Uncategorized

Comissão promove evento para discutir reforma Eleitoral

Comissão de Direito Eleitoral da OAB Paraná traz hoje (13) a Curitiba o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Torquato Jardim, um dos relatores da comissão especial do Senado que estuda a reforma do Código Eleitoral.

Em um encontro com advogados, juízes e promotores paranaenses que atuam na área, Jardim falará sobre os principais aspectos da lei que estão sendo revistos. A reunião, às 19h, na sede da Seccional, instaura no Paraná a discussão sobre a nova legislação. O evento é aberto para participação de todos os interessados.

De acordo com o presidente da Comissão de Direito Eleitoral, Luiz Fernando Pereira, com este evento a OAB Paraná inaugura uma programação com vistas a debater as alterações legislativas para o Código Eleitoral, inclusive apresentando propostas.

Além do encontro com o relator, a comissão lançou no site da Seccional uma campanha para recolher sugestões dos advogados, e nos dias 18 e 19 de março deverá realizar outro evento para elaboração da Carta do Paraná, contendo as propostas dos paranaenses para o novo código. “O Paraná, que já é uma referência nessa área, está reunindo a massa crítica do Direito Eleitoral para apresentar a visão que temos da matéria. Com essa iniciativa podemos extrair sugestões que de outra forma que não seriam ouvidas”, disse o presidente da Comissão.

3 Comentários

  1. VLemainski-Cascavel Responder

    Se proibirem a divulgação de resultados de pesquisas e coligações no primeiro turno já será um grande avanço.

  2. Ammarante mello rego Responder

    tem gente que aida ta” teimando com pesquisa,tem mesmo e acabar 70%de todos os deputados e senadores que ainda e” muito e contratar uns dez japones para administrar o pais,donde ja” se viu 1200000000000,00 ate” o meio dia de amanha,cada criança que nasce ja” paga 600,00por mes de imposto,em uma familia casal e dois filhos 2400,00por mes,to ficando biruta,quem fica com tudo isso,meu deus do ceu ,socorro

  3. Primeiro ponto ser mudado acabar com as coligaçãose proporcionais.
    Segundo ponto acabarcom a reeleição elevando para cinco anos de mandato.
    Terceiro ponto acabar com foro previlegiado e tambem a imunidade só valendo quando os mandatarios estiverm em tribuna ou no exercio de suas funções no local no parlamento.
    Acabar com o nepotismo de foram que para um parente de primeiro segundo grau só possa se candidatar ,após dois anos em que o parente
    detentores de mandatos ter cumprido esteparzo sem estar em mandatos.
    Implantar o voto distrital misto.
    Fianaviamento publico de campanha com doação de terceiro unicamente de pessoas fisicas via internet.

Comente