Uncategorized

Cohapar e Caixa Econômica fazem primeira reunião de trabalho do ano

O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Mounir Chaowiche, recebeu, nesta terça-feira (4), os superintendentes e técnicos da Caixa Econômica Federal para discutir o andamento de obras da empresa e a contratação de novos empreendimentos.

“Pretendemos aumentar ainda mais a relação que o governo do Paraná tem com a Caixa e, para isso, vamos dar especial atenção às obras que estão com o cronograma atrasado para, num futuro bem próximo, podermos voltar a contratar novos empreendimentos”, disse Mounir.

Para a contratação de novos empreendimentos, a empresa deve retomar as obras e dar pleno andamento para que a Caixa aceite receber novos projetos. Foi acordado que a Cohapar vai apresentar uma proposta atualizando sua atuação no estado e todas as metas a serem cumpridas.

“A nossa parceria já existe, e agora está ainda mais consolidada. Esta reunião mostrou que a Cohapar está preocupada não só em levantar os problemas atuais, e sim em apresentar soluções para cada questão. Tenho certeza que com a liderança do Mounir a Cohapar, mais uma vez, voltará a ser referência em todo o País”, disse Jorge Kalache Filho, superintendente da região Leste da Caixa.

O superintendente da regional Oeste da Caixa, Claudemir Desto, afirmou que a Cohapar possui um quadro funcional muito competente e que uma parceria ainda mais forte será positiva para o Estado. “É extremamente importante este trabalho de viabilizar a construção de moradias para famílias de baixa renda e, com a estrutura que a Cohapar tem, é um braço fundamental para tanto para a Caixa quanto para o governo federal”.

Olides Millezi Júnior, gerente regional da Caixa, representando a superintendência Norte, acredita na retomada de obras e em novas contratações. “Hoje pudemos perceber que as vamos desenvolver ainda mais parcerias. Com esta nova gestão do governo estadual vamos alcançar o objetivo maior, que é atender cada vez mais paranaenses”, destacou.

“Estamos trabalhando em uma parceria muito produtiva e sólida, que já rendeu muitos frutos à sociedade paranaense. Hoje vislumbramos novas contratações e vamos apresentar um plano de metas para a Caixa. Mas isso vai depender do bom rendimento das nossas obras. Faremos o melhor dentro da Cohapar para que mais pessoas tenham sua cidadania resgatada com a conquista da casa própria”, disse Mounir.

“Só aceitei este grande desafio porque tinha a certeza de que podia contar com a parceria da Caixa e estarei vigilante para que vocês tenham orgulho de serem nossos parceiros. Está nas nossas mãos ajudar a erradicar a miséria e as habitações precárias do Paraná”, finalizou o presidente da Cohapar.

Durante a reunião, Mounir explicou aos representantes da Caixa que a Companhia está estudando uma revisão nos modelos dos projetos. “Queremos adotar um sistema construtivo mais simples, pois é mais prático e racional, além de facilitar a vida das famílias para futuras ampliações”.

8 Comentários

  1. Esta portentosa empresa de economia mista deve, a exemplo do ocorrido no governo Lerner, produzir programas habitacionais elogiáveis, direcionados aos meios urbano e rural, como os prem iados Casa da Família e Vilas Rurais, este último que proporcionou uma mini-reforma agrária, possibilitando o retorno de centenas de fam´lias com vocação agrícola, que haviam, no passado atuado na agricultura. Ainda hoje pergunto: por que o Gov. Requião abandonou uma iniciativa tão importante como essa. Pelo puro espírito de desacreditar todos os programas vitoriosos do governo anterior?

  2. Vigilante do Portão Responder

    Obras atrasadas?

    No Paraná do Requião/Pessutão?

    Não acredito.

    Por falar em COHAPAR, cadê o Rafael?
    Cadê o Doático?

    Auditoria já, nas contas da Cohapar.

  3. Choque de Gestão?! Responder

    Infelizmente esperavam-se mais mudanças na COHAPAR. Era esperada uma revisão da estrutura administrativa da empresa. No entanto, foram mantidas 5 Diretorias e 3 Superintendências, restando mais 3 Superintendências cujos cargos ainda não foram ocupados (provavelmente aguardando as definições politicas). Sendo que um dos Superintendentes nomeados, é o mesmo da gestão anterior e que ficava apenas na região do reduto eleitoral de seu “padrinho político”, sem nada contribuir para a empresa. Porque uma empresa, com pouco mais de 300 funcionários, precisa de uma estrutura tão grande, com 5 Diretorias e 6 Superintendências? Porque não acabar com algumas Diretorias e unificar algumas outras Diretorias? Por que ter Superintendentes? Infelizmente mudam-se os governantes, mas as práticas e jogos políticos continuam os mesmos. É esse o famoso “Choque de Gestão”? Será que só o Diretor-Presidente da COHAPAR é quem assinará o “tal contrato de Gestão de Metas” de acordo com o plano de Governo? Fico imaginando, se esse Superintendente da gestão passada, tiver que assinar um contrato de “gestão de metas”, não durará uma semana no cargo. O verdadeiro “choque de gestão” é ter o “choque” que nada mudará na COHAPAR, continuando com as mesmas influencias politicas de sempre.

  4. Afinal… Quanto é que a cohapar está devendo para a CEF???
    Os home da dilma, estão pegando forte para não ficar no preju.
    Abrolhos Mounir…

  5. FC

    Há controvérsias!
    Não será tão fácil assim recuperar o passado recente.
    O Everaldo Moreno ficou 09 meses e apenas iniciou a recuperação.
    Tem muita água para passar embaixo dessa ponte.

  6. Neste “Munier” Beto acertou e na Fernanda. O resto do secretariado não vale o que come.

  7. foi o romanelli quem firmou essa parceria, até o greca vir e destruir tudo… vamos retomar as boas políticas!

  8. Vigilante do Portão Responder

    Aquela obra do Guaraituba, tá pronta?

    “INAUGURARAM” 3 vezes, uma, com a presença do Lula/Dilma.

    Consta que apenas umas 50 casas estão prontas.

Comente