Uncategorized

CCJ derruba emenda que fixava teto salarial para comissões

Foto Sandro Nascimento

Longos debates marcaram a sessão extraordinária da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa na tarde de hoje (18). A matéria que justificou a convocação extra, o recurso apresentado pelo deputado Tadeu Veneri (PT) em defesa de emenda de plenário ao Projeto de Lei nº 220/11, concentrou a maior parte das discussões. O projeto é de autoria da Comissão Executiva e extingue cargos comissionados, além de delimitar o número de cargos a serem providos nas comissões técnicas permanentes e nos blocos temáticos.

A emenda foi apresentada pela liderança do PT e estabelecia o limite total de R$ 40 mil para a CCJ, R$ 22 mil para as Comissões de Orçamento e de Tomada de Contas, e de R$ 18 mil para as demais comissões e para os blocos temáticos. Rejeitada pelo relator deputado Pedro Lupion (DEM) por descumprir a exigência do art. 140 do Regimento Interno da Casa sobre o apoio de pelo menos a metade dos integrantes do Poder Legislativo, voltou ao debate na forma de recurso relatado pelo deputado Élio Rusch (DEM).

Veneri insistiu que a proposta apenas formalizava o acordo de lideranças sobre o assunto, mas não conseguiu sensibilizar o relator nem os demais membros da comissão que, uma vez mais, derrubaram a emenda.

7 Comentários

  1. Olhando a fotografia do Justus, tenho a absoluta convicção que trata-se da madre superiora, com a candura que o cargo exige.

  2. marcio jose nunes teixeira Responder

    MAIS UMA VEZ OS PICARETAS VENCERAM.

    PICARETAS TEM NOME – KURI, JUSTUS , POR AI

  3. E o moralista como é que fica agora? O lord parece que está rindo na foto, mas rindo da cara de quem? Será da do moralista, que o presenteou com este cargo? Tony

  4. S Y N F R O N I O. Responder

    Agora o Justos e Cia, estao livres para recolocar os seguranças, demitidos pelo
    Rossoni.

  5. mario joao antunes Responder

    MAIS UM LOCAL PARA COLOCAR OS AMIGUINHOS QUE FORAM EMBORA.
    INCLUSIVE OS FABRICANTES DE PALMITO….

    ESTA ASSEMBLEIA,, NAO É FACIL, TOLERAR,,

Comente