Uncategorized

Ânimo, irmão

Leia a crônica de Carlos Alberto Pessôa para a Revista Ideias.

BRASIL, SOCIEDADE DEMOCRÁTICA é obra da coleção documentos brasileiros, da José Olympio, editada em 1985 sob a coordenação do Hélio Jaguaribe. Que escreveu o substancioso ensaio inicial: O EXPERIMENTO DEMOCRÁTICO NA HISTÓRIA OCIDENTAL; ele parte da luminosa Grécia séculos antes de Cristo e desemboca no Brasil da abertura à época do governo Figueiredo, o último do período militar.

Neste movimentado e bem informado périplo Jaguaribe constata pelo menos uma regularidade: o processo de crescente democratização passa por três estágios: o dos notáveis, de classe média e de massa.

No Brasil, por exemplo, segundo HJ tudo começou com D Pedro I, em 1822, e veio até a revolução de 30, quando a classe média sobe ao proscênio; finalmente, a partir dos anos 50 do século passado para cá é o trânsito para a democracia de massa.

Aqui peço licença para pequena intervenção: nada a opor quanto ao período de democracia de notáveis (1822-1930), mas acho possível estender a vigência da democracia de classe média até o fim do período militar. E a democracia de massa dataria da eleição do Collor. É o que estamos a viver desde então, a experimentar desde então.

Pra encerrar: lembro que foi sob a democracia de massa que Péricles ascendeu ao poder em Atenas. Ânimo, irmão.

6 Comentários

  1. É um louco varrido mas sairam com ele do Palácio do Planalto por
    muito pouco de falcatrua que fez. Hoje a bandalheira está solta e a
    “turminha do mal” fica tentando apagar o incendio da floresta com
    água na seringa …

  2. Simplicio Figueira Responder

    REBUSCO UMA FRASE DO SENADOR PEDRO SIMON

    “Sou obrigado a reconhecer que, com toda a corrupção que teve de um tempo para cá,o que encontramos no governo Collor deveríamos ter enviado para o juizado de pequenas causas”.

  3. Sergio silvestre Responder

    Esse cara parece que sempre anda encapetado,coloque lhe dois chifres
    que é o próprio fauno.

Comente