Uncategorized

Professoras demitidas por Pessuti denunciam fraude na investigação

Professoras Ana Lucia de A. Schulhan e Sabrina A. Schulhan, demitidas do serviço público pelo governador Orlando Pessuti no dia 30 de dezembro passado, a seguinte denúncia:

“Ao longo de seis longos meses respondendo a processo disciplinar (PAD) como funcionárias públicas, eu, professora Ana Lucia de A. Schulhan, e minha filha, professora Sabrina A. Schulhan, cumprimos integralmente as normas que regem o comportamento de um integrante da nossa honrada classe, acreditando que tal processo seria conduzido de forma honesta, transparente e com total isenção de interesses.

Infelizmente isso não ocorreu. Ao sermos demitidas no último dia 30, deixamos de nos submeter às obrigações de um funcionário público, nos sentindo livres e na obrigação de informar e esclarecer a sociedade sobre os bastidores de um processo administrativo mal conduzido e referendado pelo então governador Orlando Pessuti.

Somente agora, após termos sido condenadas levianamente, é que acreditamos que o tempo para nos defendermos começou agora. UM NOVO TEMPO…

Eu, Professora Ana Lucia, fui indiciada por omissão nas atividades relacionadas ao Sistema de Central de Viagens por funcionários da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (SUDE).

Também foram indiciados o Superintendente, Luciano Mewes, e sua assistente Rosemari Guidette, bem como as professoras Emilia de Fátima Larocca , Márcia Petrechen e minha filha Sabrina de A. Schulhan.

Os citados acima são professores concursados para a rede estadual de ensino, com exceção do Luciano e Rosemari, comissionados. Por conta disso, nenhum dos dois respondeu ao processo administrativo. A Secretaria de Educação alegou não ter poder legal para obrigá-los a responder por seus atos.

Entretanto, o Sr. Luciano, indicado pelo então secretário de Educação Mauricio Requião, continua a ocupar um cargo de Conselheiro Estadual de Educação, recebendo jetons por conta dos cofres do tesouro público, e tem à sua disposição um Cartão Corporativo para viagens e despesas diversas.

Quanto a Rosemari Guidette, mesmo após a exoneração de seu chefe (em final de abril de 2010) continuou com o cargo comissionado sem função, sem sala, sem computador, até o processo disciplinar ser instaurado, quando, no momento de dar explicações, mandaram-na embora.

JUNTAMENTE COM EMILIA DE FÁTIMA LAROCCA, ROSEMARI CONFESSOU DURANTE AS INVESTIGAÇÕES TER USADO INDEVIDAMENTE OS CARTÕES E AS SENHAS DE UMA GRANDE PARTE DOS FUNCIONÁRIOS DA SUDE, SOLICITANDO, AUTORIZANDO E SACANDO O DINHEIRO DE CENTENAS DE VIAGENS QUE NÃO SE EFETIVARAM, INCLUSIVE COM SEUS ROSTOS FOTOGRAFADOS PELA MÁQUINA DE SAQUE DOS TERMINAIS DAS AGÊNCIAS DO BANCO DO BRASIL.

Ao serem questionadas sobre o destino do dinheiro, alegaram ter entregue “de presente” à Professora Sabrina Schulhan. É oportuno informar que Márcia Petrechen acompanhava Emilia de Fátima Larocca quando das realizações dos saques com os cartões corporativos.

Durante as primeiras semanas do processo administrativo, confiamos sinceramente nas intenções da Comissão presidida pela Chefe da Assessoria Jurídica da SEED, cuja missão era assegurar a ampla defesa dos indiciados com produção das provas que permitissem a conclusão do processo administrativo, apontando as irregularidades,os autores e as providências a serem tomadas.

Acreditamos que todos os erros cometidos durante a Sindicância fossem corrigidos e que os equívocos fossem esclarecidos. No entanto, o que vimos não foi a ocorrência de erros e equívocos, mas sim a montagem de uma sórdida farsa, com um crescente e descarado flagrante cerceamento de nossa defesa, com o indeferimento total das provas por nós requeridas à Comissão Disciplinar. A saber:

– Provas periciais, por meio da Celepar, para identificação dos IPIs das máquinas usadas pelos funcionários cadastrados com senha de acesso ao Sistema Informatizado Central de Viagens. Dessa forma, seria possível rastrear a origem das solicitações de viagens realizadas nos computadores ligados a rede Internet, com detalhamento de hora, data, tempo de atividade; e se haveria mais de um solicitante com a mesma senha trabalhando, paralelamente no Sistema. A produção de tal prova possibilitaria, inclusive, o cruzamento de dados, como o local onde se encontrava o solicitante no momento da solicitação.

– Análise grafotécnica dos comprovantes de saques. Em papel oficio, o comprovante de saque era colado, datado e carimbado com o visto do viajante e do chefe do setor onde o funcionário prestava serviço e, então, encaminhado ao setor financeiro da SEED. Partindo do princípio de que uma boa parte das viagens foi solicitada sem o conhecimento do detentor do Cartão Corporativo, conclui-se que as assinaturas destas Prestações (papelinhas) foram falsificadas. Diante disso, era imprescindível a comparação de assinaturas para fins de confirmação da idoneidade de quem assinou. Entretanto, mesmo sendo tal prova elucidativa e irrefutável, podendo demonstrar, sem dúvidas, quem realmente cometeu o desvio, o pedido foi indeferido, em mais uma clara violação dos direitos garantidos constitucionalmente.

– Auditoria das viagens realizadas por todos os setores da SEED, desde 2003.

– Análise das prestações de Contas de cada viagem realizada desde 2003.

– Depoimentos orais da Secretária de Educação, Yvelize Arcoverde, do ex- Diretor Geral, Ricardo Bezerra, e do atual, Altevir Rocha Andrade. Dos dois Superintendentes, Luciano Mewes e Alayde Digiovane, por serem eles os funcionários que recebiam, todos os meses, os relatórios das viagens, incluindo as pendências das prestações de contas.

– Depoimentos orais de todos os ex e atuais funcionários dos diferentes setores internos por onde tramitavam as solicitações de viagens. Solicitação esta parcialmente indeferida.

– Acareação entre as pessoas que prestaram depoimentos conflitantes durante a Sindicância (e havia muitas!) e entre os próprios indiciados.

A presidente da Comissão, Tereza Cristina Quintilhano, além de demorar dois meses para indeferir as provas, intimou os advogados a apresentar suas alegações finais sem ter sido aberto prazo para a defesa escrita. Declarou, por fim, encerrada a Instrução. MAIS UMA DEMONSTRAÇÃO DA REAL INTENÇÃO DA PRESIDENTE DA COMISSÃO DE SINDICÂNCIA!!!

Não bastasse, a Prof. Tereza Cristina impossibilitou aos nossos advogados o acesso e acompanhamento da Auditoria Interna sobre a Central de Viagens anos 2009/2010. Nunca tivemos acesso à totalidade da Auditoria.

A então Secretaria de Educação Yvelize Arcoverde anunciou publicamente que irregularidades foram encontradas em outros setores e que medidas para apuração dos fatos estavam sendo tomadas. Entretanto, ainda não encontramos no Sistema da Secretaria da Educação os Atos Secretariais determinando estas e outras investigações, que certamente deveriam ter tido o mesmo caráter de urgência e emergência para a SEED e para o Ministério Público.

Pior, a presidente da Comissão, Tereza Cristina, ignorou as regras de um órgão superior que é a Corregedoria do Estado, retendo, desafiadoramente, por três longos meses, a petição pela qual questionávamos a razão de estar a SEED realizando um processo administrativo que, por suas características, deveria estar sob a instância da Corregedoria do Estado, como orienta a legislação.

É importante chamar a atenção para o trâmite previsto para a Central de Viagens, na qual nunca tive qualquer tipo de acesso ao sistema (ou seja, nenhuma solicitação passou por mim), nunca foi cadastrada para operar ou ter qualquer tipo de responsabilidade. Tanto é, que minhas viagens, como Diretora, bem como as da minha equipe, eram obrigatoriamente autorizadas pelo Superintendente da SUDE, Luciano Mewes, que estava cadastrado como chefe imediato ou pela própria Secretária de Educação, todos cadastrados no Sistema Central de Viagens para exercer tais funções. Ou seja, nenhuma solicitação passou por mim e, portanto, não tinha poder de acessar o Sistema para fins de fiscalização.

Justamente por não ter qualquer relação com a Central de Viagens, que nunca recebi qualquer relatório das diárias. Incumbidos de tal função eram o Secretário de Educação, o Diretor Geral e os dois Superintendentes, os quais recebiam mensalmente os Relatórios com todas as despesas da Central de viagens e que tinham o dever funcional de fiscalizar, utilizando todos os recursos e ferramentas gerenciais a sua disposição. Eram estas as pessoas que tinham contato direto com os documentos referentes às viagens.

TODAS ESSAS INFORMAÇÕES CONSTAM DOS AUTOS, MAS, MESMO ASSIM, FORAM TOTALMENTE IGNORADAS PELA PRESIDENTE DA COMISSÃO DE SINDICÂNCIA TEREZA CRISTINA. ELA SOMENTE DEU IMPORTÂNCIA AOS DOCUMENTOS QUE ENTENDEU IMPORTANTES.

A Comissão Disciplinar indiciou-me por Omissão, por não ter fiscalizado os funcionários que atendiam a Central de Viagens, ignorando deliberadamente a especificidade da estrutura organizacional da Central de Viagens, ou seja, tendo a Secretaria de Administração e Planejamento (SEAP) como gerenciadora deste Sistema, que era utilizado por todas as estruturas administrativas do Estado. Os funcionários cadastrados com senha de acesso para operar o sistema central de viagens acumulavam esta função com outras funções dentro dos seus setores. Mas em relação às atividades da Central respondiam diretamente ao grupo financeiro (GFS),vinculado à SEAP. Portanto, neste caso eu não era chefe imediata de nenhum dos funcionários quando estes operavam a Central de Viagens.

Apesar de todas estas irregularidades e sem ter a Comissão apresentado uma prova sequer da minha suposta omissão, o ex-governador Orlando Pessuti, desrespeitando TODOS os trâmites legais, uma vez que não houve análise e emissão de parecer da Secretaria de Administração e Planejamento, da Estrutura Jurídica da Casa Civil e da Procuradoria Geral do Estado – e com base apenas em um processo cheio de vícios e irregularidades, produzido e assinado pela Chefe da Assessoria Jurídica da SEED, Tereza Cristina Quintilhano, assinou no último dia 30 de dezembro a minha demissão, bem como da Professora Sabrina, acabando por corroborar um processo administrativo eivados de falhas, nulidades e interesses obscuros.

A imprensa traduziu muito bem as verdadeiras intenções da Comissão Disciplinar, e a SEED ganhou tempo para, internamente, poder “limpar a área”. Umas das maiores evidências disso está no fato de até hoje ninguém ter vindo a publico informar “como, quem e para onde” “desapareceram” de um galpão as 17 toneladas de documentos comprobatórios de despesas, de recursos humanos, incluindo a Central de Viagens.

Outra importante evidência, e que comprova a real intenção da Comissão do PAD, chefiada pela Prof. Tereza Cristina, é a desconsideração de todos os direitos garantidos pela Constituição ao não permitir que as provas solicitadas pelos advogados fossem produzidas, e ao condenar duas indiciadas contra as quais nenhuma prova existe.

Desde o inicio do processo, seja junto à Secretaria de Educação, seja junto ao Ministério Publico (a quem foi oferecido, desde o início, a quebra de sigilo bancário, fiscal, bem como a entrega de computadores pessoais), a orientação dada aos nossos advogados foi a de que, se necessário, iríamos ate as últimas consequências, de forma a não restar qualquer dúvida sobre nossa inocência.

O que restou de toda esta tragédia?

Uma amarga sensação de que, mais uma vez, no serviço público o mal prevaleceu em todas as suas facetas. De que a cada quatro anos, dentre os bem intencionados que aportam no serviço público, se misturam, com os mais variados disfarces, os aventureiros e os bandoleiros, que não hesitam em lançar mão de todo o poder que o Estado generosamente lhes oferece para aniquilar quem lhes atrapalhar o caminho. Afinal, o tempo é pouco para usufruir de tanto!

Aliás, o Estado corre o risco de nunca mais recuperar muitos recursos públicos desviados, visto que as Auditorias realizadas foram por amostragem e não tiveram efeito conclusivo de desvios. Somente uma investigação profunda e isenta é que poderá garantir se os recursos e o montante de valores foram usados para os devidos fins.

Deixamos, para reflexão, a seguinte pergunta, que há muito nos atormenta: por que essa falta de interesse em “achar” os verdadeiros culpados?”

57 Comentários

  1. A baixa participação popular no processo de fiscalização das contas públicas, bem como o desinteresse da sociedade em participar da política dá espaço para que coisas desse nível ocorram. A ausência do povo na fiscalização e cobrança dos atos dos agentes públicos dá margem aos mal intencionados para qualquer tipo de bandalheira.
    Falta, para todos, entender o significado das palavras democracia e república.

  2. Além de sério isso é muito triste. Não é possível que tudo q acontenceu simplesmente vá cair no esquecimento. Como diz o jogador neto: Tá de brincadeira.

  3. Façam como eu fiz: Durante os anos Requião/Pessuti, sofri perseguição gratuita, aguentei firme, até que inventaram umas calúnias e abriram processo contra mim. Provei e comprovei que eram invencionices e em seguida, movi uma ação de reparação de danos contra as pessoas físicas envolvidas, ou seja, contra o presidente do IAP, contra um diretor e contra o chefe de gabinete. Resultado, em primeira instância, o juiz condenou os três. Agora vai pra segunda instância. Porque não movi ação contra o Estado? Porque eu simplesmente não concordo que EU tenha que pagar indenização para mim mesmo, ou seja, que o dinheiro do meu imposto vá para mau uso do poder público.

  4. Pois é, e esse tempo todo do governo Requião, tendo em boa parte dele to Senhor Maurício Requião como secretario da Educação a pose era de órgão e governo exemplar no que se refere a Educação…Exemplar? Palhaçada isso sim…onde o serviço de palhaço quem o fez fomos nós cidadãos e servidodes públicos da Educação. Mas sempre tive a certeza que Deus existe e nesse caso a prova foi o resultado da eleição pra governador do Paraná que arrastou pra fora do poder essa “turma”. Amém…

  5. Quem deve tem que pagar pelos seus erros não importa se é Professor ou qualquer funcionário público da Educação, Assembléia ou seja qual for.
    Todos que são acusados tem o direito de se defender.

  6. Todos sabiam disso.

    A sociedade, o ex-governador, ex-secretários, ministério público, OAB, imprensa, todos foram CUMPLICES com o que aconteceu na Secretaria de Educação.

    Todos os dias de fato saiam pilhas de papel de lá de dentre e ninguém fez nada.

    Os movimentos pela ética e transparência ficaram calados em razão de algumas verbas publicitárias criteriosamente escolhidas pelo então governador.

    Quem paga tem silêncio.

    A pergunta é: ATÉ QUANDO?????

  7. DR. DIOCLÉCIO SALUSTIANO Responder

    Não causa espanto a informação de que pessoas envolvidas com Requeijão e Pansuti foram massacradas, expostas a vexames publicamente, apontadas como ladras, etc…, em processos eivados de vícios e armações.
    Esse é o expediente desta tchurma.
    Lembro daquela chamada operação grande empreitada, que foi uma farça inventada pelo governo para encobrir a denúncia do pedágio cobrado pelo secretário de comunicação, para cada anúncio oficial, delatada pelo Secretário Mussi.
    Ou então aquela história da magia negra em guaratuba.
    E tantas e tantas outras histórias….
    Ora, ora, todos sabem que tudo isso era pura mentira, criada por uma Maria Louca para perseguir seus inimigos ou encobrir desvios.
    Nunca foi provado nada contra ninguém. E o pior é que quem inventa isso continua solto. ATÉ QUANDO MINISTÉRIO PÚBLICO???
    Schulhan, siga firme e forte porque você vai provar sua inocência e poderá contar essa história com detalhes no futuro.

  8. Se eu fosse o Beto, por uma decisão justa, rebriria o caso e faria uma devassa na Secretaria de Educação. Revogaria as demissões até que finalizasse todo o processo. Depois disso puniria exemplarmente todos os envolvidos, inclusive as que ora denunciam a “armação”. Flavio Arns atenção, faça valer os seus principios e sua honestidade neste caso. O Paraná espera um jeito diferente de governar.

  9. Cade todo mundo Responder

    Só pode ser a lei do Gerson!

    Lendo esses relatos me pergunto por que a RPC, RIC, SBT, CBN, BAND não vão atrás dessa notícia?

    Por que ninguem entrevista no horário nobre essas funcionárias?

    Por que não cobram posição da OAB? Do Ministério Público? Do governador? Do secretário? Dos demais envolvidos?

    A sindicancia foi vergonhosa, assim como a resposta dada a sociedade. Ainda bem que o governo Requião-Pessuti terminou!

  10. E olha gente! Ate agora ninguem descobriu o valor que foi roubado! Tomara que o novo governo faca um pente fino em todas as viagens da Seed , inclusive os resultados das auditorias feitas pela corregedoria e que nao foram divulgados.

  11. Eleutério Langowski:

    A pergunta final dessa notícia é da maior pertinência: porque a “falta de interesse” em achar os verdadeiros culpados ? Apostrofei falta de interesse, mas, melhor diria, que não é falta e sim “interesse falso”.

    O passivo do governo que terminou – mormente no período requiônico – foi várias vezes divulgado neste blog. Assoma a cifra de 3 bilhões ou mais ! É fatura a ser paga pela sociedade.

    Entre eles o passivo judicial do “pedágio baixa ou acaba”, que não baixou, não acabou, só aumentou e ainda implica um passivo judicial para o erário público de cerca de 300 milhões, conforme divulgado pelas próprias concessionárias. Até CPI fizeram sobre o tal pedágio. E onde está o responsável e a apuração da responsabilidade quanto a essas improbidades públicas, mormente essa do pedágio fruto de um estelionato político apregoado em campanha com prejuízo ao erário público ?

    Menos, então: o caso das tv laranjas e seus indefectíveis pen drives ? Certamente já embaixo do tapete. Prejuízo ao erário público irá faturado ao povo paranaense.

    Apontem um ato do extenso rol de denúncias públicas contra o governo passado que tenha sido apurado pelas ditas autoridades de controle público (Ministério Público, Tribunal de Contas, parlamentares isentos, Justiça) ? Pagamos-lhes os mais régios salários do Estado e lhes damos todas as prerrogativas para atuar e nada é apurado e ninguém é punido.

    Pasmemos todos quanto aos implicados nos “diários secretos” da Assembleia Legislativa – estão todos aí, livres, leves e soltos !

    Assim vemos que as ditas “autoridades de controle público” não funcionam ou não funcionaram ou jamais irão funcionar para apurar os desmandos passados, porque o compadrio estabelecido nesses ultimos anos entre os poderes públicos estaduais, com a troca de benesses e sinecuras, não permite que seja levada a efeito nenhuma apuração efetiva. Ao contrário, até propiciou um mutirão escandaloso e inescrupuloso para efetivar um nepote do governador ao cargo vitalício no Tribunal de Contas.

    Diante desse quadro dantesco, somente do seio da sociedade poderá haver uma reação e ela precisa começar.

    Poucos são aqueles que fazem como Eleutério Langowski, acionam os mecanismos da Lei e da Justiça e vergastam os verdadeiros culpados e ímprobos, preocupando-se – com exemplar ética – que o erário não venha a ser punido em benefício do reparo de sua honra funcional, embora, os agentes públicos possam ser, a final, chamados a ressarcir o erário pelos danos causados.

    Mas poucos ou sequer nenhum da sociedade acionam os menanismos da Lei e da Justiça para que os mandatários e agentes públicos respondam pelas improbidades cometidas no exercício do cargo ou mandato público.

    Somos e temos sido todos coniventes e indiferentes com os desmandos dos mandatários e agentes públicos, em geral, tratando-os como verdadeiros “donos do poder” quando, na realidade republicana, não passam de nossos prepostos. Nenhum cargo ou mandato público tem justificativa em si próprio, só se justificam em prol da sociedade, a quem devem prestar contas, inclusive na Justiça.

    Parece que vivemos ainda sob a contatação de Frei Vicente do Salvador, nosso primeiro historiador, que escreveu: “aqui nessas terras ninguém é repúblico”, vale dizer, a rapina pública e os interesses personalíssimos imperava. E ainda impera, pelo visto.

    A voce – Eleutério Langowski – recordo a frase lapidar de Gandhi: “se eu permitir a injustiça, o injusto sou eu.” Que teu exemplo edificante frutifique em nossas terras !

  12. Pricila Marina Koch Responder

    Isso sem falar nos documentos técnicos que foram destruídos, na mudança de governo, alguns feitos por assessoras do MEC e Fundação Vitor Civita, com comprovada capacidade e notório saber…

  13. Precisam vir a Rio Azul que tem um fantasma aqui apadrinhado do João Arruda que não trabalha a mais de ano e recebia diárias. Ainda tem a cara de pau de ir numa Radio e num Jornal para negar toda história usando da desculpa de estar com uma doença que mesmo ele não podia contar qual é. Pois o nome deve ser “Hobby” de dinheiro público!!! Uso da desculpa de atuar fiscalizando obras na região para justificar o fato de não bater ponto na Sude. Professor tem que dar aula e não fiscalizar obra…

  14. luafe@bol.com.br Responder

    Há muito venho denunciando neste site problemas que considero grave no Departamento de Educação e Trabalho. Os cursos em Foz de Iguaçu, as viagens para a França (Coordenadora), viagem para Japão, Europa, etc… A Secretária da Chefe que ficou um mês em Foz por central de viagens, funcionários que ganhavam bolsa e recebiam do Estado, entre outras mazelas que necessitam sim ser investigadas. Espero que o Professor Flavio Arns tome a decisão correta de investigar a fundo todas estas denuncias e não permita que estas mazelas continue no serviço público. Exigimos mudanças nos Departamentos, tanto da Educação Básica quanto da Educação Profissional. Tem muito dinheiro envolvido nisso e não podemos aceitar que estas pessoas que ficaram lá por oito anos continuem intencionalmente trabalhando mal e contra o interesse público. Olho vivo e demissão de todos…

  15. DEUS me livre desta tal de Teresa Cistina Quintiliano, esta cancer na asessoria juridfica da SEED, será que ninguem observa a doença que esta mulher e para o serviço publico, ela persegue, ela e revanchista ela e injusta , e ela se faz de deus quando vai fazer PAD, tome providências pelo amor de Deus. Não acredito em nada que esta mulher faz, acredito sinceramente que as meninas podem eclarecer os fatos e provar sua inocência, este processo acba com a vida da pessoa sera que ninguem ta denco isso.

  16. Concordo com o Betinho, os culpados tem que ser punidos, mas dentro de um processo justo e honesto. Acho que e isto que elas estao pedindo!!
    E acho que agora, elas tendo direito a outro julgamento, se forem condenadas nao vao poder reclamar.
    Todos nos aqui na Seed ja conhecemos a fama desta Dr teresa, e agora que ela nao manda mais nada, ela vai ter que responder por muita coisa que fez.

  17. Nos temos certeza que a professora Ana Lucia e uma mulher lutadora,honesta,que tem a coragem de lutar e dar a cara pra bater porque nao deve nada!! Com forca, a professora Ana Lucia, vai provar que e digna do que sempre pregou e cobrou. Podem aguardar!!

  18. E perguntem pra Dr Teresa sobre a funcionaria que fazia viagens falsas e escondia atras da santa da Seed e nao foi feito nada…..

  19. A vitimologia inversa ganhou foros de ciência em nosso país e com sucesso crescente.

    Tanto a contribuição da vítima para com o evento ilícito como para a autoria troca de polo, o que era autor vira vítima e o que era vítima vira autor, às vezes as duas partes, conforme se olha o fato.

    É o samba do criolo doido das apurações de improbidade administrativa em nossa republiqueta de bananas, mas sempre apresenta uma certeza – a sociedade paga o pato, o mico e a fatura !

    Depois começa tudo de novo.

  20. Neste país ta tudo aos contrarios. Quem é acusado tem que provar que é inocente. Olha aí funcionários públicos: a ordem é a seguinte: cuidado para não ser a bola da vez. porque se voce for a bola da vez, vai pular. É assim que funciona.

  21. Podem até falar mal do Reiquião, mas antes dos dois governos dele, as escolas estavam na idade da pedra. As tvs laranjas e os pen-drive podem até ter sido superfaturados, mas são muito utilizados em sala de aula e tornam nossas aulas mais atrativas. Internet onde trabalho só apareceu depois da instalação dos laboratórios de informática. Antes do Reiquião, só comprávamos tvs e computadores com rifas, festas, cobrança de taxa de matrícula (que a Seed abomina). Não entendo este massacre ao Reiquião, não votei nele na última eleição, mas para a educação ele foi 10 vezes melhor que o seu antecessor, que é ótimo urbanista mas foi péssimo governador. Maracutaias existem sempre, o que deve ser aperfeiçoado é a transparência pública. Exemplo: os professores, os policiais militares e outros servidores de “menor importância” têm os seus nomes, cargos e salários postados na internet para quem quiser ver. Já os professores das universidades estaduais e de outras categorias “importantes”, só aparece o número da matrícula, o cargo e o salário, ou seja, transparência é para os bagrinhos. Os salários melhores têm a sua identidade preservada.

  22. Não sei se esta senhora é culpada ou inocente. Ninguém conhece o processo só ela, os denunciantes e a comissão, portanto, deveria fazer como o Eleutério, ficar de explicação de nada adianta!

  23. É só olhar as pessoas que foram trazidas para a SEED logo que Requião assumiu o governo pela segunda vez. Nomeou o irmão secretário de Educação, que trouxe para o comando da Secretaria a turma da UFPR, onde ele, Maurício, lecionava. Essa turma tinha currículo, mas para um monte de outros cargos vieram cabos eleitorais, gente que trabalhou na campanha, sem a mínima competência. Até a professora dos filhos de um alto dirigente foi contratada, em cargo de comissão, para trabalhar na SEED…

  24. PRECISO EVIDENTE APURAR OA FATOS, NÃO SE PODE PUNIR AO BEL PRAZER, OU P DEMONSTRAR PODER. SEMPRE COM O CUIDADO DE NÃO COMETER INJUSTIÇAS. QUEM DEV TERÁ QUE PAGAR, SEJA LÁ QUEM FOR. SE QUEM FOI DEMITIDO, O FOI PARA ESCONDER ALGUNS PEIXES MAIORES, QUE A VERDADE VENHA A TONA. JUSTIÇA HUMANA NEM SEMPRE É CORRETA, E PUNE MUITAS VEZESQUEM NÃO DEVE. OU É TENDENCIADA POR QUEM DEVE PARA ESCONDER A VERDADE. QUEREMOS A VERDADE E JUSTIÇA. BETO RICHA NOSSO VOTO FOI DE CONFIANÇA, CABE A VOCE HONRA-LO.

  25. Com certeza no Brasil é assim mesmo, as pessoas são condenadas e depois é que tem o direito de se defenderem, justiça seja feita, força Prof.Ana, sabemos que a mentira sempre é mudada em todas as vezes em que é solicitada, mas a VERDADE sempre permanecerá a mesma, e conhecemos a idoneidade e competência de seus trabalhos para com a educação.

  26. A imprensa comprada, (Gazeta e caterva,) está calada..

    Sindicato perdeu a voz e a vez

    PTistas devem estar escondidos embaixo do tapetão

    Isso é o Brasil de hoje, EDUCAR prá quê ?

  27. Meu Deus, quanta injustiça…..Mas fiquem sussegada o Homem lá em cima esta vendo o absurdo que estão fazendo e pode ter certeza que vcs vão provar a inocencias e os verdadeiros culpados irão pagar por tudo….

  28. Espero que o Sr. Flavio Arns faça uma auditoria na SEED e mostre a população que ali sempre foi a podridão do serviço público. Principalmente na época comandada pelo Mauricio Requião e seu vassalo Ricardo Bezerra (pregadores da falsa moralidade) esses imbecis conseguiram acabar com Fundepar e PRES. Professora parabéns pela sua coragem em mostrar uma gota da podridão.

  29. Professora Maria Responder

    Gente, quem trabalha na Seed sabe das qualidades da Professora Ana Lucia, mas também sabe de sua arrogancia e prepotencia Atitudes com que ela sempre agiu durante todos esses anos.
    Ela esta no seu direito de buscar reverter essa situacao na justica, mas dai trata-la como uma santa é pedir demais.

    Contra fatos nao ha argumentos. Ela vai contratar bons advogados para acharem falhas no processo. Os gangsters sempre fazem isso. Desqualificam as investigacoes e atraves de caros advogados derrubam processos nao pelas verdades e sim pelos erros processuais.

    O ministerio publico esta investigando e em breve vai oferecer as denuncias. Sera que o MP tem birras contra a Sra. Ana e sua equipe? Sera que o MP tem lado politico. Acho que nao.

    A gente que esta aqui sabemos como ela nos tratava. Tem 40 professores que denunciaram que sua filha usava seus cartoes de viagens. Os professores tinham muito medo pois em suas reunioes ela demonstrava ser uma pessoa muito rancorosa, vingativa. Nao queira ser inimiga dessa mulher. E o que todos falam.

    Isso aconteceu desde o tempo que ela chefiava a DIE aqui na agua verde. E só ver a lista de viagens que elas autorizavam para o Departamento de Infra estrutura, que ela comandava, em 2003, 2004, 2005, 2006 ante dela ir lá pra Sude.

    Vejam que as investigacões só se ativeram entre 2007 e 2009, imagina se mexer mais.

    Outra coisa. É claro que há muito mais. Há alguns anos atrás uma outra professora, que foi até presa, usava cartoes de funcionarios demitidos e até mortos para sacar dinheiro de viagens. Está respondendo processo criminal até hoje.

    E por mais que se mudem os sistemas, os corruptos sempre dão um jeitinho de desviar dinheiro publico. Não só os políticos mais também os maus funcionários. Vejam o sumiço das 17 toneladas de processos. Isso é coisa proposital.

    Entao Ana Lucia, baixe bola. Tem outras coisas que voce fez e pensa que ninguem sabe. Nao se faça de ingenua… Aqui na Seed todos sabem quem é voce…

  30. Se não deixarem sumir processos da assessoria jurídica vão ver que tem muita coisa engavetada. Os parentes, amigos e protegidos da SEED e NRE Curitiba nem sequer apareciam nas audiências marcadas. Leve-se em conta ó processo de uma diretora de escola que vendeu os livros didáticos dos alunos e a denúncia dos pais resultou em nada. Rnquanto isso a outra nem recolheu os livros no final do ano e alunos ficaram esperando até 2008 para terem livros para estudar. Esse era o governo Requião que muito professor laranja defende sem saber que os apadrinhados incapazes eram bem protegidos por pessoas do escalão do goverrno a elguns políticos governistas.

  31. Muito bem orofessora…A sra. sim pode ser chamada de professora!!! E disso que estamos precisando, e sao os professores que deveriam ser apoiados pela APP Sindicato, que ate agora esta bem quietinha…Podem ter certeza, quanto mais ela finge que o assunto nao e com ela, mais comprometida (OU SERA DESCOMPROMETIDA) ela parece

  32. A título de ajuda na elucidação do caso, informo que o Sr. Luciano Mewes, também foi exonerado da função de Conselheiro do CEE/PR, em data de 30/12/2010.

  33. Metem a mão no dinheiro público comprovadamente, assumem declarações de que desviaram verbas irregularmente, e depois que são exoneradas querem “voltar atrás” e darem um jeitinho de continuarem mamando nas tetas do governo do Paraná, “cadeia para essa quadrilha toda”……… Bando de ladras e sem caráter e dignidade!!!!!!

  34. Para pesquisa:

    Alem da da demissao das servidoras, Pessuti andou assinando a reintegracao de algum funcionario que havia sido exonerado por abandono de cargo ha alguns anos?

  35. Verdade,
    Elas ja estao fazendo como o Eleuterio, mas tbm acharam que era a hoja, alem de procurar os seus direitos, tambem contar a sociedade o que realmente aconteceu.

  36. Cada dia eu entendo menos as pessoas.
    Se o governador exonerou é porque foi aconselhado pelo seu departamento jurídico.
    Se a Ana Lúcia e sua filha e mais a Larocca form condenadas é porque houve um processo que foi, no mínimo, instaurado sob a presença de alguma coisa ilícita.
    Agora a povaréu joga a culpa no governador que exonerou e deixa as ladras do dinheiro público em uma situação de perseguidas.
    Ora se ela são inocentes que comprovem.

  37. Professora Maria
    Arrogancia e propotencia nao sao motivos para demissao.
    E mais, os 40 professores que testemunharam no PAD acusaram a Prof Emilia de Fatima Larocca e nao a Professora Sabrina de utilizar os cartoes corporativos.
    Facil!! Aproveite que vc esta ai na Seed Agua Verde e de uma olhada nos autos…esta tudo ai!! LEIA!

  38. Prezado Carlos Augusto e Professora Maria

    Pelo seu comentário imagino que você NÃO DEVE ter conseguido interpretar o que estava no texto…
    É exatamente isso que elas reclamam…QUE NÃO FOI PERMITIDA A PRODUÇÃO DE QUALQUER PROVA PARA QUE PROVASSEM SUA INOCÊNCIA.
    Se isso não foi permitido no Processo Administrativo, como acha que elas vão conseguir provar inocência??!
    Me admira muito as pessoas aceitarem o fato de que um processo seja conduzido da forma que foi e compactuarem com isso. Lembre-se que amanhã um de vocês podem ser as próximas vítimas!
    O fato de ser a Professora Ana Lucia arrogante (ou não) NÃO TEM qualquer importância, pois todos nós, inclusive aqueles que claramente não gostam dela (certamente vários também não devem simpatizar com o Sr…) TEMOS O DIREITO GARANTIDO PELA CONSTITUIÇÃO DE NOS DEFENDERMOS DE FORMA AMPLA E JUSTA.
    Ficar em silêncio diante de tão grande absurdo, ou compactuar com ele é tão danoso quanto os fatos que são imputadas à essas duas professoras.
    É claro que todos tem opinião formada sobre o assunto – o que certamente se deve a entendimentos PESSOAIS – pois só quem conhece o processo são as partes, seus advogados e a Comissão de Sindicância – mas independente do que achamos sobre as duas professoras, temos o dever de garantir que seja provado se elas são culpadas ou inocentes!!! Depois disso, quem quiser pode lançar seus comentários…
    Ah, e não podemos esquecer que chamar as duas de ladra, sem que tenha havido uma condenação criminal também É CRIME!!! Talvez as pessoas que falam sem provas tivessem que ter um pouco mais de cuidado com suas palavras, pois pelas declarações da Prof. Ana Lucia, me parece que ela não está para muita brincadeira…
    Lembremo-nos daquele velho ditado: O PEIXE MORRE PELA BOCA!

  39. Quando abrirem as diarias da Parana Esporte que tb eram pagas pela SEED vao encontrar o maior derrame no que diz respeito a desvios de diarias, pessoas que nunca trabalharam e ganharam volumes gritantes em valores referentes a diarias. Veja a relaçao do projeto Viva o Verao de 2007 e 2008 que ficou bem conhecido dentro da Parana Esporte como trem da alegria, a lista de nomes era infinita e as indicaçoes eram referentes aos amigos do Diretor de Lazer o 171 da cultura leia se o artigo do bem parana sobre este diretor 171 da cultura, alem dos favorecimentos pessoais a inumeros filhos de funcionarios de varias secretarias, pessoas que ganharam mais de 5.000 por verao para NUNCA comparecerem ao trabalho de verao estavam tb os assessores deste Diretor de Lazer um deles um pseudo artista curitibano conhecido por desvios da lei rouanet junto a secretaria da cultura e o outro possui um cargo de comissao na Secretaria de Trabalho, pessoa esta que foi vista durante varios Viva o Verao alcoolizado dando cavalinho de pau com o carro do governo, no detalhe a familia inteira destes assessores ganhavam diarias o ano inteiro sem nunca terem sequer trabalhado na Parana Esporte, eram contratados ficticiamente para trabalhar em projeto fantasmas desta Diretoria de Lazer da Parana Esporte. Eu sinceramente nao sei se a festa acabou, essa gente sempre volta, eles possuem no sangue a politicagem podre e suja e junto com a gangue que manda no Estado a anos vao levando uma vantagem aqui outra aqui.

  40. CONFIRMADO! PESSUTI REALMENTE REINTEGROU AO ESTADO EM 27/12/2010 O FILHO DO EX SECRETARIO ALTEVIR ROCHA (SEU COMPADRE), QUE HAVIA SIDO EXONERADO DOCARGO DE PROCURADOR POR ABANDONO DE CARGO. BONITO HEIN!!

  41. É..
    Justo o filho daquele que assinou o PAD das professoras Sabrina e Ana Lucia…
    E daí seu Altevir, como vai explicar isso? Vai dizer que não sabia?
    Se tivesse o prêmio “CARA DE PAU DO SÉCULO, você seria o ganhador!!!
    E vocês ainda acham que o PAD foi conduzido com lisura???
    E não pára por aí…
    Assistam cenas do próximo capítulo…

  42. Essa tal de Professora Viviane desonra a classe dos educadores. Imaginem nossos filhos ouvirem da “Professora”, na escola, que “maracutaias existem sempre”. Não vejo outra alternativa do que deduzir que essa “professora” faz parte das maracutaias do Requiâo. É por essas e outras que deveremos pagar, nos próximos anos, um incalculavel passivo deixado pelos requiões durante os treis periodos em que se apoderaram do Estado do Paraná.

  43. Ana Lucia de A. Schulhan Responder

    Sinto desiludi-los mas nao vou baixar a bola .Quem tem que baixar a bola sao os devedores. Agora e a minha vez de cobrar.
    Atenciosamente,
    Prof. Ana Lucia.

  44. AS COISAS SÃO ASSIM… – Ao ler o desabafo da Sra. Ana Lucia de A. Schulhan, uma das professoras demitidas pelo governador, denunciando os vícios e irregularidades na apuração de crimes de responsabilidade, improbidade administrativa e desvios de recursos na SEED, lembrei-me de uma frase que tenho ouvido muito nos últimos 5 anos, após denunciar “com provas documentadas” um representante público que permanece impune: “as coisas são assim”. Ouvi essa frase não apenas dos acomodados e subservientes, mas a ouvi também de alguns advogados e autoridades, que um dia prestaram um juramento de buscar a verdade e produzir justiça. As coisas são assim no Paraná do século 21, também, em alguns casos, são assim no Brasil e em outros lugares do planeta, sempre que obscuros interesses políticos ou financeiros são colocados acima da justiça. “As coisas são assim” é o ovo da serpente da impunidade e da justiça manipulada que corrói o sonho democrático. No entanto e na verdade, as coisas ERAM assim antes dos gregos, antes de delineadas as bases filosóficas da democracia. As coisas ERAM assim antes dos romanos, antes de estabelecidos os parâmetros do direito e da justiça. As coisas ERAM assim, antes do estado ser constituído e formado por seus cidadãos com a estrutura do governo criada e normatizada para prestar serviço aos seus cidadãos. Somente a soberba e a obtusidade produzem a estagnação da evolução humana, geram injustiça e impunidade e fazem com que as coisas permaneçam assim, milênios atrasadas.

  45. Essa historia esta beeem mal contada!!! Será que a “subordinada e ingenua” Emilia ganhava tão bem que comprou um apto de 160 mil no champagnat e 2 carros a vista com seu salário de servidora publica?
    Ah gente, cria vergonha nessa cara!!! a cara de pau ainda tem coragem e dizer que fazia isso a mando dos outros… Emilia e Rosemari… criem vergonha na cara e assumam suas atitudes…fica menos feio sabia? Pq uma hora vai ser provada a autoria destes desvios…e vcs será execradas publicamente….

  46. Indignada
    Esqueceu das viagens internacionais, uma delas, inclusive, realizada enquanto tramitava o PAD…
    O DESTINO: PARIS
    A COMPANHIA: SEU FILHO, aquele que usufrui de um dos veículos adquiridos à vista com o salário de professora…

  47. A VERDADE AOS OLHO DE TODOS Responder

    Advinhem onde emilia esta neste momento….fazendo uma viagem a Paris!!!!Nossa que coisa mais linda…e quando voltar aqui esta a espera dela um apto de 160 mil reais pago a vista e 2 honda civic zero tambem pago a vista….como será que ela explicara tudo isso!!!!! A verdade esta sobre os olhos de todos….é só a justiça querer enxergar…..

  48. Relaxem o Ministério Público só trabalha sobre pressão.
    Esse assunto não vai dar em nada, pois a pressão é pequena.
    Vai ficar na gaveta de alguém até prescrever, aposto!!

  49. só não ve quem não quer!!!! Responder

    com o salario de professora a Emilia consegui comprar :

    1 apartamento no balneario de camboriú (pago á vista)
    1 apartamento no champanha r$ 160 mil ( pago á vista)
    2 carros da marca honda zero km( 1 p ela e outro p o filhinho)
    viagens internacionais 3 x ao ano em companhia do filhinho

    essa professora é mágica ou não é????

    acordem e punam os verdadeiros culpados

    entenderam ou querem que eu desenhe????

  50. Vou comprar 5 litros de oléo de peroba pra essa cara de pau da Emilia usar…
    Gente…o que é isso? Como diz o ditado…o pior cego é aquele que não quer ver…
    Professora Ana e Sabrina…estou torcendo para isso se resolver logo..espero sinceramente que a justiça seja feita e que vcs sejam ressarcidas por todos esses danos que causaram a vcs…

  51. Querido Carlos Augusto

    Se você for professor, tenho pena de seus alunos…
    Se você não entendeu o problema todo, posso desenhar se quiser…
    Seria muito fácil para as professoras provarem sua inocência, desde que isso fosse permitido!
    Entretanto, à elas nao foi oportunizado o direito de produzir provas, e nem o direito de apresentar sequer sua defesa!
    Mas fique tranquilo! Tão logo elas consigam que essa palhaçada surreal seja revertida, vão fazer questão de provar inocência.
    Antes de falar, vai se informar…Caso contrário fica parecendo bem burrinho…

Comente