Uncategorized

MST usa ideia da reforma agrária para ‘mudança socialista’, diz Serra


Do G1

Candidato do PSDB também criticou carga tributária: ‘É sideral’.

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, afirmou nesta quinta-feira (1º), durante sabatina da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) “usa a ideia” da reforma agrária para pregar “mudança socialista” no Brasil, e condenou o repasse de verbas públicas ao movimento.

“O que é o MST? O MST é um movimento que prega a reforma agrária para, na verdade, usar a ideia da reforma agrária para uma mudança de natureza revolucionária, socialista do Brasil. Não quero reprimir as pessoas que pensam assim. Elas têm plena liberdade para propor. Só sou contra que usem dinheiro do governo para isso. Aí não dá. Ao governo não compete dar dinheiro para movimentos de forma disfarçada”, criticou Serra.

O candidato do PSDB também criticou a “sideral” carga tributária brasileira, considerada por ele “a mais alta do mundo desenvolvido”. Ao citar países com carga mais elevada que a brasileira, Serra afirmou que em países como a Suécia, Dinamarca e Finlândia, onde “todo mundo já gastou o que tinha que gastar”, o índice de suicídios aumenta por conta da “monotonia da vida”.

“O Brasil tem a maior carga tributária do mundo em desenvolvimento. Não estou comparando com a Suécia, com a Dinamarca, com a Finlândia. São países com uma renda tão alta, que todo mundo já gastou o que tinha de gastar, né? Aumenta o índice de suicídio pela monotonia da vida. Naturalmente, tem uma carga tributária mais alta por conta das aposentadorias, enfim”, disse Serra.

Críticas à ausência de adversárias
Único a participar da sabatina da CNA, Serra criticou a ausência das candidatas Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV) no evento. Sem mencionar nomes, Serra afirmou que sua estratégia de campanha era de “transparência e da verdade” e que “outras estratégias” não seguiriam a mesma linha. “Estou aqui para debater e apresentar idéias. Os meus comunicadores não se opõem que eu debata, que eu vá a público. A nossa estratégia é da transparência e da verdade. Existem outras estratégias que não passam por aí”, afirmou Serra.

A CNA planejou realizar um debate entre Serra, Dilma e Marina, mas apenas o tucano confirmou presença. Dilma alegou problemas de agenda quando foi convidada, há um mês. Marina confirmou presença, mas cancelou sua participação, alegando desconhecer as perguntas que seriam feitas pelos agricultores. Diante da ausência das duas presidenciáveis, a entidade converteu o evento em uma espécie de sabatina com o candidato tucano. “Nós gostaríamos muito de fazer aqui um verdadeiro debate”, afirmou a presidente da CNA, Kátia Abreu, ao lamentar a ausência das candidatas.

A entidade entregou aos presidenciáveis o documento “O que esperamos do próximo presidente – A agropecuária brasileira pede passagem”, com as reivindicações do setor para os próximos quatro anos. Foi a partir desse conjunto de demandas que as questões foram encaminhadas a Serra. “Quero dizer que achei de muita qualidade o documento. É quase acadêmico”, afirmou Serra.

Ao ser anunciado no evento, com uma hora de atraso, Serra teve de enfrentar o imprevisto de um blecaute geral na sede da CNA. Convidados, jornalistas e o próprio presidenciável ficaram na completa escuridão por alguns instantes. O candidato a vice-presidente na chapa de Serra, deputado Indio da Costa (DEM-RJ) também estava no auditório no momento do corte de energia.

12 Comentários

  1. O SERRA COMEÇOU A BEBER LOGO CEDO?
    TÁ PERDENDO AS ESTRIBEIRAS NO COMEÇO DO JOGO???
    HUUUUMMM…RUIM, MUITO RUIM!!!!!!!!

  2. Serra está certo, esse país é uma vergonha. Mas com a imprensa toda comprada, com a Justiça dando multinhas de 5 mil para o Lula que descumpre as leis eleitorais diariamente. Que chega a chacotar os juízes pelo baixo valor, é dificil a oposição conseguir abrir a mente dos brasileiros anestesiados por tanta propaganda falsa e galhofeira.
    MST viajando pelo Brasil todo para invadir fazendas com dinheiro de nós otários que trabalhamos e pagamos impostos. É uma vergonha!
    No mês de junho Dilma e uma multidão de petistas estavam na europa passeando e gravando cenas com presidentes para o programa eleitoral a nossas custas. E diz que irá a Africa para ver a final da Copa se o Brasil chegar. Até quando nós Brasileiros continuaremos assim indiferentes?

  3. Geraldo (o original) Responder

    O “”Zé Pedágio Serra”” acha que pode tudo.
    -Indio quer Apito, se não der, Cacciolla vai comer . KKK

  4. Serra está certo. Os movimentos sociais são necessários, mas representam uma parcela de interesses antagônicos, não devem ser financiados pelo governo.

    Sobre a sabatina, o mais interessante foi a proposição de investimentos no desenvolvimento de trangênicos nacionais. Ora, não podemos deixar que a Monsanto monopolize essa tecnologia.

  5. Esta ai o Serra fazendo média com a elite brasileira – justo na confederação nacional de agricultura, que de agricultura so tem o nome – o que essa gente busca é o lucro com a exploração barata da terra, das nossas florestas, e da mão de obra, até escrava.

    Nao gosto do sarney, mas ele disse uma das frases mais sábias que já vi um político dizer sobre esse tema complexo. Foi no programa canl livre da Band, ano passado.

    ” Nos ja perdemos a guerra nas grandes cidades do Brasil. Estamos perto de perder a do campo também. E se isso acontecer, será o nosso fim”.

    Ele disse isso quando inssistsentemente quistionado pelos jornalistas da band, que desejavam arrancar dele a confirmação de que ele apoiava a criminalização do MST e outros movimentos sociais. Aliás, a família Saad é dona de dezenas de mega fazendas em São Paulo, por isso eles batem tanto no mst e qualquer movimento ligado a terra.

    É isso, tudo, no final, são interesses. E o Serra que vá se catar, esse discurso meloso dele não engana que tem um pingo de inteligência.
    É tudo pelo poder, pelo poder, e mais poder………..

  6. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    JOSÉ SERRA ESTA MAIS QUE CORRETO.

    A vitória do PT de Lula, nas eleições presidenciais, deu novo alento ao MST, porque, embora sejam, e se digam entidades distintas e separadas, PT e MST são dois organismos de um mesmo movimento, unidos pela mesma ideologia – o marxismo – visando o mesmo fim, a transformação do Brasil em nova e imensa Cuba, se necessário, fazendo dele, antes, uma nova Colômbia. Não foi à toa que Lula fez acordos com as FARC — guerrilha comunista e narco-traficante ligada a Fidel Castro — nos encontros do chamado Fórum Social São Paulo, realizados em Porto Alegre.

    Desde a instalação de Lula e Dona Marisa, tentando pegar pato, na Granja do Torto, e de Palocci e do ex-terrorista José Dirceu no Palácio do Planalto, as invasões do MST se têm multiplicado. E a cada invasão, novas conversações, novos diálogos, se instauram entre Ministros e invasores, que alimentam novas ousadias violadoras da lei e da ordem instituída.

    Sob as bênçãos da CNBB.

    Num desses diálogos entre Lula e os violadores da lei, o Presidente da República, um momento se despoliciando, meteu, na sua metalúrgica cabeça, o boné comunisticamene vermelho dos violadores da lei.

    Foi um escândalo para a Burguesia que “inocentemente” votara maciçamente em Lula, graças aos argumentos da Mídia liderada pela TV Marinho, aquela mesma que antes impingira ao Brasil o “genial e inocente” Collor.

    Como desculpa, depois, foi dito que, na cabeça de Lula, já haviam sido postos outros chapéus de várias e diferentes tendências políticas.

    Isso pode ser verdade, mas o chapéu que coube perfeitamente bem em sua presidencial cabeça, sem dúvida alguma, foi o do MST.

    O que escandalizou o pais, e quase o acordou.

    Pouco depois, Lula se fez fotografar tocando um pacífico violino, instrumento que evidentemente ele desconhece. E que não pode tocar, pois que lhe falta pelo menos um dedo para isso.

    Imediatamente o espírito jocoso do brasileiro viu, nessa foto, a imagem do governo petista: começou-se a dizer, com muita propriedade — não rural, claro — que Lula tocava violino do mesmo modo como tocava o governo: segurando com a “esquerda”, e tocando com a “direita”…

    Violino e Governo ele toca como pode…

    Afagados e aplaudidos pelo Governo petista, afagados e abençoados pela ala comunista da Pastoral da Terra da CNBB, os líderes petistas do MST, Stédiles, Raínhas, Mauros e quejandos, multiplicaram audaciosamente invasões e declarações.

    Recentemente Stédile — um comunista formado em sacristias gaúchas — declarou que a Reforma Agrária seria numa guerra de 23.000.000 de Sem Terra contra 27.000 proprietários. Ele não informou quantos milhões de dólares o MST recebe de mãos misteriosas, para fomentar a guerra civil no Brasil. Porque o que se assiste, em nosso pais, hoje, são os primeiros movimentos de uma guerra civil, no campo e nas cidades, ao estilo das FARC. Com benção episcopal, cocaína internacional, incentivo castrista e o marxismo da Teologia da Libertação. Mais a propaganda gratuita e favorável da mídia.

    Enquanto Lula caça patos no Granja do Torto…

    Tudo isso é tão certo que, ainda nestes dias, um jornalista insuspeito de ser direitista, Arnaldo Jabor, numa rádio-emissora bem conhecida por suas simpatias pelo petismo marxistóide, publicou uma crônica com frases muito verdadeiras e objetivas, mostrando o que visa o MST, e quem o protege e o atiça.

    Escreveu o jornalista Arnaldo Jabor:

    “Amigos e ouvintes: Até quando o governo do Lula vai continuar acreditando no MST? A cada concessão, a cada aumento de assentamento o MST pede mais coisa, mais, e sempre mais”.

    Isso é inteiramente verdadeiro.

    Pois em cada invasão, ainda que não obtenha a posse da propriedade invadida, só pelo fato de se fazer a invasão. o MST consegue:

    1) a afirmação implícita de que o direito de propriedade não deve ser respeitado;

    2) a propaganda da mídia, que corre, solícita, com holofotes e câmaras, a apresentar os invasores como vítimas heróicas dos abusos do capitalismo;

    3) a abertura de negociações com as autoridades governamentais — o famoso diálogo — no qual, os que não conseguiram a propriedade invadida, arrancam suavemente do governo financiamentos, auxílios, cestas básicas e outras regalias;

    4) e, por vezes, os invasores recebem até outros lotes, de mão beijada, lotes que vendem o quanto antes, sem pegarem na enxada. Afinal, o importante é ser sem terra. Para recomeçar a manobra.

    A seguir, Jabor mostrou, em sua crônica, como era esfarrapada a desculpa ensinada pelos mentores socialistas das invasões a um líder do MST, para diminuir o escândalo causado por uma frase politicamente bem imprudente que ele pronunciara:

    “Porque o MST que começou como um movimento bacana[?], legítimo [??], digno [???], sério [Sic????]; reivindicando terra para os pobres; caiu na mão de malucos e oportunistas; onde um dos líderes do MST declarou em discurso gravado “que brevemente haverá um milhão de sem terras nas beiras das estradas e, que assim será fácil tirar os fazendeiros a tapa de suas terras”.

    “Depois – como fez também o Stédile -, disse que não; que ele estava ajudando o Lula a fazer reforma agrária e, negou que tenha dito que disse; dizendo que falava por metáforas, uma figura de sintaxe, quase um requinte literário”.

    “Como metáfora?! Metáfora minha gente é poesia … “as estátuas das mulheres morrem de sede”, “ora direis ouvir estrelas” ; isto é metáfora ; agora vou “… tirar os fazendeiros a tapa de suas terras” é pau puro, é para valer, não tem nada de poesia”.

    Jabor mostrou, nos parágrafos seguintes de sua crônica, o que visa realmente MST:

    “Mesmo agora, ainda disse o oportunista, o comandante Stédile, que declarou outro dia, em gravação, que vai montar um exército de 23.000.000 de pobres para combater os 27.000 fazendeiros; e depois disse que também estava falando por metáforas, ou seja; não são poetas não; são um bando de mentirosos, de hipócritas, de provocadores”.

    “Estes comandantes do MST e, Sem Teto, etc; só acreditam numa coisa … no comunismo. Essa loucura mórbida e enterrada que só sobrevive em Cuba e na Coréia do Norte, que só no ano retrasado matou 2.000.000 de pessoas de fome. Esta gente louca quer usar a reforma agrária para criar um clima de insegurança, o que é claro, não vai criar socialismo nenhum, o que é impossível hoje em dia, mas pode conseguir a dupla tragédia: inviabilizar o governo social-democrata do Lula, destruir nossa credibilidade internacional e, fazer a nação se esboroar, cair em cima dos desgraçados que fingem amar e comandar. Não teremos nem democracia, nem revolução;(…) Se bobear, pode transformar o Brasil num ferro-velho, num grande aleijão político”.

    E, para concluir, Arnaldo Jabor teve a coragem de dizer de público, o que todos os que têm um pouco mais de informação e compreensão sabem: quem está por trás do MST — e do PT — é a ala comunista da CNBB, seguidora da já condenada Teologia da Libertação.

    Eis o que escreveu, e assinou, com coragem, Arnaldo Jabor (o negrito é nosso):

    “E pensar que tudo isto nasceu das intenções espirituais de Bispos bonzinhos que na Pastoral da Terra exercem suas bondades ingênuas estimulando estes comandantes a lutarem pela felicidade do povo. Estes Padres e Bispos não sabem nada de política, nem de Brasil e, assim provocam a criação de terríveis militantes como estes Sem Terra, Sem Teto, sem nada; tudo em nome de Deus e do amor aos pobres. Por isso eu digo: – Deus proteja os pobres de seus protetores”.

    (Arnaldo Jabor, artigo: “ATÉ QUANDO O GOVERNO PETISTA VAI CONTINUAR ACREDITANDO NO MST?”, lido na Rádio CBN em 06-08-2003).

    Restaria lembrar a esses Bispos “bonzinhos”, que incitam e abençoam o MST, que há dois mandamentos da Lei de Deus que eles fingem esquecer:

    “7o Mandamento: NÃO ROUBAR”

    e

    “10o Mandamento: NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS”

    Como Bispos podem fingir que não se lembram, ou que não sabem, os mandamentos da Lei de Deus?

    Não vamos dar mole nesta corja de safados, pau neles.

  7. Essa conversa da Katia Motoseera Abreu é pra inglês ver.
    ela teve na minha cidade e diise que o agronegócio nuna desmatou no país. Ela alem de tudo é mentirosa, sempre defendeu a direira reacionária do pais, ao invés de criticar os outros ela tem que prestar contas do dinheiro do governo que a CNA recebe. Não é a toa que essa mulher apoia o Zé Ladeira Serra. ele se completam.

  8. começou cedo o febeapa, e Serra para adequar o seu discurso a aliança que faz o seu partido com o DEM vide ARENA, PDS, PFL que sempre representaram o atraso, tanto no mundo rural quanto no mundo urbano, vivem ainda no século XIX, o candidato Serra não precisa usar do discurso padrão de ataque aos movimentos sociais, para agradar a fina flor do conservadorismo , não entre neste jogo, porque muitas vezes ganhar não siginifica ter as melhores propostas, e outras vezes perder não significa não ter as melhores propostas, muitas e muitas vezes o discurso do agrado substitui a postura ética, ideológica, começou muito mal o candidato Serra…………….

  9. O que me entristece em todo político, é que eles confundem ouvido com pinico. E tem certeza que não temos memória. No poder se esquecem do que prometeram, na oposição propõe o que não fizeram quando no poder. Em ano de eleição só se fala de reforma tributária. E fica nisto. Sempre. ACarlos

Comente