Uncategorized

Travesti indignado com
o preconceito eleitoral

Do Abraão Benício no Bem Paraná

O travesti Andrielly Vogue (PT) não se conforma em ficar de fora da disputa por cadeira na Assembleia nas eleições de outubro e afirma que foi barrada pelo próprio partido por discriminação.

A petista acredita que deveria ter sido incluída na cota (30%) de candidatas, mas sendo registrada com seu nome de batismo, José Adriano Elias. “Considero, porém, que houve equívoco na não aprovação de minha candidatura, pois o Partido a homologou por meu nome civil, José Adriano Elias, ao invés do nome social Andrielly Vogue, pelo qual sou conhecida há 17 anos”, alega Andrielly Vogue.

O partido nega que houve discriminação e afirma que o critério para a escolha dos candidatos foi a regionalidade e o potencial de votos.

Andrielly tem visitado as redações dos jornais em busca de apoio.

6 Comentários

  1. Austragésilo Penaforte Reply

    O problema então, fica por conta do nome “social”. Levando-se em consideração que as pessoas comuns, com apenas um nome, já enfrentam muitos problemas no seu cotidiano, o que esperar de outras que agregam o tal nome social?
    O que aconteceu foi, na verdade, relaxo, descuido, tanto do candidato(a) e também da sigla partidária, se é que esta, no fundo, no fundo, estava interessada em ceder a vaga a José Adriano, digo Andryelle.
    Já por sua vez, José Adriano Andryelle também errou, pois devia ter esquecido um pouco às plumas e paetês e acompanhado passo a passo a sua inscrição, conferindo, meticulosamente, até a entrada da lista no TRE.
    Aliás, nome fantasia, social ou apelido, o Brasil já teve de tudo. E, muitos deles, apenas para achincalhar a política nacional e os politiqueiros de plantão.

  2. NEM SEU PARTIDO., PT ACEITA COMO CANDIDADA,VAI DE BETO RICHA. DISCRIMINAÇAO NAO É CRIME?

  3. Nenhuma novidade. Esse partido é incoerente com seu discurso, preocupados apenas consigo mesmo, nem que para isso tenha que abraçar o inferno. Osmar que odiava Requião que Odiava O PT , a Gleise e o Ministro Paulo Bernardo, que combatia Osmar, durante quatro anos se engalfinharam em acusações. Cresce um movimento de descontentes em todos os segmentos tanto de afiliados do PDT e PMDB que votarão contra esta vergonha. Por isso não basta apenas ficar teclando neste espaço. Mostre seu inconformismo. Envie sua indignação para sua lista de email. FAÇA VOCÊ A JUSTIÇA.

  4. Austragésilo Penaforte Reply

    A Constituição Federal garante a todo e qualquer cidadão brasileiro o direito de concorrer a um cargo eletivo. Isso é fato e indiscutível. Pondera-se, porém, a capacidade, o interesse público e a qualificação dos que se propõem a tal missão, levando-se em consideração que cargos eletivos no Brasil é, também, a ambição de muitos que querem garantir uma boquinha no erário, ou trampolim para vivaldinos e carreiristas na atual política decadente e dominante.

    Clodovil, por exemplo, dizia que ao se eleger deputado federal seria um diferencial em Brasília e na política. No entanto, se elegeu com quase setecentos mil votos, por São Paulo e nada fez.

    Apenas se beneficiou do erário, das mordomias e em nada contribuiu para a sociedade brasileira. Foi, a bem da verdade, um usurpador. E como ele, Brasília tem às pencas, idem nas assembléias legislativas país afora e não menos nas câmaras de vereadores. À Assembléia Legislativa do Paraná que o diga.

    E é por essas e outras que a população está atenta em quem vai eleger nas eleições de outubro próximo. O povo não pode esperar mais para ter os seus direitos reconhecidos e suas necessidades atendidas. É preciso eleger quem realmente está preparado para a função. Afinal, pela importância da política na vida do cidadão, não dá para fazer experiência ou brincar de autoridade.

    Aliás, está faltando autoridade na política, infestada que está de ‘otoridades’. Todo o cuidado é pouco.

  5. Na verdade, ela foi vetada pq é pobre. Se fosse uma TRANSEX cheia da bufunfa, duvido que seria vetada. O preconceito não é por opcao sexual, mas sim por origem social …..É a evolucao petista e o seu novo modo de ver o mundo.

Comente