Uncategorized

TCE apresenta novo sistema de controle de gastos dos municípios

Do Paraná-Online

O controle dos gastos dos municípios paranaenses será mais rigoroso neste ano, segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE). O Sistema de Informações Municipais – Acompanhamento Mensal (SIM-AM) colocado à disposição dos gestores municipais pelo TCE apresenta agora um módulo de controle interno.

O dispositivo permitirá às prefeituras monitorar despesas, detectar e coibir eventuais irregularidades em áreas consideradas mais frágeis aos controles, como o consumo de combustíveis.

O módulo será composto por formulários que montarão o cadastro da frota de veículos e dos equipamentos rodoviários dos municípios. A partir daí, o sistema fará o controle mensal do consumo individualizado de combustível, por veículo e equipamento.

A declaração dessas despesas será emitida bimestralmente. De acordo com o TCE, o módulo vai dar mais transparência aos gastos, além de inibir e localizar eventuais impropriedades na utilização do material de consumo. A partir deste primeiro bimestre, todas as entidades municipais abrangidas pelo SIM-AM estarão sujeitas ao preenchimento do módulo de controle interno.

7 Comentários

  1. Quem controla os gastos do TCE e a quem enganam estes controles ????
    Canso de ver os carros do Tribunal trazer e levar funcionários em casa, no computador as informações fecham, fica tudo certo, na prática só confusão.

  2. O dia que – utopicamente – os Prefeitos forem responsáveis pela nomeação de Conselheiros do Tribunal de Contas e não o governador, então a insígne Corte haverá de ter um sistema de controle efetivo do Estado e passar a aprovar contas com ressalvas aos Municípios e penalizar as ilegalidades dos agentes do governo estadual …

    Todavia, a República deveria repensar essa burocracia monumental e paquidérmica de tomada de contas de todas as municipalidades juntamente com o Estado por um só dito Tribunal.

    Os Municípios menores deveriam ter uma auditoria de contas, os maiores poderiam até reportar-se ao Tribunal, mas o Estado deveria ser a prioridade do Tribunal.

    Como estão forjados os Tribunais de Contas, em todo país, são uma ficção dispendiosa, retrógrada e, sobretudo, insatisfatória nos seus objetivos, sem prejuízo das benesses e sinecuras.

  3. E os gastos deles e da Assembléia quem irá controlar? Porque o TCE não apresentan um novo sistema de controle para a Assembléia? Não interessa?

  4. ninguém elmbra das cidadezinhas menores ondese gasta muito, mas muuuuuiiiiiiito mais do que se arrecada… Quero ver se alguém vai verificar o que é feito co dinheiro público em Adrianópolis.

  5. Parabens TCE

    Barbosa Neto defende “licitação de carona”

    Londrix.com

    Compare Produtos, Lojas e PreçosO prefeito Barbosa Neto (PDT) respondeu nesta terça-feira (11) às críticas contra a compra pelo Executivo de um lote de uniformes escolares e tênis para alunos da rede municipal pela modalidade de “registro de preços”, também conhecida como “licitação de carona”. Segundo ele, esse processo “agiliza e barateia a compra”.

    “Nesse sistema há transparência, porque já há um registro de preços garantido pelo próprio edital de licitação e pela própria forma correta de se comprar. Com certeza, tem muita gente brava porque os preços que nós conseguimos são melhores do que os outros e, é claro, ferimos o interesse daqueles que queriam ganhar à custa da prefeitura. Só que aqui tem seriedade, tem transparência”, afirmou.

    O prefeito disse que, para ele, importante é “economia e qualidade”. “Se não fossem essas ações, nós não conseguiríamos adquirir novos veículos, comprar maquinários, melhor salário para os funcionários, investir quase 200% a mais em obras do que em outras administrações, em apenas 20 meses de mandato.”

    “Nós conseguimos economizar, através de pregões presenciais ou eletrônicos, através de outros editais de compra, mais do que foi feito em oito anos da administração passada. Esses princípios de seriedade, transparência, lealdade, de economicidade vão ser os principais componentes da base da nossa administração”, disse o prefeito.

    O Tribunal de Contas do Paraná deu parecer contrário a esse sistema de licitação. Barbosa contra-atacou: “O Tribunal de Contas é um tribunal político e nós estamos pautados pela legalidade. É claro que há interesses, que são feridos diariamente, e nós estamos amparados pelo Ministério Público, pela Justiça ou por qualquer outro órgão que esteja fazendo investigações dentro da administração e é isso que nós queremos”, completou.

    Barbosa Neto afirmou que não haverá mais renovação automática de contrato. “Tantas compras, tantos contratos foram feitos e agora nós já publicamos um edital que vai acabar com os contratos que vão sendo renovados sem haver uma concorrência correta, sem haver uma licitação, já que nós tivemos o plano municipal de saneamento. Vamos fazer para quase todos os serviços do município de Londrina”, adiantou.

Comente