Uncategorized

Com dura missão pela frente, Ideli promete abrir os cofres

Nova ministra de Relações Institucionais terá, na quarta, o desafio de garantir aprovação da MP da Copa no Senado. E promete liberar verba para emendas.

Da Veja
Foto Wilson Dias/ABR

A nova ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, assume a pasta nesta segunda-feira com uma série de desafios pela frente. Ela será responsável pela articulação política do governo com o Congresso e enfrenta, já nesta semana, a missão de conseguir, no Senado, a aprovação das novas regras de licitação propostas pelo Planalto, que visam a dar celeridade às obras da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. E Ideli já tem na manga uma maneira de negociar com os parlamentares: abrir os cofres do governo, liberando verbas a emendas e distribuindo cargos aos partidos da base.

O novo sistema, denominado Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), vai permitir ao Palácio do Planalto correr com as licitações, sem ter que seguir as restrições impostas pela legislação atual. Mas a oposição considera o projeto muito abrangente e defendem mudanças no texto para garantir limites e evitar “o caminho aberto para a corrupção”.

O problema apontado por DEM e PSDB é que a proposta, que valia apenas para as obras em aeroportos, foi estendida para tudo aquilo que for considerado “necessário” para a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, para a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014. As legendas prometem obstruir a votação, que ocorre na próxima quarta-feira.

Segundo a edição desta segunda-feira do jornal O Estado de S. Paulo, Ideli vai negociar com o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), pela aprovação da proposta. O deputado chegou a ser cotado para assumir o cargo que Ideli passará a ocupar oficialmente nesta segunda. Focada em sua missão, Ideli parece disposta a deixar para trás a postura de durona que assumiu quando senadora – e que lhe rendeu o apelido de “pit bull do governo”. Em entrevista ao jornal O Globo, a nova ministra contou que a primeira ligação que fez quando a presidente Dilma Rousseff oficializou seu nome para o cargo, na última sexta-feira, foi para o vice-presidente Michel Temer (PMDB).

“Esta minha primeira semana será de oficializar o pedido de ajuda e colaboração, de abrir portas, para termos trânsito e constituirmos uma interlocução mais próxima da base com o governo”, afirmou. “Todos os partidos têm as suas disputas de espaço. Alguns deixam isso mais público, outros menos. Vamos constituir com o PT uma forma de diálogo. Não tem espaço para todos. Teremos de ter capacidade política para organizar a fila”, continuou.

Ideli ainda se comprometeu a liberar a segunda etapa de emendas parlamentares, que soma 250 milhões de reais. “O ministro Luiz Sérgio [que a antecedeu no cargo] me disse que os limites para os ministérios já estão engatilhados, para a liberação das emendas dos parlamentares”, afirmou.

6 Comentários

  1. . A IDELI vai coseguir essa aproximação do Congresso c/ o governo, tenho certeza.

    . Ela é uma “simpatia” ( $$$$$ – coitado do orçamento ) e haverá uma empatia ( já tem reservado $ 250 mi ) mto grande entre ela e os congriossistas”.

    . Esse é o novo jeito do PT governar.

  2. A ÚNICA COISA QUE RESTA À ESSA TAL IDELI SALVATTI, É TENTAR NEGOCIAR VIA ABERTURA DE COFRES, JÁ QUE SE TRATA DE UMA PESSOA INTRANSIGENTE E RADICIAL, AO PASSO QUE, DO OUTRO LADO, TEMOS, COMO INTERLOCUTORES, PESSOAS QUE SÓ COMPREENDEM COMO LINGUAGEM, A DO VIL METAL.

  3. Chegamos ao fundo do poço, ao assassinato de um país, aonde a própria população escolheu este fim.

    Está tudo errado. Será que ninguém percebe ? O princípio não poderia ser este.

    Enfim…. joguem os remos no mar….

Comente