Uncategorized

Luciano Ducci lança o Biblioparque, posto móvel de empréstimo gratuito de livros

O Biblioparque, primeiro posto móvel de empréstimo gratuito de livros, foi inaugurado nesta sexta-feira (15) pelo prefeito Luciano Ducci. “É um grande projeto da Prefeitura de Curitiba, que vai proporcionar aos frequentadores dos parques da cidade também o acesso a cultura, educação e leitura”, disse o prefeito.

A estrutura do Biblioparque é composta por um veículo movido à energia elétrica, estantes adaptadas para acomodar livros e periódicos, além de ombrelones, cadeiras para adultos e crianças, pufs e mesas desmontáveis, que permitem ao usuário um maior conforto durante a leitura.

“A Prefeitura entrega aos curitibanos mais uma iniciativa de incentivo à leitura, dentro do programa Curitiba Lê, com a preocupação de facilitar cada vez mais o acesso da população aos livros. Temos ações em toda a cidade, com as Casas da Leitura e a Estação de Leitura no Terminal do Pinheirinho”, disse o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Paulino Viapiana.

O espaço ocupa 200 metros quadrados e vai funcionar todos os domingos, em parques, das 10h às 18h. Neste domingo, estará ao lado do Salão de Atos do Parque Barigui. Nos próximos meses, o Biblioparque vai percorrer também o Bosque do Papa, Parque Tingui, Jardim Botânico, Parque Bacacheri e Parque São Lourenço.

São 300 títulos e 900 volumes e, nos próximos meses, o acervo atingirá 1.350 títulos e quatro mil volumes que oferecem uma variada gama de autores, entre eles Machado de Assis, Guimarães Rosa, Gonçalo Tavares, Isabel Allende e Mario Vargas Llosa, que conquistou o Prêmio Nobel de Literatura 2010, entre muitos outros. A escolha dos livros foi elaborada por uma comissão da Fundação Cultural de Curitiba.

Além da leitura no parque, quem quiser poderá emprestar os livros por 21 dias, de forma simples e sem burocracia. A devolução pode ser feita no próprio Biblioparque ou em qualquer das Casas da Leitura mantidas pela Fundação Cultural.

Esta primeira unidade foi patrocinada pela Vivo, que também será a responsável pelo gerenciamento da operação até abril de 2011, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba. “Curitiba foi escolhida para ter a primeira Biblioparque do país por ser uma cidade de vanguarda, sempre com projetos inovadores e uma população inteligente”, disse Antonio Pizzario, diretor territorial da Vivo.

A empresa também disponibilizará uma tela interativa que dá acesso à sinopse dos livros que podem ser emprestados e dois notebooks para navegação na internet. Junto ao Biblioparque, o público encontrará ainda um local para descarte de aparelhos celulares e baterias velhas.

A programação da Biblioparque inclui sessões de contação de histórias ao longo do dia, distribuição de marcadores de livros, além de pintura em livros de quadrinhos.

1 Comentário

  1. valéria prochmann Responder

    excelente iniciativa! são poucos os gestores públicos brasileiros q se efetivamente promovem a leitura, prática essencialmente libertadora… um biblioparque pode ser um grande começo!

Comente