Uncategorized

Richa sanciona novo piso regional do Paraná no Dia do Trabalho

Salário mínimo que beneficia até 1,3 milhão de trabalhadores será reajustado em 6,9%. Índice foi negociado em encontros entre representantes do governo estadual, das entidades empresariais e centrais sindicais. Piso salarial paranaense é o maior do Brasil e serve para regulamentar o salário de categorias profissionais que não tem convenção nem acordo coletivo de trabalho.

O governador Beto Richa sancionou neste domingo (1º/5) o novo salário mínimo regional, aprovado esta semana pela Assembleia Legislativa. A assinatura foi durante na décima edição do 1º de Maio Solidário, evento promovido pela Força Sindical do Paraná, na Praça Nossa Senhora da Salete, no Centro Cívico, em Curitiba.

“Esta é a celebração de um entendimento, de uma negociação positiva. Juntos, o governo, as centrais sindicais e entidades patronais, chegamos a um índice de reajuste que permite aos empresários atender aos anseios e demandas dos trabalhadores”, disse o governador. “Estou muito feliz por conseguirmos chegar a esse entendimento e por ter o privilégio de sancionar a lei que garante esse aumento no Dia do Trabalho”, destacou Richa, reforçando que o diálogo e a democracia são marcas do novo governo.

O piso estadual foi reajustado em 6,9%. São quatro faixas salariais que variam de R$ 708,14 até R$ 817,78. Os valores foram negociados em reuniões com representantes do governo estadual, dos trabalhadores e do empresariado. O piso salarial paranaense é o maior do Brasil e serve principalmente para regulamentar o salário de categorias profissionais que não tem convenção nem acordo coletivo de trabalho. De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócioeconômicos), o salário mínimo do Paraná tem potencial para atingir 1,3 milhões de trabalhadores.


SOLIDARIEDADE – As comemorações do 1º de Maio Solidário organizado pela Força Sindical começaram às 10 horas deste domingo, com a tradicional missa do trabalhador, celebrada pelo arcebispo de Curitiba, Dom Moacir José Vitty e pelo padre Reginaldo Manzotti, com a presença do governador e da secretária de estado da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa.
Uma das atrações do evento foi a presença da dupla Bruno & Marrone. Além do show, o evento foi marcado por um sorteio de brindes com automóveis e motos novos, entre outros produtos. O governador entregou as chaves de um Renault Sandero para Rafaela Cristine Garcia, uma das sorteadas.

Mantendo a tradição dos anos anteriores, os organizadores aproveitam a data para realizar uma campanha de arrecadação de alimentos. Pelo menos metade dos alimentos arrecadados será destinada aos municípios paranaenses afetados por alagamentos em março. Desde 2002, quando foi realizada a primeira edição do evento, mais de 200 toneladas de alimentos já foram arrecadadas.
O evento teve a presença do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, do vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, e do secretário do Trabalho, Luiz Cláudio Romanelli.

8 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    As centrais sindicais renegam o passado de luta da classe trabalhadora para “festejar” o dia onde há 125 passados, colegas de Chicago foram mortos por causa da luta pela jornada de trabalho de 40 horas.

    Enquanto isso, o presidente da Câmara, do Petê, joga para o segundo semestre a discussão do projeto.

    Fala-se em extinguir as contribuições sindicais. A classe ficará mais desprotegida ainda da sanha do patronato.

    As palavras de ordem e de chamamento à luta por novas conquistas de dignidade, foram trocadas por shows e sorteios de carros.

    Antes, os trabalhadores fugiam da Dops, hoje, do Ministério do Trabalho, da Justiça do Trabalho.

    O Partido dos Trabalhadores, agora é Partido dos Filiados.

  2. será que para os trabalhadores terceirizados da adm pública do Paraná (serviços gerais), continuarão a ser pagos salários inferiores ao PISO SALARIAL REGIONAL ?

  3. E a Emenda 29 (PEC64) não sancionou.
    Este é o valor que o governador tem com o trabalhador Policial.
    O governo pelo jeito não quer dar segurança ao povo Paranaense.

Comente