Uncategorized

Servidores da Assembleia podem trabalhar no Colégio Estadual

Os servidores da Assembleia Legislativa que ainda estão sem função podem acabar trabalhando no Colégio Estadual do Paraná (CEP). O pedido foi feito pela diretora da CEP, Tânia Maria Acco, ao presidente do Legislativo, deputado Valdir Rossoni (PSDB).

A diretora falou sobre a necessidade de profissionais da saúde e da área administrativa – recursos humanos, informática, biblioteca. “Passam por dia no Colégio aproximadamente sete mil e duzentas pessoas, mais os quinhentos funcionários, e não temos pessoal suficiente para atender a todos. Precisamos de médicos e também de pessoas na nossa biblioteca que é bem frequentada.”

Tânia destacou a iniciativa da Assembleia em ceder os funcionários excedentes, bem como as medidas moralizadoras adotadas pela nova gestão. “Eu sonhava com o dia em que isso fosse acontecer. Que ações públicas passassem a ser tomadas a partir do coletivo e não do individual. Isso é consciência da necessidade do serviço público e da responsabilidade que se tem com a gestão administrativa”, disse Tânia.

Rossoni disse que a ideia é muito nobre e que os servidores serão informados de mais essa possibilidade de local de trabalho. “O convênio foi assinado com o Governo do Estado e acredito que não haverá impedimento para a cessão de funcionários ao Colégio Estadual. Vou agilizar esse processo para que o mais breve possível isso se torne realidade e todos possam ser beneficiados”.

Convênio – Um acordo entre a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado para a cessão de servidores sem função no Legislativo foi assinado no dia 14 de abril. Na próxima semana estão agendadas as apresentações desses servidores, de acordo com a profissão, na Secretaria de Justiça (Seju) para que seja feita a recolocação funcional desses profissionais. Ao todo, 119 servidores, incluindo 15 médicos, estão à disposição do Poder Executivo.

20 Comentários

  1. SINAIS DO APOCALIPSE

    Lázaro Ramos… galã.
    Sandy… devassa.
    Faustão… magro.
    Silvio Santos… pobre.
    Dilma… fazendo omelete na Ana Maria Braga.
    Tiririca… na Comissão de Educação
    Maluf e Collor na Comissão da Reforma Política…
    Genoíno na Assessoria de ética do Governo…
    Lula dando palestras em Universidades…

    Oorra… NÃO ERA PRA ACABAR SÓ EM 2012?

  2. EU CONCORDO SE GANHA DO ESTADO TEM QUE TRABALHAR TAMBÉM, NÃO FICAR NA TETA DO GOVERNO MAMANDO.

  3. Membro Partidário Responder

    TANIA, PENSE BEM!!!
    SERÁ QUE ESTES FANTASMAS NÃO IRÃO ASSOMBRAR OS ALUNOS DO CEP?
    QUAL É O FUTURO QUE VOCÊ QUER PARA ESTES ALUNOS, COLOCANDO ESSE PESSOAL AÍ DENTRO?

  4. Tem que perguntar se os profissionais irão querer trabalhar lá…

    A discriminação da seed ante os profissionais do QPPE é ridícula.

  5. Funcionários sem função não deveriam ter sido contratados. Se foram sem necessidade é preciso apurar as responsabilidades e processar essa pessoas. Se permanecem sem função devem ser desligados da teta e não emprestados pra outros orgãos…

  6. Gente, gente.. A grande maioria destes funcionários não são nem eram fantamas. Muitos deles exerciam e desempenhavam funções na casa legislativa, porém como não são do grupo do Rossoni e do Althair, acabaram sendo substituidos por comissionados nesta gestão. Mais uma vez pergunto: Se a ALEP tem estes funcionários estatutários que estão sem função, qual a necessidade de contratação de comissionados? Não seria mais lógico e muito mais economico eles ocuparem as funções ocupadas por comissionados? Ou será que isso não pode, pq senão a mesa não teria como acomodar seus aliados?

  7. isto aí esta cheirando mal, cabide de empregos de comissionados sem concurso público é uma maneira de arrumar empregos para os aliados políticos.

  8. Sem essa de perguntar se querem trabalhar lá.
    É lógico que vão dizer que não.
    Largar uma teta daquelas, pra ficar na correria dos alunos do Estadual, só se for louco pra dizer que querem.
    MÀÀÀÀÀSSSSS, como eles são funcionários públicos, não tem escolha, se o governo está disponibilizando aquele lugar, assím deve ser.
    Agora, quem não estiver satisfeito, é só pedir DEMISSÃO.
    E parem de fazer piadas com os nossos funcionários quase fantasmas públicos viu

  9. Tambem concordo com o Alex, funcionarios efetivos sempre devem prevalecer sobre os comissionados, pois prestaram concursos e tiveram avaliados seus conhecimentos teoricos e tecnicos, para terem sido colocados de lado, e bem provavel que não aceitaram certas atitudes do Risoni, que vão contra a etica e moral da casa simples de constatar ou não…! so não concordo que os mesmos recebam salario sem tabalhar mesmo que no caso estejam impedidos de exercer suas funções por imposição da Mesa Diretora, o que so seria possivel se os mesmos estivessem sofrendo processo administrativo e disciplinar o que não e o caso.

  10. Deveriam, guardem-se as devidas proporções, transferir os médicos para atender as pessoas carentes de atendimento em postos de saúde municipal.

  11. OS CARAS NUNCA TRABALHARAM, SÃO FANTASMAS, SERÁ QUE VÃO CONSEGUIR, OUTRA COISA, SERVIDOR DO LEGISLATIVO NÃO PODE TRABALHAR NO EXECUTIVO, COM TAMBEM DO EXECUTIVO NÃO PODE TRABALHAR NO JUDICIARIO, PORQUE ELES NÃO VÃO PARA O TIBUNAL DE CONTAS, LÁ PODE, HUUUUUUUUU, HUUUUUUUUU, HUUUUUUU

  12. Não havia outro lugar para fazer tal solicitação, professora Tânia?
    A princípio, parece-me o lugar menos indicado para buscar funcionários capazes de atender a demanda do Colégio Estadual do Paraná.

  13. Funcionario do Estado Responder

    É o cúmulo!

    Os caras não querem trabalhar. No meu modo de ver, qualquer lugar que precise de gente trabalhando, deve precisar, acima de tudo, de gente que queira trabalhar.

    Esses fantasmas merecem rua e aposto que o Colégio Estadual do Paraná merece muito mais do que fantasmas em seu corpo funcional.

    Atitude vergonhosa!

Comente