Uncategorized

“Pequenos produtores vão pagar juros menores”, diz Gleisi

As novas regras do crédito rural que devem ser anunciadas pelo governo no começo de junho vão garantir aos pequenos produtores rurais taxas de juros menores do que atualmente pagam. Esta é a avaliação da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que ressalta que as regras em gestação pelo governo preveem a equiparação das taxas de juros do crédito rural dos pequenos com os grandes produtores. “A proposta prevê uma descomoditização da política agrícola, ou seja, os produtores de arroz e feijão, atualmente, pagam juros mais altos do que um produtor de soja ou de milho, porque essas culturas figuram como prioridade de exportação. Mas sendo equiparados, a medida atingirá praticamente a maioria dos agricultores do País”, comemora.

Gleisi diz que no conjunto das novas regras do crédito rural, merece destaque a simplificação dos procedimentos na hora do fechamento do empréstimo. “O crédito a partir de agora será individual e será liberado por CPF do beneficiário. Não será por cultura que o agricultor vai plantar”, afirmou.


A senadora explica que na norma vigente, para se fazer uma operação de crédito rural com o banco – seja oficial ou privado – o interessado deve indicar qual é a cultura que vai estar atrelada o crédito rural. “Às vezes, o produtor começa uma plantação com antecedência e quando chega a planta, percebe que não há condições ideais de cultivo. Se ele resolver, então, mudar de cultura, não pode voltar atrás do crédito tomado. Com as novas regras, o que vai valer é o CPF do agricultor, que terá liberdade de plantar”, salienta.

Boa Notícia

As novas regras que estão no forno, segundo Gleisi, reservam boa notícia porque o governo da presidenta Dilma Rousseff pretende elevar o teto dos recursos. Hoje o piso de empréstimo varia de R$ 200 mil a R$ 650 mil, por limite individual de crédito. A nova medida deve estabelecer como piso de empréstimo R$ 650 mil e teto de R$ 975 mil. “O interessante é que o governo vai fazer um diferencial. Se o agricultor usar sementes certificadas, ele terá um bônus de 15%. Se ele comprovar respeito às leis ambientais, terá outro bônus de 15%”, afirma.

Perguntada se os pequenos produtores rurais também serão beneficiados com a regulamentação do cadastro positivo, aprovado ontem pelo Congresso, Gleisi disse que certamente a medida vai impactar, principalmente para os pequenos produtores rurais que vão ao Pronaf.

Para debater as novas regras do crédito rural, a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) aprovou, nesta quinta-feira (19/05), requerimento da senadora Gleisi para a realização de audiência pública, já agendada para o dia 9 de junho, com a presença dos convidados Gilson Bittencourt, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Edílson Guimarães, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Laudemir Muller, secretário da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário. A senadora Ana Amélia (PP-RS) também assinou o requerimento de audiência.

6 Comentários

  1. E ai Dignissíma Senadora, nós aqui de Antonina e Morretes estamos esperando o “DINDIM” que a senhora prometeu.Porque vir aqui passear de helícoptero, sair na mídia e sumir é brincar com a desgraça alheia, não acha? Até a agora estamos contando com a ajuda de volúntários, male e mal do Governo do Estado com meia duzia de Máquinario, mas cadê o dinheiro da dona DILLLLMMMMAAAA!!!!!!! SOCORRRRRO LITORAL DO PARANA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. CAÇADOR DE PETISTAS Responder

    Dona Glesy.

    Porque o PALOCI aumentou 20 vezes a sua fortuna?
    Desculpe, esqueci que minha pergunta não pode ser respondida pois, você é PT.

    PT, O CÂNCER DO BRASIL

  3. valter bianchini Responder

    O artigo tem uma série de equivocos. O juros serão reduzidos para a agricultura familiar e não equiparadas ao financiamento dos grandes produtores que tem juros maiores e não contam com a equivalencia em produto. Não exite diferença entre culturas de exportação e produtos alimentares, pelo contrário o Pronaf Mais Alimentos preve juros menores para a produção de alimentos. Em relação ao financiamento ele é predominantemente individual e por produto ou um conjunto de produtos. Definir este produto de forma antecipada, para a agricultura familiar, é uma necessidade, em função do seguro da atividade agrícola e em função da equivalencia da dívida ao produto financiado. Se cair o preço do produto cai tambem o valor do financiamento. Sem saber o produto no momento do financiamento fica dificil estabelecer esta equivalencia.As vantagens do financiamento para a agricultura sustentável será uma boa medida.

  4. Faz um emprestimo planta e depois colhe; Na hora de vender vem o grande produtor e esmaga com a oferta de preços baixos. La foi a ilusão do pequeno sem espaço no mercado. que sobra é a divida.

  5. A MARIA está certa, toda semana viajo ao litoral, morretes e antonina estão abandonados, parecendo uma terra JURASSICA, politicos entram e saem da cidade fazendo de conta que estão preocupados, mas até agora só enganação.
    AVISO AO POVO – NÃO CONTEM COM AJUDA DE POLITICOS E NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES ANULEM O VOTO, POIS ESSE CALHORDAS SÃO INDÍGNOS DA COLABORAÇÃO DOS MORADORES!!!

Comente