Uncategorized

Pessuti remanejou
R$ 290 milhões do orçamento

No mês de novembro, a Imprensa Oficial já publicou 15 Diários Oficiais do Executivo (do dia 3 ao dia 24). Desse total, em cinco Diários Oficiais há decretos do governador Orlando Pessuti que movimentam o orçamento (crédito suplementar) em diversas pastas para cobertura de rombos. Algumas obras ou programas foram cancelados ou reduzidos para o pagamento de dívidas.

Em 60 decretos, o governador Pessuti mudou o destino de R$ 290.773.302,00. Áreas da Saúde, Educação, Transportes, Turismo, Desenvolvimento Urbano, Obras Públicas, Depen, Meio Ambiente e universidades estaduais, entre outras, foram sacrificadas. Os decretos que mais chamam atenção são o 8.738, que altera o destino de R$ 149.631.000,00 para cobrir rombos em várias pastas, e o 8.714, que reservou R$ 40.943.616,00 para pagamentos de precatórios, que ainda não foi revogado.

Outros dois decretos (8.735 e 8.774) mudaram juntos o caminho de R$ 27.499.477,00 dentro da Secretaria dos Transportes. Essa quantia estava destinada para a “construção, restauração e manutenção de rodovias” no Estado.

12 Comentários

  1. É ESSA QUESTÃO DOS PRECATÓRIOS FEDE SAFADEZA TAÍ PARA O MINISTERIO PÚBLICO UM BOA INVESTIGAÇÃO.

  2. Pansutti acha que todo mundo é bobinho e não vê o que ele está tentando fazer. Para os políticos isso é normal, esta no DNA, é só se apropriar de dinheiro público que não tem dono (acham eles). É vergonhoso o nível dos nossos políticos e de suas mulheres (a rainha dos arquivos da assembléia). Esta viagem dele para a Itália deveria ser investigada. Cheira mal.

  3. Amanha ninguem vai lembrar de mim, não serei mais nada, nem me interessa o que falam por aí, fiz a festa dos amigos do pessuti.
    O povo? Uma banana para o povo! Que se dane.

  4. FALTAM APENAS 22 DIAS ÚTEIS PRA ACABAR O GOVERNO-TAMPÃO DESSE SENHOR!
    FASE MAIS RIDÍCULA DA HISTÓRIA DO PARANÁ!

  5. Esse sapo gordo devia pegar 100 anos de cadeia….não se elege no Executivo nem pra Sindico de Zona.

  6. Enquanto uns acreditam ser um oportunista desqualificado enquanto outros pensar ser um um incompetente vislumbrado.
    É no que dá apoiar o PT votando junto com o PMDB,
    E assim segue a desconfiguração idealista longe da premisssa do bom paranaense.

  7. essa boquinha do pessuti,parececapivara em banco de areia,despejando o que pastou durante o dia

  8. Quando o pobre rouba, é chamado de ladão, já o rico é cleptomaniaco.
    Quando o pobre toma todas, é chamado de bêbado ou cuzido, já o rico, toma socialmente.
    Quando o pobre usa drogas, é chamado de viciado, já o rico é dependente químico.
    Quando o pobre dá o FIOFÓ, é chamado biba, bichinha ou viadinho, já o rico é homosexual(com direitos respeitados pela sociedade).
    Quando o pobre fica doido e quebra tudo, é chamado de louco, vem a polícia e arrebenta o coitado no cacete, já o rico tem transtorno bipolar e é emcaminhado a uma clinica para ser tratado.
    Quando o pobre chora e sai andando pelado pela cidade, é doidão e vai preso por atentado ao pudor, já o rico é depressivo e precisa de acompanhamento médico.
    Quando o Político passa a mão na grana do povo, fala-se em REMANEJAMENTO DE VERBAS, E SE FOSSE UM POBRE? ERA ROUBO, CADEIA E CACETE.
    ESSE É O BRAZIL….COM Z……DE ZONA………ORDEM E PROGRESSO JÁ ERA……

  9. Luís Adolfo Kutax Responder

    Todos os dias os Municípios e Estados fazem e de forma muito constante, e com certeza o futuro governador assim procedia em Curitiba, pois trata de ato de gestão com requisitos legais a serem cumpridos, ou seja, REMANEJA-SE O ORÇAMENTO 2010, SEM “MEXER” NO ORÇAMENTO DO PRÓXIMO GOVERNO, E PARA TANTO EXISTE REGRAS LEGAIS A SEREM CUMPRIDAS.

    Trata-se de abertura de crédito adicional destinados à suplementação da dotação orçamentária, e para cobertura de tal crédito deve ser utilizado como recurso o cancelamento parcial de dotações orçamentárias do orçamento corrente.
    Quando se trata de matéria orçamentária, a legislação indica a competência exclusiva do governador (no Estado), para a abertura de créditos adicionais suplementares.
    A operação de abertura de crédito adicional suplementar está prevista nos artigos 40 e 41 da Lei Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964, que estatui normas gerais de direito financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, conferindo embasamento legal para a realização de abertura de créditos adicionais suplementares para o reforço de dotações do orçamento em curso.

  10. Esse “remanejamento” vai pura e simplesmente tampar a lacuna da corrupção como o governo troca de mãos, os desvios aparecem se não forem cobertos a tempo por isso que professor policial e medicos ganham tão mal, pois quem ganha bem entra no estado pelo “concurso eleitoral” entra, saqueia e some. e agente ainda engole o Remanejamento.

Comente