Uncategorized

Presidente da OAB defende discussão
sobre pesquisas

O governador eleito do Paraná, Beto Richa, recebeu hoje o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Junior.

O presidente da OAB falou sobre a importância do debate sobre o papel das pesquisas eleitorais. Segundo ele, o Paraná levou uma reflexão, em nível nacional, sobre as pesquisas, que foram impugnadas pela justiça eleitoral, por conta de erros de metodologia e na formulação dos questionários. “As pesquisas são importantes. São referência, mas não pode haver manipulação e nem muito menos ser determinante para o voto do eleitor. Por isso é necessário que haja uma discussão em torno disso”, disse Cavalcante Junior.

“A Ordem dos Advogados vai promover um seminário sobre reforma política em novembro, em Brasília, e a reforma eleitoral, que é parte desse processo, vai atrair a discussão sobre as pesquisas”, completou.

Defensoria Pública
O encontro com Richa teve a presença do presidente da Seccional da OAB do Paraná, José Lúcio Glomb, que falou sobre o projeto para implantação da Defensoria Pública do Paraná, enviado pelo atual governo à Assembléia Legislativa. “Somos a favor da implantação da Defensoria, mas entendemos que é um projeto complexo e, por isso, é compreensível a cautela da equipe de transição do governador Beto Richa, para que seja feita uma análise mais profunda do detalhamento do projeto”, afirmou Glomb.

7 Comentários

  1. Nossa que problemão! Ao invés de ficarem discutindo o passado, vamos ao que interessa Sr. Beto!

  2. Elias Pereira Reply

    Porém, ainda é tempo de a
    RPC TV explicar aquele empate técnico
    divulgado em favor de O.Dias, na véspera
    da eleição. Que vexame!

  3. O ilustre Presidente da OAB deveria ter defendido o posicionamento quando entrevistado pela Globo, durante a campanha.

    Foi afoito e se deu mal.

    Remendo, agora, não cola bem.

  4. esse ophyr{parece nome de coisa ,
    afundada ecriandolimbo} nao tem mais o que fazer

  5. joão carlos sorcesse Reply

    Debater mesmo, como pode um partido politico embargar sequentes pesquisas eleitorais, de vários orgaõs de pesquisa. Será que todas estavam usando metodos errados de consulta. Ou foi uma artimanha poderosa para que o povo ficasse as escuras e acreditando nas pesquisas iniciais de campanha amplamente divulgada na midia nos programas eleitorais, que davam uma vantagem ao candidato PSDB/DEM.
    Outra coisa digna de discussão foi a proibição do comicio e passeata na boca maldita no dia 31/11 do PT. A nossa senadora Gleisi também em entrevista a CBN não gostou dessa atitude do TRE PR.

    João carlos

  6. Seria necessário criar uma Lei que puna a empresa de pesquisa que fraudasse a mesma e a multa deveria ser valores exemplares só assim evitariamos de pesquisas falsas.

  7. IDH POLITICO Reply

    A cultura política brasileira se fizesse parte do índice de IDH, qual posição ocuparíamos? O marketing político de indução e manipulação e as promessas que raramente se cumprem é o maior fator de desinteresse da maioria do povo brasileiro.
    Quantos projetos importantes serão levados ao plenário em Brasília, onde os tiriricas da vida irão votar e impactar na vida de milhões de brasileiros.
    Antes de pensarem em pesquisas critérios….porque muitos políticos suspeitos retornaram a vida público? O valor do voto e sua importância é algo que merece reflexão.

Comente