Uncategorized

60% dos curitibanos são contra a CPMF

Manifestação em Curitiba contra a CPMF em 2007

Por Euclides Lucas Garcia da Gazeta do Povo

Assunto que ganhou força após a vitória de Dilma Rousseff (PT) na eleição presidencial deste ano, a possibilidade de volta da CPMF – o chamado “imposto do cheque”, que vigorou de 1997 a 2007 e foi criado para financiar investimentos na saúde pública – não foi bem recebida pelos curitibanos. De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesqui­­sas para a Gazeta do Povo, 60% dos habitantes da capital são contra a volta do im­­posto “em qualquer situação”. Isso porque, para 71,53% dos entrevistados, a saúde pública não melhorou nos dez anos em que a CPMF foi cobrada. Se­­gundo a pesquisa, o governo teria de encontrar com urgência outra forma de investir no setor, uma vez que 97,48% das pessoas disseram que é preciso aplicar mais re­­cursos na saúde pública brasileira.

Questionada sobre o tema na primeira coletiva após vencer a disputa pela Presidência da Repú­­blica, Dilma não assumiu o ônus de propor a recriação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), mas deixou a porta aberta para negociar. Tanto ela quanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que também participou da entrevista – jogaram nas costas dos governadores eleitos a responsabilidade sobre o novo imposto. “Não pretendo reenviar ao Congresso a recomposição da CPMF, mas isso será objeto de negociação com os governadores”, afirmou a petista. “Eu tenho muita preocupação com a criação de impostos, preferia outros mecanismos. Mas eu tenho visto uma pressão dos go­­vernadores, não posso fingir que isso não existe”, disse dois dias após ser eleita. De acordo com os cálculos do governo, a derrubada da CPMF em 2007 provocou uma perda anual de arrecadação em torno de R$ 40 bilhões.

Até agora, 14 dos 27 governadores eleitos já manifestaram publicamente ser a favor da volta da CPMF. Uma saída discutida pelo Congresso a fim de evitar que a cobrança do imposto seja re­­tomada é aprovar um projeto de lei legalizando os bingos, videobingos, e videoloterias no Brasil, para que a maior parte dos tributos arrecadados com esses jogos seja destinada à saúde.

Contra a CPMF

A movimentação da classe política pela recriação da CPMF, no entanto, não encontra respaldo entre os curitibanos. Apenas 10,63% disseram ser “inteiramente a favor” da medida, en­­quanto 25,05% concordam com a volta do imposto, “desde que a alíquota seja baixa” – a taxa era de 0,38% quando a contribuição foi extinta. Os números se ba­­seiam no fato de que apenas 15,86% dos entrevistados afirmaram que a saúde pública brasileira melhorou enquanto a CPMF foi cobrada.

Apesar de serem contrários à volta do imposto, 97,48% dos curitibanos entendem que o go­­verno tem de investir mais di­­nheiro na saúde. Isso porque 45,95% consideram a saúde pú­­blica no país ruim ou péssima.

Análise

Para o cientista político Mário Sérgio Lepre, da PUCPR, a pesquisa mostra que a população defende que há impostos demais sendo cobrados no Brasil, mas que isso não tem se refletido na qualidade dos serviços oferecidos pelo governo.

“O cidadão quer a melhora na saúde, mas não o aumento nos impostos. Ele não sabe como [isso deve ser feito], mas sabe que o governo precisa investir mais no setor”, argumenta. “É como administrar uma casa. Se a pessoa quer viajar, mas não tem dinheiro, ela tem consciência de que, como a receita dificilmente vai aumentar, terá de diminuir seus gastos. Na cabeça da população, portanto, o go­­verno precisa mudar a administração pública e não aumentar os impostos.”

13 Comentários

  1. Acredito que saída não é criar um novo imposto e sim fazer a nossa Reforma tributária, aos governadores eleitos e a presidente Dilma esperamos bom senso em pensar mais nas pessoas, em pensar mais no país e não em criação de mais impostos para onerar mais ainda as pessoas, temos que seguir a carta de Puebla fazendo uma opão preferencial pelos mais pobres, acessem nosso blog e vejam nossas propostas para Apucarana e todo o Paraná:

    http://pen51apucaranaeregiao.blogspot.com/

  2. Vigilante do Portão Responder

    Em princípio, SOU CONTRA.

    Entretanto, caso venha acompanhada de REDUÇÃO de outros tributos, não haveria maiores problemas.

    A Dilma falou em REDUZIR a Carga Tributária e logo depois de eleita, aparece com essa “novidade”.

    Perece um ESTELIONATO.

  3. temos que botar para funcionar os bingos, legalizados darao aos estados suporte para apromorar a economia geral.

  4. De nada adianta….a CPMF voltará com outro nome, a inflação deve ser bem mais alta no próximo ano e as taxas de juros vão voltar a subir…………………acabei de ouvir isto na CBN

  5. A merda é que 60% dos curitibanos eram contra a Dilma e deu no que deu.
    Agora aguenta!

  6. Só 60% são contra?????????
    Duvido que está pesquisa como todas aliás, esteja correta!!!!!!!!

  7. PT foi contra a finada CPMF no Congresso quando era oposição. Agora porque é situação pretende recriá-la. Mais um embuste para o contribuinte brasileiro, já penalizado c/ carga tributária de 35% do PIB das mais elevadas do mundo sem contrapartida em serviços públicos de qualidade. O impostômetro atinge 1 trilhão e 100 bilhões de reais pagos em impostos este ano pelos trabalhadores e empreendedores brasileiros. A União bate recordes de arrecadação – basta não gastar fortunas em propaganda oficial, mensalões, desperdícios e mordomias, gerenciando os recursos públicos com eficácia e seriedade.

  8. 60% é muito pouco dos curitibanos,eu seria a favor da CPMF com cobrança de apenas 0,1% para que a receita federal tivesse mais controle sobre depósitos bancàrios

  9. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Isso á MAIS UM GOLPE do governo PT. Se omitiram (mais uma vez) e, depois de ganharem as eleições com votos dos ignorantes que acreditam nas mentiras do FASCISTA Lula da Silva, (eleitores de “bolsas” diversas, pagas pela sofrida classe média), vêm anunciar uma possível volta da famigerada (e que nada resolveu na saúde)CPMF. Bando de golpistas…omissos…e depois, vem o chefe da quadrilha petista e diz que agora “o Brasil está bem na fita, até empresta dinheiro para o FMI…” pois é….e a saúde? de quinto mundo…e a educação?? não existe…e a segurança??? só para a corja dos políticos e pro bando do executivo…SALVE-SE QUEM PUDER!!!

    PT, O CÂNCER DO BRASIL

  10. É impressionante como temos curitibanos otimistas, 16% acham que a situação da Saúde, com a CPMF, melhorou. Aja otimismo. Outros 11% são inteiramente a favor e 25% o aprovam se ele for baixo. Meu Deus, vivemos em uma terra de otimistas. Jamais em minha vida imaginei que existesse gente a favor de imposto. Morro e não vejo tudo. ACarlos

  11. Gozado 60% são contra a Dilma mas quantos elegeram o Requião que é quem esta defendendo a CPMF lá em Brasília este povo tem que calar a boca e pagar não elegeram este cretino , agora aguentem, parabéns para quem elegeu Gleise e Requião, tai o resultado e podem esperar que vem coisa pior por ai , isto é so o começo.

Comente