Uncategorized

Plano de previdência será analisado pela equipe de transição de Beto

Com informações do Paraná Online

O líder do governo, deputado Caito Quintana (PMDB), decidiu que o plano de custeio do regime de previdência dos servidores públicos estaduais, proposta por Orlando Pessuti (PMDB), será submetida à análise pela equipe de transição do governador eleito Beto Richa (PSDB). A decisão foi tomada depois que Quintana se reuniu com o diretor-presidente do ParanaPrevidência, Munir Karam, que forneceu as primeiras explicações sobre a proposta.

Em plenário, o líder da bancada de oposição, Elio Rusch (DEM), defendeu a contratação de uma consultoria especializada para avaliar o projeto encaminhado pelo governo. “O rombo existe, o governo não cumpriu com o financiamento e nós precisamos saber como é que vai sanar o problema e, principalmente, de onde virão os recursos”, disse Rusch. A parte do governo para a capitalização do fundo e que não foi repassada soma atualmente cerca de R$ 3,2 bilhões, segundo relatório do Tribunal de Contas do Estado. Para o líder da oposição, o rombo deve ser coberto para não comprometer o pagamento dos benefícios aos servidores a médio prazo. “Atualmente, o fundo está saudável. Mas se esse rombo continuar, como é que ficam as aposentadorias daqui a quinze anos?”, questionou.

O ParanaPrevidência foi instituído em 1998, no governo Jaime Lerner. Na lei de criação, estava previsto que, além de dar a contrapartida na mesma proporção que os servidores nas contribuições sobre os salários, o governo também assumiu o compromisso de fazer repasses para a capitalização do fundo. Uma parte em recursos e outra em imóveis e outros bens. O governo Lerner cumpriu parcialmente a lei, adiantando os recursos de royalties que tinha a receber por conta da construção da Usina de Itaipu. Mesmo assim deixou uma dívida de R$ 1,1 bilhão. O governo Requião também não fez os investimentos necessários e o passivo chegou aos atuais R$ 3,2 bilhões.

8 Comentários

  1. É… é essa a herança maldita dos anos Requião e Pessuti, para o funcionalismo público… aqueles que realmente trabalham e levam este mastodonte chamado ESTADO para a frente, agora são punidos graças aos desmandos e falcatruas dos déspotas que saem… no apagar das luzes do governo Pessuti, mais este presente para os funcionários públicos, verdadeiros burros de carga, quanto mais trabalham, mais apanham

  2. Vou dar uma sugestão, antes que chamem o Renato. É bem simples e custa pouquíssimo. É assim, calculem quanto cada servidor tem , ou deveria ter, e o servidor tem o direito de aplicar tal valor em qualquer dos muitos fundos de pensão existentes. Loucura? Nada disto, sei por experiência própria, funciona. Só não permitam que o servidor ponha a mão na grana. Se não, ferrou, a grana vai para o buraco quase na hora. ACarlos

  3. aposentadoria para o Requião Responder

    Deputado Caito
    Se você vender este relógio ROLEX e doar para o Estado o valor arrecadado dará para pagar a apontadoria de um professor por pelo menos uns 5 anos

Comente