Uncategorized

Reforma do Palácio Iguaçu custou 32% a mais

Sandro Moser da Gazeta do Povo

Restauro do prédio, que será reinaugurado no próximo sábado, foi orçado em R$ 23,5 milhões, mas sairá por R$ 31 milhões.

A obra de reforma do Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, custou R$ 7,5 milhões a mais do que o valor inicialmente previsto. A restauração do prédio, que está em fase final de acabamento, custará R$ 31 mi­­lhões – ou 32% além dos R$ 23,5 milhões orçados pela empresa que venceu a licitação para executar o serviço.

O prédio – que passou pela primeira grande reforma desde 1953, quando terminou sua construção – será reinaugurado pelo governador Orlando Pessuti (PMDB) com uma festa no próximo sábado, após cerca de dez meses de restauro.

O secretário estadual de Obras Públicas, Julio Araújo Filho, explica que o aumento de custo na reforma do palácio ocorreu devido a “surpresas” encontradas durante a execução das obras. “Acontece em toda obra de reforma, quando você sai do projeto para o canteiro de obras”, diz o secretário.

O engenheiro responsável pela reforma, Fredy Chevalier, diz que as principais dificuldades foram encontradas quando se iniciou a demolição de pisos e paredes de mármore deteriorados no interior do prédio. Segundo ele, a reposição das pedras, de acordo com o previsto no projeto original, foi a principal razão do estouro do orçamento.

Walter Alves/ Gazeta do Povo / Polêmica: escada ganhou guarda-corpo de acrílico Ampliar imagem

Walter Alves/ Gazeta do Povo
Walter Alves/ Gazeta do Povo / Os vidros ficaram esverdeados (na imagem, operário trabalha com imagem da bandeira da praça refletida na fachada do palácio) Ampliar imagem

Walter Alves/ Gazeta do Povo
Walter Alves/ Gazeta do Povo / Ampliar imagem

Walter Alves/ Gazeta do Povo
Walter Alves/ Gazeta do Povo / O novo interior. Ampliar imagem

Walter Alves/ Gazeta do Povo
Walter Alves/ Gazeta do Povo / Ainda em obras: operários trabalhavam em andaimes nos corredores internos Ampliar imagem
Anterior
1 – 2 – 3 – 4 – 5
Próxima

Polêmica: escada ganhou guarda-corpo de acrílico

Os vidros ficaram esverdeados (na imagem, operário trabalha com imagem da bandeira da praça refletida na fachada do palácio)

O novo interior.

Ainda em obras: operários trabalhavam em andaimes nos corredores internos

Além disso, aponta Chevalier, outros contratempos ajudaram a encarecer o custo e a atrasar cronograma das obras. “No terceiro e quarto pavimentos, por exemplo, havia um piso elevado de argamassa, do qual não se tinha conhecimento. Todo esse piso teve que ser demolido.”

O secretário de Obras afirma, entretanto, que mesmo com os acréscimos de despesas a equação entre preço e metragem está dentro dos padrões de mercado. “É preciso levar em conta a dimensão da obra e o cuidado que precisamos ter em preservar o espaço histórico.”

Canteiro de obras

Na última quinta-feira, a reportagem da Gazeta do Povo visitou o Palácio Iguaçu e encontrou o prédio ainda em obras. Mas, a menos de uma semana da reinauguração, cerca de 300 operários estão trabalhando, em três turnos, inclusive neste fim de semana, para que tudo esteja pronto para a festa do próximo sábado.

Apesar disso, o próprio secretário de Obras admite que a reforma pode não estar totalmente concluída no dia da reabertura. “Garanto que o prédio estará integralmente pronto no dia da inauguração. O paisagismo e a área externa [onde fica a sede da Casa Militar e o novo heliponto] ainda terão que ser concluídos até o dia da posse do novo governador [1.º de janeiro]”, diz Araújo Filho.

Orgulho e apreensão

Juntamente com o engenheiro Fredy Chevalier, os arquitetos Edson Klotz e Leila Levandoski, do setor de projetos especiais da Secretaria de Obras, “moraram” no Palácio Iguaçu nos últimos meses. Agora, eles olham a aproximação da data de entrega da reforma com um misto de orgulho e apreensão. “É um trabalho de equipe que nos causa muito orgulho, mas também nos dá muita responsabilidade. Precisa­­­mos ser rigorosos na manutenção do projeto original [da década de 50] e combiná-lo com as novas normas de segurança e acessibilidade. Tudo isto tentando gastar o mínimo possível de recursos públicos”, afirma o arquiteto Klotz.

19 Comentários

  1. Ammarante mello rego Responder

    gosado,parece que esse numero de 32% e” magico ,reforma do palacio,obras do pac reajustedos funcionarios, sera que as comiçoes tambem estao em 32%?

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    Chevalier tem razão. Qualquer camarada que se disponha a fazer ou reformar uma casa e recebe um orçamento de R$X, pode preparar R$Y. Piora quando no andamento da obra, a mulher dana a dar pitaco. Calma, dona Regina, nada a ver…

  3. Ponho minha mão no fogo que aí tem o dedo do “ligeiro” chefe do cerimonial do governo, o $er pen$ante do finado Carvalhinho, Domingos Portilho… 7,5 milhões é pouco para ele, mas…

  4. Vigilante do Portão Responder

    Sou insuspeito para defender o governo.

    Entretanto, obras SEMPRE custam mais caro do que o valor orçado.

    Experimente fazer uma obra em casa.
    Na previsão sai por R$10mil. Gasta-se R$20mil.

  5. Pedro Malazartes Responder

    Amarante: Sete erros numa linha é de lascar. Ao menos, grafe o seu nome com iniciais maiúsculas.

  6. E as bermudas para os PMs na operação verão 2010/2011 alguém às viu? …. a 4ª parcela do aumento salarial? … talvez o 13º salário? tudo sumiu no Governo do 8 anos do Paraná velho de guerra.

  7. Pura burrice isso, comparem as obras do Palácio Iguaçu com a do Palácio do Planalto, três vezes superior.

  8. ADITIVOS SEMPRE SÃO SUSPEITOS!
    EM GERAL 90% TEM ESQUEMAS ENORMES POR TRÁS.
    NO PORTO JÁ ESTÁ ACERTADO + 25% PARA OBRA DE REFORMA DO CAIS QUE NEM COMEÇOU.
    SERÁ QUE BETO JÁ SABE E VAI BARRAR ESTA ARAPUCA ARMADA?
    TEM GENTE GRANDE DE OLHO.
    ESSA REFORMA DO PALÁCIO IGUAÇÚI DEVE TAMBÉM SER ANALISADA POR TCE, MIN.PUBLICO E DEMAIS E ASSEMBLEIA….. ETC
    TEM JACARÉ NO LAGO!

  9. Seria melhor se a capital do Estado fosse transferida para a regiao central do Paraná.

    Estaria muito mais acessivel a todos os paranaenses e eliminaria a miseria em que vive o povo daquela regiao.

  10. Quem acompanhou a obra diz que foi uma loucura a desorganização do canteiro, sendo um bom exemplo o fato de que depois de todo o gesso ter sido colocado o mesmo teve de ser destruído para instalarem os cabos óticos e as demais fiações.

    Neste caldeirão de incompetência quem no final paga é o povo, pois os impostos arrecadados saíram de nossos bolsos.

    Os técnicos e operários dizem que a obra só ficará pronta depois de maio.

    Tal qual o Requião inaugurou hospitais que não estavam prontos o Pessuti da mesma forma reinaugurará o Palácio.

  11. Parreiras Rodrigues Responder

    Maria do Ingá tem razão. Há tempos atrás, projetava-se a transferência para Pitanga. Um deputado, noutra ocasião, o Paulo Poli, foi levantar a questão num encontro em Umuarama, e teve que sair às pressas, meio corrido. Alguém disse que pela janela.

    Mas que todas as capitais deveriam ser centralizadas, como diria o Piu-Piu no Frajola, ah! isso teria sim, ah! se teria!

  12. GERALDO, onde tem o dedo do ser pensante do Carvalhinho, Dr. Domingos Portilho, tem coisa, ai tem coisa, BETO ao assmir investigue que vai achar maracutaia.

  13. Ao levar em conta a porcaria da administração da SEOP e a bagunça na qual é realizada a fiscalização (basta qualquer pessoa visitar a secretaria e constatar isso), a obra ficou quase pronta e isso já é grande coisa. Erros pitorescos foram constatados, gastos inúteis como o guarda corpos de acrílico só nos mostram o que acontece há décadas: Empreiteiras, diretores, fiscais e pessoas envolvidas com obras públicas lucrando ilicitamente. Já pensaram na caixinha que empreiteiro paga para ganhar edital e para ter o Termo de Recebimento?

    Outro fato, Maria do Ingá tem ótimo argumento sobre transferência de sede administrativa para o centro do estado, porém, o dinheiro fala mais alto aqui em Curitiba, afinal, aonde estão as maiores empreiteiras e os maiores “mama-teta” do Estado?

  14. OUTRA COISA HOJE ESTAVA CHOVENDO, COMO NAO TEM ÔNIBUS ESCOLAR FUI LEVAR MEU FILHO A PÉ COM UM GUARDA CHUVA EM FRENTE A ESCOLA TINHA UM MENINO DESCENDO DE UM CARRO OFICIAL DO ESTADO (MEU DINHEIRO TAMBÉM ESTA PAGANDO ESTE CARRO), ALIAS É O MESMO CARRO QUE DESFILA NOS FINS DE SEMANA COM A FAMILIA DO CIDADÃO…SOCORRO POLICIA, MINISTÉRIO.
    DESCULPEM ACIMA ESCREVI GASETA, CORRIGINDO GAZETA.

  15. joão carlos sorcesse Responder

    Garanto que o LARANJA governador eleito vai fazer mudanças.No paisagismo do palacio, por decreto deverá ser plantado 100 a 200 pés de laranja no jardim e na praça nossa senhora de salete.
    Mudnças também no paisagismo da via verde, mais um pomar de laranjas. Pelo menos para alguma coisa util vai servir aquele desperdicio de dinheiro publico, a principal obra do laranja eleito.

    João carlos

Comente