Não seria nada mal, eu prefiro votar no Roberto Jefferson do que na terrorista da Dilma. Pelo menos Jefferson foi homem suficiente (neste país quem confessa é tido como burro) para confirmar o mensalão envolvendo também o PT e deu nome aos bois, e os Ptistas protegeram até o fim os envolvidos. PT o partido protetor dos corruptos, isso é uma vergonha.

  7. Alvaro Dias está com medo do caso Banestado finalmente pegar Serra

    Ao inquirir o ex-delegado Onézimo Souza, na Comissão de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso, na quinta-feira, o senador Alvaro Dias (PSDB/PR) quis saber, indiretamente, se o livro “Os porões da privataria” continha informações novas sobre a conta TUCANO descoberta no caso Banestado, que movimentou US$ 176,8 milhões, investigada pelo delegado federal Castilho.

    Para entender a pergunta do senador demo-tucano, é preciso lembrar desta notícia do jornal “Hora do Povo”, de 01 de julho de 2003:

    Banestado: PF descobre elo de Serra com conta secreta

    A Polícia Federal, através do delegado José Castilho Neto e do perito Renato Rodrigues Barbosa, entregou ao Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, um dossiê sobre as remessas ilegais de recursos para o exterior, através das chamadas contas CC-5, envolvendo nomes de políticos ligados ao governo FHC, entre eles o candidato derrotado à presidência da República, José Serra, o ex-diretor Internacional do Banco do Brasil, e caixa da campanha, Ricardo Sérgio de Oliveira e o também caixa de campanha tucana, Sérgio Motta.

    Segundo a revista “IstoÉ Dinheiro” desta semana, os documentos da PF que envolvem José Serra são extratos fornecidos pelo banco americano JP Morgan Chase aos investigadores brasileiros, obtidos mediante a quebra, naquele país, dos sigilos bancários dos envolvidos. José Serra aparece como autor de uma ordem de pagamento internacional no valor de US$ 15,6 mil que teria, por solicitação sua, saído da conta “Tucano” no JP Morgan e ido parar na conta 1050140210, da empresa Rabagi Limited, no Helm Bank de Miami. Essa operação, segundo a Polícia Federal, mostra que José Serra tinha poderes para movimentar a conta “Tucano”. Segundo o mapeamento feito pela Polícia Federal, essa conta movimentou US$ 176,8 milhões entre 1996 e 2000. Os recursos partiram de laranjas em Foz do Iguaçu e seguiram para a conta “Tucano” no JP Morgan, em Nova Iorque. A PF, que realizou um rastreamento internacional dos recursos e descobriu também o envolvimento de outros tucanos nas remessas, como Ricardo Sérgio de Oliveira e Sérgio Motta, pretende agora investigar se José Serra, além de movimentar a conta “Tucano”, era proprietário da empresa Rabagi Limited, que recebeu os recursos do JP Morgan.

    A Polícia Federal descobriu também que a conta “Tucano” em Nova Iorque teve uma movimentação suspeita no dia 30 de março de 1999, com a transferência de US$ 500 mil de sua sede nos EUA para outra conta, também batizada com o mesmo nome de “Tucano”, só que num banco Suíço, o Lugano. E o que intrigou os policiais da PF, neste caso, é que 24 horas depois, ou seja, em 31 de março, outros US$ 500 mil saíram da conta “Tucano” de Nova Iorque em direção à Suíça.

    As investigações sobre as remessas ilegais através das contas CC-5 começaram graças ao trabalho do promotor Celso Três que, segundo a “IstoÉ”, mapeou todas as contas CC-5 do Brasil. A ação da Polícia Federal, logo em seguida, permitiu chegar nas contas de altas figuras do governo tucano. Para obter as informações que ajudaram a esclarecer o caso, a PF pediu à justiça americana a quebra do sigilo bancário dessas contas. Com isso acabou chegando nas pessoas que fizeram as movimentações nessas contas. O JP Morgan recebia recursos enviados por laranjas sediados em Foz do Iguaçu. Segundo o delegado Castilho, todas as pessoas que movimentaram essas contas no exterior, como foi o caso de Serra e Ricardo Sérgio, deverão ser investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito.

    A notícia foi veiculada também em revistas do PIG, como a Época e a IstoÉ.

  8. O Serra foi terrorista da AP junto com Gabeira, fazia parte da quadrilha que sequestrou o embaixador dos EUA na ditadura.

    Hoje ele faz parte da quadrilha que saqueou o patrimônio público nos tempos de FHC e acabou com o estado de SP.

    Fora Serra, terrorista imundo e quadrilheiro nojento, fora corja suja tucanalha!

  9. A NOTÍCIA:

    “o coordenador de campanha de José Serra foi apanhado pelo COAF com movimentações extraordinárias em sua conta corrente. E que está sendo alvo de um inquérito do MPF.”

Comente