Uncategorized

Ministro acha “prudente” deixar para 2011 discussão sobre
aumento do Judiciário

Elaine Patricia Cruz da Agência Brasil

O ministro do Planejamento considera “prudente” deixar para o próximo ano a discussão sobre o aumento salarial dos servidores do Judiciário. Defende também que o mesmo ocorra com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que define um piso salarial nacional para os policiais.

“O governo está acabando – falta menos de um mês e meio. A legislatura do Congresso também está acabando. Considero que seria mais prudente e mais correto remeter isso para o começo do ano que vem e fazer um debate, uma política salarial para os servidores da União”, afirmou.


Segundo o ministro, somados os pedidos do Judiciário e do Ministério Público, o impacto anual do aumento de salário do Judiciário é de cerca de R$ 8 bilhões. “É este o motivo, nossa restrição a votar isso no final do governo”, disse.

Sobre a PEC 300, ministro falou que a proposta deve ser analisado também com os estados. “O impacto disso seria de R$ 43,5 bilhões. Não é um impacto federal, mas global”, afirmou. Segundo ele, cerca de R$ 30 bilhões desse montante seria o tamanho do impacto anual nas contas dos estados e do Distrito Federal. “Acho inacreditável votar uma coisa que tenha esse impacto sem olhar os orçamentos”.

4 Comentários

  1. CLAAAAARRRROOOOOOO MEU CARO PAULO ,O QUE ELES TEM DE MELHOR QUE OS DEMAIS MORTAIS BRASILEIROS, SE O SALÁRIO MÍNIMO VAI SER DISCUTIDO SEU VALOR EM 2011 PORQUE OS SRS.TOGADOS TEM QUE TER A DIFERENÇA,VÃO TRABALHAR…

  2. Ubiratan Mendes Responder

    Acho mais prudente e correto Lula cumprir o acordo que fez com o Presidente do STF, César Peluso, de conceder estes reajustes (a categoria do Judiciário não tem reajustes desde 2008) ainda em seu governo. O acordo foi com ele. O orçamento do Judiciário é independente (autonomia administrativa) e o reajuste cabe no orçamento daquele poder. Os juízes e procuradores federais já tiveram reajustes recentes, os servidores são especializados e fazem o trabalho preliminar para os magistrados, deixando os processos prontos para despacho ou sentença. Deixar de atender a um pleito justificado criaria instabilidade para o atual e futuro governos. Com relação às polícias, idem. Depois se queixam que não funciona … mas na hora de arrochar, todo mundo defende.

  3. Thiago Medeiros Responder

    Trabalho no judiciário estadual e estamos felizes porque finalmente temos um plano de carreira em que um tecnico judiciario ganha cerca de 3450 reais mensais. Enquanto isto, no olimpo do judiciário brasileiro, os tecnicos querem ganhar mais de 6 mil iniciais e um analista mais de 10 mil. Agora pergunte se eles estarão trabalhando neste final de ano, como a imensa maioria dos mortais brasileiros. Estarão em recesso. Esta é a justiça que os brasileiros merecem?

  4. Ubiratan Mendes Responder

    Thiago, estuda um pouco mais e faz concurso pra Justiça Federal. Lá você trabalha bastante e não tem caixinha pra os processos andarem. Todo ano você tem que se qualificar fazendo cursos e se não fizer não ganha progressão. Já na Justiça Estadual …

Comente