Uncategorized

Disputa pelo segundo escalão envolve mais
de R$ 100 bi

Reportagem publicada no jornal Estado de S. Paulo aponta que o partido aliado da presidente Dilma Rousseff briga para manter os postos que já têm no segundo escalão ou por novos cargos visa o controle de 102 empresas estatais, sendo 84 no setor produtivo e 18 no setor financeiro. Destas, 66 do setor produtivo e sete do setor financeiro dispõem de R$ 107,54 bilhões para investimentos só neste ano. Ao todo, estão em disputa cerca de 600 cargos. É provável que a maioria seja mantida, pela continuidade do governo.

É um orçamento bilionário capaz de levar os partidos a uma batalha política pelos próximos meses. A guerra compreende também postos estratégicos em ministérios e órgãos, como os Correios, que o PMDB perdeu para o PT. Na Saúde, a disputa pela Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) deu origem à guerra do segundo escalão. Embora os R$ 45 bilhões dessa secretaria não estejam carimbados para investimentos – são repasses ao SUS –, o partido que ocupa o posto tem grande visibilidade no País, o que se traduz em votos.

O novo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, tomou o posto do PMDB e o passou para seu partido, o PT. Em seguida, avançou sobre a Fundação Nacional da Saúde (Funasa), que tem orçamento de R$ 5 bilhões e cerca de R$ 1 bilhão para saneamento nas pequenas cidades. Depois de ameaçar votar em favor de um salário mínimo maior, o PMDB conseguiu que Padilha não nomeasse um petista para a Funasa, deixando as negociações suspensas até o mês que vem.

Agora, os peemedebistas lutam para manter Ariovaldo Rosendo na direção do Fundo Nacional da Saúde (FNS). Trata-se de um apadrinhado do ex-ministro Hélio Costa (PMDB). Esse fundo dispõe de R$ 65,2 bilhões.

3 Comentários

  1. A SUJEIRADA do desgoverno anterior está vindo à tona,e ELLA está mudinha, e é Jobim quem manda e desmanda e fala as besteiras costumeiras.

  2. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Brasil do PT, a nova republiqueta Venuzuelana.
    Acorda oposiçâo pois, estamos rumando para o fim da democracia.

  3. Puxa que é teu Barbosa Responder

    http://angelorigon.blogspot.com/2011/01/corrimao-para-o-sucesso.html

    Corrimão para o sucesso
    Em Londrina, com o prefeito Barbosa Neto (PDT), a coisa funciona assim: denunciou, é promovido. É que ontem foi anunciado seu novo secretário de Obras e Pavimentação, Agnaldo Rosa, o mesmo que denunciou o prefeito, quando deputado, por desvio de dinheiro público (aqui, matéria de Antonio França à página 4 do Jornal do Estado). Rosa assume o cargo hoje à tarde.

Comente