Uncategorized

Ministros de Dilma poderão nomear sete
mil sem concurso

Da Agência Estado

Se existisse uma cidade chamada Cargolândia, habitada por ocupantes de cargos de livre nomeação à disposição do governo Dilma Rousseff, ela teria cerca de 7 mil moradores, população superior à de 1.967 municípios brasileiros.

O mapa publicado com os prédios da Esplanada dos Ministérios distorcidos de acordo com o número máximo de funcionários “de confiança” que cada pasta poderá abrigar, é uma tentativa de dimensionar essa Cargolândia – superestimada pela oposição, minimizada pelo governo e desconhecida por quase todos.

Durante a campanha presidencial, o tucano José Serra atacou em diversos momentos o loteamento político da administração federal – em debate com a adversária Dilma, citou o número de 21 mil cargos, “a maior parte voltada a partido, a companheiro”.

Levantamento feito pelo Grupo Estado, porém, revela que são pouco mais de 7.060 os funcionários que os futuros ministros poderão nomear sem a necessidade de concursos públicos. Se todos esses cargos forem ocupados, os salários consumirão cerca de R$ 34 milhões por mês dos cofres públicos.

O número citado por Serra é o total dos chamados DAS, cargos comissionados exercidos por quem tem função de chefia ou direção e pela elite dos assessores de ministros e secretários. Em julho passado, o governo abrigava exatamente 21.623 funcionários com DAS. Mas um decreto assinado em 2005 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva determina que a maioria desses cargos seja preenchida por servidores públicos concursados – em tese, isso reduz a influência política nas nomeações. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

8 Comentários

  1. Kassiana Rinaldy Responder

    Somente em tese isso funciona, os DAS continua sendo ocupado por pessoas que tem padrinhos politicos, quem não tem… fica sem, ou seja, essa historia de nomear somente quem é concursado é tudo balela, para encobrir apadrinhamentos e amigos. Quem pode liberar ou facilitar o acesso a derteminados departamentos deve obidiencia a seu padrinho, e isso infelizmente acontece nesse governo, como acontecia nos anteriores, só que esse governo criticava o anterior e faz o mesmo. Em Brasília vivemos uma violência velada, onde tudo e qualquer coisa pode se virar contra você. Temos uma situação parecida com o do Rio, sem a violencia explicita. O que amedronta ainda mais.

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    É o chamado processo de aparelhamento do Estado, o primeiro passo para o Estado Totalitário, depois o Cala Boca, Imprensa.

  3. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Ceramente serão nomeados populistas, pensando nas próximas eleições. Dilma, pra mim, não passa de uma incompetente.

  4. Caçador Demo Tucanalha Responder

    E quantos cargos Beto Richa vai nomear sem concursos?? Acho que a noticia tem dois lados mas o blogueiro so mostrou um…

  5. Então faz o seguinte, manda os servidores concursados embora, já que pelo visto eles não tem serventia, e fica só com os amiguinhos, já que eles devem ser muuittooo competentes.

  6. Concordo com a Cintia, queria ver os comissionados carregarem o piano ao invés de só ficar tocando…………….hehehehe

Comente