Uncategorized

Paraná tem 306.672 pessoas em condições de extrema pobreza

Do Hora H News

Segundo o Censo 2010, o Paraná tem uma população estimada de 306.672 pessoas em extrema pobreza. São pessoas que sobrevivem com menos de R$ 2,50 por dia. Os números foram divulgados na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e tabulados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) com estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No Brasil todo, a população em condições de extrema pobreza atingiu um contigente de 16,2 milhões.


A divulgação desta parcela da população em situação mais vulnerável aconteceu porque o governo federal deve anunciar em breve um novo programa nacional para a erradicar a pobreza extrema. O plano, que envolve ações de transferência de renda, acesso a serviços públicos e inclusão produtiva, abrangerá 8,6% da população brasileira. Essas pessoas vivem em 7% dos domicílios do País. O limite anunciado levou em conta o índice usado pelas Nações Unidas para o cumprimento das Metas do Milênio, que é de US$ 1,25 ao dia, a renda necessária para o consumo de alimentos e a faixa de extrema pobreza utilizada para o Bolsa Família, programa de transferência de renda do MDS.

O Paraná não está entre os estados com mais pessoas em situação de pobreza extrema, mas muito menos se encaixa entre aqueles com menor quantidade. Dos mais de 306 mil pessoas estimadas nesta situação, 127,9 mil estão na área rural e 178,6 mil na regiões urbanas. Estas pessoas estão num total de 90.309 domicílios, o que dá uma média de 3,3 pessoas por residência.

No País, o menor número de pessoas em estado vulnerável é o Distrito Federal, com 46,5 mil pessoas extremamente pobres. A Bahia é o Estado com a maior população na linha de pobreza extrema, com 2,4 milhões de pessoas. Mas é necessário também levar em conta a população total nos estados. O Paraná, por exemplo, tem percentual de 3,2% da sua população na linha de pobreza.

O mapa revela que 46,7% dos extremamente pobres vivem no campo, que responde por apenas 15,6% da população brasileira. De cada quatro moradores da zona rural, um encontra-se na miséria. As cidades, onde moram 84,4% da população total, concentram 53,3% dos miseráveis.

Na Região Nordeste estão quase 60% dos extremamente pobres (9,61 milhões de pessoas). Em seguida, vem o Sudeste, com 2,7 milhões. O Norte tem 2,65 milhões de miseráveis, enquanto o Sul registra 715 mil. O Centro-Oeste contabiliza 557 mil pessoas em situação de extrema pobreza.

Quanto ao sexo, a miséria atinge mulheres e homens da mesma forma: 50,5% contra 49,5% respectivamente. No entanto, na área urbana, a presença de mulheres que vivem em condições extremas de pobreza é maior, enquanto os homens são maioria no campo.

4 Comentários

  1. SE a extrema pobreza está assim no PR, imagine os demais estados da Federação.

    Podem escrever que a Dilmá vai alterar a contagem da maneira de classificação da pobreza extrema tal qual seu chefe fazia OU não fará nada além de promessas como é de praxe para o PT.

  2. Servidora de Carreira Responder

    QUE VERGONHA!!! um país tão rico permitir que seu filhos passem por essa fome de pão, de direitos, de saúde enfim fome de viver dignamente.

Comente