Uncategorized

O Paraná parou

E a economia está sendo“empurrada com a barriga”

Editorial do Hora H

Próximo ao fechamento das cortinas do mandato do governador Orlando Pessuti, a plateia paranaense assiste um verdadeiro descaso na condução da política econômica do Estado.

O grave quadro das finanças do Estado do Paraná não é especulação.

No mês de novembro a Imprensa Oficial publicou Diários Oficiais do Executivo onde há decretos do governador Orlando Pessuti que movimentam o orçamento (crédito suplementar) em diversas pastas para cobertura de rombos. Algumas obras ou programas foram cancelados ou reduzidos para o pagamento de dívidas. Por outro lado, medidas tomadas pelo atual governo do Paraná, como benefícios fiscais, antecipações de receita e licitações, vão comprometer a receita do Estado em 2011.

É fácil acompanhar, pois é oficial. Em 60 decretos, o governador Orlando Pessuti mudou o destino de R$ 290.773.302,00. Áreas da Saúde, Educação, Transportes, Turismo, Desenvolvimento Urbano, Obras Públicas, Depen, Meio Ambiente e universidades estaduais, entre outras, foram sacrificadas. Os decretos que mais chamam atenção são o 8.738, que altera o destino de R$ 149.631.000,00 para cobrir rombos em várias pastas, e o 8.714, que reservou R$ 40.943.616,00 para pagamentos de precatórios, que ainda não foi revogado.Outros dois decretos (8.735 e 8.774) mudaram juntos o caminho de R$ 27.499.477,00 dentro da Secretaria dos Transportes. Essa quantia estava destinada para a “construção, restauração e manutenção de rodovias” no Estado.

A conclusão é essa : boa parte desse dinheiro servirá para cobrir rombos de secretarias. O Paraná parou. A economia está sendo empurrada com a barriga . Esse é o quadro dos oitos meses de mandato de Pessuti. E também é o que avaliam as principais entidades empresariais, que representam os segmentos da área produtiva, como agricultura, indústria , comércio e também de serviços.

Ao contrário de anunciar medidas que animassem o setor produtivo, as recentes notícias que os paranaenses viram foram de muitas empresas tradicionais que estão mudando de donos, como o Café Damasco comprada recentemente por um multinacional eViação Garcia, por um grupo de investidores paulistas e gaúchos. Ou de outras que estão atravessando difi culdades como a Positivo Informática que com lucro em queda inicia cortes que inclui a demissão de gestores. A situação para a livre iniciativa refl ete bem, por exemplo, a incompetência da Secretaria de Estado da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, que não apresentou nada de concreto em defesa das empresas paranaenses.

Na polêmica questão dos pedágios, por exemplo, Pessuti deveria ter feito uma negociação com as concessionárias e evitar as seguidas derrotas judiciais.

Como se sabe as tarifas do pedágio constituem um importante gargalo logístico indireto em função de seus altos valores, que oneram os custos de produção. Essa questão não recebeu o adequado tratamento técnico e jurídico, ficando o governo, inclusive, aquém da utilização plena dos dispositivos legais a ela pertinentes.

Outro problema deixado de lado diz respeito a Malha Rodoviária Estadual que apresenta péssimas condições de conservação, prejudicando a logística de transportes de produtos.

Quando assumiu o governo, Pessuti anunciou planos que exigiriam uns quatro anos de poder. Mas esqueceu de gerenciar os cofres combalidos do Estado. Com isso deixa o Paraná com os fantasmas financeiros que deverão assombrar não só os novos governantes , mas o Paraná com um todo. No fi nal das contas, é possível concluir que a economia paranaense, fundada sobretudo na atividade agropecuária, acarretará mostras de dificuldades cada vez maiores no futuro. Estamos diante de um quadro, deixado pelo governo Pessuti, que vai comprometer profundamente a economia estadual. Ou seja, um grande desafio para o novo governo que assumirá no início do ano.

E com certeza ninguém pano-de-fundo seja uma crise econômica e social.

24 Comentários

  1. Fábio,

    Eu, em junho deste ano, fui à Fundação Araucária checar com a Diretora de Pesquisa de lá, sobre uma aluna de doutorado de minha universidade que tinha 4 bolsas. Até hoje aguardo a jurídica daqui de minha univ. e da Fundação Araucária.

  2. rodovia que liga toledo a br 277- que e a pr 586 esta um caus buraco na pista e gastarao um grana preta na reforma mais antes do der faze as faixa de sinalisacao o propio der teve de faze tapa buraco uma vengonha ???????????????????????

  3. Clayton Guimarães Responder

    Esse jornal Hora H é brincadeira. Passou 08 anos mamando nas tetas do Requião e Pessuti, agora tenta armar o circo para puxar o saco do Beto Richa. Que jornalismo fuleiro!

  4. Ammarante mello rego Responder

    Hoje estou tao apertado que so” precisava dos tres primeiros digitos depois da virgula,de toda essa montanha de dinheiro

  5. CAMBADA, CORJA DE “FARABUTTOS” (canalha, malandro, safado, vigarista, trambiqueiro, trapaceiro, cafajeste, patife, sem caráter, pilantra). NÃO ESQUEÇAM DESSES DOIS, RICOS JÁ ESTÃO,PORÉM, NÃO MERECEM SER CUMPRIMENTADOS QUANDO COLOCAREM SUAS CARAS DE PAU NAS RUAS.

  6. Luís Adolfo Kutax Responder

    A Lei de Responsabilidade Fiscal é muita clara e não deixa qualquer dúvida:
    “Art. 42. É vedado ao titular de Poder ou órgão referido no art. 20, nos últimos dois quadrimestres do seu mandato, contrair obrigação de despesa que não possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja suficiente disponibilidade de caixa para este efeito.
    Parágrafo único. Na determinação da disponibilidade de caixa serão considerados os encargos e despesas compromissadas a pagar até o final do exercício.”

    Está algo errado, pois ao ver na mídia tantas notícias tentando baixar a credibilidade do Pessuti, dá a impressão que tudo foi feito à revelia, em desrespeito à Constituição Federal e Estadual, a Lei de Responsabilidade Fiscal, a Lei de Licitações, sem no entanto nunca a oposição se manifestar ou ir à Justiça rever as decisões.
    Tantos argumentos tentando menosprezar o Pessuti, dão a impressão que as promessas do próximo governo foram acima do que o Estado pode suportar, embora já tivessem conhecimento do orçamento de 2011, que esteve ao clivo de todos os deputados da Assembléia, todos, inclusive PSDB.
    Pessuti está executando o Orçamento 2010, aprovado em 2011, com os remanejamentos que a dinâmica orçamentária exige, pois, a exemplo os Municípios e Estados fazem e de forma muito constante, e com certeza o futuro governador assim procedeu quando prefeito em Curitiba, pois trata de ato de gestão com requisitos legais a serem cumpridos.

    Segue em frente Pessuti, seu governo termina em 31/12/2010.

  7. Eles se merecem!
    Um pior que o outro.
    Quem sabe um estágio lá em Catanduvas não venha a calhar?

  8. Mírian Waleska / Dois Vizinhos Responder

    é… segue em frente Pessuti, pode continuar quebrando o estado do Paraná, o amigo aí acima acha que o Sr. está certo, com certeza essas atitudes suas não atingirão a escola do seu filho, a saúde do estado, enfim, segue em frente Pessuti e nunca mais sonhe com candidatura a cargo algum dentro do Paraná, o Beto Richa com certeza saberá o que fazer com a bagunça resultante de inconformismo eleitoral de quem lhe apoia, segue em frente Pessuti, vai seguindo, pega o trevo e continua indo… vai….segue em frente até sair do estado, continue em frente Pessuti e leve com voce quem apoia tanto descaso com o Estado do Paraná. Já foi?

  9. Agora o Cícero Cattani vai querer sugar o Beto Richa. É um esperto. Mamou no Requião por oito anos e já esta chutando cachorro morto ( Rec dolar e o Pansutti precatórias).

  10. Delegado de Londrina Responder

    Isso é culpa desses dois aí…o Pe$$uti e o Requi Gardenal….e o povo ainda vota nisso….coitado do Paraná…

  11. Vigilante do Portão Responder

    O Luís Adolfo está enganado.

    Acontece que as despesas programadas para o ano vindouro, estão baseadas em um “suposto” aumento de arrecadação.

    Gosto de citar o exemplo das prefeituras e do FPM.

    Pois é, no ano de 2009, a União, através do Ministério do Planejamento, fez uma previsão de arrecadação e, por consequência de valores do FPM.

    Acontece que as “previsões” não se confirmaram e o FPM foi reduzido.

    Assim, aqueles municípios que “gastaram” a grana, contando com o aumento na arrecadação, NÃO CONSEGUEM QUITAR AS CONTAS.

    A equipe de transição está sendo APENAS CONSERVADORA. Não quer fazer despesa, sem ter certeza da fonte de custeio.
    Caso, no decorrer do exercício, a arrecadação confirme as previsões de crescimento, então será hora de aumentar as despesas.

  12. Joaquim Botelho Pinto Responder

    O playbeto quando chegar no palácio iguaçu, irá ter um “choque de má digestão”. Mas vem cá, só agora descobriram que o Paraná quebrou?
    Quem mandou você votar no nepotão de mello e silva e em seu veterinário, o panssutão? Agora aguenta.

  13. SÓ ESPERO Q POR CONTA,DA MÁ ADMINISTRAÇÃO DESSE GOVERNO ATUAL,Ñ ACHEM DESCULPAS PARA Ñ PAGAREM O SUBSÍDIO DA SEGURANÇA PÚBLICA,Ñ NOS DECEPCIONE GOVERNADOR ELEITO BETO RICHA.SE TEU GRANDE PAI FOSSE GOVERNADOR HOJE,ESTARIAMOS GANHANDO R$ 5.000.00,POIS ELE NOS PAGAVA EM TORNO DE 10 SALÁRIOS MINIMOS NA ÉPOCA,ESPERAMOS A MESMA ATITUDE SUA EXCELÊNCIA;O ESTADO DO PARANÁ É UM ESTADO RICO,E TEMOS CERTEZA Q O SR.TEM COMPETÊNCIA DE GOVERNAR BEM,O NOSSO QUERIDO PARANÁ.

  14. João Pimentão . Responder

    Não tem problema não, dia 1º de janeiro isso tudo muda . Fora cambada…… a Era Pessuti esta no fim , faltão menos que 30 dias . O Povo paranaense agradece.
    Aos professores resta lembrar que o remoção estava pronta pra sair , as progressões etc… Agora a SEED ta virada de ponta cabeça , ninguém sabe de nada , como se diz Danem-se os professores , estamos de malas prontas , com certeza a maioria pra Jardim Alegre e Ivaiporã. o Senhor Altevir com certeza não saberia administrar uma Secretaria de Educação. Muito trabalho pro Senhor Governador Beto Richa .

  15. Apesar de todo este descalbro, tem otário que garantiu mais 8 anos de impunidade para Maria Louca. E outros desinformados dizem que o desgovernador Pançuti é o cara. Depois querermos que com uma dupla destas que o Paraná vá para frente. Impossível. ACarlos

  16. Caro Vigilante do Portão, inicialmente, o Beto vai ter o Sebastiani atuando nesta área, e quando se trata do Sebastiani, sem dúvida, um dos melhores nesta área no Paraná.
    Porém, embora seus argumentos sejam bem adequados, a LRF é muito clara neste sentido ao informar em seu artigo 42: “É vedado…contrair obrigação de despesa … sem que haja suficiente disponibilidade de caixa…”
    TUDO DENTRO DA LEGALIDADE, POIS ESTÁ EXECUTANDO RECEITAS E DESPESAS DO EXERCÍCIO DE 2010, ALIÁS ORÇAMENTO ESTE APROVADO PELA ASSEMBLÉIA E PELOS DEPUTADOS DE APOIO DO FUTURO GOVERNO EM 2009.

    A Lei de Responsabilidade Fiscal é muita clara e não deixa qualquer dúvida:
    “Art. 42. É vedado ao titular de Poder ou órgão referido no art. 20, nos últimos dois quadrimestres do seu mandato, contrair obrigação de despesa que não possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja suficiente disponibilidade de caixa para este efeito.
    Parágrafo único. Na determinação da disponibilidade de caixa serão considerados os encargos e despesas compromissadas a pagar até o final do exercício.”

Comente