Uncategorized

Esquema Erenice-Dilma tem parentesco direto com o caso PC Farias

O esquema montado por Erenice Guerra na Casa Civil, baseado na extorsão de empresários em troca de favores do governo, não é um sucessor do mensalão, como sugerem algumas análises. Na verdade, o escândalo tem tudo a ver com o esquema PC Farias, que levou a queda de Fernando Collor de Mello em 1992.

O caso Erenice-Dilma é, na prática, mais grave que o caso PC porque Collor jamais ousou colocar o seu caixa de campanha no governo, muito menos no Ministério mais importante do governo que é Casa Civil. No mais, o modo de operação é muito semelhante. PC extorquia os empresários alegando ter condições de abrir portas no governo. O dinheiro, além de enriquecer os sócios do esquema, servia para financiar campanhas políticas.

Na denúncia do empresário Rubnei Quícoli a Folha de S. Paulo se afirma que o dinheiro extorquido pelo esquema Erenice estaria financiado a campanha presidencial de Dilma Rousseff e do peemedebista Hélio Costa, em Minas Gerais. No desenrolar das denúncias é possível que apareçam os nomes de outros candidatos financiados pelo esquema Erenice.

22 Comentários

  1. O pior de tudo isso, é que vai acabar em pizza. Governo não investiga governo, pois o poder sobre a máquina do estado é do governo. A Polícia Federal está subordinado ao presidente da república, que como sempre não sabe de nada. Acorda povo brasileiro.

  2. Não é a toa que o Collor pede voto para a Dilma e virou amigão do Lulla. Ideologia a parte os dois tem tudo a ver. Incluvise na forma de operar a corrupção.

  3. É isso aí! Governo Lulla cada vez mais parecido com o governo Collor. Na verdade, logo logo não terão diferença nenhuma.

  4. A corrupção no governo Lula faz o collor parecer um trombadinha e o PT o comando vermelho. só não ve quem não quer.

  5. Erenici era a PC do Lula. Aliás, a semelhança entre ela e o PC é enorme. Só falta o bigode.

  6. Coincidência infeliz:
    no mesmo período em que os protegidos de Dona Erenice estavam em cargos diretivos da ANAC, Dilma negociava a venda da Varig. Sem contar o caos aéreo, os apagões aéreos e os acidentes trágicos. Isto mostra bem quem eram os comPeTentes que geriam a aviação brasileira. Mais um negócio de família.

  7. Imagine, se essa mulher ganhar, o que vai acontecer a partir de janeiro, quem vai segurar a onda da galera, é o comunismo chegando ao poder, e o LULA será peça descartável!!!!!??????

  8. As falas do escroque no detector de mentiras

    Laudo diz que empresário que acusa lobby na Casa Civil mente sobre pedido de R$ 5 milhões

    Irineu Machado
    Do UOL Notícias
    Em São Paulo

    Laudo elaborado com base em um programa de exame de frequência de voz concluiu que o empresário Rubnei Quícoli, consultor da empresa ERDB, mentiu em quatro trechos de entrevista que deu à TV Globo, exibidos em reportagem do “Jornal Nacional” de ontem (17) e no “Bom Dia Brasil” de hoje. Entre os trechos apontados pelo laudo feito pelo perito em veracidade Mauro Nadvorny, da Truster Brasil, Quícoli não foi verdadeiro quando disse que houve um pedido de R$ 5 milhões feito pela empresa de consultoria da filha da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra e também ao dizer que nunca esteve com o candidato José Serra (PSDB).

    A ERDB do Brasil Ltda. é uma empresa de Campinas que confirmou à Folha de S.Paulo a existência de um lobby dentro da Casa Civil da Presidência da República. Interessada em instalar uma central de energia solar no Nordeste, a empresa disse à Folha que o projeto estava parado desde 2002 na burocracia federal até que, no ano passado, seus donos foram orientados por um servidor da Casa Civil a procurar a Capital Consultoria, empresa de um dos filhos de Erenice Guerra, que pediu demissão ontem (17) do cargo de ministra da Casa Civil depois das acusações.

  9. Tucanos mais suspeitos do que nunca, na quebra de sigilo fiscal da filha de Serra

    No dia 2 de setembro, o office boy Ademir Estevam Cabral, apareceu no noticiário com envolvido nas procurações falsas usadas para tirar a 2ª via da declaração de renda da filha de José Serra (PSDB) na Receita Federal, em 2009.

    Naquele dia, Cabral deixou escapar que iria primeiro procurar orientação de um advogado, que chamou de “dr. Marcel, da Paulista”.

    Estava óbvio que o caminho da investigação para chegar ao mandante passava por esse “Dr. Marcel da Paulista”.

    No dia 14, o contador Antonio Carlos Atella Ferreira, quem assinou a retirada da declaração com a procuração falsa, entregou mais dois nomes: Arão Queiroz, um despachante, que já ficou mais de três anos na cadeia por estelionato, e o advogado Marcel Schinzari, para quem Cabral já trabalhou (e só pode ser o “Dr. Marcel da Paulista”).

    Todos negam envolvimento com a falsificação. Está claro que Attela, Cabral e Arão são os peixes pequenos, os que operam a mando de outros.

    O advogado Marcel Schinzari torna-se o principal foco da investigação como provável elo para chegar aos verdadeiros mandantes.

    Um leitor do blog do Nassif apurou que no escritório Schinzari Advogados Associados, onde o advogado trabalha, outro colega e parente de nome Jesus Lucas Schinzari, é filiado ao PSDB.

    Cada vez chega mais perto de adversários de Serra dentro do PSDB o mandante desse vazamento.

  10. Cadê os Caras Pintadas da época do Collor? Acho que “todos ” se formaram em universidades públicas e stão todos com cargos em comissões ou nas milhares de ONGS sustentadas pelo PT ou Sindicatos para calar a boca dos caras pintas dos anos 90. Já os jovens de hoje não querem saber de nada!

  11. Parabéns! Você tem toda razão! Ninguém ainda tinha relacionado esses fatos!

    Erenice: o PC Farias de Dilma Roussef!

  12. ta-feira, 17 de setembro de 2010
    A folha corrida da nova atração do Zé Baixaria

    A edição de quinta-feira do Jornal Nacional da TV Globo, fez longa matéria com o “empresário” Rubnei Quícoli, apresentado com ares de impoluto, dizendo apenas que ele “respondeu a processos por receptação de produtos roubados e por coerção a uma testemunha”.

    O Jornal Nacional mentiu para o telespectador ao omitir e esconder que Rubnei Quícoli foi CONDENADO e CUMPRIU PENA de PRISÃO pelos motivos:

    – receptou 10 toneladas de carga roubada de um caminhão roubado;
    – tentou negociar anonimamente, e com nome falso, a venda para a própria vítima, o dono da carga roubada mediante pagamento de cerca de 1/3 do valor;
    – quando o dono armou flagrante para a polícia, o motorista contratado para devolver (que apenas fez o frete) denunciou Rubnei Quícoli como quem o contratou;
    – Rubnei, armado, ameaçou de morte o motorista e sua família para mudar o depoimento que o incriminava;

    Todos os fatos acima foram comprovados e testemunhados nos autos, o que levou à condenação.

    Está tudo descrito neste processo:

    Nº do Processo: 114.01.2004.068543-3
    Tribunal de Justiça de São Paulo
    Fórum de Campinas
    3ª. Vara Criminal
    Sentença Condenatória em 27/07/2007:

    Resultado da sentença:

    Ante o exposto e por tudo mais que dos autos consta, JULGO PROCEDENTE a presente ação penal que a Justiça Pública move contra RUBNEI QUICOLI e o condeno, por infração ao artigo 180, caput, e ao artigo 344, combinados com o artigo 69, todos do Código Penal, ao cumprimento da pena de 02 (dois) anos de reclusão e ao pagamento do valor correspondente à 20 (vinte) dias-multa, no mínimo legal, fixado o regime inicial fechado. Com o trânsito em julgado, lance-se o nome do acusado no rol dos culpados. Campinas, 27 de julho de 2007. CARLA DOS SANTOS FULLIN GOMES Juíza de Direito

    O processo pode ser consultado no site do TJ-SP, aqui, informando:
    Fórum / Comarca: [ Campinas ]
    Clique no botão “Réu”
    Nome: [ RUBNEI QUICOLI ]

    É esse Rubnei Quícoli a nova “atração” que gravou para o programa do Zé Baixaria na TV.

    Principais trechos da sentença da Juíza:

    RUBNEI QUICOLI, qualificado nos autos, foi denunciado e está sendo processado como incurso no artigo 180, caput, e artigo 344, combinados com o artigo 69, todos do Código Penal, porque, entre os dias 07 de maio de 2003 e 21 de maio de 2003, em um barracão localizado na rua Eugênio Valério, n. 39, Vila Bourbon, Souzas, nesta Comarca, o acusado, após receber, passou a ocultar em proveito próprio e alheio, uma carga contendo aproximadamente 10.000 kg de condimentos, entre eles 27 sacos de 30 kg cada de Aglomax presunto DG 60, 01 galão de vinte litros de flex plus rubro MVP/AM, 17 sacos de 30 kg de emulsificante Di-carne e demais produtos descritos no auto de exibição e apreensão acostado aos autos, pertencente à empresa Di Carne Indústria S/A, coisa que sabia ser produto de crime de roubo.

    … Segundo consta da denúncia, conforme o apurado em 07 de maio de 2003, a vítima Adauto Luis Trematore Moraes, motorista do caminhão M. Benz, placas BXG 1734 RC/SP, que estava carregado com a carga de aproximadamente 10.000 kg de condimentos perntencente à empresa Di Carne Indústria S/A, teve tanto a referida carga quanto o mencionado caminhão roubados por indivíduos até o presente momento não identificados, conforme Boletim de Ocorrência de n. 992/03.

    Narra a denúncia que, no período compreendido entre os dias 07 de maio de 2003 e 21 de maio de 2003, o réu recebeu de indivíduo até o presente momento não identificado, referida carga e, ciente da sua origem criminosa, passou a ocultá-la no barracão acima descrito.

    Posteriormente, descreve a denúncia que o acusado, identificando-se como José, entrou em contato com a vítima Oswaldo Panaro Tesch, que orientado por policiais se identificou como sendo Décio, para quem passou a oferecer a carga roubada pelo valor de R$ 10.000,00, sendo que o valor real da carga na época dos fatos era de R$ 31.600,00.

    Então, a vítima Oswaldo acordou com o réu a entrega da carga em um barracão da cidade de Rio Claro, ficando acertado que o acusado contrataria um motorista para levar a carga roubada até aquela cidade.

    Destarte, no dia 21 de maio de 2003, o acusado contratou o motorista Ronaldo para levar a carga roubada até a cidade de Rio Claro, contudo, tendo em vista que os policiais daquela cidade já estavam avisados da chegada da carga, lograram deter Ronaldo em poder da carga roubada.

    Ronaldo foi então levado até a Delegacia de Polícia, onde esclareceu os fatos aos policiais, informando que havia recebido um telefonema do acusado, contratando-o para entregar a carga de condimentos em um barracão na Avenida 15, n. 1552, em Rio Claro, para a pessoa de Décio, pagando a quantia de R$ 500,00 pelo frete, sendo que na oportunidade o réu lhe disse que não tinha nota da carga. Ronaldo ainda indicou aos policiais o barracão onde os produtos estavam guardados e foram carregados no caminhão.

    Em virtude de Ronaldo ter colaborado com os policiais, sendo, portanto, testemunha nestes autos, o réu Rubnei dirigiu-se até o condomínio em que Ronaldo residia, em veículo BMW, armado e em companhia de outras pessoas, ameaçando de morte Ronaldo e seus familiares, deixando um recado com os porteiros de nome Fernando e Ednilson, dizendo-lhes: “Que Ronaldo já era e o mesmo vai morrer”. Em virtude de tais ameaças, Ronaldo teve inclusive de mudar de residência.

    …Assim, o contexto probatório revela, de forma indubitável, o envolvimento do acusado no crime descrito na denúncia, pois o réu Rubnei contratou os serviços de Ronaldo para o transporte da carga roubada, a qual pretendia vender para a própria vítima em virtude das dificuldades encontradas para introduzi-la no mercado, já que se tratava de produto muito específico e de uso restrito, sendo, ademais, perecível.

    … Tendo em vista a natureza dos delitos elencados na denúncia, tenho que a pena deverá ser inicialmente cumprida em REGIME FECHADO, pois o regime mais rigoroso é o único que se mostra adequado à repressão das condutas do acusado, as quais revelam periculosidade, sendo certo que o delito de receptação de carga roubada está atrelado a inúmeros outros crimes, sendo responsável por danos de grande monta às empresas e ao comércio em geral. Frise-se, ademais, que o réu coagiu testemunha no curso do processo, bem demonstrando a incompatibilidade de sua personalidade com regime prisional mais brando.

    A íntegra da sentença pode ser consutado no link acima do TJ-SP ou diretamente aqui.

    Enviar por email Por: Zé Augusto 27 Comentários Link para esta postagem

  13. To de olho no Sr. Responder

    Esses comentarios são uma fraude. Mas assim mesmo podem bater que Dilma cresce com massa de Pão. E não adianta e aqui no Paraná não vai dar outra é Osmar. Quem viver verá.

  14. Caçador Mensaleiro Responder

    Não é atoa que o velho ditado “Semelhante atrai semelhante” é verdadeiro. Ta lá nas Alagoas seu Collor vencendo as eleições com o Slogan “Collor é Dilma e Dilma é Collor” e agora amiguinho do Lula. Imaginem senhoores essas duas cabeças pensantes juntas do que serão capazes…. Guardem bem suas carteiras….

  15. Colocaria as coisas nesses termos: “Os espinhos que me feriram foram produzidos pelo arbusto que plantei.”

    O Brasil está há muito tempo doente. Basta relermos Raízes de Sérgio Buarque de Holanda para nos desesperarmos.

  16. Edmar Eleutério Responder

    É incrível como esses casos de corrupção no Governo só surgem em época de eleição. Logicamente que eles não surgiram aí, vem de longe. Porque a oposição deixa este pessoal roubar tanto, guardando essas denúncias até as eleições, só para se aproveitarem delas nas urnas?
    Lamentável, que a oposição, que poderia contribuir muito (e deveria), para mudar este cenário, está ainda mais podre do que o Governo Lula. Isto só demonstra que o povo, cada vez mais, está nas mãos de Deus. E graças a Ele.

Comente