Uncategorized

Seis pessoas são presas no PR em operação contra fraudes no SUS

Além do Paraná, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia são alvo da ação da Polícia Federal

de Fernanda Leitóles da Gazeta do Povo e Agência Estado

Seis pessoas foram presas no Paraná em uma operação contra fraudes em licitações para a compra de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS), na manhã desta segunda-feira (16). A ação foi desencadeada pela Polícia Federal e pela Controladoria-Geral da União (CGU). Os mandados de prisão no estado foram cumpridos em Santa Helena, São Mateus do Sul, Agudos do Sul e Ventania. A PF cumpriu ainda um mandado de busca e apreensão na sede da prefeitura de Matinhos, no litoral do Paraná. Todos os mandados no Paraná já foram cumpridos.

Além do Paraná, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia são alvo da operação da PF. No total, são 64 mandados de prisão. Pelo menos 51 deles foram cumpridos até o meio-dia. Foram 25 no Rio Grande do Sul, seis no Paraná, três em Santa Catarina, três no Mato Grosso e 11 no Mato Grosso do Sul.

Segundo a PF, os investigados atuavam no desvio de verbas públicas destinadas pelo Governo Federal para a compra de medicamentos por prefeituras. Os remédios deveriam ser distribuídos entre as populações carentes.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Matinhos informou que os documentos apreendidos estavam relacionados com a compra de medicamentos e as licitações feitas no município. As primeiras informações da prefeitura davam conta de que a PF apreendeu documentação da gestão de 2005-2009 e também da atual.

Esquema

Empresas suspeitas de participar do esquema venciam licitações para a compra de medicamentos e insumos oferecendo preços baixos e cometiam irregularidades na entrega dos produtos.

Entre as irregularidades constatadas nas investigações da PF e da CGU estavam a entrega de quantidade menor do que a descrita na nota fiscal, entrega de medicamentos com a data de validade quase esgotando e a emissão de notas ficais que depois eram anuladas. Essas notas estavam sem os carimbos dos postos fiscais e com preços superfaturados, de acordo com a CGU.

As investigações demonstraram que havia servidores municipais envolvidos no esquema e que, em muitas vezes, não houve controle do estoque nas farmácias das prefeituras.

Em 22 municípios foram constatadas irregularidades, em 2009 e 2010, porém não foram citados quais eram eles. O prejuízo aos cofres públicos chega a 3 milhões.

4 Comentários

  1. Fraudar licitações do SUS ? É brincacadeira !!
    Vão ser macho de verdade para roubar dinheiro do Banco Central !!

    Deixem o dinheiro do “zé povinho” ser aplicado no seu devido lugar.

  2. Em Matinhos a Policia Federal fez uma prisão e pelo que se sabe as investigalçoes se iniciaram em 2007, tem eX. diretor que esta noite não vai dormir!!!

  3. A policia federal deveria prender essa ta de miriam secretaria de administração da prefeitura de matinhos essa mulher e da turma do lenner acorda dalmora vc vai perder a eleição por causa dela mande ela embora antes que seja tarde de mais………….fora miriam matinhos te odeia……

  4. Vai ter mais gente presa em MATINHOS, quem viver vera….uma vergonha o que ocorreu na cidade……

Comente