Uncategorized

Pessuti nomeia nova desembargadora

Do Bem Paraná

O governador Orlando Pessuti nomeou hoje a advogada Ivanise Maria Tratz Martins para o cargo de desembargadora do Tribunal de Justiça do Paraná.

Ela integrou a lista sêxtupla proveniente do Quinto Constitucional na vaga destinada a OAB/PR e vai ocupar a vaga de Fernando Vidal de Oliveira que se aposentou por idade. O Tribunal de Justiça do Paraná deve definir a data da posse dos novos integrantes nos próximos dias.

Advogada há mais de 17 anos formada pela Faculdade de Direito de Curitiba e mestre em Direito das Relações Sociais pela Universidade Federal do Paraná, Ivanise tem 43 anos e esta é a segunda vez que seu nome integra a lista tríplice do Tribunal de Justiça. “A OAB/PR é muito criteriosa na escolha dos nomes para a lista sêxtupla. Por isso a indicação do meu nome pela OAB, a inclusão na lista tríplice do TJ/PR e a nomeação é motivo de alegria, mas também é uma grande responsabilidade”, disse a nova desembargador

21 Comentários

  1. Uma grande perda para o Paraná não ter sido nomeado o Dr. José Hipólito que figurava como favorito em ambas as listas!

  2. OLHA O SORRISO DA DOUTORA.
    EITA FELICIDADE.
    GARANTIU R$ 25.000,00 MIL REAIS POR MÊS ATÉ OS 70 ANOS, OU SEJA, POR 27 ANOS.

    ASSIM ATÉ EU FICARIA COM ESSE SORRISO

  3. Brincadeira hein….com a Prof.Dra. Marcia Carla Pereira Ribeiro na lista ele utiliza um critério questionável para fazer uma indicação mais questionável ainda.

    CHEIRO DE PRECATÓRIOS NO AR!!!

  4. Parabéns Drª Ivanise Maria Tratz Martins, pois para chegar a um cargo deste deve se ter competência e dedicação no que faz, mais uma vez parabéns e boa sorte nesta nova empreitada. Newton Cesar
    ( Acadêmico de Direito).

  5. Vigilante do Portão Responder

    É uma profissional COMPETENTE, com também o é a Professora Marcia Carla.

    Parabéns, votos de sucesso.

  6. Pois é, O que se esperava era a indicação de Dr.Hipólito o PRIMEIRO colocado da lista de indicadores

    MAS pessuti passou por cima e indicou a pau mandado.

    Agora, nos resta desejar sucesso e juízo a ela.

  7. newton cesar está certo….juventude com competência
    que Deus ilumine a carreira da Dra.

  8. Ela vai se aposentar com cinquenta anos ,com salario de 22000 mil reais ,vai viver noventa ano,por causa dos bons planos de saude e a pouca insalubridade da profissao que e”quase nao faser nada,e eu ,meus filhos ,meus netos,ira ajudar a pagar essa polpuda aposentadoria e se duvidar ainda a embalsamao ela e vai ficar ganhando toda eternidade

  9. Mas vocês são oreias mesmo!! Nesta lista não existe Primeiro, Segundo ou Último colocado!!!

  10. Me desculpe, Newton Cesar, mas tenho subsídios para discordar de vc !

    Ela foi minha professora na FDC e não passava o mínimo de confiança e credibilidade aos alunos.

  11. A Marcia Carla era sem dúvida o melhor nome. Mestre, Doutora e Pós-doutora. Professora e doutrinadora. Melhor curriculum, mais experiência. O José Hipólito é um advogado experiente, tarimbado. A ilustre escolhida tem marido advogado que atua em grandes questões… A bem da verdade, o quinto constitucional é um instituto que deveria ser abolido do sistema, pois magistrado tem que ter vocação, passar por concurso público. O poder ou é exercido por quem foi eleito pelo voto ou por concurso público. Só o quinto constitucional fica à mercê de critérios estranhos. Tem que puxar o saco de muita gente para chegar lá.

  12. Adocica meu amor, adocica!!! Responder

    Nada contra a indicada, mas ela está anos luz atrás da prof. Marcia Carla (uma das maiores autoridades em Direito Empresarial do Brasil).

    Uma pena, mais uma vez, ter reinado algum mando político ou interesse pessoal.

  13. Que comentários maldosos ta até parecendo dor de cotovelo!!! Parabéns Pessuti pela escolha e Parabéns Ivanise pela competência e dedicação !!

  14. PARABÉNS A NOVA DESEMBARGADORA DRA IVANISE, com certeza merecedora deste cargo, não faltará oportunidade para os demais candidatos, que na sua hora chegarão lá, mas o momento de colher os frutos de muito trabalho e dedicação é seu Dra. Ivanise, confiamos na sua competência e mostraremos aos demais que o seu trabalho será feito com excelência como tudo o que fez até aqui…. Sucesso…

    ( Advogada )

  15. advogada ELISABETE SCHLICHTING Responder

    Parabéns! Dra. Ivanise é gratificante saber que o nosso Tribunal receberá mais uma profissional competente, com garra, personalidade e principalmente coerência.

    Com certeza a Dra. Ivanise faz jus ao cargo de Desembargadora….

    O Paraná agradece.

  16. Aquilo ali é pérola de verdade???
    Mas quanta !
    Teve até que fazer um laço pra não arrastar no chão!
    Hahahahaha
    A gente perde a lide mas não perde a piada.
    Hahahahahahahahaha

  17. Uma passarinho verde me contou : Que ordenou a indicação foi a Dona Regina Pessuti a efetiva Governadora do estado.

  18. João Carlos Horizonte Responder

    A nomeação atende a todos os critérios legais, morais e éticos, além de ser pessoa de notório saber jurídico.
    O que considero equivocada é toda a forma de escolha, uma pessoa alheia ao meio jurídico e judiciário (há uma grande diferença nisso) decide por toda uma categoria, o que é um grande equívoco!
    Nos estados do nordeste, há eleição direta pelos advogados para a composição das listas sêxtuplas na OAB. Um critério democrático e que traduz com fidelidade a indicação do quinto constitucional. Depois, nem o Tribunal, nem o Governador tem coragem de fugir da escolha direta dos advogados.
    O cargo de desembargador não poderia ser de escolha política, discricionária, do Governador, pois não é um cargo político, como um Ministro da Suprema Corte, mas algo que deve ter a chancela das categorias representadas nos quintos constitucionais, portanto, assim também deveria ser em relação à vaga do MP, uma escolha direta pela categoria e envio da lista para o TJ, que filtraria respeitando a vontade da base, e enviaria ao governador, que se curvaria à escolha.
    Com todas as vênias à indicada, realmente capaz e competente, e que será uma grande desembargadora, mas a realidade é que hoje (e desde sempre…) nós sabemos o pai de cada criança nomeada nos quintos constitucionais, e isso está ERRADO!!

Comente