Uncategorized

Governo vai recorrer no plenário contra convocação de Palocci

Maria Clara Cabral da Folha.com

Líderes da base aliada do governo vão apresentar, ainda nesta quarta-feira, uma questão de ordem no plenário da Câmara contra a convocação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil), aprovada mais cedo na Comissão de Agricultura.

O argumento de deputados governistas é que o presidente da Comissão, Lira Maia (DEM-PA), não seguiu o regimento ao proclamar o resultado da votação que convocou Palocci. “O presidente teve uma atitude ditatorial, nunca vi uma manobra tão baixa. Tudo se pode esperar de uma oposição que está perdida, menos isso”, disse o deputado Bohn Gass (PT-RS).

A aprovação do requerimento aconteceu quando os governistas estavam concentrados em outras comissões da Casa e os principais líderes participavam de reunião de Coordenação Política no Palácio do Planalto. Os líderes do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e do PT, Paulo Teixeira (SP), chegaram na câmara apenas por volta das 13 horas.

“Boi lerdo toma água suja”, resumiu o deputado Zonta (PP-SC), que estava presente na sessão e era contra a convocação de Palocci.

O processo de votação foi sem registro nominal e, como o presidente da Comissão é da oposição, aconteceu rapidamente. Isso foi possível graças a uma manobra pré-acordada entre PSDB e DEM, que já haviam pedido votação nominal em outra votação. O registro de voto só pode acontecer de uma em uma hora.

A base alega que Lira teria que ter seguido a manifestação dos deputados, feita anteriormente. Com isso, o requerimento não seria aprovado.

Depois de muitas brigas e discussões, Lira Maia encerrou a sessão, convocando outra apenas para a semana que vem. Ou seja, a decisão sobre a questão de ordem do governo pode ficar nas mãos do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS).

No dia 15 passado, a Folha revelou que o ministro tinha comprado um apartamento de R$ 6,6 milhões, numa evolução patrimonial declarada de 20 vezes desde 2006. O governo entrou em crise política e paralisia, já que Palocci é o seu ministro mais forte.

Ele justificou a evolução por seu trabalho de consultoria. A Folha então revelou que, só no ano passado, ele ganhou R$ 20 milhões com os trabalhos para clientes que não revelou, alegando cláusula de confidencialidade nos contratos.

Metade disso foi ganha quando Palocci coordenava o grupo de transição do governo e tinha acesso a dados sigilosos.

4 Comentários

  1. De quê o governo está com medo ?
    Com isso o governo comprova que o Palocci fez pior que imaginamos
    Se Palocci não tive cometido crime contra o erário público, os PeTistas não estariam se borrando todo.

  2. Vigilante do Portão Responder

    Vão “pagar esse mico”?

    Hummmm

    A coisa é grande.

    Quanto mais defendem o Palocci, mais se afundam.

    Veja a “desastrosa” fala do Suplicy:

    O Ministro Palocci ganhou, em uma só FUSÃO de empresas R$1milhão; Não ganhou R$2 ou R$3, pois interrompeu o contrato para ser MInistro.

    Pensando Bem,

    O Palocci é um péssimo CONSULTOR.

    Receberia, apenas nessa “CONSULTORIA”, 20 vezs a soma dos salários de 8 anos de mionistro.

    Então, trocar essa “BOLADA” para ser Ministro da Dilma,

    Bem,

    É “autruísta” ou é BURRO.

    Nem um nem outro,

    Claro que estão escondendo os reais motivos.

  3. Vigilante do Portão Responder

    Bom mesmo foi a “companheira” Gleisi,

    Num dia, dá apoio Incondicional ao Palocci.

    Disse a Loirinha:

    Não tem nada, o Palocci já explicou tudo….

    Dias depois, vendo que a coisa pode entornar,
    Diz que é melhor o Palocci deixar o Ministério….

    FALSA!

    P.S.

    Duvido que o Campana Publique

Comente