Uncategorized

Ricardo quer alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente

Até que enfim algum candidato resolveu sair do lugar comum. No programa eleitoral desta sexta-feira (20), Ricardo Barros meteu o dedo na ferida. O candidato ao Senado propôs mudanças no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O tema gera desconforto entre nove em dez políticos. Nas últimas eleições o ECA nem entrou nos debates. Ricardo resolveu jogar luz sobre o assunto, ao afirmar que “da forma como está o Estatuto não protege as nossas crianças, ele as expõe ao assédio do crime”.

Sem medo de ser criticado ou taxado, Ricardo Barros disse que as alterações são necessárias para recuperar a autoridade da família sobre os filhos. “Chega de aluno batendo em professor e filho batendo em mãe sem ninguém poder fazer nada. Não há mais respeito. Não é essa a verdadeira interpretação do Estatuto”, disse.

A discussão levantada por Ricardo coincide com o aniversário do 20º ano do ECA. O texto de julho de 90 é a regulamentação dos artigos 227 e 228 da Constituição que estabelece como “dever da família, da sociedade e do Estado assegurar, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária”.

“É preciso reestruturar o Estatuto, da forma como está nós não estamos produzindo cidadãos melhores, estamos permitindo o assédio dos criminosos. Também sou contra a diminuição da maioridade para 16 anos. O caminho não é esse”, explicou Ricardo. “Temos que poder ensinar aos nossos filhos os mesmos valores e conceitos que aprendemos com os nossos pais”, completou.

Ricardo também quer dificultar o aliciamento dos menores pelos criminosos. Ele defende o aumento da pena para os maiores que envolverem jovens ou crianças em seus crimes. “Menores são usados como instrumentos do crime e das drogas. O bandido que levar o menor para o crime vai pagar em dobro”.

Outra proposta de Ricardo é alteração na Lei do Estágio. A idéia é facilitar a entrada dos jovens no mercado de trabalho ao permitir que alunos do ensino regular a partir dos 14 anos possam estudar meio período e estagiar meio período. “Eles estarão aprendendo um ofício e ajudando na renda da família”, frisou. “Vamos ocupar os nossos jovens para não permitir que os traficantes roubem-nos das nossas famílias”, completou Ricardo.

Uma das marcas da carreira política de Ricardo Barros é a preocupação com as crianças e com os adolescentes. Na frente da prefeitura de Maringá construiu creches, escolas e criou os programas “Bom Menino” e “Aprendiz do Futuro”. Essas ações renderam a Ricardo um prêmio da Unicef. Ricardo recebeu a premiação das mãos de Renato Aragão, embaixador da Unicef no Brasil. Também foi na administração de Ricardo na cidade de Maringá a criação do primeiro conselho tutelar do país.

12 Comentários

  1. joão APENAS UM CIDADÃO Responder

    Algumas considerações sobre as propostas do candidato Ricardo Barros e para sua grande e competênte “assessoria”:

    – Recuperar autoridade da família…Em primeiro lugar precisaremos recuperar a Família. Fique certo que nos lares onde realmente existe uma família no verdadeiro sentido da palavra, pode ter certeza que existe autoridade, respeito dos filhos para com os pais e vice-versa. Filhos criados em ambientes familiares sadios não se perdem para as drogas.

    – Estágio a partir 14 anos…Não candidato. Um filho ou filha, que esteja vivendo realmente em uma família aos 14 anos, deve estudar e estudar muito. Não basta somente o horário escolar, precisa rever matérias, fazer tarefas, pesquisar, fazer cursos de
    idiomas, musíca e praticar esportes. Isto para quando chegar na idade de ir para uma faculdade, esteja sádio e tenha condições de fazer um Curso Superior, como foi no seu caso. Ele não será roubado por traficante nenhum. Toda eleição, aparecem inúmeras propostas para afastar os JOVENS DAS DROGAS. Nunca propostas para afastar as DROGAS DOS JOVENS. Tenho certeza que seria muito mais fácil e barato afastar os traficantes dos jovens.

    – Outra coisa, isso de que quando o Candidato foi Prefeito fez isso e aquilo…fez porque era sua obrigação, foi eleito para tanto e pago pelos seus serviços. Tem candidato que coloca como proposta, atribuições e responsabilidades inerentes ao cargo que vai ocupar, achando que o eleitor ficará satisfeito porque ele fará o trabalho que por obrigação deve fazer.

    …e tenho dito…

  2. A maioridade penal deve ser aos 14 anos. E, os menores não precisam de Estado, precisam de Religião.

  3. No meu tempo podíamos trabalhar aos 14 anos. Minha carteira de “aprendiz” foi feita aos 14 anos conforme a legistação da época (1967), e, foi assinada (primeiro contrato de trabalho) aos 15 anos. Com certeza foi a partir daí que dei mais valor ao dinheiro. Dinheiro ganho tem pouco valor, muitas fortunas somem entre os dedos… Dinheiro suado tem muito valor. Concordo 100% com a opinião do Senador Ricardo Barros. Trabalho é terapia.
    PAULO

  4. Capao da Imbuia Responder

    EU APOIO, 14 ANOS E UMA BOA IDADE PARA INICIAR NO MERCADO E TBEM AJUDA A FIRMAR O CARATER DO INDIVIDUO. 06 HORAS PARA O TRABNAHLO DO MENOR EM NADA PREJUDICARA A SUA ATIVIDADE ESCOLA, O DIA TEM 24 HORAS, SOBRA MUITO TEMPO PARA ESTUDAR, PARA O LAZER E PARA O TRABALHO, EU COMECEI AOS 13 ANOS NAS CASAS PERNAMBUCANAS COMO APRENDIZ E ACHO QUE FOI MUITO BOM.

  5. Concordo com 100% com o Deputado/Candidato, como professora, mãe de adolescente e cidadã critica, é preciso rever urgente a “redação e a aplicação” do Estatuto da Criança. Nós estudamos e trabalhamos desde adolescência, tínhamos liberdade na medida certa, respeitávamos nossos familiares e professores, tínhamos regras e obrigações nem por isso somos traumatizados ou infelizes…Salvo poucas boas intenções muita coisa mudou (para pior) após o Estatuto da Criança, SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER…

  6. ENTENDO QUE O ECA ESTÁ DEFASADO, SIM! PORÉM, SENHOR RICARDO BARROS, ANTES DE ALTERAREM O ECA, QUE TAL OS POLÍTICOS ALTERAREM SEUS “MODUS OPERANDI” NA POLÍTICA, ISSO INCLUI A SUA CONDUTA TAMBÉM!

    A PROPOSTA DO CANDIDATO A SENADOR, DE ALTERAR ECA JÁ É UMA BRINCADEIRA. ELE SÓZINHO, NEM COMO SENADOR, NEM COMO DEPUTADO E MUITO MENOS COMO CIDADÃO TEM CONDIÇÕES DE ALTERAR O ECA. ISSO DEVE SER FEITO POR UMA COMISSÃO DE NOTÁVEIS, OU UM COLEGIADO COM GRANDE CONHECIMENTO DAS CAUSAS DA INFÂNCIA E JUVENTUDE. O QUE SE FALAR, ALÉM DISSO, NADA MAIS É QUE PURA FALÁCIA!

  7. Pode contar com meu voto,pelo menos alguém tomou a iniciativa e temos que apoiar uma decisão desta,pq não podemos mais conviver com adolescentes fazendo barbaridades e ainda protegidos, não dá mesmo.Parabéns vai levar 5 votos da família.

  8. Já ia votar no candidato Barros só por ele estar coligado com o Beto mas estou percebendo que ele é um cara com visões boas e agora voto com mais confiança!

  9. Putzzzz não emplaca ainda o Barros. Vai mais alguns anos bem em Brasília….mas senador não!

Comente