Uncategorized

Mais quatro empresas vão se instalar no Tecnoparque

O Comitê de Fomento do Programa Curitiba Tecnoparque, da Agência Curitiba de Desenvolvimento S/A, que avalia os projetos de empresas interessadas em participar do programa, reuniu-se na manhã desta quinta-feira, dia 02, para aprovar novos projetos de empresas iniciantes no ano de 2011. As empresas DRM – Serviços de Consultoria – Implementação de ferramenta diferenciada e inovadora como solução para a gestão do ciclo de vida de desenvolvimento e manutenção de sistemas e a TESE Tecnologia em Sistemas Espaciais LTDA – Sistema de Gestão Social Urbano Geolocalizável – uniram-se à LECOTOX – Análises Ambientais e Cia e à Marel Food Systems – desenvolvimento e fabricação de equipamentos de processamento inteligentes e de soluções para as indústrias de pescados, carnes e aves; duas outras empresas iniciantes em 2011, aprovadas pelo Comitê para participarem do Curitiba Tecnoparque.

Atualmente são 85 empresas participantes do programa municipal além das quatro empresas recém aprovadas. O programa Curitiba Tecnoparque, da Prefeitura de Curitiba, tem um espaço urbano caracterizado pela presença, concentração e interação de ativos tecnológicos do poder público, da iniciativa privada e de instituições de ensino e pesquisa. Além da infra-estrutura existente na cidade, a Prefeitura lidera a integração entre as empresas, universidades e institutos de desenvolvimento e de pesquisa para estruturar um novo polo de serviços de base tecnológica. Entre as empresas que participam do Tecnoparque estão: Wipro, Siemens, BRQ, Nokia Siemens, Positivo Informática, Cinq Technologies, Lactec, Visionare, EBS entre outras. A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) é parceira da Agência Curitiba no desenvolvimento do programa, para intercâmbio científico e tecnológico, desenvolvimento de atividades de pesquisa e formação e capacitação de pessoas.

“O Programa Curitiba Tecnoparque é um exemplo de como o poder público pode estimular positivamente a atração de empresas de base tecnológica, e fomentar um ambiente adequado à parceria entre os setores produtivos e acadêmicos”, afirma o diretor-presidente da Agência Curitiba, Gilberto Camargo. O Curitiba Tecnoparque envolve quatro polos urbanísticos, localizados na região sul-leste da cidade, onde há a maior concentração de ativos tecnológicos. Nestas áreas estão instaladas as três principais instituições de ensino superior do Estado e várias entidades dedicadas à pesquisa, que reúnem 46 mil estudantes, 3,3 mil professores e 500 grupos de pesquisas acadêmicas, que mantém sinergia com os setores estratégicos.

Participaram da reunião do Cofom, Luis Márcio Spinosa, representando a PUC, Gerson Luiz Koch da secretaria estadual da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), Felipe Couto da FIEP, Carlos Cziulik da UTFPR, Lourival Peyerl do IPPUC, Eliane Cordeiro Duarte da UFPR, Wolmy Bruel Júnior representando a secretaria municipal de Urbanismo, Mário Augusto Fontoura da secretaria municipal de Finanças, Gilberto Carmargo diretor-presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento S/A, Manoel Tadeu Barcelos, diretor administrativo e financeiro da Agência Curitiba, Armando Moreira gestor do programa Curitiba Tecnoparque da Agência Curitiba, Christine Jakobi da Agência Curitiba, Marco Aurélio Carvalho da Agência Curitiba e Gilson Fonseca, consultor do SENAI.

Processo
Para participar do Tecnoparque, a empresa interessada deve apresentar um projeto para análise técnica do Comitê de Fomento — formado por dez entidades do setor público e da sociedade civil organizada — para verificar a fundamentação técnica legal e assegurar incentivos fiscais oferecidos para estimular o desenvolvimento de setores de alta tecnologia em Curitiba. A Lei Complementar nº 64, publicada em 18 de dezembro de 2007 e que deu origem ao Curitiba Tecnoparque, concede benefícios fiscais às empresas. Entre os setores considerados estratégicos para instalação no Tecnoparque estão os de sistemas de telecomunicações; equipamentos de informática; desenvolvimento de software; gestão de dados e distribuição eletrônica de informações; pesquisa e desenvolvimento; design; laboratórios de ensaios e testes de qualidade; instrumentos de precisão e automação industrial; e de novas tecnologias como a biotecnologia, microtecnologia e saúde.

O anel logístico inclui o polo onde estão localizados dois dos principais câmpus universitários (UFPR e PUC-PR), o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec) e a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep-PR). Os outros polos envolvem o Setor Central do Rebouças, antiga área industrial de Curitiba, onde está instalada a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); e os setores CIC Norte e CIC Sul da Cidade Industrial de Curitiba, onde está o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e o Parque de Software, o primeiro do Brasil.

Comente